Posts com a Tag ‘Teatro’

O teatro a favor do aprendizado em sala de aula

Formação dos educadores das disciplinas de Arte e História destacou o teatro como forma de auxiliar o aprendizado

Os encontros de Formação em Serviço para os professores da Rede Municipal de Contagem trouxeram como proposta as possibilidades da interdisciplinaridade no ambiente escolar. Dentro da perspectiva, as formações de Arte e História foram realizadas em conjunto. O objetivo foi promover a troca de experiências e conhecimentos entre os educadores das duas áreas.

O conteúdo foi desenvolvido pelas formadoras Denise Betônico e Elaine Ribeiro. O teatro foi usado como eixo de interrelação entre as disciplinas de Arte e História. Para as formadoras, o uso do teatro como recurso pedagógico apresenta infinitas possibilidades. Uma delas é a recriação de encenações. As atividades, além de trabalhar com os conceitos das duas disciplinas, permitem que os estudantes desenvolvam várias habilidades socioafetivas.

A mediação da atividade teatral foi desenvolvida por Glauce Leonel, atriz e professora de Educação Física da Rede Municipal de Contagem, que atualmente desempenha a função de assessora educacional. Uma das propostas trazida pela professora são os jogos teatrais. O conceito foi desenvolvido pela americana Viola Spolin e é utilizado na preparação de atores e também na formação de crianças e adolescentes, principalmente em escolas e instituições sociais.

Projeto literário é destaque na Umei Eustáquio Júnio Matosinhos

Ação faz com que pais também participem das experiências literárias dos filhos

Incentivar os estudantes a lidar com emoções e instigar a criatividade são objetivos de um projeto literário da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Eustáquio Júnio Matosinhos, na regional Petrolândia.

Durante o semestre, as crianças de 4 e 5 anos, juntamente com professoras e pedagogas, produziram um livro, um mascote e um fantoche. A proposta era que as famílias reservassem um tempo para viajar pela história e interagir com os personagens. Tudo vem sendo registrado em um diário.

A outra etapa do projeto foi reproduzir a história por meio do teatro. Cerca de 56 crianças participaram da uma apresentação. A história conta a saga de um patinho que procurava uma família. Ele buscava em vários animais suas semelhanças, até um dia ser percebido por uma galinha que o acolheu.

As atividades, segundo os educadores, têm melhorado bastante o desempenho das crianças. “A literatura é geradora de conhecimento. Proporciona às crianças experiências de socialização e desenvolvimento da criatividade.” explica Rosilene Queiroz, pedagoga da Umei.

Ariane Araújo, mãe de um estudante da Umei faz questão de acompanhar todas as etpas do projeto. “Eu estou extremamente feliz em ver esse progresso. Já percebo que ele está mais desinibido. Isso é fantástico”, destacou Ariane.

Reportagem e fotos: Nayara Macedo (Sob supervisão de Júlio César Santos)
Publicação: 07/06/2018

Contadores de Histórias realizam série de apresentações em parque ecológico

As atividades vão até dezembro e ocorrerão quatro vezes por semana.

A partir de terça-feira (7), o grupo de Contadores de Histórias da Secretaria Municipal de Educação começa uma série de apresentações no Parque Ecológico Thiago Rodrigues Ricardo. A ação tem o objetivo de proporcionar cultura e entretenimento para estudantes e população.

O grupo irá realizar contações de histórias e brincadeiras. As atividades vão ocorrer de terça a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro. As apresentações serão no espaço teatro arena e em dias de chuva na sala redonda.

O parque ecológico é aberto à população. Possui grande diversidade biológica, áreas de recreação e espaços culturais. As escolas podem agendar as visitas pelo telefone 3911 9466, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h ou pelo telefone 3392 1372, de terça a sexta-feira, de 8h as 17h.

O grupo é formado por quatro atores. Eles apresentam peças baseadas na literatura infantil e no folclore. As peças têm duração em média de 40 minutos. “A contação de história desperta o interesse pela leitura, desperta a criatividade e a curiosidade das crianças. Queremos agucar essas percepções em nossas crianças, além de promover mais um ponto de cultura e lazer ao contagense”, explicou o coordenador do programa de leitura da Seduc, Walter Samarini.

O Parque Ecológico Thiago Rodrigues Ricardo fica na rua das Paineiras, 1.722. Eldorado. Funciona de terça a sexta-feira, de 8h as 17h.

Reportagem: Júlio César Santos
Foto: Ricardo Lima

Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade celebra 25 anos com feira cultural

Atividades promoveram conhecimento e diversão à comunidade

A Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, que fica no bairro Racho das Pedras, comemorou 25 anos. Para celebrar a data, a direção promoveu uma feira cultural. Além dos estudantes, pais e comunidade puderam participar das atividades.

A preparação começou no início do ano letivo. Os estudantes do 4º ao 7º ano preparam diversos trabalhos relacionados à vida e às obras do poeta dá nome a escola. Recentemente os estudantes estiveram em Itabira, cidade natal de Carlos Drummond, e fizeram uma pesquisa de campo. Eles percorreram os caminhos “Drummondianos”, conheceram a casa e a história do escritor. “Eu achei muito interessante, conheci novos poemas e a biografia de Carlos Drummond de Andrade”, explicou o estudante do 4º ano, Thiago Augusto Lopes Fazzolo.

Os visitantes ficaram empolgados com a riqueza de detalhes dos trabalhos da feira. Além da vida de Drummond, a comunidade pôde conhecer a estrutura da escola e ainda se divertir com apresentações de dança, teatro, declamações de poemas e brincadeiras.

Escola Campeã
A Escola Carlos Drummond de Andrade é conhecida por ter alunos destaques em competições esportivas estudantis. A escola possui projetos logados ao vôlei, basquete e futsal. Diversos estudantes já foram selecionados para atuar em times profissionais, como o Sada Cruzeiro.

Além disso, são realizados projetos sociais que buscam orientar os jovens. O projeto “Beija-Flor”, por exemplo, debate temas pertinentes como bullying, homofobia, igualdade racial, gênero, sexualidade, doenças sexualmente transmissíveis. O objetivo é formar jovens conscientes e éticos. “Essa concepção de educação permanece durante os 25 anos da nossa história e sempre produziu grandes frutos”, explicou a diretora, Keila Valadares.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Divulgação

Contação de história leva diversão, leitura e combate ao medo

Alunos ficaram encantados com a forma teatral apresentada pelo projeto “Trilhas da História”

O Cemei Darcy Ribeiro, situado no Vargem das Flores, recebeu na última terça-feira (16) o projeto “Trilhas da História”, onde houve contações de histórias aos alunos de 3 a 5 anos. O programa é ligado à Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e tem como objetivo levar aos estudantes acesso diferenciado à literatura, contribuindo para o hábito de ler. O tema abordado na contação foi a lenda folclórica brasileira “Tutu Marambá”. A fantasia em formato de teatro serviu também para mostrar aos estudantes que não se deve ter medo em situações na vida.

Oriunda do nordeste brasileiro, a história do Tutu Marambá é uma cantiga popular também usada como história infantil. Em alguns casos é contada de forma “aterrorizante” para aqueles que não querem dormir. “Por meio dessa história conseguimos trabalhar o medo das crianças. O nosso objetivo é mostrar que a lenda é divertida e que não precisam temer. Queremos torná-las conscientes no combate ao medo”, explica Izabel Cristina Rocha, arte-educadora.

Os 125 alunos presentes deram boas gargalhadas e mostraram-se animados com a peça. Quem se divertiu com a história e está ansioso em poder ler um pouco sobre o tutu foi o aluno Arthur Guilherme de Souza. “Eu gostei muito da forma como a contadora brincou com a gente. Eu fiquei feliz em conhecer a história e vou ler o livro”, destaca.

A proposta da Seduc é executar o projeto em todas as escolas da rede. As contações de histórias são às terças, quartas e quintas-feiras. Os diretores devem solicitar a visita na Seduc. Os temas são selecionados pela equipe do Programa de Leitura. “A contação é uma vivência diferente na vida deles. O bairro é situado numa região carente, quando trazemos o pessoal da Seduc pensamos como o entretenimento pode levar felicidade e aprendizado aos alunos”, finaliza a diretora Sandra Aparecida Silva.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende