Prefeitura recolhe lote de medicamento para hipertensão no SUS conforme determinação da Anvisa

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde – SMS, informa que recolheu o lote 1071100, do medicamento com princípio ativo Losartana Potássica de 25mg (Aradois), do fabricante Biolab, nas farmácias distritais.

Com o recolhimento deste lote, o município ficou desabastecido do medicamento, uma vez que este era o único lote atualmente disponível na Central de Abastecimento Farmacêutico – CAF.

A medida cumpre a determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, na última quinta-feira (23/6), que trata das ações para o recolhimento e suspensão de comercialização e distribuição de alguns lotes da Losartana Potássica de 25mg e 50 mg de diferentes fabricantes.

A Diretoria de Assistência Farmacêutica já entrou em contato com o fornecedor para que a substituição do quantitativo de aproximadamente 60 mil comprimidos de Losartana 25mg possa ocorrer no menor tempo possível, de forma a evitar desassistência aos pacientes que fazem uso contínuo deste anti-hipertensivo.

A SMS esclarece que os demais lotes do medicamento na apresentação de 50mg já distribuídos em Contagem não estão na lista, portanto, estavam liberados para entrega aos pacientes.

Motivo da decisão da Anvisa 

Conforme explica a diretora de Assistência Farmacêutica da SMS, Lorena Ferreira da Silva, a motivação para tal ação está na confirmação de desvio de qualidade relacionado à presença da impureza azido em concentração acima do limite de segurança aceitável no produto. “As impurezas azido são substâncias que podem surgir durante o processo de fabricação do insumo farmacêutico ativo – IFA e que tem potencial mutagênico. No entanto, não há risco imediato em relação ao uso dessa medicação, porque não existem dados que indiquem um aumento dos eventos adversos”, informou.

É importante ressaltar que esta é uma medida preventiva adotada pela Anvisa e seguida pela SMS/Contagem e busca evitar que os lotes com essa impureza fiquem em circulação. No entanto, pacientes que utilizam o medicamento não devem interromper o seu tratamento, ainda que estejam usando um dos lotes afetados. Deixar de tomar o medicamento pode trazer mais riscos para a saúde do paciente.  A interrupção ou troca da medicação anti-hipertensiva só pode ser autorizada pelo médico que acompanha o paciente.

Orientações

Os pacientes podem entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor – SAC do laboratório de seus produtos para se informar sobre a troca por um lote não suspenso. Os meios para contato com as empresas estão disponíveis na embalagem e bula dos produtos.  Há no mercado outros lotes de Losartana Potássica que podem substituir os medicamentos recolhidos ou interditados.

Ressaltamos que os registros desses medicamentos continuam válidos no Brasil e em vários outros países.

 O prazo máximo regulamentar para conclusão do recolhimento desses produtos é de até 120 dias, contados da data da publicação da resolução que determinou o recolhimento (23/06/2022).

Em caso de dúvidas, procure o médico ou farmacêutico.

Repórter: Vanessa Trotta/PMC