Servidores da Educação visitam Comunidade dos Arturos e discutem sobre processo formativo

Ao todo, 20 servidores estiveram presentes na capela da comunidade.

Os servidores da Superintendência de Educação Básica (Educação Infantil e Ensino Fundamental), da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), realizaram uma visita na tradicional Comunidade dos Arturos, na região Sede. O encontro teve o intuito de contribuir com o processo formativo dos assessores em Educação das Relações Étnico-raciais e Superação do Racismo.

A Seduc foi recebida por uma das lideranças da comunidade, a Rainha Goreth, que também é educadora. “Essa atividade é de fundamental importância, pois retrata a transversalidade e a capilaridade das políticas de educação das relações étnico-raciais. Para nós é muito importante receber a Seduc para falarmos do currículo da educação quilombola. É gratificante falar aos servidores a nossa história e tradição”, explica a líder e também professora, Maria Goreth Luz.

Ao tratar da superação do racismo e promoção da igualdade racial é de suma importância considerar os territórios das comunidades tradicionais que fazem parte da história de Contagem, sendo os Arturos os primeiros a habitarem o território. Trata-se de história viva que contribuirá para o processo de implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08 nas escolas. “Chegar na comunidade e receber a todos os servidores é algo que mexe com a sua cultura. Muito do que eu vi é valioso para lidarmos no dia a dia dentro da sala de aula. Não podemos ignorar a cultura quilombola e devemos reconhecer a sua história”, enfatiza a secretária-adjunta, Dagmá Brandão Silva.

Desde 2014, o Conselho Estadual de Patrimônio (CONEP) reconheceu por unanimidade a Comunidade dos Arturos como bem cultural de natureza imaterial, que constitui o patrimônio cultural de Minas Gerais. “A atividade surge da parceria entre as diretorias de ensino fundamental e educação infantil, que iniciou com o processo de construção de ferramenta para o monitoramento da implantação da educação das relações étnico-raciais nas escolas da rede”, finaliza a diretora de Educação das Relações Étnico-raciais, Direitos Humanos e Cidadania, Rosângela da Silva.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 06/08/2018

Notícias Relacionadas