Contagem participa de simpósio internacional de fisioterapia cardiorrespiratória

Trabalho apresentado no simpósio, produzido por servidoras da Secretaria de Saúde do município, em conjunto com pesquisadores da UFMG e a University of Sydney, mostra a importância do investimento em programas de reabilitação pulmonar a pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), condição caracterizada pela progressiva diminuição da capacidade de respirar. No município, cerca de 20 mil novos casos de DPOC são identificados por ano

Notícias - 25/10/2018, 15:59:34 - Repórter: - Foto: Divulgação

Representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Contagem participaram do XIXº Simpósio Internacional de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva, que aconteceu entre os dias 10 e 13 de outubro na cidade de Manaus (Amazonas).

As servidoras da rede SUS/Contagem Renata de Carvalho Schettino, referência técnica em Reabilitação da Superintendência de Atenção à Saúde (SAS) da SMS, e Isabella Diniz Faria, responsável técnica pela linha de cuidados em Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, participaram do simpósio com o pôster “Avaliação do Preparo dos Fisioterapeutas em Comparação a outros Profissionais de Saúde para atuar na Reabilitação Pulmonar em um Município da Região Metropolitana de Belo Horizonte”.

O trabalho apresentado pelas servidoras, que foi produzido por elas em conjunto com pesquisadores da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO) da UFMG e da University of Sydney (Austrália), baseou-se em dados colhidos durante uma capacitação relativa à Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPCO) oferecida pela Prefeitura de Contagem, por meio da SMS, a cerca de 250 profissionais da rede SUS/Contagem em março deste ano.

Essa capacitação integrou o “Programa de Treinamento e Capacitação de Profissionais da Área da Saúde Para Implantar a Reabilitação Pulmonar no Sistema Único de Saúde da Região Metropolitana de Belo Horizonte”. Além de possibilitar a capacitação em DPOC de aproximadamente 250 servidores, essa oportunidade rendeu uma medição do conhecimento de profissionais da rede SUS/Contagem em relativos à DPOC.

Os achados evidenciam que, em geral, os profissionais de saúde da amostra não possuem experiência e treinamento para oferecer a reabilitação pulmonar a pacientes com DPOC. A pesquisa também indicou que é baixo o nível de confiança desses profissionais para avaliar, encaminhar e monitorar resultados do tratamento. “A partir desses resultados, serão propostas novas capacitações na rede SUS/Contagem”, reforça Renata Schettino.

De acordo com Schettino, a DPOC é uma condição do sistema respiratório caracterizada pela progressiva diminuição da capacidade de respirar causada principalmente pelo tabagismo, e também por fatores como exposição a fumaça de fornos à lenha, substâncias químicas e até poluição. A fisioterapeuta alerta que essa condição é ainda pouco identificada em seus estágios iniciais: “Muitas vezes, esses pacientes são identificados já em estágio avançado da doença, quando vão parar nas urgências hospitalares. Por isso, é de grande importância a sensibilização sobre a existência de programas de reabilitação pulmonar na atenção secundária do município, que foquem a melhora do condicionamento e funcionalidade geral do usuário, com consequente aumento da qualidade de vida”.

Schettino afirma ainda que a oferta de programas de reabilitação pulmonar pode trazer resultados positivos não só para a qualidade de vida dos usuários atendidos, mas também para os cofres públicos, gerando economia. “Os programas de reabilitação pulmonar têm mostrado resultados positivos com relação à redução do número de internações hospitalares nessa classe de pacientes, do número de consultas especializadas à pneumologia e do uso da oxigenoterapia, o que consequentemente traz uma economia em escala pelo SUS com essa classe”, ressalta a referência técnica.

O Programa de Treinamento e Capacitação de Profissionais da Área da Saúde Para Implantar a Reabilitação Pulmonar no Sistema Único de Saúde da Região Metropolitana de Belo Horizonte é pioneiro no Brasil e tem como objetivo promover a utilização da reabilitação pulmonar como ferramenta de tratamento de pacientes com DPCO de forma adequada e sustentável. A expectativa é de que Contagem torne-se um modelo de implantação do programa de reabilitação para o restante do país. Segundo o setor de Reabilitação da SMS, a DPOC apresenta alta prevalência no município de Contagem, com cerca de 20 mil novos casos por ano.

Para saber mais sobre o assunto, clique AQUI e AQUI 

Notícias - 25/10/2018, 15:59:34 - Repórter: - Foto: Divulgação
Tags:

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação