Seduc reforça tema de inserção de imigrantes nas escolas

A direção de projetos especiais e corpo pedagógico fizeram reunião sobre o tema na secretaria.

A Superintendência de Projetos Especiais e Parcerias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) fez um encontro de apresentação com professores, pedagogos e oficineiros no intuito de alinhar os trabalhos que serão feitos nas escolas de Contagem com os imigrantes haitianos e de outras nacionalidades.

A pauta abordou questões sobre o projeto “Escola sem Fronteiras” e também o assédio moral e racial que muitos imigrantes têm enfrentado no Brasil. Durante o bate-papo entre os profissionais que estão à frente nas escolas e o corpo responsável da Seduc, cada um pôde falar como é a realidade dentro das escolas do município que recebem imigrantes com dificuldade em língua portuguesa.

É com base na lei que o Português como Língua Estrangeira (PLE) tem sido assegurado nas escolas contagenses. E os 58 estudantes matriculados na rede atualmente tenham acesso ao conteúdo gratuito e voltado para a cidadania daquele indivíduo que chega na cidade e precisa saber se comunicar para poder trabalhar e viver na sociedade. “O nosso intuito é trazer uma política de igualdade e empoderamento. Queremos também envolver outras secretarias que nos ajudem a transformar esse nosso olhar para o imigrante que vive em Contagem”, afirma a diretora de Relações Étnico Raciais e Gênero da Seduc, Rosângela da Silva.

Durante a reunião, os profissionais das escolas, puderam levantar o que evoluiu dentro do campo do ensino com o imigrante. Trabalhos voltados para a cultura, lazer, música, poesia, cinema e festividades folclóricas também foram destacados como forma de aprendizado nas falas de cada um. “Durante as aulas e as atividades que fazemos com os estudantes, eu pude perceber que somos todos iguais. Essa experiência ao longo dos anos em que estive à frente dos projetos, mostrou que é possível e satisfatório trabalharmos com cada aluno de outras nacionalidades”, destaca a professora de Português, Maria Rita da Consolação.

No final da reunião ficou marcado novas agendas e visitações nas escolas Escolas Municipais Maria Silva Lucas e Isabel Nascimento de Mattos que hoje recebem os estudantes nas Regionais do Ressaca e Petrolândia, respectivamente. A Seduc reforça que os professores são capacitados e dão um curso intensivo de 6 meses para o turno da noite. Atualmente a cidade de Contagem possui cerca de 2 mil imigrantes, em sua grande maioria haitianos. “O Projeto Escola sem Fronteiras têm um papel importante na inserção da temática imigrantes. Sabemos que pessoas de diversas nacionalidades vivem hoje no município e dessa forma, queremos acolher e reforçar as garantias que todos eles precisam receber para se ter uma educação justa e forte na cidade”, finalizou a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias da Seduc, Ludmilla Soares.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 27/07/2018

Notícias Relacionadas