Cais prorroga exposição até o final do ano no Museu Nair Mendes

Cultura - 06/12/2021, 17:23:14 - Repórter: - Foto: Newton de Castro Resende/PMC

A exposição “Cais: 50 anos, um lugar, muitas histórias”, que celebra os 50 anos de existência do Centro de Atendimento e Inclusão Social-Cais, na Casa Nair Mendes, foi prorrogada até o fim do ano. Desde o dia 18/11, a exposição está em cartaz, de forma gratuita, à população. Em fotos, a mostra traz um pouco do que é a instituição, ilustrando o dia a dia de quem a frequenta. Todas as imagens são do fotógrafo Rômulo Menezes e faz parte de uma parceria entre o Cais e a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Cultura.

De acordo com o fotógrafo, tratam-se de fotos que “cativam sentimentos e registram olhares, sorrisos: imagens que ilustram a singularidade de cada ser”.

“Podemos dizer, ainda, que são fotos de pessoas atendidas pela instituição, a antiga Apae. Há, também, cartazes, que relatam o trabalho do Cais, que sempre está disponível para receber a população, dando todo o suporte necessário”, completou Patrícia Faria de Oliveira, auxiliar da Diretoria de Memória e Patrimônio, da Secretaria Municipal de Cultura.

Na mesma linha, a gerente de Desenvolvimento de Organizações do Cais, Ana Regina de Carvalho, disse que a exposição “Cais: 50 anos, um lugar, muitas histórias” traz um olhar individualizado de cada pessoa atendida e a preocupação da entidade com a sociedade. “Estamos fazendo uma série de eventos, com parceiros e colaboradores. Durante esses 50 anos, fizemos o atendimento a muitas pessoas e famílias, que estiveram aqui e seguiram. A nossa intenção, com a exposição, é mostrar que o Cais é um local de passagem, onde trabalhamos e defendemos a inclusão e a autonomia. A ideia é mostrar a singularidade de cada um, desenvolvendo-se e colocando-se no mundo de uma forma ímpar”, relatou.

Para a gerente de Mobilização e Captação de Recursos do Cais, Graziele Beda, as imagens mostram um pouco do que o Cais é para tantas famílias. “Temos um sentimento de dever cumprido, de um histórico reconhecido e de muito trabalho ainda pela frente. Vemos isso nos resultados conquistados e que também é estampado no rosto de cada um que passou por nossa instituição. É gratificante ver os sorrisos e como podemos ajudar a fazer uma mudança. Sentimos que estamos no caminho certo”.

Com amor e carinho, a instituição, sem fins lucrativos, busca contribuir para a inclusão e o convívio com a diversidade, a partir do atendimento especializado, promovendo um novo olhar sobre a deficiência. Isso é evidenciado nas 18 fotos que estão no museu e ficam à disposição da população até o dia 31 de dezembro. A entrada é franca, de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

O Centro de Atendimento e Inclusão Social

O Cais atende, mensalmente, cerca de 500 pessoas com deficiência, nas áreas de saúde, educação e social. Além disso, contempla todas as faixas etárias: de bebês a adultos, acompanhando, também, as famílias das pessoas atendidas.

De acordo com informações do site do Centro de Atendimento e Inclusão Social, a instituição teve início como uma Apae e atua no município de Contagem desde 1971. Em 2012, modificou sua denominação para Cais e, desde então, busca diversificar seu atendimento e atuar de forma mais intensiva na prevenção e intervenção precoce, bem como, na busca pela inclusão e pela preservação dos direitos das pessoas com deficiência.

O Cais teve seu trabalho em prol da inclusão escolar reconhecido pelo Ministério da Educação em 2005, quando a instituição publicou sua experiência como parâmetro para o atendimento educacional especializado de todo o País. Desde 1997, o Cais realiza um trabalho intenso a favor da inclusão profissional de pessoas com deficiência, atuando na formação dessas pessoas e no acompanhamento de sua inclusão nas empresas. Essa ação tem resultado em uma maior empregabilidade de jovens e adultos.

Na área clínica, se destaca na prevenção e na intervenção precoce. Desde 2009, realiza o Programa Acompanhamento de Bebês – AB, cujo objetivo é atender bebês que têm alta da UTI Neonatal, a fim de prevenir algumas patologias e intervir precocemente para alcançar melhores resultados no desenvolvimento de cada criança. Esse programa foi a base da construção do programa PIPA, em Minas Gerais, que instituiu o follow-up para bebês de todo o Estado.

O atendimento clínico do Cais tem como diferencial o trabalho transdisciplinar, que busca respeitar a singularidade, como preconiza a psicanálise, incentivando a criatividade e a autonomia de cada indivíduo atendido. Atua também de forma a dar suporte às famílias, entendendo que esta é a base de todo o trabalho.

Serviço:

Exposição “Cais: 50 anos, um lugar, muitas histórias”

Local: Casa de Cultura Nair Mendes Moreira (praça Vereador Josias Belém, 01 – Sede – Contagem)

Período: 18/11 a 31/12 – de segunda a sexta-feira

Horário: 8h às 17h

Cultura - 06/12/2021, 17:23:14 - Repórter: - Foto: Newton de Castro Resende/PMC

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação