Posts com a Tag ‘Secretaria Municipal de Educação’

Estudantes de Contagem faturam medalhas e menções honrosas na Olimpíada Brasileira de Matemática

Cerca de 18 milhões de estudantes brasileiros participaram da OBMEP.

Os estudantes da Rede de Ensino de Contagem fizeram bonito na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Criada em 2005, para estimular o estudo da matemática e identificar talentos na área, a OBMEP tem como objetivos centrais contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica e incentivar o aperfeiçoamento dos professores das escolas públicas, além, dos seus alunos.

A cidade de Contagem colheu frutos pelos estudantes de diversas regiões do município. O saldo foi de duas medalhas de ouro, cinco de prata e nove de bronze. Além de 75 menções honrosas por participação e boa classificação.

Na avaliação da secretária municipal de Educação e presidente da Fundação , Sueli Baliza, a OBMEP 2019 foi um sucesso e Contagem tem estado na vanguarda de premiações no âmbito pedagógico. Ela também parabenizou a todos os premiados e acredita que na próxima olimpíada novos jovens mostraram os aprendizados pela matemática. “O resultado final mostra que estamos no caminho certo. Devemos cumprimentar as escolas, professores, famílias e nossos jovens que fizeram o melhor e saíram de cabeça erguida. De fato, o governo tem se preocupado para que as crianças, adolescentes e os adultos tenham sim uma educação de qualidade”, afirmou Sueli.

Realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e promovida com recursos do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), contou com a participação de 18 milhões de estudantes espalhados pelo Brasil.

Confira os estudantes medalhistas:

Medalhas de Ouro:
Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental)
Davi Tomaz de Lima – E. M. Professor Hilton Rocha
Nível 2 (8º e 9º anos do Ensino Fundamental)
Camille Lorraine Leite Souza – E. M. Vereador Benedito Batista

Medalhas de Prata:
Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental)
Luisa de Melo Figueiredo Soares – E. M. Vereador Jésus Milton Santos
Rafael Victor Lemos Ferreira – E. M. Professor Hilton Rocha
Vinícius Freitas Aguiar – E. M. Eli Horta Costa
Nível 2 (8º e 9º anos do Ensino Fundamental)
João Paulo da Silva – E. M. Isabel Nascimento de Mattos
Nível 3 – Ensino Médio
Nathan Alves Costa Ferreira – Funec / Unidade Cruzeiro do Sul

Medalhas de Bronze:
Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental)
Pedro Aron de Figueiredo – E. M. Vereador Benedito Batista
Sara Fernandes de Souza Silva – E. M. Carlos Drummond de Andrade
Maria Carolina de Araújo Xavier – E. M. Estudante Leonardo Sadra
Asafe Martins Leite – E. M. Vereador José Ferreira de Aguiar
Danilo Mateus Simões – E. M. Virgílio de Melo Franco
Igor Ferraz Lima – E. M. Sócrates Mariani Bittencourt
Keren Fabrine de Jesus Dias – E. M. Prof. Hilton Rocha
Giovanna Ramalho de Oliveira – E. M. Eli Horta Costa
Nível 2 (8º e 9º anos do Ensino Fundamental)
Nicolle Taila de Oliveira – E. M. Vasco Pinto da Fonseca

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura
Publicação: 09/12/2019

Servidores da Educação recebem certificação de treinamento de combate a incêndio

Treinamento buscou prevenir sinistros e ensinar o manuseio do extintor.

O Treinamento de Prevenção e Combate a Incêndio voltado a gestores e servidores que atuam nas unidades que compõem a Rede de Ensino de Contagem foi concluído. Após oito dias de treinamento, 178 participantes receberam o certificado do curso em evento realizado no auditório da Prefeitura no dia 22 de novembro. O treinamento foi realizado pela Superintendência Administrativa da Secretaria de Administração (Sead), por meio do setor de Segurança do Trabalho. Iniciado em agosto, o treinamento contou com aulas teóricas e práticas em várias escolas, e foi promovido em parceria com a Subsecretaria de Defesa Civil, órgão ligado à Secretaria de Defesa Social, e a Secretaria de Educação.

Conforme informou o engenheiro de Segurança do Trabalho, Wirley Chagas, o objetivo foi ensinar pessoas que atuam nas escolas, Umei, Funec e outros imóveis ligados à Seduc, a prevenir, atuar e coordenar uma situação de sinistro até chegar no local, se necessário, uma equipe de profissionais e Corpo de Bombeiros. “Além de teoria, as aulas tiveram a parte prática com orientações sobre extintor, tipos e como manuseá-los; gás de cozinha, perigos da fumaça; placas de sinalização; hidrantes; evacuação e controle de incêndio e de outros tipos de sinistro”, informou ele que agradeceu a todos os apoiadores do treinamento.

O diretor da Escola Municipal Walter Fausto do Amaral, Gilson Valter Lúcio de Oliveira, disse que o treinamento é “importante pois ensina o manuseio do extintor que muitos não dominam. Num possível inicio de incêndio, o fogo pode causar pânico”, disse ele ao informar que a escola que dirige tem aproximadamente um total de 3 mil metros quadrados, 20 salas, 1.200 alunos em três turnos. “Temos alunos desde 3 a 84 anos, pois atendemos a Educação de Jovens e Adultos à noite”, disse ele, ao elogiar o bom nível do treinamento voltado também a outros tipos de sinistros, além de incêndio.

A servidora do setor administrativo do Espaço Bem Viver, Ana Cristina da Silva, relatou que vai multiplicar o que aprendeu, pois neste local há cozinha e presença nas quartas-feiras de 400 pessoas idosas. “Foi muito bom o treinamento que nos colocará mais atentos ao botijão e ao extintor, e a um possível sinistro, pois temos 25 alunos no ensino Eja e atividades diversas para 200 idosos por dia”, opinou.

Prevenção no ambiente de trabalho e familiar

A secretária de Educação Sueli Baliza participou da entrega dos certificados a cada um dos treinandos e disse que, aparentemente, parece ser simples manusear um extintor, mas que no dia a dia pode não ser. “Pois isto, ressalto a importância deste treinamento de combate e prevenção que servirá para a vida toda das pessoas, no trabalho e em casa” disse Sueli, agradecendo a todos que tornaram possível a realização do treinamento e levando a todos o abraço do secretário adjunto da Seduc, Sérgio Mendes.

Ao falar para os treinandos, a engenheira de Segurança do Trabalho Patrícia Monteiro destacou que, durante as aulas, cada um superou barreiras e o medo de fogo, até mesmo possíveis traumas porque cada um sabia que o objetivo era maior. “Todos foram desafiados a superações e foram vitoriosos” disse ela, que agradeceu a todos os colaboradores e à Medicina do Trabalho pelo apoio sempre incondicional.

O coordenador da Defesa Civil, Samuel Lara também agradeceu a oportunidade de repassar este valoroso conhecimento de prevenir e combater início de incêndio que pode proteger pessoas e patrimônio público ou privado. “Estamos abertos a capacitar mais pessoas nos órgãos da Prefeitura´. Este é um trabalho gratificante, pois nossa função é prevenir e atuar nos sinistros diversos como fogo, alagamentos e enchentes provocados por temporais, queda de muros e desmoronamentos, etc. Mas quando se trata de locais com muitas pessoas, estudantes, crianças, etc. como unidades de Saúde e escolas, este treinamento se faz imprescindível” disse Samuel, agradecendo os apoios para a realização do treinamento.

Reportagem: Noeme Ramos
Foto: Ricardo Lima
Publicação: 05/11/19

Direitos humanos, cidadania e juventude são temas de palestras em escolas de Contagem

O surgimento da declaração universal de direitos humanos, adotada pela Organização das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, foi citado com destaque nas palestras.

A Superintendência de Direitos Humanos e Diversidade Sexual, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, promoveu palestras em escolas municipais e estaduais durante a última semana. Em alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra (20 de novembro), a Superintendência tratou o tema com estudantes entre 14 e 17 anos. Temas como direitos humanos, cidadania e juventude, homotransfobia, preconceito, entre outros, também foram abordados. As escolas municipais Eli Horta Costa e Pedro de Alcântara Junior e a Escola Estadual Catarina Jorge Gonçalves receberam as palestras.

O surgimento da declaração universal de direitos humanos, adotada pela Organização das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, foi citado com destaque nas palestras. “Os 30 artigos da declaração tratam sobre direitos individuais e coletivos da humanidade. Falamos também sobre a questão da homotransfobia, de crime equiparado do racismo que consta na Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que fala sobre essa tratativa e de como essa legislação vai influir a partir de agora na vida até mesmo dos estudantes dentro das escolas”, disse o superintendente Marco Antônio Diniz.

De acordo com ele, é sempre uma honra falar sobre temas tão importantes. “Infelizmente o preconceito é pré-histórico. Precisamos mudar isso, e a melhor forma para que isso aconteça é por meio de informações, além de respeitar o próximo. A dica que sempre dou nas palestras que faço é que todos devem conhecer, estudar e pesquisar, pois o conhecimento, após adquirido, é algo que ninguém tira de nós”, afirmou Marco.

Na Escola Municipal Pedro de Alcântara Junior, a palestra foi solicita pela professora Andreza Castro Ribeiro. “Estamos trabalhando sobre vários assuntos de diversidade, sobre o dia da consciência negra, preconceito e discriminação em geral. Acho muito importante recebermos uma pessoa de fora conversar com os alunos e professores para abordar, de maneira diferente, temas tão importantes como estes. Sempre que possível vamos convidá-los para outras palestras’, disse.

Reportagem: Raquel Lopes
Foto: Divulgação
Publicação: 29/11/19

Teclados Inteligentes e Multifuncionais (TIX) possibilitam novas formas de comunicação aos estudantes com deficiência

A Seduc adquiriu 32 teclados TIX para uso nas salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE).

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), realizou mais um importante investimento ao adquirir 32 Teclados Inteligentes e Multifuncionais (TIX) que vão possibilitar criar novas formas de comunicação aos estudantes com deficiência da Rede Municipal. A nova tecnologia é novidade em Minas Gerais, pois, até então, o equipamento esteve presente em escolas nos estados de Pernambuco e do Paraná.

As 32 escolas já estão recebendo o novo equipamento. Os 1.800 estudantes com deficiência terão a oportunidade de descobrir novas experiências. Algo inovador para a educação inclusiva da cidade. Além do teclado, a Seduc adquiriu o Software para Criação de Atividades Interativas (Simplix) e o Acionador por Pressão de Ar (Penso). Ambos serão essenciais nas alternativas para montar atividades associativas usando imagens e sons e também auxiliar pessoas com deficiência motora, respectivamente. O investimento é da ordem de R$ 202 mil.

Todo o equipamento foi pensado nos estudantes que possuem baixa mobilidade, problemas de coordenação motora e outras deficiências.”O TIX representa possibilidades. Acredito que com esse novo equipamento vamos trazer mais dignidade e acolher os nossos estudantes”, destaca a professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE), Marlene Torres.

Na avaliação da secretária municipal de Educação, Sueli Baliza, o novo equipamento vai criar oportunidades para todos os estudantes. “A Seduc acredita na inclusão e nada mais justo do que adquirirmos equipamentos modernos que vão possibilitar novas formas de aprendizagem. Com esse novo recurso poderemos estimular força, velocidade, equilíbrio e capacidade de criação”, finaliza.

Atualmente, a Rede de Ensino conta com 660 estagiários em exercício; 120 cuidadores, sendo que, desses, sete são de enfermagem devido à complexidade das múltiplas deficiências. E também 57 intérpretes e instrutores de Libras.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 27/11/2019

Guard forma primeira turma em Contagem

Contagem é a primeira cidade do Estado de Minas Gerais a implantar o programa, que trabalha para conscientizar crianças e adolescentes sobre o uso indevido e abusivo de drogas, prevenção da violência escolar e bullying.

“Depois do Guard, a Bruna é mais obediente, estudiosa, educada e me respeita. Ela valoriza a família, está mais orientada sobre os malefícios das drogas e considero que minha filha é outra com os ensinamentos do programa”. Este foi o depoimento de Lucrecia Izabel Oliveira, mãe da estudante Bruna Izabel Nascimento, de 11 anos. Bruna é uma das alunas formandas da primeira turma do Programa Grupo Unido na Ação de Resistência às Drogas (Guard).

No último sábado (23), a Gerência de Proteção Escolar da Guarda Civil de Contagem promoveu a primeira formatura do Guard, na Escola Municipal José Ovídio Guerra. Participaram da solenidade, o secretário municipal de Defesa Social, Décio Camargos, o comandante da Guarda Municipal, Levi Sampaio, o coordenador do Guard, Arlindo Júnior Pereira de Almeida, representantes da Secretaria Municipal de Educação, integrantes da Guarda Municipal, professores, familiares e alunos da Escola Municipal José Ovídio Guerra. Foram entregues os certificados aos alunos das 5ª e 6ª séries, que concluíram os dez encontros do projeto da Guarda de Contagem. A banda da Guarda Municipal marcou presença, apresentando o hino nacional, o de Contagem e o do Guard. As vozes ficaram por conta dos alunos formandos, que também mostraram seus talentos apresentando o hino do Guard em libras.

O Guard é um programa educacional que trabalha para conscientizar crianças e adolescentes sobre o uso indevido e abusivo de drogas, prevenção da violência escolar e bullying. Por meio de dez encontros, os estudantes trabalham temas atuais, a partir de uma análise crítica das influências presentes no mundo moderno, por meio de palestras, teatros e dinâmicas e com a formatura para encerrar todo o processo. Contagem é a primeira cidade a implantar o programa Guard no estado de Minas Gerais, iniciando o projeto piloto nas escolas municipais José Ovídio Guerra e Professor Geraldo Basílio Ramos, atendendo 306 alunos.

Superintendente e coordenador do programa Guard, Arlindo Junior, ressaltou que a formatura foi um dia muito especial porque as crianças são motivadoras para que a sociedade busque uma vida melhor. “Vocês são o futuro na nossa nação. O compromisso que selaram hoje de respeitar os pais, a família, os professores e os colegas será cumprido. Eu confio em vocês. Considero que agora vocês são minha família. É muito gratificante implantar um programa com todas as dificuldades que o Brasil passa, acredito que há uma luz no fim do túnel e é com trabalho que a gente consegue melhorar o nosso país. Para conseguirmos um trabalho de excelência, a família foi muito importante. Nós da guarda instruímos, mas a continuidade é em casa com as famílias. Os professores são os pilares da escola e seremos sempre gratos por todo apoio dado neste período”, agradeceu.

O secretário Décio Camargos agradeceu aos pais, professores e servidores municipais presentes e, principalmente, aqueles que tornaram o Programa Guard possível. “Infelizmente perdi muitos amigos ao longo da vida porque não tiveram a coragem de dizer não às drogas. Faltaram programas como o Guard para alertar e orientar melhor esses jovens que seguiram o caminho errado. Em nome da Guarda Municipal e da Defesa Social quero agradecer pelo trabalho e por estarem aqui nesta formatura, neste dia vitorioso. Queremos ensinar neste programa aquilo que realmente faz bem para a vida das crianças e dos familiares. Um programa que está no início, mas que tem muito a crescer. Os guardar civis que ministram o curso devem ser exemplos para outras cidades. Vocês são servidores sérios, dedicados e que merecem toda a valorização. Abraçaram o programa, as crianças e com muito empenho vamos conseguir levar o Guard para outras escolas e atingir todas as regionais. Depois do Guard não tivemos nenhuma ocorrência nas duas escolas em que está implantado o programa. Este é um sinal do quanto estamos no caminho certo. Queremos uma cidade passiva e segura e isso depende do nosso trabalho”, avaliou.

Amanda Luciano Miguel, 11 anos, é estudante do 5º ano da Escola Municipal Ovídio Guerra, e considera que o Guard ajudou a corrigir muitas coisas que fazia errado. “Meus pais já conversaram comigo sobre drogas e no Guard foi reforçado sobre o quanto elas são péssimas para a vida das pessoas. Aprendemos também sobre o hino nacional, de Contagem e da Guard. Aprendi sobre como ajudar minha família em momentos de dificuldade, a respeitar mais, a valorizar minha família e tudo isso de forma muito divertida. Hoje, eu tenho os guardas que foram instrutores como meus amigos, pois me fizeram muito feliz. Meus pais estão aqui hoje e posso dizer que sou motivo de orgulho para eles”, comemorou.

O comandante Levi Sampaio, ressaltou que o projeto Guard, que vem sendo desenvolvido pela equipe da Patrula Escolar, tem a importância de não só conscientizar as crianças sobre prevenção às drogas, mas sobre regras em geral. “Os alunos participam de um momento cívico, com o hino nacional e aprendem a respeitar a pátria e o próximo. Eles levam também aos pais a conscientização e o alerta sobre a necessidade do filho, após a saída da escola, ser monitorado. O que nós vemos hoje são crianças muito ligadas à informatização, às redes sociais, o que não gera bons resultados. Então o projeto visa conscientizar os pais e também dar uma direção aos bons caminhos para que essas crianças cresçam amando o país”, finalizou.

No sábado, (30), será realizada a formatura dos alunos da Escola Municipal Geraldo Basílio, no bairro Colonial. A expectativa é que o programa seja estendido para outras unidades educacionais do município.

Encontros da Guard

1°– Apresentação da Guarda Civil de Contagem;

2° – Abordagem do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), direitos e deveres;

3° – Pressão de grupo, as influências culturais e modernas da sociedade na escola;

4°– Pressão da mídia, propagandas, conteúdos e informações contemporâneas que formam opiniões;

5°– Estudo das drogas lícitas e ilícitas, as reações no organismo e o que prevê a lei;

6° – Bullying e Cyberbullying nas escolas;

7° – Primeiros socorros;

8°– Valorização da família e da autoestima;

9° – Passeio nas instalações do Comando da Guarda Civil de Contagem;

10° – Formatura com entrega de diplomas, com a apresentação dos alunos para as famílias da canção do Guard em libras.

Reportagem: Stella Santiago
Foto: Ronaldo Leandro
Publicação: 27/11/2019

E. M. Dep. Jorge Ferraz e Umei Cora Coralina também receberão obras do Pró-Escola

Serão investidos R$ 10 milhões no programa.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) autorizou o início das obras de mais duas escolas que aderiram ao programa Pró-Escola. Os agraciados da vez foram a Escola Municipal Deputado Jorge Ferraz, regional Riacho, e a Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Cora Coralina na regional Petrolândia. Cerca de 50 escolas da Rede Municipal de Ensino de Contagem foram contempladas com algum tipo de reforma pontual. Agora, as instituições passarão por revitalizações de grande porte. Serão investidos R$ 10 milhões.

A diretora Sônia de Andrade, da E. M. Deputado Jorge Ferraz, destacou o quanto é importante para os estudantes da região ter uma obra de grande porte. Algo inédito para uma escola que outrora só recebeu pequenas melhorias com o passar dos anos. “Estou feliz em fazer parte de um novo momento aqui na escola. Queremos promover uma educação de qualidade, igualitária e que desempenhe funções positivas num ambiente bem estruturado e bonito”, destaca.

Já na Umei Cora Coralina, no bairro Campo Alto, o sentimento é de vitória. As turmas com estudantes a partir dos 4 anos de idade vão ganhar dois banheiros infantis, muro – o local é isolado por cercas de arames, e duas salas que serão feitas num cômodo que atualmente serve para guardar alguns materiais. “Queremos aproveitar essas obras no local para ampliar o atendimento em mais cem estudantes. É uma Umei que tentaram fechar e sabemos o quanto ela é importante para os moradores do bairro Campo Alto. É um local bem aconchegante e sabemos o quanto a Educação Infantil é a base para o desenvolvimento do estudante”, finalizou a secretária municipal de Educação, Sueli Baliza.

As prioridades foram definidas pelos dirigentes escolares que elencaram as obras necessárias na instituição de ensino. Além de pinturas, serão feitas reformas de telhados, rede de esgoto, banheiros, salas de aula, muros e quadras poliesportivas, dentre outras no Pró-Escola.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 26/11/2019

Profissionais da educação concluem Formação Continuada em Educação das Relações Étnico-Racial

A proposta da formação foi trabalhar as relações étnico-raciais na educação infantil a partir de análises e compreensão da construção histórica e social do racismo.

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), encerrou, na última semana, o processo de Formação Continuada em Educação das Relações Étnico-Racial, para profissionais da educação infantil. A capacitação foi realizada ao longo do ano em quatro módulos, com ampla participação dos servidores das Unidades de Educação Infantil (Umeis) e da rede conveniada. O quarto módulo e último encontro da formação foi integrado à programação do Mês da Consciência Negra, promovido pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio da Superintendência de Políticas para Promoção da Igualdade Racial de Contagem.

“Durante as abordagens dos cursos, tanto do ensino fundamental quanto da Educação Infantil, procuramos trazer o processo reflexivo sobre o histórico da construção do racismo no Brasil, o por quê trabalhar a educação das relações étnicas-raciais e como trabalhar essa educação”, explicou a diretora de Direitos Humanos e Cidadania da Seduc, Rosângela da Silva. A diretora informou também que, ao longo do ano, a Seduc priorizou esse tema dentro dos assuntos abordados pela Rede de Formação, entendendo que o mês de novembro é um momento de coroação dessas práticas para uma educação anti-racistas”.

A proposta da formação foi trabalhar as relações étnico-raciais na educação infantil a partir de análises e compreensão da construção histórica e social do racismo. Além da compreensão dos processos históricos estruturantes do racismo, a formação buscou refletir sobre estratégias para superação do racismo a partir da legislação vigente, e para a implementação de ações voltadas à educação das relações étnico-raciais.

Durante o curso, na parte da manhã, os profissionais da educação presenciaram as experiências compartilhadas pelos gestores da Umei Mira Pereira, e na parte da tarde, da Umei Beija-Flor. Alessandra Aparecida, professora da Umei Beija-Flor, foi uma das professoras que compartilhou sobre o trabalho desenvolvido com as crianças de 5 anos. Ao longo do ano, ela fez inúmeras atividades com base no livro “Pretinho, meu boneco querido”, da autora Maria Cristina Furtado. No encontro com outros educadores, ela mostrou um livro digital em que os estudantes recontaram o livro físico, entre outros materiais. “É fantástico esse trabalho com os estudantes, pois as crianças estão em uma fase de descoberta e percepção, até mesmo que o outro é diferente. Tem sido um aprendizado para mim e para eles também”, disse. Sobre a formação, ela disse ser importante e necessário, pois é uma forma de ampliar o conhecimento dos professores, além de refletirem sobre suas praticas em sala de aula.

A proposta da formação foi trabalhar as relações étnico-raciais na educação infantil a partir de análises e compreensão da construção histórica e social do racismo. Além da compreensão dos processos históricos estruturantes do racismo, a formação buscou refletir sobre estratégias para superação do racismo a partir da legislação vigente, e para a implementação de ações voltadas à educação das relações étnico-raciais.

Reportagem: Raquel Lopes
Foto: Divulgação
Publicação: 26/11/2019

Transformar Contagem promove “Pizzada Solidária” para estudantes carentes de Contagem

Risadas, músicas, brincadeiras e muita pizzas garantiram o sucesso do Pizzada Solidária, evento realizado pelo Movimento Transformar Contagem em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e o Instituto Gastronômico das Américas (IGA), na última quinta-feira (21), no Centro de Educação Integral (CEI) de Contagem que está sendo construído pela prefeitura na regional Ressaca. Cerca de 70 crianças carentes da Creche Servos de Jesus se deliciaram com as pizzas de vários sabores e puderam se divertir com brinquedos como pula-pula e escorregador, tudo ao som de canções infantis.

A idealizadora do Movimento Transformar Contagem e uma das formandas do IGA, Luciana de Freitas, contou como surgiu a ideia da Pizzada. “Nós tínhamos que fazer um trabalho de conclusão de curso e o modelo proposto pela escola foi a abertura de um negócio, como um restaurante ou um bar. Entretanto, a turma não quis, pois ninguém tem a pretensão de abrir um estabelecimento. Então resolvemos fazer algo de cunho social. Consultamos a escola e ela aprovou o projeto. A partir daí optamos por fazer um rodízio de pizza com estudantes carentes, que ganhou o nome de Pizzada Solidária”, contou.

A ideia de realizar o evento em prol de uma creche de Contagem partiu de uma das alunos e foi abraçada por todos. “Decidimos fazer na primeira escola integral do município, utilizando a cozinha que é muito bem montada. Além da filantropia, quisemos apresentar o novo espaço aos pequenos, mostrando o que estar por vir e o que eles podem esperar, já que a creche é próxima da escola. Futuramente, elas podem ser estudantes desta escola”, lembrou Luciana.

O subsecretário de Gestão de Operações da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Sérgio Mendes, falou sobre a importância da ação do Transformar Contagem para a comunidade. “A Luciana está fazendo um trabalho importante junto a esse movimento voluntário dentro da cidade de Contagem. Hoje, presencio um momento ímpar e singular, que doa amor, afeto e alegria para essas crianças”. De acordo com Sérgio Mendes, ações como esta marcas a vida dos pequenos contagenses. “Imagina a importância que isso tem na vida daqueles que não tem condição de ir a uma pizzaria ou raramente comem uma.”

Para finalizar, o subsecretário reafirmou que o trabalho desenvolvido pelo Transformar Contagem tem repercutido por toda cidade. “É um projeto importante para que a cidade mobilize o sentimento de voluntariado em todas as áreas e, assim, possa cuidar das crianças, dos idosos e dos mais necessitados”.

Mãe de um dos alunos do IGA, dona Maria José, trabalhou como voluntária no evento. “Pra mim foi uma surpresa muito boa quando eu recebi o convite, porque a gente percebe que, hoje em dia, as pessoas estão voltadas para si. A humanidade esqueceu um pouco do outro. Eu vi nessa atitude, nesse projeto exatamente o contrário. Ele resgata o amor para com o outro”. Para Maria José, a turma da IGA pôde receber algo mais valioso do que lucro e benefícios de um negócio, caso tivessem optado por essa escolha. “O maior lucro deles foi verem os sorrisos e alegria dessas crianças. A gente precisa de projetos como este: que valoriza a criança”, destacou.

O professor do IGA, André Correa, disse que fez questão de ser voluntário deste projeto.“Em nosso trabalho de formação, a intenção é que nossos alunos sirvam alguém e nada melhor do que servir em um trabalho voluntário. Todo aprendizado de um ano foi para que aprimorassem as técnicas deles, ensinassem bastante e pudessem compartilhar. A gastronomia e a culinária em si vem da palavra compartilhar e, portanto, nada melhor que um trabalho social como esse”, afirmou o professor.

Por fim, Luciana de Freitas agradeceu a participação dos alunos do IGA e dos voluntários que ajudaram para que a Pizzada acontecesse. “Falar em ser voluntário é muito fácil, difícil é sair de casa para realizar o trabalho voluntário. Gostaria de agradecer a todos que não mediram esforços para que este projeto se realizasse hoje”.

Reportagem: Milla Silva
Foto: Cássio Matias
Publicação: 25/11/2019

Funec prorroga as inscrições do Processo Seletivo para a próxima segunda-feira (25)

São esperados 1110 estudantes para 2020

A Fundação de Ensino de Contagem (Funec) prorrogou até segunda-feira (25/11) as inscrições para o Processo Seletivo Funec 2020. São 960 vagas para o Ensino Médio Regular e 150 para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio na Forma Integrada.

As inscrições poderão ser feitas somente pela internet (CLIQUE AQUI) até o dia 25 de novembro. O valor da taxa de inscrição é de R$50,00 e deverá ser pago via boleto bancário, a ser emitido pelo candidato até o dia 25/11.

Conforme a legislação, fica assegurado aos educandos com deficiência o percentual de 10% (dez por cento) e aos negros, índios ou pardos o percentual de 20% (vinte por cento) do total de vagas ofertadas em cada modalidade de curso.

Provas

O local e horário de realização das provas serão disponibilizados na internet, no endereço eletrônico www.contagem.mg.gov.br/concursos (clicar no link Processo Seletivo de Estudantes para o ano letivo de 2020), para consulta e impressão do comprovante definitivo de Inscrição (CDI), pelo próprio candidato, a partir do dia 29 de novembro de 2019.

As provas serão aplicadas no Município de Contagem, no dia 8 de dezembro de 2019, domingo, das 9 às 12h, no local determinado no cartão definitivo de inscrição (CDI).

Os portões serão abertos às 8h15 e FECHADOS às 9h, impreterivelmente, sem tolerância. O candidato que chegar após o fechamento dos portões terá vedada a sua entrada no prédio e será automaticamente ELIMINADO do Processo Seletivo.

Cursos

A Funec conta com 10 unidades que oferecem o Ensino Médio Regular, nos turnos da manhã, tarde e noite, e duas unidades que têm a Educação Profissional Técnica de Nível Médio na Forma Integrada. São elas: o Centec, que oferece os cursos de Técnico em Química, Técnico em Análises Clínicas e Técnico em Farmácia, e a unidade Riacho, que oferece o Técnico em Informática; como é na forma integrada, os alunos estudam no turno da manhã e tarde.

O endereço das unidades e a disponibilidade dos turnos podem ser conferidos no edital (CLIQUE AQUI) .

Informações

Mais informações sobre o Processo Seletivo Funec 2020 podem ser solicitadas pelo telefone: (031) 3391-6187 ou pelo email: funec.concurso@edu.contagem.mg.gov.br

Reportagem: Vanessa Trotta/Leonardo Melo
Arte: Guilherme Campos
Publicação: 22/11/2019

Estudantes da Funec Centec participam de projeto piloto de educação para o trânsito

Transcon e Guarda Civil de Santa Luzia realizam jogo que ensina jovens normas de trânsito de maneira descontraída

Com o objetivo de inserir adolescentes no contexto da segurança no trânsito, a Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (Transcon), em parceria com a Guarda Civil de Santa Luzia, realizou dinâmica educativa para os estudantes dos cursos de farmácia e química da Funec-Centec, na sexta-feira (8). Com o jogo intitulado “Cuca Legal no Trânsito”, três turmas se revezaram em times para avançar nas casas da trilha. O conhecimento das normas de trânsito foi essencial para vencer a disputa.

“O ‘Cuca Legal’ é uma maneira fácil de o aluno aprender de forma lúdica sobre como se comportar no trânsito, seja como motorista ou pedestre. Por meio do jogo, eles participam, divertem-se e aprendem ao mesmo tempo. Já realizamos essa atividade em outros municípios e diversas cidades estão franqueando o jogo porque acham interessante demais. Nós já tivemos convites até para apresentar em outros estados”, contou o guarda civil Levi Freitas, da corporação de Santa Luzia.

Desenvolvido pela Coordenadoria de Educação para o Trânsito da Guarda Civil de Santa Luzia, o jogo foi bem recebido pelos jovens mineiros e tem chamado a atenção de estados vizinhos.

Para a pedagoga da Funec Centec Maria Adriana da Silva Pereira, ações como essa são muito importantes para a formação dos adolescentes, principalmente para aqueles que pretendem se tornar condutores. “Nossos estudantes vivenciaram de forma descontraída informações acerca do trânsito, de como dirigir de forma segura sem cometer infrações. Tiveram a oportunidade de aprender que, para melhorias no trânsito, depende de atitudes corretas tanto dos pedestres, como dos motoristas. No trânsito, respeitar o outro é fundamental. Atividades como esta são importantes para conscientizar nossos adolescentes que, no futuro breve, se tornarão motoristas”, comentou.

O vice-diretor Reinaldo Nogueira dos Santos agradeceu à Transcon e à Guarda Civil de Santa Luzia pela visita à unidade. “Foi um excelente trabalho. Nossos educandos e os profissionais do Centec elogiaram em grande escala o projeto exposto. Sabemos da nossa responsabilidade com a juventude, principalmente, levantando a conscientização madura de um trânsito mais seguro e eficaz para a sociedade”, destacou.

Parcerias

A Gerente de Educação para o Trânsito da Transcon, Adriana Ferrari, enfatizou que, sem as parcerias, trabalhos como esse não aconteceriam. Segundo ela, a ocasião foi ótima para testar sua aplicabilidade.

“Com as parcerias, conhecemos as diversas formas de desenvolver o tema segurança no trânsito de forma atrativa, interativa e lúdica para o público jovem. A parceria com a Guarda Civil de Santa Luzia para a aplicação do jogo foi uma ação piloto importante para avaliação do material, modelo de atendimento, adesão e interação dos jovens.

Outra parceria foi com a unidade Centec que, diante da proposta, prontamente viabilizou e mobilizou toda a equipe para a realização da atividade”, afirmou a gerente.

A participação dos 80 alunos da Funec Centec foi considerada positiva para que futuras ações semelhantes aconteçam nas demais escolas de Contagem. “O resultado da ação piloto foi positivo. Identificamos engajamento em todas as partes envolvidas. A ideia agora é adquirir o material adequado à realidade do nosso município e criar um fluxo de atendimento para esse público. Será mais uma iniciativa da Transcon para aumentar a conscientização de um trânsito mais humano e seguro”, contou Adriana.

Reportagem: Yuri Soares
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 19/11/2019