6ª Marcha contra o Racismo e Intolerância Religiosa mobiliza Contagem

Movimento teve o intuito de chamar a atenção para os direitos da população afrodescendente

Direitos Humanos - 20/05/2019, 13:39:33 - Repórter: - Foto: Ricardo Lima

As comunidade dos Arturos e dos Ciriacos, grupos religiosos de matrizes africanas e estudantes participaram do movimento

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), por meio da Superintendência de Políticas para Promoção da Igualdade Racial e do Conselho Municipal de Igualdade Racial, promoveu, no sábado (18), a 6ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa.

A Comunidade dos Arturos, dos Ciriacos, grupos religiosos de matrizes africanas e estudantes da rede municipal participaram do movimento. Da praça Paulo Pinheiro Chagas até o Espaço Saber o que se viu e ouviu foram verdadeiros hinos de força e fé por um único ideal: pela tolerância, pela igualdade e respeito à religião de cada um.

Com o intuito de chamar a atenção para os direitos da população afrodescendente, a marcha teve como tônica a luta e resistência nas políticas públicas para os coletivos negros, a favor da liberdade de gênero, religiosa e social. “A Marcha é uma conquista do povo negro de Contagem. Só queremos reivindicar o reconhecimento do poder público e também da sociedade, para que o povo negro tenha nossas tradições e condições de vida digna em Contagem”, explica o superintendente de Políticas para Promoção da Igualdade Racial de Contagem, Jorge dos Santos.

O mês de maio é marcado por lembranças, festividades e também uma forma de discutir o respeito e a igualdade racial almejada por toda a comunidade afro-brasileira, desde que foi assinada, em 13 de maio de 1888, a Lei Áurea, que extinguiu oficialmente a escravidão no Brasil. A data integra o calendário histórico do país e é considerada pelo movimento negro como um dia nacional de luta contra o racismo.

“Esse é o momento de denunciarmos o racismo, a pobreza, a falta de oportunidades e trabalho, a disparidade entre brancos e negros, pois ainda somos minoria no ensino superior, no magistrado, em cargos de liderança, na política, na publicidade, na literatura, no cinema e na ciência. A data serve para relembrarmos que é preciso continuar lutando pela inclusão social e econômica neste país que concentra o maior número de população negra fora do continente africano”, destaca o superintendente Jorge dos Santos.

Para a representante da Comissão de Igualdade Racial da OAB Contagem, Daphinne Nogueira, estar presente na marcha é reafirmar o compromisso de lutar na esfera judicial pelos direitos raciais, por uma sociedade consciente das legislações pertinentes. “É importante se discutir o racismo e a intolerância religiosa em todas as esferas sociais, principalmente no judiciário”, reforça.

Segundo a conselheira do Conselho Municipal de Igualdade Racial, Zenó Soares, essa mobilização serve para mostrar que Contagem, que conta com 62,3% de sua população de negros, diz não ao racismo e à intolerância religiosa. “A luta contra o racismo e a intolerância religiosa não é só da população negra, mas de toda sociedade”, destaca a conselheira.

Direitos Humanos - 20/05/2019, 13:39:33 - Repórter: - Foto: Ricardo Lima
Tags:

6ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação