Apresentações de capoeira e percussão inclusiva da Escola Municipal Antônio Carlos Lemos são realizadas em evento da Educação

Direitos Humanos - 15/03/2019, 14:53:53 - Repórter: - Foto: Geraldo Tadeu

Estudantes da Escola Municipal Antônio Carlos Lemos realizaram apresentações de capoeira e de percussão na segunda formação presencial dos profissionais de apoio à Inclusão, entre eles estagiários, cuidadores, intérpretes instrutores de libras que acompanham diariamente os estudantes com deficiência nas escolas. O evento, promovido pela Secretaria Municipal de Educação (Seduc), aconteceu na Escola Municipal Heitor Villa Lobos, na última quinta-feira (14) e reuniu dezenas de pessoas. Para as apresentações, a Seduc contou com o apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram).

O convite para as apresentações foi da superintendente de Projetos Especiais da Seduc, Ludmilla Skrepchuk. “O intuito do convite foi de mostrar a capacidade das pessoas com deficiência para desenvolver as suas habilidades, seja na área da música, da capoeira, do esporte, enfim, aquilo que eles escolherem e tiverem interesse. Foi também para exemplificado para os nossos profissionais de apoio à inclusão que mesmo esse público tendo suas limitações, eles trazem consigo suas habilidades e seus talentos. As apresentações só vieram para abrilhantar nosso evento, para ser um momento cultural e de inclusão total”, disse.

De acordo com a diretora da Escola Antônio Carlos Lemos, Sebastiana Rangel, com essas apresentações, podemos concluir que com as oficinas ofertadas no Centro de Referência de Inclusão, os estudantes já conseguem ter melhor desenvoltura. “Tem pessoas que chegaram no Centro já adultas, e quando vão participar das oficinas ficam tímidas e com pouco movimento, e hoje já podemos vê-los fazendo todo movimento da capoeira de forma bem desenvolvida. Esses movimentos desenvolvem o corpo, além de trabalhar a mente da pessoa, tanto na capoeira, como na percussão. Nas apresentações de hoje, percebi que o que mais as pessoas observaram foram os estudantes com deficiência física tocando alguns instrumentos”, destacou.

Ainda de acordo com Sebastiana, a Escola Municipal Antônio Carlos Lemos é muito importante para essa comunidade de pessoas com deficiência de Contagem, pois a cidade se preocupa com essa inclusão. “A Escola vem para contribuir oferecendo atividades, tanto na área educacional, quanto social, trabalhando a parte artística e cultural. O evento foi muito bom para os estudantes, até porque, após as apresentações, eles tiveram um momento de interação com os alunos da Escola Municipal Heitor Villa Lobos. Esses momentos para nós são sempre muito gratificantes, e estamos abertos para atender a outros convites”, finalizou.

O diretor da Escola Municipal Heitor Villa Lobos, Rogério José Lopes, demonstrou-se contente com as apresentações. “O processo de inclusão é muito importante tanto para os estudantes com deficiência, quanto para os outros estudantes, uma vez que o processo de interação entre eles se dá de uma maneira muito rápida e com bastante cooperação. Os estudantes com deficiência lógico que necessitam de um olhar diferenciado por parte do corpo docente e administrativo da escola, e são muitos aceitos e tratados com muito carinho. Estamos muito felizes em poder participar de um projeto piloto com ênfase na inclusão”, disse.

Direitos Humanos - 15/03/2019, 14:53:53 - Repórter: - Foto: Geraldo Tadeu
Tags:

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação