Posts com a Tag ‘Seduc’

Prefeitura promove Semana de Enfrentamento e Combate ao Racismo

No sábado (19) ocorre a 5ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo.

No último domingo (13), foi celebrada a Abolição da Escravatura, assinada em 1888 pela Princesa Isabel. Porém, a desigualdade racial ainda é frequente no Brasil. Mesmo depois de tanto tempo, ainda há discriminação pelas diferenças sociais, culturais, econômicas e religiosas. E para combater a intolerância, conscientizar e mobilizar os servidores e a população, a Prefeitura de Contagem promove durante o mês de maio a 5ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo, no dia 19, e diversas outras ações.

A marcha, bem como as ações propostas, são fruto de parceria entre as secretarias municipais de Educação (Seduc); Direitos Humanos e Cidadania; Cultura, Esporte e Juventude. Estão programadas diversas ações, como debates, sessões de filmes, seminários com especialistas, festas e atos públicos para conscientizar os moradores da cidade.

Na manhã desta terça-feira (15), dando início aos debates que enfatizam a necessidade da criação de políticas públicas e apontam questões étnicas raciais, foi promovido seminário, no auditório da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), com o tema “Povos e Comunidades Tradicionais: Quilombolas, Indígenas e Ciganos; desafio da política pública no enfrentamento e combate ao racismo”, que contou com a participação de educadores da rede pública.

O coordenador da educação escolar indígena do Estado, Jusnei Xakriaba, foi um dos palestrantes e explicou que a promoção de eventos que debatem as diferenças étnicas é fundamental para assegurar o direito dos povos que ainda lutam pela igualdade. “Eu acredito que a inserção desses temas nas escolas mostra a realidade dos povos que vão além da literatura”, afirma.

A professora da rede municipal, Cristina de Figueiredo, disse que a discussão sobre o combate racial precisa ser disseminada principalmente nas escolas. “As iniciativas sobre esta questão ainda são isoladas e precisam ser valorizadas. Por isso a gestão deve induzir com frequência o diálogo nas unidades de ensino sobre esse assunto para formar cidadãos mais tolerantes às diferenças”, enfatiza.

Para a coordenadora dos Projetos de Diversidade da Seduc, Edirléia Pádua, a reflexão sobre preconceito deve ser discutida na escola porque a luta e resistência étnica e racial é diária. “Falar das diferenças e do empoderamento dos negros, índios, ciganos e outros povos que sofrem discriminações, proporciona que a sociedade se torne mais democrática e tolerante. Nossos alunos e também toda a sociedade devem receber orientações sobre as diferenças e aprender de fato a conviver com elas”.

A coordenadora também lembrou que o apoio da atual gestão permite que as políticas públicas sejam executadas com eficiência. “Para o desenvolvimento de celebrações como esta é primordial o incentivo da gestão municipal. Além de cumprir com o dever, mostra que os representantes do executivo estão de fato preocupados com os moradores da cidade”.

Clique aqui e confira o folder com a programação completa.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Rafael D’Souza
Publicação: 15/05/2018

Diretores e vice-diretores participam de formação sobre fiscalização alimentar nas escolas

Inspeção dos alimentos e composição dos cardápios escolares são destaque no encontro.

Cerca de 120 diretores e vice-diretores de escolas da rede municipal de ensino participaram da formação promovida pela Secretaria Municipal de Educação (Seduc), por meio da equipe de Alimentação Escolar.

O objetivo foi orientar os dirigentes das escolas a fiscalizarem melhor a merenda recebida por empresas terceirizadas e discutir sobre a composição dos cardápios para os estudantes.

Foram explicados os procedimentos de fiscalização que devem ser feitos nas escolas. Durante palestra proferida na ocasião, o corpo educacional foi instruído a montar uma comissão nas escolas para acompanhar bem de perto o processo de distribuição da merenda escolar.

“Essa formação é basicamente orientativa. Nosso papel é fiscalizar se a empresa está executando tudo o que a prefeitura demanda. Então passamos para os responsáveis das unidades escolares toda a técnica estabelecida”, explica a nutricionista escolar, Andréa Cecilia Braga.

A diretora da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Jardim Laguna, Cinara Bicalho, fala sobre a importância da formação na questão pedagógica. “Sobre a questão da educação alimentar, nós precisamos educar essa nova geração e ajudá-los a se alimentarem bem. Todo processo organizado tende a nos ajudar e também aos estudantes”, finalizou Cinara.

A formação, ocorre no Centro Universitário Una, acontece durante dois dias no primeiro semestre. Assim, todos os responsáveis pelas unidades escolares podem participar e aplicar o que aprenderam durante todo o ano letivo nas escolas municipais.

Reportagem: Nayara Macedo (sob a supervisão de Leonardo Melo)
Foto: Nayara Macedo
Publicação: 11/05/2018

Escola trabalha teoria e prática com o projeto “Educando com a Horta”

A ação engloba estudantes da educação infantil até o 9ª ano da escola Hilda Nunes dos Santos.

Idealizado na Escola Municipal Hilda Nunes dos Santos, na Regional Vargem das Flores, o projeto “Educando com a Horta” repercute positivamente nos alunos melhorando, de uma forma multidisciplinar e saudável, o comportamento dos estudantes no que diz respeito a alimentação. A direção da escola explica que o trabalho é feito com estudantes dos 3 aos 14 anos de idade. Em todas as aulas práticas são introduzidas questões teóricas para reforçar o aprendizado dos alunos.

Tudo começa bem cedo quando os alunos se dividem entre as salas de aulas com os fundos da escola. No local existe uma horta com os mais diversos produtos plantados como frutas, verduras e legumes, tudo bem fresquinho. Todos os processos de compostagem, preparação da terra e plantio são feitos pelos alunos com a ajuda dos professores e direção.

O mais interessante é que desde o início do projeto os estudantes aprenderam a comer de forma saudável e, com isso, estão ensinando aos pais a fazerem todo o processo no terreno de suas casas. Na escola, existe um dia para a colheita quando os pais são convidados, com isso é feito a distribuição de alguns alimentos. Há também a prática feita pelas cantineiras na criação de bolos e sucos com as frutas, verduras e legumes da horta.

As habilidades relacionadas aos componentes curriculares de Geografia, Ciências, Educação Física e também da Língua Portuguesa e Língua Inglesa são trabalhados em todo o processo feito no cultivo dos alimentos, uma vez que os alunos participam desde o preparo da terra até a produção de receitas com os alimentos ali cultivados.

O assessor Educacional da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Gustavo Henrique da Costa, acompanhou parte do processo de plantio feito pelos estudantes e salienta que práticas como essa são fundamentais para o desenvolvimento dos alunos. “Ele engloba habilidades de vários componentes curriculares e reforçando hábitos saudáveis promovendo a qualidade de vida”, destaca.

Para a diretora Sueli Lagioto a atividade desenvolvida no “Educando com a Horta” tem grande significado para os estudantes e para toda a comunidade escolar. Isso porque as crianças e jovens participam de todo o processo proporcionando uma integração entre famílias e escola. “Uma vez que os estudantes realizam o plantio, fazem o acompanhamento do crescimento das hortaliças e legumes, bem como a colheita e o preparo de alguns alimentos junto às famílias na escola. Isso proporciona uma valorização dos costumes e da cultura dos moradores do bairro Tupã”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 09/05/2018

Novo secretário de Educação apresenta diretrizes aos servidores

Reunião serviu para integrar a equipe e propor metas para alcançar resultados positivos.

Na sexta-feira (4), no auditório da Escola Municipal Heitor Villa-Lobos, foi promovida uma reunião de trabalho com os servidores da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e da Fundação de Ensino de Contagem (Funec). O objetivo do encontro foi apresentar o novo secretário da pasta, integrar a equipe, propor metas e diretrizes para alcançar resultados positivos na gestão, além de melhorar os serviços da área de educação oferecidos aos moradores de Contagem.

O secretário de Educação, Fabiano Diniz, assumiu a gestão da Seduc no último dia 23 de abril. No encontro ele afirmou que pretende dar continuidade ao trabalho feito pelo seu antecessor, professor Joaquim Gonçalves. Fabiano ressaltou a importância da integração da equipe, transparência e diálogo. “Agendei essa reunião para me apresentar e conhecer cada pessoa que presta serviços para a Seduc. A intenção é criar uma proximidade e motivar os servidores. Estarei sempre aberto para dialogar e ajudar a escolher o caminho mais indicado para cada desafio que possa surgir. Acredito que o trabalho desenvolvido por uma equipe comprometida e unida reflete de forma assertiva na qualidade do serviço que prestamos à população, por isso as atividades produzidas pelos colaboradores merecem atenção e devem ser valorizadas, enfatiza”.

A reunião contou com o músico, Luiz Carlos, que apresentou canções para descontrair os servidores e que também contribuíram para o momento de reflexão proposto pelo secretário.

A recepcionista da Seduc, Miriam Miranda, destaca que o primeiro encontro com o secretário foi importante para entender como o trabalho deve ser conduzido. “Quando há mudança de secretário e ele opta por entender como funciona o trabalho da pasta que assumiu na cidade, a probabilidade de sucesso do nosso trabalho aumenta. Estou contente com a forma que o secretário pretende conduzir a Secretaria. Ele demonstrou vontade de prestar um bom serviço para os colaboradores e para a população, espero que possamos reunir os esforços e cumprir a missão com sucesso”, finalizou.

Confira a galeria de fotos e veja como foi o encontro do secretário com os servidores.

Reportagem: Nayara Vianna
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 07/05/2018

Umei amplia espaço e passa a atender com capacidade máxima

Com a expansão da Unidade Conjunto Água Branca houve um aumento de 120 novas vagas de 4 a 5 anos.

Após adequações e ampliações para atender mais estudantes, a Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Conjunto Água Branca, retomou hoje (26) as aulas Além dos estudantes, os pais também puderam acompanhar de perto as melhorias feitas para atender as crianças.

A auxiliar administrativa, Valéria Toledo, chegou bem cedinho na Umei onde o seu filho de 4 anos estuda e foi logo conhecer as professoras e toda a estrutura. “Eu gostei da ampliação e com isso novas oportunidades de matrícula surgirão para os moradores do bairro”, enfatizou Valéria.

O espaço, que é bem conhecido na comunidade, passou por um período de reformas, melhorias e pinturas. Dessa forma, passa a atender 120 crianças a mais se comparado aos outros anos. No total são 336 crianças matriculadas.

Além das crianças de 3 a 5 anos, a escola passa a atender turmas de 0 a 2 anos em período integral e parcial. Os estudantes de 3 a 5 anos serão atendidos de forma parcial. 

O espaço foi todo remodelado. O telhado foi trocado, a cozinha e os banheiros reformados. Além disso, a Umei ganhou nova mobília e parquinhos. O prédio também está todo pintado.

“Estamos com muita expectativa e satisfeitos. Vimos que os pais também ficaram felizes com o novo espaço e acredito que o trabalho será perfeito. Temos uma equipe bem qualificada para isso”, destacou a diretora da Umei, Wânia Patrícia de Lima.

O secretário Municipal de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves, acompanhou o primeiro dia de aula e conversou com a comunidade. Ele falou com otimismo da expansão feita na Umei. “Pensando no bem-estar dos nossos estudantes, fizemos uma revitalização do espaço. Portanto assumimos esse compromisso com os pais e estamos entregando um local com mais harmonia, bonito e bem cuidado”, finalizou.

Acordo

Para realizar a ampliação da Umei foi preciso firmar um acordo com os representantes do grupo de convivência da terceira idade “Amor à Vida”. Por alguns anos, o grupo utilizou o parte do prédio para praticar atividades físicas e culturais.

Porém, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), propôs que o grupo utilize o espaço “Criança 2000” até a construção da sede definitiva.

O prefeito Alex de Freitas esclareceu que nenhum dos grupos ficará desamparado. “Temos um planejamento audacioso para educação, entretanto, não é fácil entregarmos escolas infantis da noite para o dia. Não podemos deixar de assistir às mães, mas também não podemos virar as costas para a terceira idade. Estamos empenhados em atender a todos da melhor forma possível. Mas, neste momento pedimos a compreensão do grupo Amor à Vida para que um maior número de crianças sejam beneficiadas e tenham resguardado o direito à escola”, destacou.

Reportagem e foto: Leonardo Melo
Publicação: 26/02/2018

Solução amigável para utilização da Umei Conjunto Água Branca

Em reunião nesta quinta-feira (22), grupos de pais e de idosos chegaram a um acordo sobre o espaço.

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas, reuniu-se nesta quinta-feira (22) com representantes do grupo de convivência da terceira idade Amor à Vida, além de pais de estudantes da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Conjunto Água Branca. O objetivo do encontro foi propor uma solução amigável acerca do uso do anexo que pertence à Umei de modo que, tanto os idosos quantos as crianças, sejam contemplados em suas necessidades.

Por alguns anos, o anexo da Umei foi utilizado pelo grupo Amor à Vida para atividades físicas, culturais e relacionadas à saúde do idoso. Porém, devido à necessidade de ampliação do número de vagas na educação infantil da região Água Branca, foi necessário reintegrar o anexo à unidade. A mudança, no entanto, gerou conflitos entre grupos de pais de estudantes e idosos.

Para solucionar a questão, o governo propôs uma solução que atendesse ambos os lados. Em relação aos pais das crianças, a ampliação será efetivada. O anexo será reintegrado e, com isso, serão criadas mais de 140 vagas, nos períodos matutino e vespertino para crianças de 4 a 5 anos. A unidade foi reformada e as aulas estão previstas para serem iniciadas na próxima segunda-feira (26/02).

Em relação aos idosos, as suas atividades também serão mantidas. Eles serão temporariamente transferidos para um espaço, chamado Criança 2000, e, posteriormente, para uma sede definitiva. Alex de Freitas informou que o governo já conseguiu uma emenda no valor de R$ 260 mil, além de autorização do estado para a cessão de terreno onde será construída a sede definitiva para as atividades do Amor à Vida.

O prefeito esclareceu, ainda, que nenhum dos grupos ficará desamparado. “Temos um planejamento audacioso para educação, entretanto, não é fácil entregarmos escolas infantis da noite para o dia. Não podemos deixar de assistir às mães, mas também não podemos virar as costas para a terceira idade. Estamos empenhados em atender a todos da melhor forma possível. Mas, neste momento pedimos a compreensão do grupo Amor à Vida para que um maior número de crianças sejam beneficiadas e tenham resguardado o direito à escola”, destacou.

“É normal que as dúvidas apareçam. Por isso, peço a vocês, sobretudo à terceira idade, que nos deem um voto de confiança e mantenham a boa convivência, pois o dilema será resolvido de forma definitiva. E quem ganhará não é um ou outro grupo, mas toda a cidade”, acrescentou o vice-prefeito, William Barreiro.

Inauguração
Alex de Freitas também anunciou que a região do Água Branca será contemplada com uma Umei com capacidade para atender 420 crianças. Com um projeto arrojado, a escola deverá ser inaugurada no ano que vem.

Para Rosilene de Abreu, uma das mães presentes à reunião, a solução encontrada pelo prefeito foi a mais coerente possível. “A Umei é única escola pública infantil da região. Precisamos dessa ampliação. Como representante das mães, eu saio satisfeita da reunião porque as crianças ficarão no lugar que é delas e, por outro lado, os idosos não ficarão desamparados.”

Na outra ponta, o aposentado Geraldo Afonso, que trabalha no grupo Amor à Vida, ressaltou que o empenho da administração atual fez toda a diferença. “O acordo está sendo harmonioso e nessa gestão evoluiu 99%. Estamos contentes com a possibilidade de ganhar uma sede ”, avaliou. Também estavam presentes o secretário de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves, e o vereador Bruno Barreiro.

Reportagem: Carol Cunha
Foto: Cassio Matias
Publicação: 23/02/2018

Escola integral entra em etapa de fundação e preparação da estrutura

Formato da obra prevê agilidade no processo de construção.

A primeira escola em Tempo Integral de Contagem é construída no bairro Arvoredo, na Regional Ressaca. O processo de fundação começou nesta semana e as peças pré-moldadas, que serão usadas na estrutura, já estão sendo fabricadas.

O trabalho é feito por etapas. A terraplanagem já foi feita e agora uma equipe é responsável por perfurar o terreno e preparar o solo para receber as vigas. Enquanto isso, um grupo de operários trabalha na produção dos pilares de sustentação do prédio. As peças de concreto são fabricadas em uma empresa.

O gerente industrial, Márcio Rogério, é responsável por acompanhar o processo de fabricação dos pilares. Segundo ele uma das principais vantagens de fazer uma obra pré-moldada é a agilidade no processo de construção. “A fundação ocorre ao mesmo tempo em que as peças estão sendo fabricadas, enquanto a construção convencional é necessária a preparação do terreno e fundação e somente após esse processo que é iniciada a construção da estrutura”, destacou Márcio.

A primeira escola integral de Contagem tem todo o conceito sustentável. A forma que é construída diminui o desperdício de material. Toda a iluminação será com lâmpadas de LED, haverá sistema de reutilização de água pluvial, aquecimento solar e coleta seletiva.

No espaço, de 6.777,78 m², serão construídas 36 salas de aula, uma ampla biblioteca de dois andares, centro de línguas estrangeiras, laboratórios profissionais, piscina aquecida, ginásio poliesportivo.

A escola vai atender 600 estudantes em tempo integral, do 1º ao 9º ano. A proposta da Secretaria Municipal de Educação é que a instituição também atenda 2.000 estudantes matriculados em outras instituições municipais de ensino da região. “Queremos preparar nossos estudantes para o mundo, que está em constante evolução. Iremos proporcionar conhecimento por meio de diversos recursos, seja em sala de aula ou nos laboratórios”, ressaltou o secretário de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves.

A obra está orçada em R$ 18 milhões, que serão somados a outros R$ 5 milhões em obras já efetuadas. A previsão é que o prédio seja entregue no segundo semestre de 2018.

Reportagem: Nelson Augusto e Júlio César Santos
Fotos: Geraldo Tadeu

Seduc promove workshop sobre inclusão nas escolas

Cerca de 200 profissionais estiveram presentes na PUC Contagem.

O setor de Inclusão, da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), promoveu na última sexta-feira (24), workshop voltado para estudos de casos de alunos atendidos nas Salas de Recursos Multifuncionais e no Atendimento Educacional Especializado (AEE). O encontro aconteceu no auditório da Pontifícia Universidade Católica (PUC) Contagem.

O evento visou aprofundar a discussão no que diz respeito à inclusão escolar e as demais esferas da sociedade. Foram apresentados exemplos de casos com alunos de algumas escolas do município, o que serviu para ilustrar a real intenção da Seduc em estar à disposição para tudo que diz respeito aos alunos com deficiência. “O encontro serviu para mostrar quanto é importante as políticas sociais. Penso que devemos trabalhar forte para incluir as nossas crianças, jovens e adultos nas escolas contagenses”, destacou o chefe de gabinete do prefeito, Sérgio Mendes.

A condução do curso foi feita pelas professoras do AEE. Cerca de 200 estagiários, cuidadores, pedagogos, intérpretes e instrutores que trabalham com estudantes da inclusão da rede municipal de ensino estiveram presentes. “Eventos assim mostram a diversidade e a forma como devemos levar a informação para dentro e fora das escolas. O contato com as famílias é primordial para o desenvolvimento e progresso do aluno”, explicou a instrutora de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), Danubia Mendes.

Atualmente, Contagem, conta com 1.300 estudantes com deficiência. Eles são assistidos por meio dos AEE, que ocorre nas salas de recursos multifuncionais e no AEE Móvel, que são promovidos nos Centros de Educação Infantil (Cemeis). Os professores se deslocam até as unidades de ensino destinadas às crianças para fazer o atendimento específico. São elaborados planos de trabalho para atender às necessidades de cada estudante, objetivando o ensino e fortalecendo a aprendizagem e a autonomia dos mesmos.
A prefeitura também disponibiliza auxiliares de apoio que ajudam na alimentação, locomoção, higienização e comunicação. “A preocupação da Seduc é oferecer atividades nas perspectivas de cuidar e desenvolver ações com as professoras de AEE e toda equipe. Vamos fazer um trabalho qualificado nos trabalhos de inclusão ao ensino”, finalizou a secretária adjunta de Educação, Cláudia Caldeira Soares.

Reportagem e fotos: Leonardo Melo

Professor estimula alunos por meio da leitura e da poesia

Para comemorar o dia do poeta, a Seduc conversou com o educador Jorge Venâncio que já teve três livros publicados.

Contagem comemora nesta semana o Dia do Poeta. E para não passar em branco, a Secretaria Municipal de Educação (Seduc), conversou com o professor de português e também poeta, Jorge Venâncio. Jorge é um professor irreverente e muito querido pelos estudantes dos 5º e 8º anos, da Escola Municipal Vasco Pinto da Fonseca.

Para instigar a poesia entre os seus alunos, Venâncio lê o clássico Navio Negreiro, de Castro Alves. História que conta sobre a situação dos africanos, separados de suas famílias, na vinda ao Brasil. Ele acredita que o texto estimule os alunos nas aulas de poesia.

Ele também faz rodas de poesia com os seus estudantes. Os temas são os mais variados, mas o que ele destaca como principal são as mensagens dedicadas as mães. O objetivo é aguçar a criatividade e sensibilidade no ato de passar o sentimento para o papel. Para Jorge, escrever para as mães é uma homenagem rotineira que deve ser seguida por seus alunos. “A poesia é necessária para o estudante. É por meio dela que declamamos, ouvimos e discutimos. Eu acredito que ela contribuirá para o desenvolvimento da sensibilidade musical, rítmica e auditiva das crianças e dos adolescentes”, finaliza Jorge Venâncio.

Atualmente o poeta tem três livros publicados: O Verso Esperado; Noturnas Distâncias e O Luxo do Lixo. Ganhou também dois prêmios de concurso de poesia no Estado de Minas Gerais.

Reportagem: Nayara Macedo (sob a supervisão de Leonardo Melo)
Foto: Divulgação

Pedagogos capacitados para as novas regras de avaliação

Ano letivo passa a ser dividido em bimestres no ensino fundamental

O grupo de formação da Secretaria Municipal de Educação se reuniu com os pedagogos que atuam no ensino fundamental da rede pública de Contagem para traçar as mudanças na aplicação de notas e planejamento de ciclos. A proposta é dividir o ano letivo em bimestres e aplicar conceitos em forma de notas numéricas.

Anteriormente, o ano letivo era dividido em trimestres e os estudantes eram avaliados por meio de letras (conceitos). A nova medida visa monitorar de forma mais frequente o aprendizado. “O intuito é conseguirmos alcançar notas cada vez maiores e melhorarmos a aprendizagem dos alunos”, destaca Simone Carneiro, formadora pedagógica.

Os pedagogos também receberam informações sobre o diário escolar, que deixa de ser utilizado apenas para o registro de presença e se torna um documento para inserção das avaliações sobre o rendimento do aluno em sala de aula. Além disso, toda a rede deve ter o currículo escolar alinhado.

Segundo a formadora pedagógica Lucimara Silva, a intenção é que todas as escolas municipais trabalhem, simultaneamente, com a mesma grade. “Vai gerar mais organização. O estudante que muda de escola encontra um currículo completamente diferente, o que atrapalha a continuidade de aprendizado”, comentou.

Os debates fazem parte do projeto de formação continuada de educadores da rede municipal de ensino. Ao todo, serão oito módulos. Os profissionais da educação já estão colocando em prática o aprimoramento do trabalho com os alunos. “Essa troca de experiência é fundamental. Servidores e estudantes só têm a ganhar”, enfatizou a pedagoga Arlete Gomes.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende