Posts com a Tag ‘Professores’

Formação trata o cinema como meio de ensino nas escolas

Ao todo, 120 Professores de Artes puderam aperfeiçoar os conhecimentos com novas técnicas de aprendizado.

Com base no Programa de Formação Continuada, a Secretaria Municipal de Educação (Seduc) tem abordado com professores a proposta denominada “Diálogos Temáticos”. Os profissionais de diversas disciplinas têm ido até o Centro Universitário UNA para assistirem palestras e participar de oficinas. Dessa vez, os agraciados foram os professores de Artes que tiveram todo o conteúdo à sua disposição.

Durante esses encontros, que começaram na segunda quinzena do mês de agosto, os professores recebem atualização didática ofertada pela Seduc. A disciplina de Artes teve como tema abordado, por meio de palestras, o cinema e os meios de alfabetização utilizados dentro das salas de aula.

A professora de Cinema da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Ana Lúcia Azevedo, esteve à frente de uma das palestras e abordou o tema: “A Alfabetização por meio do Audiovisual”. Durante a sua fala, foram apresentados meios e perspectivas que podem ser usados de maneira simples e didática com estudantes da Educação Infantil e Fundamental. “Filmes trazem a sensibilidade ao prazer sensorial e intelectual. O cinema é potente para se trabalhar com os estudantes. Com ele criamos narrativas que se aproximam do nosso cotidiano e, dessa forma, propicia reflexão e envolvimento emocional”, explica Azevedo.

Em outra palestra, que abordou o tema: “Pensar, sentir, criar e brincar com o cinema na escola”, trouxe à tona como oferecer técnicas de animação, criação de filmes produzidos com base na vida cotidiana dos alunos e “stop motion” ou movimento parado – técnica que utiliza a disposição sequencial de fotografias, aos professores de Artes. A ideia é levar meios fáceis e gratuitos que possam ser aplicados dentro de sala de aula. “Bem direcionados, os estudantes podem criar bons conteúdos e o nosso objetivo, na palestra de hoje, foi passar para os profissionais de Artes opções que trarão interação e produção de conteúdo”, destaca a palestrante e representante da secretaria municipal de Cultura, Esporte e Juventude (CEJ), Mônica Alves.

Ao final das exposições, os professores de Artes se dividiram em grupos para fazerem atividades práticas em quatro salas de aula para o complemento da formação. Ao todo, 120 profissionais estiveram divididos nos turnos da manhã e tarde para o aproveitamento dos conteúdos abordados. “A avaliação que faço é positiva. O cinema acontece nas escolas de Contagem e essa proposta foi bem viva e queremos ampliar dentro das salas de aula, mostrar a nossa cidade e sensibilizar a vida dos nossos estudantes”, enfatiza a formadora da Seduc, Denise Neiva.

A professora Kelly Cristina Santos, da Escola Municipal Domingos José Diniz Costa Belém, saiu satisfeita da iniciativa e disse ter gostado das palestras sobre o cinema em sala de aula, além disso ela fez uma atividade extra sobre teatro na escola. “Quero levar tudo o que aprendi hoje aos meus alunos, para eles se identificarem com a arte. A minha expectativa é termos estudantes criativos e que possam fazer grandes projetos em Contagem”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 22/08/2018

Seduc promove seminário para professores e pedagogos

Cerca de 130 profissionais participaram das atividades no auditório da UNA.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) promoveu, no Centro Universitário UNA, formação para professores e pedagogos do Ensino Fundamental em parceria com a Editora do Brasil. Cerca de 130 profissionais lotaram o auditório para acompanhar o tema sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Com o objetivo de melhorar a qualidade do trabalho dos profissionais da rede municipal, o seminário serviu para levar os métodos que serão usados na BNCC dentro das escolas públicas e também particulares. A cidade de Contagem saiu na frente ao determinar com clareza o que os alunos têm o direito de aprender. Com isso, contribui para promover a equidade educacional.

Assessora Educacional da Seduc, Soraya Aparecida Ferreira Silva, destaca que essa formação serviu para mostrar o quanto a BNCC vai contribuir para a qualidade e melhorias do ensino no país. “Cada região vai poder acrescentar o que é comum dentro dessa matriz curricular. Seguimos a base que é estabelecida via Governo Federal e com isso podemos aprimorar visando o bem-estar dos nossos estudantes contagenses”, afirmou.

Quem também ficou por satisfeita e acredita que o seminário foi de grande aprendizado é a pedagoga da Escola Municipal Professora Maria Olintha, Cirleia Alves Franca. Ela explica que os profissionais da rede municipal devem participar das formações para estarem inteirados com o tema da BNCC que é bem recorrente dentro do ensino brasileiro. “A nova BNCC vai trazer um outro olhar para dentro da educação. Acredito que os nossos estudantes vão ter grandes resultados nesse novo currículo dentro da aprendizagem nas escolas”, finalizou

Reportagem e foto: Leonardo Melo
Publicação: 16/05/2018

Programa Educação Conectada leva tecnologia para alunos da rede pública

Em Contagem, 40 escolas municipais estão sendo analisadas pelo Ministério da Educação (MEC).

No final de abril o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e o Ministério da Educação (MEC) promoveram, no Rio de Janeiro, uma chamada pública para apoiar projetos de incorporação de tecnologias digitais na educação pública do programa Educação Conectada. E mais de 40 escolas municipais de Contagem já estão sendo analisadas pelo MEC para aderirem ao programa.

O objetivo é fomentar o uso da tecnologia como ferramenta pedagógica nas escolas públicas de educação básica. Serão testados modelos e casos de aprendizado nas diferentes realidades das cidades brasileiras, por meio de uma oferta balanceada de conexão à internet, conteúdos educacionais digitais e formação de professores. A qualidade da internet que chega até as escolas será monitorada por meio de parceria com o Comitê Gestor da Internet (CGI).

O evento foi a primeira ação estruturada do BNDES no Programa de Inovação Educação Conectada, com a presença de representantes de empresas privadas que incentivarão o programa e do ministro da Educação, Rossieli Soares, que falou sobre o funcionamento do programa e explicou que a proposta vai contemplar todas as etapas da educação básica, da educação infantil até o ensino médio. A intenção é que até 2024 todas as escolas públicas estejam conectadas.

A assessora educacional de Contagem, Jacqueline Coelho, participou do evento e afirmou que o programa incentiva o bom uso da tecnologia. “O incentivo ao uso da tecnologia na sala de aula é importante porque desperta o interesse ao aprendizado. Por isso é fundamental que o professor esteja preparado para desenvolver atividades didáticas tecnológicas para melhorar a qualidade de ensino”, ressalta.

A adesão das secretarias é voluntária e será disponibilizada a todas as redes de educação básica municipais, estaduais e do Distrito Federal. Para participar integralmente das ações do programa, as secretarias deverão fazer adesão em instrumento próprio a ser disponibilizado pelo MEC, no módulo Educação Conectada do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec).

As ações desenvolvidas serão organizadas em quatro dimensões:

Visão: A dimensão de visão é orientadora do programa e deve estimular o planejamento da inovação e tecnologia como elementos transformadores da educação, promovendo valores como qualidade, contemporaneidade, melhoria de gestão e equidade.

Formação: Ofertará formação continuada a professores, gestores e articuladores. E, para incluir o componente tecnológico na formação inicial, articulará com instituições de ensino superior.

Recursos Educacionais Digitais: Acesso a recursos educacionais digitais e incentivo a aquisição e a socialização de recursos entre as redes de ensino.

Infraestrutura: Investimentos para a ampliação do acesso ao serviço de conectividade e para infraestrutura interna e dispositivos que possibilitem o uso da tecnologia em sala de aula.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Divulgação
Publicação: 11/05/2018

Professores e pedagogos vão participar de seminário sobre a BNCC na Una Contagem

O programa de formação de professores e pedagogos do Ensino Fundamental é uma parceria entre a Seduc e a Editora do Brasil.

O programa de formação de professores e pedagogos do Ensino Fundamental é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação de Contagem (Seduc) e a Editora do Brasil. E para dar continuidade às atividades propostas, será promovido nos dias 15 e 16 de maio, o “Seminário Ampliando as Percepções da Base Nacional Comum Curricular na Educação de Contagem”, no auditório do Centro Universitário Una, em Contagem.

Podem participar do encontro 1 pedagogo(a) e 1 professor(a) por turno de trabalho de cada unidade escolar do ensino fundamental (1º ao 9º ano). A inscrição deve ser feita até a próxima sexta-feira (11). O objetivo é ampliar as discussões sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para melhorar a qualidade do trabalho dos profissionais da rede municipal de Contagem.

Para a Assessora Educacional da Seduc, Soraya Aparecida Ferreira Silva, afirma que a participação dos professores e pedagogos são fundamentais. “O seminário é importante para que as dúvidas sobre a construção de um currículo escolar sejam sanadas e para que os profissionais estejam preparados para a implantação das mudanças da BNCC”, destaca.

Reportagem: Nayara Vianna
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

19° UFMG Jovem abre chamadas para apresentações de artistas e grupos artísticos escolares

Grupos artísticos de escolas públicas e privadas poderão participar

A 19ª apresentação artístico-cultural realizado anualmente pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), abre inscrições para propostas de apresentações de cunho cultural para escolas públicas e particulares. As inscrições deverão ser feitas por e-mail para contar com a participação de artistas e grupos lúdicos escolares.

Podem participar os estudantes de Educação Básica (ensino fundamental, médio e técnico). As áreas escolhidas para as performances são: dança, teatro, poesias e literatura (sarau) e artes circenses para as apresentações no dia do evento.

Também poderão se inscrever os professores. Os trabalhos podem ser apresentados por meio de maquetes, atividades interativas, cartazes, resultados de trabalhos investigativos e outros tipos de modalidades.

Serão selecionados para expor no evento 30 trabalhos na categoria Ensino Fundamental e 50 do Ensino Médio. A feira acontecerá nos dias 25 a 27 de outubro, na Praça de Serviço do campus Pampulha da UFMG, em Belo Horizonte. O evento será aberto ao público para visitação.
Para quem desejar se inscrever basta enviar um e-mail (ddc-conhecimentoparatodos@proex.ufmg.br).

O limite de inscrição será para o dia 31 de agosto. Qualquer dúvida sobre o formulário de apresentações basta acessar o link.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob a supervisão de Leonardo Melo)
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

UFMG oferece especialização gratuita para professores da rede pública

A seleção será baseada em prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório, e análise de currículo, etapa classificatória.

Para promover a capacitação dos professores de escolas públicas e auxiliar na utilização das novas tecnologias em sala de aula, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), abriu inscrições, até o dia 25 de maio, para a especialização em “Tecnologias Digitais e Educação 3.0”. O curso é gratuito e semipresencial, a maior parte das atividades serão ministradas a distância e alguns encontros presenciais ocorrerão no polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB), em Sete Lagoas ou no campus Pampulha, da UFMG.

Voltada exclusivamente a profissionais da Educação Básica que atuam nas escolas da rede pública e graduados em qualquer área do conhecimento, a pós-graduação terá carga horária de 420 horas e início previsto para o dia 4 de agosto.

Os interessados devem preencher o formulário eletrônico disponível no site do Centro de Apoio à Educação a Distância (Caed UFMG) ufmg.br/ead, e anexar cópias eletrônicas, em formato PDF, dos documentos listados no edital de seleção, reunidas num único arquivo, com até 8 MB de tamanho e nomeado com o CPF do candidato.

A seleção será baseada em prova escrita, de caráter eliminatório e classificatório, e análise de currículo, etapa classificatória. A avaliação será aplicada no dia 9 de junho, das 8 às 12h, no prédio do Centro Pedagógico da UFMG. A bibliografia indicada e outras informações sobre a prova também estão disponíveis no edital. O resultado será publicado no site do Caed a partir do dia 6 de julho.

Mais informações no site tecnodigital@cp.ufmg.br ou pelo telefone (31) 3409-5179.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Divulgação
Publicação: 27/04/2018

Escola Francisco Borges Fonseca recebe o projeto “Hortas Urbanas”

Objetivo é falar de alimentação saudável e meio ambientes aos alunos da rede municipal de ensino.

Focado na alimentação saudável e nas questões relacionadas ao meio ambiente, o Projeto Hortas Urbanas, iniciado em 2017 pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), chegou a Escola Municipal Francisco Borges da Fonseca, localizada na Regional Eldorado. Primeira escola a receber o projeto em 2018. Uma grande novidade para esse ano é a parceria estabelecida com o Centro Municipal de Agricultura Urbana Familiar (Cmauf).

Por meio dessa parceria, foi determinado que pelo menos uma escola por mês seja beneficiada com a implementação do projeto, e que todas as regionais do município sejam atendidas até dezembro desse ano. Por se tratar de uma equipe multidisciplinar, composta por assessores Educacionais da Diretoria de Educação Ambiental e pelos Técnicos do Cmauf, é possível levar aos estudantes uma proposta de educação ambiental mais ampla e diversificada, abordando os cuidados com o nosso planeta, o meio ambiente, nossa saúde e alimentação saudável.

Na ocasião, estavam presentes os estudantes e professores, a direção da escola, as equipes de Educação Ambiental e do Cmauf, além da secretária de Desenvolvimento Social Luzia Ferreira que, na oportunidade, ressaltou a importância da parceria entre as secretarias, o sucesso do projeto e a necessidade de ampliar ainda mais esse trabalho.

Além do plantio das hortaliças, os estudantes foram contemplados com palestras de educação ambiental e apresentações artísticas. Eles aprenderam, também, receitas saudáveis de sucos naturais, acompanhando a preparação e degustaram as receitas preparadas com as hortaliças orgânicas produzidas no Cmauf.

Reportagem: Túlio Andrade
Foto: Túlio Andrade
Publicação: 24/04/2018

Escola Municipal Maria do Amparo comemora 50 anos

Estudantes e profissionais que fizeram a história da escola foram homenageados.

A Escola Municipal Maria do Amparo completou 50 anos. A festa foi marcada por apresentações culturais e exposições de trabalhos. Duzentos e cinquenta estudantes participaram das festividades. Um dos momentos mais marcantes foi o resgate da história, quando cada grupo foi responsável por apresentar costumes de uma determinada década.

Durante as festividades, estudantes, educadores e funcionários foram homenageados. As pessoas que marcaram a história da escola foram presenteadas com uma placa de honra ao mérito. “Precisamos comemorar muito porquê estamos cumprindo nosso papel que é de transformar a vida das pessoas que passam por aqui. Nossa função, como educadores, é lapidar nossas pedras preciosas”, enfatizou a vice-diretora, Fernanda Moreira.

A escola também foi agraciada pelos moradores. O senhor “Cafunga”, bastante popular na região e conhecido pelos movimentos comunitários, fez uma placa em referência aos 50 anos da instituição.

História

Inaugurada em 1967, a escola leva o nome de uma antiga moradora do bairro Industrial. A homenagem surgiu porque Maria do Amparo era muito caridosa e querida pela população e, principalmente, preocupada com o futuro das crianças da região.

Atualmente, a escola atende 320 estudantes do 7° ao 9° ano. São 33 funcionários empenhados no desenvolvimento e educação da comunidade.

A escola desenvolve projetos extracurriculares como escolinha de futebol e xadrez. Além disso, a comunidade pode usufruir do espaço. Festas, como a folia de reis, são tradição na instituição. “Além de ser referência para a comunidade, a escola busca resgatar e preservar a identidade da comunidade, daí a importância da instituição para todos os moradores”, comentou Fernanda.

Reportagem: Nayara Macedo (sob supervisão de Júlio César Santos)
Foto: Geraldo Tadeu

Dia Nacional da Leitura: data representa o exercício da imaginação

O dia 12 de outubro foi o escolhido para lembrar a todos sobre a importância da leitura.

Nesta quinta-feira (12), é comemorado o Dia Nacional da Leitura. E é de pleno dever que crianças, jovens e adultos nunca percam o hábito de ler. É por meio da leitura que desenvolvemos o senso crítico, aprimoramos o vocabulário, dinamizamos o raciocínio e a interpretação de textos.

Alguns estudiosos explicam que o costume de ler começa na infância. É nessa idade que a vida começa, tudo é novo, e quando entregamos um livro ou revista em quadrinho na mão de uma criança ela adquire a curiosidade de ler o conteúdo apresentado.

Para a bibliotecária da Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, Mary Ângela, ver os alunos entusiasmados com os livros não há preço que pague. “Fico emocionada e me orgulho de poder proporcionar através da leitura momentos de encanto”, destaca Mary.

O secretário Municipal de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves, fala da improtância da leitura para o desenvolvimento dos alunos.

“Certamente é uma ideia feliz fazer coincidir o Dia da Criança com o Dia Nacional da Leitura. Celebrar as crianças e os livros, num mesmo dia, só nos ajuda a fortalecer a convicção da importância que a leitura tem, especialmente a literária, para a formação das pessoas, desde a infância.

A importância da literatura é inconteste. Como arte da palavra e com o seu compromisso com a liberdade, a literatura incide sobre a formação do espírito crítico, fortalecendo a consciência daquilo que somos – nossa identidade cultural -, exprimindo diferentes conteúdos que nos espelham ou questionam, confrontando-nos com nossa existência e suas contradições, com suas riquezas e possibilidades. A literatura mobiliza a imaginação, os sentimentos e as emoções, criando diversas possibilidades de leitura e compreensão do texto e do mundo, além de acionar uma série de conhecimentos daquele que lê. A leitura literária é uma das experiências mais importantes de promoção de intercâmbios com o universo da cultura nas suas infinitas possibilidades.

Nas palavras de Bartolomeu Campos de Queirós, participar da leitura literária é um direito, porque a literatura interroga a vida, a existência, a condição humana e coloca o leitor em diálogo com a fantasia, com o mundo das possibilidades, com suas capacidades de inventar. A literatura, assim, democratiza o poder de criar, recriar, imaginar, romper o limite do provável.

Por sua relevância, a leitura literária, no âmbito da escola, tem assumido uma importância inédita, gerado políticas públicas, pesquisas e debates no campo educacional brasileiro e internacional.

Uma premissa fundamental para o trabalho com a leitura literária na escola é que o professor seja, ele mesmo, um leitor literário. É por meio do seu encantamento com o mundo dos livros, da fantasia e da magia que eles evocam, das possibilidades de interação com o outro que o interroga através da escrita, que o professor poderá despertar, em seus alunos, o desejo de viver essas experiências que a leitura literária promove.

É com base nesses pressupostos, e acreditando no caráter humanizador, cultural, social e histórico da literatura, que a Secretaria Municipal de Educação de Contagem tem investido na política de leitura da rede. Ainda em 2017, todas as escolas e UMEIs receberão um Kit Literário para iniciar a composição de uma biblioteca em cada sala de aula. Os livros serão distribuídos na proporção de um para cada duas crianças ou estudantes. Nosso objetivo é potencializar a formação de nossas crianças e estudantes por meio do desenvolvimento pleno de sua competência leitora na perspectiva literária”.

Joaquim Antônio Gonçalves – Secretário Municipal de Educação

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura