Posts com a Tag ‘Professores’

Seduc realiza formação com professores sobre práticas de ações voltadas para a superação do racismo

Ao todo 350 professores da Educação Básica estiveram na UNA Contagem.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc), por meio da direção da Educação das Relações Étnico-raciais, Direitos Humanos e Cidadania, finalizou a formação do primeiro semestre para professores da Educação Básica, que havia se iniciado em março deste ano. Cerca de 350 participantes vivenciaram disciplinas para a construção de práticas pedagógicas no Centro Universitário UNA de Contagem.

Segundo a diretora de Educação das Relações Étnico-raciais, Direitos Humanos e Cidadania, Rosângela da Silva, o curso possui uma parte introdutória que busca refletir sobre os elementos históricos da construção do racismo no Brasil e outra parte voltada para a construção de práticas pedagógicas que incluam no currículo escolar de forma cotidiana a educação das relações étnico-raciais. “O curso é vital para a implementação de ações voltadas para a superação do racismo no ambiente escolar e o cumprimento no disposto da legislação. Além disso o curso contribui para maior assertividade junto ao Plano de Desenvolvimento da Aprendizagem”, destaca Rosângela.

As aulas fazem parte da rede de formação da Seduc e atenderá aos profissionais da rede ao longo do ano, no período de março a dezembro. Vai abranger todas as modalidades da Educação Básica e tem por objetivo subsidiar os profissionais em educação, na construção de estratégias para a implementação de ações voltadas para a educação das relações étnico-raciais e superação do racismo, conforme disposto nas leis 10.639/2003 e 11.645/2008.

O curso teve duração de quatro módulos e contou com a presença de vários nomes que contribuíram com a formação. Entre eles, a escritora Rosa Margarida Carvalho que ministrou aulas para as (os) pedagogas (os) da rede. Neste, a abordagem buscou contribuir para reflexões e elaboração de práticas pedagógicas voltadas para a educação. “O curso foi bom para a interlocução com a escola pois abordamos as questões étnico-raciais em que acreditamos como reflexão para com os professores. Ouvimos relatos que chamaram a nossa atenção e levamos o referencial pedagógico para abordagens dentro daquilo que acreditamos como diversidade”, finalizou Rosa.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 27/06/2019

Servidores da Educação participam de capacitação em Artes no Centro Cultural

Professores vão levar para as salas de aula a experiência com técnicas de desenho e pintura.

Professores de artes da rede pública municipal de Contagem participaram nesta semana dos cursos de capacitação em desenho e pintura, organizado pela servidora Denise Betônico, em parceria com a empresa Acrilex, no Centro Cultural de Contagem. A proposta do encontro foi promover a integração entre os professores de diversas escolas, com atividades da cultura e da educação.

A professora Denise ressaltou a importância de promover este trabalho junto aos educadores. “Este tipo de ação nos traz benefícios como profissionais e auxilia no dia a dia das salas de aula. Conhecer novas técnicas, materiais e metodologias traz resultados significativos aos profissionais de educação, e assim podemos apresentar propostas pedagógicas que levem benefícios aos alunos. É sempre bom adquirir mais conhecimento e nosso objetivo é oferecer aos arte-educadores de Contagem novos caminhos, para que possam levar para a sala de aula as ideias construídas ao longo destas oficinas”.

Cerca de 60 professores participaram das oficinas, divididos em grupos. Eles criaram um vagão de trem ilustrado com temas livres. Após a conclusão dos grupos, todos os vagões se juntaram à locomotiva, criando um “mix” de ideias e interpretações sobre o trabalho dos educadores em sala de aula.

“Essa oficina é importante para que possamos interagir e trocar experiências, melhorando o nosso trabalho dentro de sala de aula. A proposta de fazermos um comboio também ressalta a necessidade de levarmos a ideia de união, ajuda mútua e interlocução com as mais diversas camadas sociais onde atuamos. Estou muito satisfeito e feliz com a iniciativa das secretarias, da Prefeitura e da empresa que nos ofereceu esta oportunidade”, ressaltou o professor Agnaldo Francisco Ferreira, do Caic Riacho.

As oficinas foram oferecidas pela empresa Acrilex, em parceria com as secretarias Municipais de Educação e de Cultura, Esporte e Juventude, sob a coordenação da Adina Moura e Simônica Emiliano Lima, promotoras representantes da empresa. Elas presentearam os professores com kits de materiais e manuais de trabalhos artísticos voltados para a educação.

Reportagem: Marcelo Grillo
Foto: Newton de Castro Resende
Publicação: 17/06/2019

Seduc firma parceria com instituto para capacitar professores do Atendimento Educacional Especializado

Além da formação os educadores recebem orientações sobre a construção do Plano de Desenvolvimento Individual.

Por meio de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e o Instituto e Clínica Aprendizagem e Companhia, 32 professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE) passam por cursos de capacitação. O objetivo é fornecer instrumentos que auxiliem o ensino/aprendizado em sala de aula. “A parceira traz um subsídio científico com base na psicopedagogia e neurociência para nossas intervenções com os estudantes deficientes. Todo trabalho de Atendimento Educacional Especializado segue um embasamento científico. A formação de base científica é necessária para sermos assertivos no plano de atendimento, fazer intervenções corretas e no momento certo para ter o objetivo alcançado”, destacou a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias, Ludmilla Skrepchuk Soares.

Além da formação, os professores são orientados sobre a construção do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI). Por lei, todo estudante deficiente deve receber um plano de educação individualizado como forma de garantir o aprendizado e a acessibilidade na escola.

A inclusão escolar é uma conquista de direitos. Em Contagem, no contraturno, é oferecido o Atendimento Educacional Especializado, que ocorre em salas com recursos necessários para o aprendizado do estudante. São 29 salas do AEE nas escolas de Ensino Fundamental.

 

Reportagem: Nelson Augusto
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 13/03/2019

Formação trata o cinema como meio de ensino nas escolas

Ao todo, 120 Professores de Artes puderam aperfeiçoar os conhecimentos com novas técnicas de aprendizado.

Com base no Programa de Formação Continuada, a Secretaria Municipal de Educação (Seduc) tem abordado com professores a proposta denominada “Diálogos Temáticos”. Os profissionais de diversas disciplinas têm ido até o Centro Universitário UNA para assistirem palestras e participar de oficinas. Dessa vez, os agraciados foram os professores de Artes que tiveram todo o conteúdo à sua disposição.

Durante esses encontros, que começaram na segunda quinzena do mês de agosto, os professores recebem atualização didática ofertada pela Seduc. A disciplina de Artes teve como tema abordado, por meio de palestras, o cinema e os meios de alfabetização utilizados dentro das salas de aula.

A professora de Cinema da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Ana Lúcia Azevedo, esteve à frente de uma das palestras e abordou o tema: “A Alfabetização por meio do Audiovisual”. Durante a sua fala, foram apresentados meios e perspectivas que podem ser usados de maneira simples e didática com estudantes da Educação Infantil e Fundamental. “Filmes trazem a sensibilidade ao prazer sensorial e intelectual. O cinema é potente para se trabalhar com os estudantes. Com ele criamos narrativas que se aproximam do nosso cotidiano e, dessa forma, propicia reflexão e envolvimento emocional”, explica Azevedo.

Em outra palestra, que abordou o tema: “Pensar, sentir, criar e brincar com o cinema na escola”, trouxe à tona como oferecer técnicas de animação, criação de filmes produzidos com base na vida cotidiana dos alunos e “stop motion” ou movimento parado – técnica que utiliza a disposição sequencial de fotografias, aos professores de Artes. A ideia é levar meios fáceis e gratuitos que possam ser aplicados dentro de sala de aula. “Bem direcionados, os estudantes podem criar bons conteúdos e o nosso objetivo, na palestra de hoje, foi passar para os profissionais de Artes opções que trarão interação e produção de conteúdo”, destaca a palestrante e representante da secretaria municipal de Cultura, Esporte e Juventude (CEJ), Mônica Alves.

Ao final das exposições, os professores de Artes se dividiram em grupos para fazerem atividades práticas em quatro salas de aula para o complemento da formação. Ao todo, 120 profissionais estiveram divididos nos turnos da manhã e tarde para o aproveitamento dos conteúdos abordados. “A avaliação que faço é positiva. O cinema acontece nas escolas de Contagem e essa proposta foi bem viva e queremos ampliar dentro das salas de aula, mostrar a nossa cidade e sensibilizar a vida dos nossos estudantes”, enfatiza a formadora da Seduc, Denise Neiva.

A professora Kelly Cristina Santos, da Escola Municipal Domingos José Diniz Costa Belém, saiu satisfeita da iniciativa e disse ter gostado das palestras sobre o cinema em sala de aula, além disso ela fez uma atividade extra sobre teatro na escola. “Quero levar tudo o que aprendi hoje aos meus alunos, para eles se identificarem com a arte. A minha expectativa é termos estudantes criativos e que possam fazer grandes projetos em Contagem”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 22/08/2018

Seduc promove seminário para professores e pedagogos

Cerca de 130 profissionais participaram das atividades no auditório da UNA.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) promoveu, no Centro Universitário UNA, formação para professores e pedagogos do Ensino Fundamental em parceria com a Editora do Brasil. Cerca de 130 profissionais lotaram o auditório para acompanhar o tema sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Com o objetivo de melhorar a qualidade do trabalho dos profissionais da rede municipal, o seminário serviu para levar os métodos que serão usados na BNCC dentro das escolas públicas e também particulares. A cidade de Contagem saiu na frente ao determinar com clareza o que os alunos têm o direito de aprender. Com isso, contribui para promover a equidade educacional.

Assessora Educacional da Seduc, Soraya Aparecida Ferreira Silva, destaca que essa formação serviu para mostrar o quanto a BNCC vai contribuir para a qualidade e melhorias do ensino no país. “Cada região vai poder acrescentar o que é comum dentro dessa matriz curricular. Seguimos a base que é estabelecida via Governo Federal e com isso podemos aprimorar visando o bem-estar dos nossos estudantes contagenses”, afirmou.

Quem também ficou por satisfeita e acredita que o seminário foi de grande aprendizado é a pedagoga da Escola Municipal Professora Maria Olintha, Cirleia Alves Franca. Ela explica que os profissionais da rede municipal devem participar das formações para estarem inteirados com o tema da BNCC que é bem recorrente dentro do ensino brasileiro. “A nova BNCC vai trazer um outro olhar para dentro da educação. Acredito que os nossos estudantes vão ter grandes resultados nesse novo currículo dentro da aprendizagem nas escolas”, finalizou

Reportagem e foto: Leonardo Melo
Publicação: 16/05/2018

Programa Educação Conectada leva tecnologia para alunos da rede pública

Em Contagem, 40 escolas municipais estão sendo analisadas pelo Ministério da Educação (MEC).

No final de abril o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e o Ministério da Educação (MEC) promoveram, no Rio de Janeiro, uma chamada pública para apoiar projetos de incorporação de tecnologias digitais na educação pública do programa Educação Conectada. E mais de 40 escolas municipais de Contagem já estão sendo analisadas pelo MEC para aderirem ao programa.

O objetivo é fomentar o uso da tecnologia como ferramenta pedagógica nas escolas públicas de educação básica. Serão testados modelos e casos de aprendizado nas diferentes realidades das cidades brasileiras, por meio de uma oferta balanceada de conexão à internet, conteúdos educacionais digitais e formação de professores. A qualidade da internet que chega até as escolas será monitorada por meio de parceria com o Comitê Gestor da Internet (CGI).

O evento foi a primeira ação estruturada do BNDES no Programa de Inovação Educação Conectada, com a presença de representantes de empresas privadas que incentivarão o programa e do ministro da Educação, Rossieli Soares, que falou sobre o funcionamento do programa e explicou que a proposta vai contemplar todas as etapas da educação básica, da educação infantil até o ensino médio. A intenção é que até 2024 todas as escolas públicas estejam conectadas.

A assessora educacional de Contagem, Jacqueline Coelho, participou do evento e afirmou que o programa incentiva o bom uso da tecnologia. “O incentivo ao uso da tecnologia na sala de aula é importante porque desperta o interesse ao aprendizado. Por isso é fundamental que o professor esteja preparado para desenvolver atividades didáticas tecnológicas para melhorar a qualidade de ensino”, ressalta.

A adesão das secretarias é voluntária e será disponibilizada a todas as redes de educação básica municipais, estaduais e do Distrito Federal. Para participar integralmente das ações do programa, as secretarias deverão fazer adesão em instrumento próprio a ser disponibilizado pelo MEC, no módulo Educação Conectada do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec).

As ações desenvolvidas serão organizadas em quatro dimensões:

Visão: A dimensão de visão é orientadora do programa e deve estimular o planejamento da inovação e tecnologia como elementos transformadores da educação, promovendo valores como qualidade, contemporaneidade, melhoria de gestão e equidade.

Formação: Ofertará formação continuada a professores, gestores e articuladores. E, para incluir o componente tecnológico na formação inicial, articulará com instituições de ensino superior.

Recursos Educacionais Digitais: Acesso a recursos educacionais digitais e incentivo a aquisição e a socialização de recursos entre as redes de ensino.

Infraestrutura: Investimentos para a ampliação do acesso ao serviço de conectividade e para infraestrutura interna e dispositivos que possibilitem o uso da tecnologia em sala de aula.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Divulgação
Publicação: 11/05/2018

Professores e pedagogos vão participar de seminário sobre a BNCC na Una Contagem

O programa de formação de professores e pedagogos do Ensino Fundamental é uma parceria entre a Seduc e a Editora do Brasil.

O programa de formação de professores e pedagogos do Ensino Fundamental é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de Contagem (Seduc) e a Editora do Brasil. E para dar continuidade às atividades propostas, será promovido nos dias 15 e 16 de maio, o “Seminário Ampliando as Percepções da Base Nacional Comum Curricular na Educação de Contagem”, no auditório do Centro Universitário Una, em Contagem.

Podem participar do encontro 1 pedagogo(a) e 1 professor(a) por turno de trabalho de cada unidade escolar do ensino fundamental (1º ao 9º ano). A inscrição deve ser feita até a próxima sexta-feira (11). O objetivo é ampliar as discussões sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para melhorar a qualidade do trabalho dos profissionais da rede municipal de Contagem.

Para a Assessora Educacional da Seduc, Soraya Aparecida Ferreira Silva, afirma que a participação dos professores e pedagogos são fundamentais. “O seminário é importante para que as dúvidas sobre a construção de um currículo escolar sejam sanadas e para que os profissionais estejam preparados para a implantação das mudanças da BNCC”, destaca.

Reportagem: Nayara Vianna
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

19° UFMG Jovem abre chamadas para apresentações de artistas e grupos artísticos escolares

Grupos artísticos de escolas públicas e privadas poderão participar

A 19ª apresentação artístico-cultural realizado anualmente pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), abre inscrições para propostas de apresentações de cunho cultural para escolas públicas e particulares. As inscrições deverão ser feitas por e-mail para contar com a participação de artistas e grupos lúdicos escolares.

Podem participar os estudantes de Educação Básica (ensino fundamental, médio e técnico). As áreas escolhidas para as performances são: dança, teatro, poesias e literatura (sarau) e artes circenses para as apresentações no dia do evento.

Também poderão se inscrever os professores. Os trabalhos podem ser apresentados por meio de maquetes, atividades interativas, cartazes, resultados de trabalhos investigativos e outros tipos de modalidades.

Serão selecionados para expor no evento 30 trabalhos na categoria Ensino Fundamental e 50 do Ensino Médio. A feira acontecerá nos dias 25 a 27 de outubro, na Praça de Serviço do campus Pampulha da UFMG, em Belo Horizonte. O evento será aberto ao público para visitação.
Para quem desejar se inscrever basta enviar um e-mail (ddc-conhecimentoparatodos@proex.ufmg.br).

O limite de inscrição será para o dia 31 de agosto. Qualquer dúvida sobre o formulário de apresentações basta acessar o link.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob a supervisão de Leonardo Melo)
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

UFMG oferece especialização gratuita para professores da rede pública

A seleção será baseada em prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório, e análise de currículo, etapa classificatória.

Para promover a capacitação dos professores de escolas públicas e auxiliar na utilização das novas tecnologias em sala de aula, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), abriu inscrições, até o dia 25 de maio, para a especialização em “Tecnologias Digitais e Educação 3.0”. O curso é gratuito e semipresencial, a maior parte das atividades serão ministradas a distância e alguns encontros presenciais ocorrerão no polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB), em Sete Lagoas ou no campus Pampulha, da UFMG.

Voltada exclusivamente a profissionais da Educação Básica que atuam nas escolas da rede pública e graduados em qualquer área do conhecimento, a pós-graduação terá carga horária de 420 horas e início previsto para o dia 4 de agosto.

Os interessados devem preencher o formulário eletrônico disponível no site do Centro de Apoio à Educação a Distância (Caed UFMG) ufmg.br/ead, e anexar cópias eletrônicas, em formato PDF, dos documentos listados no edital de seleção, reunidas num único arquivo, com até 8 MB de tamanho e nomeado com o CPF do candidato.

A seleção será baseada em prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório, e análise de currículo, etapa classificatória. A avaliação será aplicada no dia 9 de junho, das 8 às 12h, no prédio do Centro Pedagógico da UFMG. A bibliografia indicada e outras informações sobre a prova também estão disponíveis no edital. O resultado será publicado no site do Caed a partir do dia 6 de julho.

Mais informações no site tecnodigital@cp.ufmg.br ou pelo telefone (31) 3409-5179.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Divulgação
Publicação: 27/04/2018

Escola Francisco Borges Fonseca recebe o projeto “Hortas Urbanas”

Objetivo é falar de alimentação saudável e meio ambientes aos alunos da rede municipal de ensino.

Focado na alimentação saudável e nas questões relacionadas ao meio ambiente, o Projeto Hortas Urbanas, iniciado em 2017 pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), chegou a Escola Municipal Francisco Borges da Fonseca, localizada na Regional Eldorado. Primeira escola a receber o projeto em 2018. Uma grande novidade para esse ano é a parceria estabelecida com o Centro Municipal de Agricultura Urbana Familiar (Cmauf).

Por meio dessa parceria, foi determinado que pelo menos uma escola por mês seja beneficiada com a implementação do projeto, e que todas as regionais do município sejam atendidas até dezembro desse ano. Por se tratar de uma equipe multidisciplinar, composta por assessores Educacionais da Diretoria de Educação Ambiental e pelos Técnicos do Cmauf, é possível levar aos estudantes uma proposta de educação ambiental mais ampla e diversificada, abordando os cuidados com o nosso planeta, o meio ambiente, nossa saúde e alimentação saudável.

Na ocasião, estavam presentes os estudantes e professores, a direção da escola, as equipes de Educação Ambiental e do Cmauf, além da secretária de Desenvolvimento Social Luzia Ferreira que, na oportunidade, ressaltou a importância da parceria entre as secretarias, o sucesso do projeto e a necessidade de ampliar ainda mais esse trabalho.

Além do plantio das hortaliças, os estudantes foram contemplados com palestras de educação ambiental e apresentações artísticas. Eles aprenderam, também, receitas saudáveis de sucos naturais, acompanhando a preparação e degustaram as receitas preparadas com as hortaliças orgânicas produzidas no Cmauf.

Reportagem: Túlio Andrade
Foto: Túlio Andrade
Publicação: 24/04/2018