Posts com a Tag ‘Seduc’

Professora da Funec Xangrilá é selecionada para ministrar aulas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

A professora de biologia Solange dos Santos Lima com alunos da Funec

A professora de biologia Solange dos Santos Lima, do corpo de docentes da Fundação de Ensino de Contagem (Funec), unidade Xangrilá, foi aprovada em segundo lugar geral no edital de seleção para professores do Programa de Residência Pedagógica (PRP), no curso de ciências biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A universidade oferece o programa a professores da rede pública.

Com mais de 20 anos de magistério, Solange Lima receberá uma bolsa mensal no valor de R$700 como orientadora dos estudantes do curso de ciências biológicas na UFMG. As aulas na universidade serão ministradas em horários distintos das atividades exercidas por ela na Funec. “Já nesse segundo semestre faremos um preparo on-line com os estudantes e a instituição. Estou entusiasmada em fazer essa residência pedagógica e também poder conhecer um pouco dos graduandos”, destacou.

No processo seletivo do PRP, o candidato deve atuar em Belo Horizonte, Contagem, Ribeirão das Neves e outras cidades da região metropolitana. O educador precisa, entre outros requisitos, trabalhar em escolas públicas e ter experiência na docência. “O projeto será de um ano e meio. Vivenciar o dia a dia, conteúdos, preparação de aula me deixa entusiasmada e acredito que será muito bom poder ter o contato com os estudantes do curso”, avaliou.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 06/08/2020

Professor da rede municipal de ensino lança lista de livros de autores contagenses

O professor Frederico Lopes listou dez livros escritos por contagenses

Desde março deste ano, a vida se transformou e vivemos um “novo normal” em razão da pandemia do novo coronavírus, que trouxe para o cotidiano o isolamento social. Mas, por mais que a Covid-19 tenha devastado economias e vidas, a nova realidade fez também brotar reflexões sobre o papel da arte como canal de sobrevivência e resistência.

O professor de sociologia na Funec Nova Contagem Frederico Lopes, cinéfilo e amante das artes, tem aproveitado a pandemia do novo coronavírus para organizar listas de filmes e livros para disseminar o conhecimento. Juntamente com Gabriel Vinicius, ator e membro da Companhia Literária de Contagem, Lopes listou dez livros que têm em comum o fato de ter como autores moradores de Contagem.

Anteriormente, o docente havia elencado uma lista de dez produções cinematográficas de jovens cineastas contagenses, algumas delas premiadas em festivais de cinema nacionais e internacionais. “Um espectro ronda a quarentena, é o sentimento coletivo de angústia. Para os que puderam ficar em casa, o isolamento não tem sido fácil. Talvez a grande descoberta que me sucedeu nessa pandemia, posso viver sem restaurante, shopping, avião e até boteco, mas não posso viver sem música, filme e poesia” disse.

Confira a lista dos livros:

1. “Colorido só por fora”
“Colorido só por fora”, de Jessé Duarte, é um livro de contos que mistura realismo fantástico e literatura regional. A obra posiciona pequenas situações da cidade de Contagem, construindo narrativas populares que podem ir desde diálogos sobre a construção ou não de um teatro até a história de uma execução sumária na periferia da cidade. Ao misturar as crenças populares com uma estética realista, Jessé constrói a perspectiva de uma cidade industrial, como tantas outras no mundo, cujas vozes são silenciadas. Devido ao sucesso editorial, a edição encontra-se esgotada, contudo, alguns contos podem ser lidos no blog do autor: clique aqui

2. “Inutrealidade”
“Inutrealidade: teatro aos que têm fome”, de Marcelo Dias Costa, é uma coletânea, de apenas dois textos, que abre a discussão sobre as relações humanas degradadas pela sociedade capitalista. O teatro de Marcelo costura personagens destituídas de sua humanidade, como em o “Estado da Besta”, no qual o personagem principal é incapaz de lembrar o próprio nome e atende pelo número da matrícula no trabalho, e em “Revoada”, no qual os personagens encontram-se em um mundo de caos e destruição e não conseguem perceber por que a luz do mundo acabou. Uma metáfora clara dos tempos que correm. Para adquirir este best-seller (Marcelo vende mais livro que Augusto Cury) você deverá se encontrar com o próprio autor pelos bares da cidade. Enquanto isso não é possível, por conta da pandemia, você pode assistir o próprio Marcelo contando um trecho do livro aqui

3. “Pensando Fora do Eixo”
“Pensando Fora do Eixo: escritos de Nova Contagem”, lançado em 2019, é uma obra coletiva por excelência. Escrito por mais de cinquenta mãos – entre estudantes, funcionários, professores, mães e ex-alunos da Funec Nova Contagem – essa pequena grande obra apresenta contos, poesias e ilustrações para pensar e agir fora do eixo, trazendo a periferia para o âmago central. O livro foi patrocinado pelo Fundo Municipal de Cultura (FMC) de Contagem. Para adquirir o livro e ter mais informações sobre o projeto, acesse aqui

4. “Meu Cabelo Não é Pro Seu Governo”
“Meu cabelo não é pro seu governo”, livro de estreia da professora e escritora Monique Pacheco, lançado ano no passado, tem enfoque infantil, mas com temática pra lá de séria, atraindo atenção também dos adultos: a ditadura da beleza. O livro traz a história de Iza, uma menina que nasceu coroada, com cachos esbeltos e voz erguida. Um dia, em ato revolucionário, Iza lê em voz alta na escola o “Estatuto do Cabelo”, lembrando Angela Davis, para quem todo black é power. Com singelas ilustrações de Suellen Ferreira da Silva, artista betinense, o livro pode ser adquirido diretamente com a autora: clique aqui

5. “Com o Coração na Boca”
“Com o coração na boca”, de Vinícius Fernandes Cardoso, traz um lirismo digno de Vinícius de Moraes e um jogo de versos que lembra os poemas de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa. As poesias situam a perspectiva de um poeta andarilho, que insiste na quixotesca missão de amar em um mundo sem amor. Vinícius Cardoso, cientista social de formação e poeta de coração, apresenta ousadia em seu apanhado poético, incluindo a fundação da Academia Contagense de Letras, no ano de 2001. Para adquirir o livro e saber mais sobre o autor, acesse sua enciclopédia literária AQUI

6. “Poesias Polêmicas”
Amador Madalena Maia, carteiro e poeta, nascido no Alto Vera Cruz e morador de Contagem, lançou em 2017 seu segundo livro, “Poesias Polêmicas: para a valorização das mulheres e da família – Poesias contra o assédio e o feminicídio”. O objetivo da obra, nas palavras do próprio autor, é “incluir os homens e a literatura no combate à violência contra a mulher”, trazendo à tona a benção do ser feminino no universo. O livro teve apoio da Prefeitura de Contagem, através do Fundo Municipal de Cultura (FMC), e foi publicado pela Editora Literato. Exemplares da obra estão disponíveis gratuitamente na Biblioteca Cultura do CapaBode.

7. “Beijos de Marfim”
Lançado pela Sangre Editorial, “Beijos de Marfim” é uma coletânea de 44 poemas da escritora e professora contagense Ana Paula Sobrinho. Com diagramação e editoração exemplar, a obra é um requinte poético, onde os beijos são ato e potência, simples e intensos. “Versejo aos meus amores-pétreos, perolados e suspensos. Arrebatadores de mim”. Gostou? Para saber mais, acesse aqui

8. ‘Em Busca das Origens”
“Em Buscas das Origens”, publicado em dezembro de 2018 pelo escritor Antônio Vieira de Castro, é um romance misterioso que trata dos mistérios da vida. A obra, de base espiritista, busca — como o próprio título afirma — revelar os segredos que envolvem o surgimento do ser humano no planeta Terra. Antônio Vieira de Castro, sogro do artista Fernando Perdigão, escreve uma obra de ficção, que, entretanto, realiza um diálogo entre a ciência, a literatura e a religião. O livro pode ser encontrado em livrarias digitais.

9. “Kustom do Urro ao Berro
“Kustom do urro ao berro”, lançado em 2016, é o terceiro livro do escritor contagense Marcelo Dias. Uma peça de teatro distópica e uto pica ao mesmo tempo, que narra entre o pessimismo e otimismo, a realidade humana. Kustom! Para barrar o sistema. O livro pode ser encontrado em livrarias virtuais.

10. ‘apenaSeu’
“O desconforto do conforto é o impulso para mudar”. E no ímpeto para mudar é que o jornalista Felipe Pedrosa, contagense de nascimento e criação, publicou o livro “apenaSeu”, com poesias breves e singelas, que levam ao conforto e desconforto da reflexão. Para ter acesso ao pequeno livro com extensos pensamentos é só clicar aqui

Reportagem: Carolina Brauer
Foto: Stella Oliveira
Publicação: 05/08/2020

Professor da Rede Municipal é um dos indicados do Prêmio Educador Nota 10

O Prêmio Educador Nota 10 acaba de selecionar os 50 finalistas de 2020 e um dos agraciados é um professor de Educação Física do 4º ano da Escola Municipal Deputado Jorge Ferraz, situada na Regional Riacho. Criado em 1998, pela Fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com Abril, Globo e Fundação Roberto Marinho que visa reconhecer e valorizar professores da Educação Infantil ao Ensino Médio e também coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país.

 
O professor Hamilton Gonçalves Barbosa vai representar Contagem na avaliação dos projetos selecionados. O tema proposto por ele intitulado “Enfrentando o machismo e o preconceito na participação do futebol” motiva discussões, reflexões e práticas que incentivam a presença, o acolhimento, o encorajamento e a participação das meninas no futebol.
 
Várias etapas deram conta do desafio. Pesquisas na família sobre variações do esporte praticadas na infância de pais e avós geraram aulas sobre brincadeiras de futebol, apresentadas por grupos de alunos. “Eu proponho aos estudantes fazerem variações do futebol com caráter pedagógico. A ideia dos projetos em sala é abordar, fazer escuta ativa, e saber o que os alunos falam sobre o assunto. E foi numa dessas conversas entre eles que eu identifiquei, por meio de um estudante, que a própria mãe dele já havia sido chamada no meio masculino com um termo pejorativo. Dessa forma, fiz um planejamento para escrever sobre o assunto”, explica o professor Hamilton.
 
Para incentivar o envolvimento de todos, o professor confeccionou um álbum de figurinhas com imagens das crianças e de funcionários da escola. Por fim, a turma produziu um painel com frases preconceituosas que não querem mais escutar no futebol e outro com as que querem ouvir mais, para combater a exclusão das meninas nas práticas esportivas.
 
Ser o representante da Escola Municipal Deputado Jorge Ferraz, também encheu de orgulho a diretora Sônia Kele de Andrade Barreto. “É sempre muito importante ter na equipe professores compromissados com o trabalho. Mais importante ainda é poder contar com profissionais que vão além, que fazem a diferença não só numa classe ou na escola, mas na comunidade escolar. O professor Hamilton é esse tipo de profissional competente, compromissado, está sempre buscando o aprimoramento para com os estudantes”, destaca Kele.
 
Quem também ficou satisfeita com o projeto e indicação no “Educador Nota 10” foi a secretária municipal de Educação, Sueli Baliza. “O professor nos encheu de orgulho e é mais um exemplo dentro da nossa Rede Municipal. Eu o cumprimento pelo o seu valor e por também diminuir preconceitos”, enfatiza.
 
O professor Hamilton possui um canal no Youtube, basta acessar AQUIPara ler o artigo clique no link ao lado: MACHISMO E PRECONCEITO.
 
O Prêmio tem o patrocínio da Fundação Lemann, SOMOS Educação e BDO, e o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.
 
Repórter: Leonardo Melo

Secretaria de Educação aborda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) veiculou uma live sobre o autismo com membros do Grupo de Estudos Científicos Educação Inclusiva de Contagem (GEEIC). Formado por professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE) e por monitores pedagógicos da educação infantil e do ensino fundamental, o encontro contou com a participação de especialistas em áreas como o direito e a pedagogia.

Os participantes apresentaram exemplos do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Foi discutida também a Lei 12.764/2012, conhecida como Lei Berenice Piana. O debatedor convidado foi o defensor público Luis Renato Braga Areas Pinheiro, que fez uma explanação da formação on-line do GEEIC.

Luis Renato Arêas ressaltou a importância da atuação extrajudicial do defensor público. “É necessário que todos os profissionais e a população em geral tenham a compreensão adequada acerca da legislação e esta formação é uma importante atribuição funcional do defensor”, destacou.

“Todas as sextas-feiras fazemos esse debate com vários temas propostos por nós da Seduc, precisamente o grupo do AEE. Levamos à tona o tema sobre o autismo, pois atendemos 302 alunos na nossa municipal. Abordar o assunto é importante para a formação complementar dos nossos profissionais e sempre pensando no bem-estar dentro de cada escola. A inclusão escolar é fundamental para levarmos cidadania e apoio para todos”, disse a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias e responsável pela inclusão escolar na Seduc, Ludmilla Skrepchuk Soares.

Ao todo, são 1.800 estudantes com deficiência matriculados na rede municipal de Contagem. Desse total, 302 estudantes têm o TEA.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 08/07/2020

“1ª Simpósio Unificado Online” da Funec-Centec é celebrado como novo meio de comunicação na educação

Durante esta semana, os professores, a direção, os estudantes e secretários interagiram durante os projetos apresentados na redes sociais.

A Fundação de Ensino de Contagem (Funec), unidade Centec, finaliza nesta sexta-feira (3) o “1ª Simpósio Unificado Online”. Durante a semana, os estudantes dos cursos de análises clínicas, farmácia, química, cervejaria e outros tiveram a oportunidade de conhecer e debater sobre temas que vão agregar conteúdo importante ao currículo no final do Ensino Médio.

Houve debates sobre a neurociência, a saúde durante a pandemia da Covid-19, a preparação de álcool 70%, além de perspectivas do mercado de trabalho e apresentações culturais. O objetivo do simpósio foi estabelecer a interação entre estudantes e professores, além de disseminar conhecimento, durante o período de pandemia do novo coronavírus. O simpósio foi realizado nas plataformas do Instagram, Youtube e Facebook – para assistir a todos os vídeos CLIQUE AQUI.

“Devido ao atual momento de pandemia que o mundo tem vivido, a Funec, por meio do Centec, que já possui uma tradição em realizar palestras para o seu bem maior, que são os estudantes, conseguiu compartilhar de maneira tão positiva os conteúdos on-line. Foi uma bela ação. Os estudantes também puderam rever os colegas de classe e professores. O resultado nos traz orgulho, o que potencializa uma nova forma de trabalhar a educação com as novas tecnologias de comunicação. Estamos satisfeitos”, destacou a secretária municipal de Educação e presidenta da Funec, Sueli Baliza.

As turmas do ensino médio do Centec, e também de outras unidades, participaram com adesões dentro do esperado pelos organizadores. A estudante do 3ª ano do curso de química Isadora de Souza Moreira destacou que as palestras foram feitas com qualidade e que abordaram temas bastantes relevantes para o atual momento. “Adorei todos os assuntos, principalmente sobre química forense e cuidados na pandemia do coronavírus. Tudo foi bem enriquecedor e vou levar para a minha vida o aprendizado”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 03/07/2020

DIA INTERNACIONAL CONTRA O ABUSO E TRÁFICO ILÍCITO DE DROGAS

A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU) ESTABELECEU, EM 1987, O DIA 26 DE JUNHO COMO A DATA OFICIAL.

Carta aos Estudantes

Queridos alunos,

Convido vocês para uma breve e importante reflexão!

Estamos vivendo um momento de muitos desafios, incertezas e riscos à saúde. Ainda não havíamos vivenciado uma crise mundial em que todas as pessoas, sem exceção, pudessem ao mesmo tempo sentir muito medo diante de incertezas.

Todos nós estamos adotando comportamentos que nos livre dos riscos de contrair o vírus da Covid-19. Usamos máscaras, álcool gel, lavamos as mãos constantemente, mantemos o distanciamento social, deixamos de nos reunir em salas de aula, deixamos de estar com os amigos para passeios e uma boa conversa, a troca de abraços e muitas brincadeiras, que nos fazem tão bem, agora precisam esperar.

Neste momento de índices elevados de transmissão da doença, precisamos manter a calma, a paciência, encarando como mais um desafio passageiro, ou seja, situação que logo irá passar.

Como diretores, mestres, educadores, auxiliares da escola, estamos como vocês, no mesmo sentimento de apreensão e aguardando dias melhores.

Sabemos que o conhecimento também é adquirido em outros espaços, para além da escola. E a felicidade conta agora com nossa capacidade de nos reinventar.

Muitas vezes, você se sente sozinho para fazer escolhas, sem nenhum suporte que possa auxiliar sua reflexão sobre a situação em que vivemos. Isso dependerá muito de uma atitude pessoal, de um pensamento que transporte você para a valorização da sua história. Neste momento, em especial, estamos todos a favor da vida por meio dos cuidados com a saúde.

Além das questões da Covid-19, hoje, é um dia que internacionalmente refere-se à resistência ao uso, abuso e tráfico de drogas. Ressaltamos que a responsabilidade nesse aspecto é também de todos nós, pois nossa luta é em prol da valorização da vida e da transmissão de conhecimento que provoque sempre possibilidades de melhores escolhas e de experiências que não levem o ser humano para o desconforto, para a ausência de prazer, para a privação da liberdade. Nesse sentido, é preciso romper com medo e adotar uma atitude corajosa para romper com os desafios. Atitudes positivas e confiantes fazem toda diferença diante das adversidades.

As drogas fazem mal, algumas são piores que as outras, o que pode interromper o seu processo de aprendizagem, de desenvolvimento pessoal. Ao invés de escolher o prazer temporário que as drogas causam, escolha o prazer duradouro provocado pela dança, esporte, música, passeios, bons diálogos e leitura de bons textos e livros,

Apostamos sempre e nunca desistiremos, como agora no atual momento, que venceremos a pandemia. Sairemos dessa situação mais unidos, sabendo a importância de tudo aquilo que possa contribuir para que todos acreditem que são capazes e terão sucesso quando optarem por escolhas saudáveis.

Sucesso a todos e todas,

CLIQUE AQUI E ASSISTA: GNU no combate ao consumo de álcool por crianças e adolescentes.

CONSELHO MUNICIPAL DE POLÍTICAS SOBRE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS DE CONTAGEM – COMADC

PENSE NAS SUAS ESCOLHAS!!!

Fazer o que “os Karas” fazem ou o que o a “galera” faz?

Como assim? Jovens e adolescentes não têm opinião própria? Como fazem suas escolhas?

Qual caminho percorrer? Ou qualquer caminho?

Quando crescemos, saímos da infância e vamos nos tornando adultos devemos ter autonomia para tomar nossas próprias decisões e fazer as escolhas que serão determinantes em nossa vida.

Quantas vezes já ouviu a frase: Toda ação tem uma consequência. Isso mesmo!

Toda ação, atitude e comportamento que temos traz consequências para nossa vida, nossa saúde e nossas relações com as outras pessoas.

O meio em que vivemos e as ofertas desse ambiente também influenciam nossas escolhas: a escola, nossa comunidade, os amigos, os locais que frequentamos, enfim…

É nesse momento que devemos tomar cuidado, pois muitas pessoas dizem ser amigos, mas na verdade não são. Elas nos oferecem coisas que fazem mal a saúde, que comprometem a qualidade de vida, que impedem de sermos livres de verdade e que nos aprisionam em relações perigosas.

Quando alguém te oferecer algo, pense antes de aceitar. Cuidado! Não caia em armadilhas que podem causar feridas irreversíveis.

Ao invés de drogas, álcool, sexo sem proteção ou situações que gerem danos a você ou a outra pessoa, faça escolhas por um bom livro, uma boa música, um bom bate papo, um passeio com bons amigos, um esporte ou atividade artístico-cultural.

A suas escolhas são poderosas e você só terá um futuro brilhante se souber pensar antes de agir.

Talvez em algum momento da sua vida você tenha tomado decisões erradas, mas nem tudo está perdido. Aproveite a oportunidade de vida que você tem hoje e aprenda com os erros do passado. Ame a sua vida, busque por dias melhores e viva com mais responsabilidade.

Subjetividade e expressividade

Esses dois aspectos têm a ver com nossa identidade, personalidade e maneira de ver o mundo, ou seja, como as coisas se apresentam para nós e como representamos objetos, coisas e situações ao longo da nossa vida. É o que nos torna únicos e individuais.

Em outras palavras, tem a ver com o significado das coisas para nós. Qual o sentido de nossas experiências e vivências, boas e más? Como vemos o mundo, nossa família, nossa própria imagem, nosso corpo, nossa sexualidade, entre outros?

Esse é um desafio para todos os jovens, pensar nessas questões e fazer escolhas das quais não irão se arrepender depois.

Aderir a comportamentos de risco, em função das aparências pode ser uma escolha ruim e dolorosa.

É preciso ter cuidado com as representações sociais que desenvolvemos e construir caminhos, buscar respostas, criar alternativas.

Fica a dica: a música, a dança, a arte, a prática de esporte, tudo isso são escolhas que nos levam ao caminho do autodesenvolvimento.

MENSAGEM DO LIVRO CABEÇA DE PORCO

Um primeiro passo.

“Forte, com sua autoestima revigorada, quem sabe o jovem conquista, ele mesmo, ela mesma, esse afeto, dando-o a outro, dando-se a outrem, apontando-o a outro, em lugar da arma, como um convite à solidariedade. ”

Leia o livro “Cabeça de Porco de MC Bill”. Clique neste link.

Leia também: A droga da obediência de Pedro Bandeira, também disponível em sites de busca.

Clique aqui e assista a “Prevenção ao uso de Drogas”.

Conselho Municipal de Políticas sobre Álcool e Outras Drogas de Contagem – COMADC

Educação sobre drogas

O professor está na centralidade desse processo, mas o protagonismo é juvenil! A escola é um espaço de trocas de ideias entre as crianças e jovens e deve promover a reflexão sobre as desvantagens de experimentar o álcool ou outras drogas, exibindo filmes, incentivando a interpretação de peças teatrais que tratam da temática, gincanas e outras formas lúdicas de abordar o tema.

“Não use drogas”. “ A droga faz mal e pode até matar!”

Mas, … a droga existe há milhões de anos e continuará existindo…e muitas vivências e experiências de vida dos jovens perpassam pelo uso destas substâncias, pela venda, por presenciar pais ou responsáveis fazendo uso diário e muitas vezes descontrolado de alguma droga.

Você tem medo de falar sobre drogas? De que forma gostaria que o assunto fosse tratado na sua escola? Todos nós somos responsáveis e multiplicadores de informações. Você pesquisa sobre uma determinada droga que seu colega te apresenta? Link do Cebrid.

O diálogo é fundamental. O uso de drogas é cultural na sociedade, não adianta proibir. É preciso discutir sobre o uso de drogas. O que leva as pessoas a utilizarem as drogas, como as propagandas de cervejas influenciam ou não ao consumo precoce do álcool, ao ver os pais fazendo uso diário de substância tóxica incentiva os filhos a se tornarem usuários de drogas, se a droga é a melhor saída para lazer ou resolver os problemas que surgem ao longo da vida.

Os estudantes precisam se tornar cidadãos questionadores e agentes multiplicadores dos princípios de uma vida mais saudável e feliz. São temas importantes: Habilidades sociais, prevenção, interação com grupos, comunicação não violenta e etc.

Desenvolver a auto crítica e autonomia para discutir o consumo de álcool e outras drogas é fator primordial para os jovens compreenderem a perspectiva de redução de danos à saúde de forma geral. Corpo são em mente sã. Emoções, pensamentos, decisões e atitudes saudáveis nos fazem mais felizes e seguros. 

Fica a dica. Conheça o Projeto DesEJA . Projeto de Extensão Universitária do Instituto de Química da UFRJ- Universidade Federal do Rio de Janeiro, para os estudantes da EJA, na perspectiva da proposta de redução de danos à saúde. CLIQUE AQUI.

Clique e assista o vídeo “Campanha de prevenção”.

Juntos somos mais fortes

Consumo de álcool na infância e adolescência

O álcool é considerado a droga legal mais consumida por adolescentes no Brasil e em todo o mundo. Dessa fase até os 25 anos, ocorre um processo de desenvolvimento psiconeurológico em que a área frontal do cérebro ainda se encontra em amadurecimento, aprimorando lentamente o pensamento abstrato, desenvolvendo a moral, reflexão de consequências e controle de suas atitudes.

O consumo de álcool prejudica o desenvolvimento cognitivo, emocional e social do indivíduo.

Não entre nessa Bad trip (viagem ruim)!

O uso de álcool na infância e adolescência está associado a outros comportamentos de risco, como o uso de tabaco e outras drogas ilícitas como: maconha, cocaína, craque, relação sexual sem proteção, exposição a doenças sexualmente transmissíveis, contato com o tráfico, envolvimento na criminalidade, ou mesmo se envolver em um acidente automobilístico.

A principal causa de morte entre 16 e 20 anos são acidentes automobilísticos fatais associados ao álcool e é mais do que o dobro da prevalência em maiores de 21 anos. O jovem alcoolizado aumenta seu risco para violência sexual, abuso, exploração e aumenta a chance de uma gravidez precoce e indesejada.

O álcool é uma droga de fácil acesso para crianças e adolescentes…. o álcool é comercializado livremente, sob diversas maneiras. No verão, surgem bebidas refrescantes, como sacolé (chup-chup), sorvete e picolé contendo álcool. Novos produtos alcoólicos não param de surgir e além de bastante atrativos.

Saúde e prevenção

O desenvolvimento integral e saudável da criança e do adolescente depende de cuidado e prevenção, durante sua formação. A família, a escola, a sociedade, em geral, o governo, Todos, devem cuidar e orientar crianças e jovens, por meio do diálogo, do carinho e atenção.

O cuidar e educar envolvem tanto a dimensão afetiva, quanto os cuidados necessários para uma vida saudável: alimentação, higiene pessoal, prática de esportes e atividades de lazer e recreação, acesso às produções artísticas como: desenho, pintura, música, teatro, filmes, outras). CLIQUE AQUI e veja “A Caixa – Campanha de Prevenção ao Uso de Drogas”, do Ministério da Cidadania.

Juntos somos mais fortes!

Conselho Municipal de Políticas sobre Álcool e Outras Drogas de Contagem – COMADC

REFERÊNCIA

PECHANSKY, Flavio; SZOBOT, Claudia Maciel; SCIVOLETTO, Sandra. Uso de álcool entre adolescentes: conceitos, características epidemiológicas e fatores etiopatogênicos. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo, v. 26, supl. 1, p. 14-17, maio 2004 . Disponível em acessos em 22 jun. 2020. https://doi.org/10.1590/S1516-44462004000500005.

COMADC E SEDUC/FUNEC ABREM A SEMANA DE PREVENÇÃO

Olá pessoal,

Vamos abordar um assunto muito importante que impacta a vida de jovens, adultos e toda sociedade de modo geral: o uso e abuso de álcool e outras drogas.

Você sabe o que é droga?

De acordo com Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes – UNODC, drogas são substâncias químicas que alteram ou afetam o funcionamento do corpo. Essas alterações podem ser momentâneas, causando a sensação de euforia, de animação, de prazer. Mas, os danos à saúde são grandes, desde a redução da capacidade cognitiva, prejuízos no funcionamento do sistema nervoso central, podendo levar até a morte.

Mesmo com tantos efeitos negativos para saúde humana, o uso de drogas está presente em diferentes contextos sociais, desde os primórdios até a sociedade moderna. Homens ou mulheres, jovens ou velhos, ricos ou pobres, trabalhadores ou desempregados, de grandes cidades ou do campo fazem uso de substâncias tóxicas.

Drogas lícitas e drogas ilícitas

Existem vários tipos de drogas e substâncias alucinógenas em nossa sociedade, desde substâncias naturais como a Canabis, mais conhecida como Maconha, o ópio, a cocaína, o craque, até drogas sintéticas com alto poder de destruição como o êxtase, e outras. As drogas são classificadas em lícitas e ilícitas.

Drogas lícitas são aceitas pela sociedade e são comercializadas livremente, como: o tabaco (cigarros) e o álcool (bebidas alcóolicas). Drogas ilícitas são as drogas de uso proibido pelo governo.

As diversas drogas têm efeitos diferentes no corpo. Mesmo que estes variem de uma pessoa para outra. Alguns destes efeitos parecem agradáveis, mas não duram por muito tempo. Depois, muitas pessoas ficam deprimidas e começam se sentir sozinhas e doentes. E, claro, existe o risco de se tornar dependente.

Alguns estudos demonstram que jovens que começam a fumar cigarros ou a beber álcool muito cedo têm mais chances de experimentar outras drogas e desenvolver doenças respiratórias, entre outras.

Mas, por que as pessoas usam drogas?

As pessoas usam drogas ilícitas por diversas razões. Algumas pessoas usam drogas para fugir dos problemas, enquanto outras usam drogas porque não têm nada para fazer, pela curiosidade ou simplesmente porque querem se sentir bem. As pessoas também podem se sentir pressionadas a usar drogas para “encaixar” em um determinado grupo ou como uma forma de se rebelar ou chamar a atenção. Ou seja, para se sentir parte de uma comunidade ou grupo social

Durante a SEMANA DE PREVENÇÃO E ENFRENTAMENTO AO USO/ABUSO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS, em Contagem, iremos destacar ações que discutem o uso, o abuso e o tráfico de substâncias entorpecentes lícitas ou ilícitas, em nossa cidade.

Uma dessas atividades é a “Ação mundial por comunidades saudáveis sem drogas”, desenvolvida pelas Nações Unidas que apresenta uma série de informações e orientações para ampliar o nosso conhecimento sobre drogas, pautada em estudos científicos, mas utilizando uma linguagem acessível à toda população.

(Ação mundial por comunidades saudáveis sem drogas: O que os adolescentes devem saber sobre as drogas – UNODC – Escritório Das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes).

Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas de Contagem/MG – COMADC