Articuladores serão ponte entre escola e comunidade

Profissionais farão o acompanhamento dos alunos, dentro e fora da sala de aula, contribuindo com a formação dos jovens

Os articuladores do programa Novo Mais Educação estiveram presentes no Centro Universitário Una, na quarta-feira (31), para reunião solene com a Secretaria Municipal de Educação (Seduc). O tema abordado foi o projeto Articulação Comunitária que visa promover acompanhamento especial dentro e fora da escola. Ao todo 50 professores e pedagogos participaram da palestra.

O papel do articulador é o de planejar e monitorar aos estudantes, tendo uma relação com os pais e focar nas melhorias do aprendizado dentro da escola. Ele será o responsável por coordenar o programa Novo Mais Educação e o projeto Articulação Comunitária, promovendo a interação entre a escola e comunidade. O número de escolas são 50 e atualmente e existem 6.158 alunos cadastrados no programa.

O trabalho também terá consonância pedagógica com os mediadores e facilitadores de aprendizagem. O primeiro é responsável pelas oficinas pedagógicas, trabalhando de forma articulada com os professores da escola. Cabe ao mediador promover ações aos alunos em relação ao conteúdo de matemática e língua portuguesa. Já o facilitador vai desenvolver atividades selecionadas pela escola no campo das artes, cultura, esporte e lazer.

Outro ponto abordado foi a criação de dois conselhos: o de pais e o de alunos. Tendo em vista fortalecer a participação da comunidade local no debate educacional para além dos muros da escola. Desta forma a Seduc institui, neste ano, o Conselho de Pais e o Conselho de Estudantes. Competirá ao articulador comunitário mediar reuniões entre os grupos. “O articulador vai acompanhar os estudantes que precisam de atenção especial. Será de extrema importância termos o diálogo com as famílias e moradores locais. O conselho vai agrupar escola/comunidade com demandas para serem trabalhadas. Será um novo canal de escuta com o apoio da Seduc”, explica Ghisene Alecrim, coordenadora da formação escolar da Secretaria Municipal de Educação.

Para fazer parte do conselho não há um número limite. Os pais e alunos (somente do oitavo e nono ano) são convidados indistintamente. Eles terão a plena responsabilidade de debater questões que envolvam violência na escola, incentivo à participação dos estudantes na instituição, propor estratégias para grupos de estudo por meio de um processo democrático e participativo. “Além dos esclarecimentos apresentados na reunião, eu pude perceber que os pais e alunos envolvidos na estrutura da escola serão uma ponte de comunicação com a sociedade. Eu acredito que essa relação ajudará na gestão escolar”, finaliza Nara Cristina Brito, articuladora da Escola Municipal Cel. Antônio Augusto Diniz Costa.

 

Reportagem e foto: Leonardo Melo

Notícias Relacionadas