Prefeitura promove mutirão de vasectomia

Objetivo é incentivar o engajamento dos homens no planejamento familiar e normalizar a fila de espera para o procedimento

Saúde - 22/08/2018, 15:43:50 - Repórter: - Foto: Fábio Silva

Helder da Silva aguardou por dois anos para ser chamado para realizar o procedimento

A decisão sobre ter ou não filhos e, em caso positivo, sobre a quantidade de filhos desejada é individual e familiar. Mulheres e homens podem evitar uma gravidez indesejada, e a vasectomia, procedimento cirúrgico feito no homem, é uma das formas de prevenir a gestação. Helder Alessandro Martins da Silva, 38 anos, passou por uma cirurgia de vasectomia nesta terça-feira (21), no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz. Acompanhado pela esposa, Carla Santos Xavier, ele conta que aguardou por dois anos para ser chamado para realizar o procedimento e que essa foi uma decisão que envolveu muita reflexão. “Tenho uma filha de nove anos e também um enteado. Tomei essa decisão, e minha esposa está de acordo, porque não adianta ter um monte de filhos e não poder cuidar deles direito”, argumenta.

Carla, esposa de Helder, explica que a chegada da filha do casal foi planejada pelo marido. “Ele é uma pessoa muito centrada. Ele tomou essa decisão também pensando em mim, e eu o apoiei. A expectativa de vida está aumentando, as taxas de natalidade estão caindo e as pessoas estão vivendo mais, mas as coisas são difíceis. Ter filho é ter uma grande responsabilidade”, complementa Carla.

Helder foi um dos mais de duzentos homens já que foram atendidos em mais um mutirão de vasectomia promovido pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O objetivo é incentivar o engajamento dos homens no planejamento familiar e normalizar a fila de espera para a vasectomia, um procedimento relativamente rápido de esterilização masculina. Feita com anestesia local e considerada definitiva, a vasectomia é uma cirurgia contraceptiva em que o canal que leva espermatozoides do testículo ao pênis é interrompido. “Para fazer a vasectomia é preciso assistir uma palestra, tem os exames e os procedimentos, mas a cirurgia mesmo durou apenas uns 20 minutos, foi muito rápido e simples”, disse Helder após a cirurgia, da qual saiu caminhando normalmente.

O mutirão, que teve início em junho e se estenderá até setembro de 2018, promove um incremento de aproximadamente 60 cirurgias de vasectomia mensais em relação à oferta rotineira, que é de cerca de 40 procedimentos, para possibilitar que uma média de cem cirurgias mensais seja ofertada até o término da ação. De lá para cá, mais de 200 procedimentos foram executados, reduzindo pela metade uma fila de espera que já foi de 400 homens. As cirurgias estão sendo feitas no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz.

O médico urologista Arley Valle Soares, um dos médicos urologistas do CCE iria Diniz, reforça que a cirurgia é bastante rápida, contudo, “mais importante do que falar sobre a cirurgia em si é falar do que vem antes. A vasectomia é um procedimento cirúrgico, definitivo, voltada para aquelas pessoas, aqueles casais que estão realmente decididos a não ter filhos. Porque, se for uma coisa temporária, existem vários outros métodos contraceptivos muito eficazes e que não são definitivos”, diz o urologista. E como todo método contraceptivo, a vasectomia apresenta prós e contras. “A vantagem principal da vasectomia é o controle do homem sobre a gravidez. Porque, quando ele não faz, esse controle está compartilhado com a parceira, com a esposa.  A desvantagem é que se trata de um método contraceptivo, para quem não quer mais ter filhos, e não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Então, para aquelas pessoas que vão continuar a ter vida sexual, que não seja uma pessoa casada, precisa manter os cuidados”.

“Disfunção sexual causada por vasectomia”: mito a ser combatido com informação

De acordo com o médico Arley Valle, a grande preocupação da maioria dos pacientes é quanto a supostos problemas sexuais ou urológicos que poderiam ser causados pela vasectomia. O urologista ressalta, contudo, que a vasectomia não provoca disfunção sexual. “As pessoas que nunca fizeram, às vezes por ansiedade, ou por medo, ficam no disse-me-disse, mas a vasectomia não causa nenhuma alteração na função sexual, ela não interfere na parte do testículo, é simplesmente uma ligadura do canal que vai levar o espermatozoide. A ejaculação permanece, mas em volume menor. O sêmen é composto por três substâncias e o espermatozoide é uma delas”, explica o médico.

Você deseja realizar uma vasectomia? Veja como acessar a cirurgia

A gestora do CCE Iria Diniz, Aliny Vasconcelos, explica que a vasectomia é um procedimento cirúrgico relativamente simples e que está disponível na rede SUS/Contagem. “O homem pode participar do processo de planejamento da família ao optar por uma vasectomia, que é um procedimento cirúrgico simples, rápido e que pode ser feito sem a necessidade de internação. Os interessados devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para se inteirar sobre os encaminhamentos necessário, como participar das reuniões do planejamento familiar com as equipes de Saúde da Família e estar com os documentos em dia, como o termo de consentimento assinado e exames laboratoriais sem alteração”, detalha Aliny. A rede SUS/Contagem conta com três urologistas, que atendem no CCE Iria Diniz, e oferta uma média de 600 consultas mensais para a especialidade.

Saúde - 22/08/2018, 15:43:50 - Repórter: - Foto: Fábio Silva

Notícias relacionadas

Secretaria Municipal de Comunicação | Prefeitura de Contagem
Desenvolvido: Secretaria Municipal de Comunicação