8º Prêmio Milton de Freitas bate recorde de homenageados em 2018

Foram indicados 31 destaques na área de direitos humanos, dentre pessoas e instituições

Direitos Humanos - 19/12/2018, 17:03:41 - Repórter: - Foto: Ronaldo Leandro

Foto: Lafaiete Barbosa

Em razão da seriedade com que a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de Contagem conduz as etapas do Prêmio Milton de Freitas, os indicados mais que dobraram nesta 8ª edição, chegando a 31 homenageados. Dentre eles, seis destaques (três individuais e três instituições) receberam troféus com a marca da 8ª edição. A cerimônia de premiação e homenagens foi realizada na noite de segunda-feira (17/12), no auditório do Sesc/Senat, e contou com a presença da primeira-dama, Luciana Braga de Freitas.

“Estou muito honrada de estar aqui para a entrega dos prêmios e extremamente orgulhosa pela quantidade de indicados que tivemos este ano. Contagem é uma cidade do bem, que está cheia de pessoas se dedicando a coisas boas, e nenhuma personalidade melhor que a figura de Milton de Freitas para ilustrar isso”, disse Luciana de Freitas, pouco antes do início da cerimônia.

Organizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, o Prêmio Milton de Freitas foi instituído em 2010 e concedido pelo Município às pessoas naturais e jurídicas, cujos trabalhos ou atuações exemplares tenham contribuído significativamente para a defesa, difusão, disseminação e divulgação dos Direitos Humanos em Contagem.

Além do próprio Milton de Freitas, liderança popular marcante em Contagem, o prêmio deste ano fez referência aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), comemorada em 10/12/18. Na solenidade, o jornalista recém-falecido, Ciro Carpentieri, proprietário de um dos maiores jornais locais, o Folha de Contagem, foi homenageado com o Prêmio Milton de Freitas em razão de sua trajetória e a importância que a imprensa tem para os Movimentos Sociais.

Para o secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Marcelo Lino da Silva, “num momento de adversidades, a cidade volta o seu olhar para os talentos nativos e valoriza àqueles que estão promovendo os direitos humanos. Para a Prefeitura é um privilégio, em nome do povo, reconhecer instituições e pessoas que promovem o bem. Esse reconhecimento é, sem dúvida, uma consequência da consolidação das políticas públicas de direitos humanos, porque temos uma determinação firme dada pelo prefeito Alex de Freitas no sentido de que esta Secretaria seja uma Secretaria de direitos”.

De acordo com o subsecretário de Direitos Humanos e organizador do Prêmio, Ricardo Cidadão, “há uma dificuldade por parte da sociedade em compreender o que são os Direitos Humanos, que encontra explicação nos fenômenos da modernidade. O egoísmo, hedonismo, sexismo dentre outros “ismos” impedem a formação da humanidade plena que cada indivíduo tem em potencial. A visão torpe do nosso próximo, somada ausência de alteridade, produz uma sociedade onde os Direitos Humanos são massacrados por ideologias e torturados pela ignorância que insiste em reduzi-los a “Direitos dos manos” ou a exposição pública daquilo que deveria estar no campo das privacidades.

Ainda segundo Ricardo, a fala na solenidade da recém-formada pela Funec Cruzeiro do Sul, Sarah Aimée, traduz o que vem a ser os Direitos Humanos, colocados em prática por Jesus Cristo, seu maior militante, mas com a doação de outras figuras históricas como Ciro, o Grande, Mahatma Gandhi, Luther King, Mandela, Bertha Lutz, dentre outras.

Recorde
De acordo com a assessora Cida Medeiros, uma das organizadoras do evento, no ano passado foram inscritos menos da metade dos indicados deste ano, sendo que de 14 inscrições, apenas nove estavam aptas a concorrer. “Este ano, o prêmio já começou um sucesso, pois tivemos 31 indicados e todos estão sendo homenageados. A Comissão Organizadora decidiu certificar todas indicações com atividade relacionada a defesa, difusão, disseminação e divulgação dos Direitos Humanos. Por isso, desta vez, vamos entregar um certificado a todos os participantes e seis troféus aos destaques, sendo três individuais e três institucionais”, explicou.

Votação
Segundo Marcos Wellerson, articulador da Casa dos Conselhos, que, no concurso, atuou como presidente da Comissão Julgadora, nesta edição foram inscritos 18 concorrentes individuais e 13 institucionais. “O Prêmio Milton de Freitas é um exemplo de harmonização entre o poder público e a sociedade civil. Foram dez dias de trabalho de análise para pré-selecionar os concorrentes. Tudo transcorreu muito bem e foi muito gratificante devido ao envolvimento das pessoas que compuseram a comissão julgadora. Fomos muitos criteriosos, escutamos o resumo de todas as instituições e, para se ter uma ideia da harmonia em torno da votação, os dois primeiros lugares venceram por unanimidade. Foi uma votação muito justa”, garantiu Wellerson.

Premiação
O nome dos vencedores permaneceu em segredo absoluto com o presidente da Comissão Julgadora até o momento da entrega dos troféus, realizada pela primeira-dama do Município. “Os direitos humanos são violados não só pelo terrorismo, a repressão e os assassinatos. Mas também pela existência de extrema pobreza e estruturas econômicas injustas, que originam as grandes desigualdades”, disse ela na abertura da premiação, em referência a uma fala do Papa Francisco. Para Luciana de Freitas, “Milton e seu legado, seus ensinamentos, sobrevivem ao tempo. Esse prêmio não se encerra nele mesmo. Pelo contrário. Esse início de noite vai ecoar por toda Contagem. É um reconhecimento de que vale a pena ser amigo da humanidade e uma singela homenagem da Prefeitura”, concluiu ela, que ainda brincou ao esclarecer que apesar da coincidência do sobrenome, Milton não possuía nenhum parentesco com o prefeito Alex de Freitas.

Antes de brindar os ganhadores com os prêmios, a primeira-dama entregou um troféu ao filho do homenageado Milton de Freitas, Ricardo Cadinho de Freitas, que emocionado afirmou que “essa uma história não só do meu pai, mas de toda a minha família e de toda a cidade. Esse prêmio carrega consigo ações de cidadãos e instituições contagenses que buscam mudar a vida de outras pessoas e rompem fronteiras históricas ao chegar em sua 8ª edição. É muita honra ver essas atitudes inspiradas na história do meu pai”.

O evento, que contou com a presença de mais de 200 pessoas, seguiu em frente premiando as seguintes personalidades:

INDIVIDUAL
1 – CABO DALTON
2 – RAQUEL TORRES
3 – DENILSON ELIAS

INSTITUCIONAL
1 – CENTRO DE ATENDIMENTO E INCLUSÃO SOCIAL – CAIS
2 – ORQUESTRA JOVEM DAS GERAIS
3 – IGREJA SÃO JUDAS TADEU

Quem foi Milton de Freitas?
Uma importante liderança popular e sindical de Contagem, que dedicou toda sua vida na luta pela democracia, combate às injustiças e construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Nascido em Ponte Nova, mudou-se para Contagem no final da década de 50, onde residiu até o seu falecimento em 1999.

Marceneiro de profissão e militante por vocação, sua atuação foi destacada no processo de organização popular, de entidades sociais, sindicatos e associações de bairro. Participou de inúmeras greves ao lado dos trabalhadores, e destacou-se nos movimentos pela redemocratização do país.

Direitos Humanos - 19/12/2018, 17:03:41 - Repórter: - Foto: Ronaldo Leandro
Tags:

8ª Edição do Prêmio Milton de Freitas de Direitos Humanos

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação