Estudantes participam de palestra para conscientizar sobre os perigos do “desafio da rasteira”

A atividade contou com dinâmicas e elementos teatrais para abordar os riscos da brincadeira

A Escola Municipal Pedro de Alcântara Junior, na Regional Industrial, realizou para os estudantes uma palestra de conscientização sobre os perigos do “desafio da rasteira”. O desafio viralizou na internet, nas últimas semanas, e é feito com três pessoas lado a lado, onde a do meio é incentivada a pular e, em seguida, recebe uma rasteira de surpresa.

O professor Fred Piccoli juntamente com a diretora Geise Serafim e a pedagoga Raquel Patrícia planejaram a ação. “Pesquisamos vídeos e reportagens atuais para estruturar a mensagem que pretendíamos passar para os alunos de que este desafio não é uma brincadeira. Dessa forma, junto com eles, analisamos diversos vídeos em que estudantes de outras instituições praticavam o desafio, apontamos o desequilíbrio dos corpos de quem era vítima da ‘pegadinha’ e como a coluna vertebral e o crânio ficavam vulneráveis nessa situação”, disse Piccoli.

Por ser graduado em teatro, o professor articulou gestos e ações no intuito de instigar o interesse dos estudantes para que se sentissem curiosos em compreender os riscos do desafio. Também foi feito uma dinâmica com as crianças para demonstrar o nível de periculosidade em que o corpo é exposto.

A escola possui uma política de prevenção de acidentes ligada a temas atuais que se relacionam ao universo dos estudantes. “Acredito que neste cenário um dos papéis do professor é estar conectado com as mídias sociais para identificar o que os alunos ouvem, assistem e o que ou quem estão seguindo. E assim, em parceria com as famílias, sempre buscar uma forma de nos conectar com os estudantes a fim de orientá-los de maneira saudável e proveitosa”, reforça o professor.

Durante a palestra, vários alunos relataram casos de pessoas conhecidas que participaram do desafio que não se deram bem e sobre outras brincadeiras que apresentam as mesmas características e perigo. Diante desses relatos, a escola procura sempre contribuir ao pensamento crítico e reflexivo das crianças em relação às questões sociais que permeiam o cotidiano.

Texto: Mariane Gomes sob supervisão da jornalista Vanessa Trotta
Foto: Divulgação
Publicação: 21/02/2020

Notícias Relacionadas