Servidores da rede de urgência de Contagem passam por capacitação sobre Acidente Vascular Cerebral

Treinamento beneficiou mais de 120 profissionais

Saúde - 04/10/2019, 16:18:54 - Foto: Bruna Alves

Servidores da rede de urgência do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) passaram por uma capacitação de atualização em Acidente Vascular Cerebral (AVC). O objetivo é fortalecer o conhecimento e aperfeiçoar a assistência à saúde ofertada.  O treinamento contou com a exposição de especialistas que são referências no assunto.

O treinamento reuniu 120 participantes entre técnicos, enfermeiros, médicos e outros profissionais da equipe multiprofissional da assistência do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, do Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, das Unidades de Pronto Atendimento UPA’s e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o AVC é segunda causa de morte no mundo e a principal causa de incapacidade no adulto. A cada quatro pessoas, uma pode ter a doença por vários fatores, por exemplo, tabagismo e pressão alta.

Apesar dos números alarmantes, o neurologista Octávio Marques Pontes Neto, que é o coordenador Nacional de Pesquisa em AVC e chefe do Serviço de Neurologia e Emergências Neurológicas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP, esclarece que o tratamento trombolítico vinculado à agilidade da identificação do AVC isquêmico e o início da intervenção assistencial são métodos altamente eficientes na atualidade.

“O acidente vascular cerebral que é a maior causadora de sequelas neurológicas, com a administração do TPA nas primeiras três horas do início dos sintomas, aumenta-se em 30% o número de pacientes com capacidade mínima ou ausente de consequências decorrentes do AVC,” destacou Octávio Marques.

Além de abordar a respeito de conceitos importantes, o histórico e as fases que compreendem o atendimento do AVC, o neurologista especialista em Neurologia Cardiovascular e titulado em Neurossorologia pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Daniel Martins Vilela, destacou que este incidente causa um impacto social para o paciente e família, além das implicações referentes à saúde. Será a saída ou afastamento deste trabalhador do mercado de trabalho, as despesas com medicações e tratamentos de reabilitação, a necessidade de adaptações estruturais e mobiliários.

Tratando-se de um importante problema de saúde pública, os especialistas reforçaram que é fundamental a orientação junto à população, para que possa saber identificar os sintomas do AVC o quanto antes; a manutenção dos fluxos de atendimento e comunicação efetiva do SAMU e UPA’s com a unidade capacitada para o recebimento do paciente com suspeita da enfermidade; e o preparo da equipe e aplicação dos protocolos para assistência de forma ágil e precisa.

“Não é uma atuação apenas médica, o acompanhamento da equipe multidisciplinar e a monitorização constante são importantes nas etapas que compreendem a assistência do acidente vascular cerebral,” acrescentou Daniel Martins.

Saúde - 04/10/2019, 16:18:54 - Foto: Bruna Alves

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação