Posts com a Tag ‘Literatura’

Romancista Lino de Albergaria visita escola de Contagem

O autor falou dos clássicos literários e deu dicas aos alunos.

A Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida recebeu o romancista, Lino de Albergaria. O autor teve um bate papo descontraído com os estudantes na biblioteca e arrancou emoções ao citar os clássicos criados por ele.

Aproximadamente 40 alunos dos 6º até os 9º anos, foram selecionados para participar do encontro. A regra para a escolha foi estabelecida pelos professores de acordo com a ficha de cada um na biblioteca. Quem tivesse presença assídua no local, durante o ano letivo, teria lugar garantido no encontro com o escritor. “O encontro de hoje serviu para abrir o conhecimento dos alunos e mostrar o quanto é importante frequentar a biblioteca”, afirma a aluna do 9º ano, Giovana Aguiar Pereira.

Durante o papo, Lino contou um pouco da sua história e de como se tornou um escritor conhecido dentro e fora do país. Falou um pouco da profissão e também dos clássicos: De Paris, com amor; Adeus, escola!; Lia e o sétimo ano. E os recém lançados: Bem-vindos à Casa da Neblina; Na Serra das Lianas; A Ilha do Tempo Perdido e Chá das cinco. “Eu adorei o encontro aqui na biblioteca. O local é provocador no que tange aos livros, ao saber que a mistura das classes, idades e turmas é tão comum aqui na escola, me traz conforto e alegria”, destaca o escritor, Lino de Albergaria.

Para a diretora, Márcia Rocha, o fato de os alunos conhecerem o escritor serviu para provar que no futuro eles serão multiplicadores da leitura. Ela também enfatiza que a presença de escritores nas escolas de Contagem é primordial no desenvolvimento pedagógico dos estudantes. “Eu tenho certeza que essa experiência de hoje dará frutos e acredito também que daqui sairão novos escritores, romancistas e poetas”, explica Rocha.

No final do encontro, Lino deixou uma mensagem para os alunos. Ele disse que os jovens não devem largar o hábito de ler e escrever. “Vamos juntos desvendar os mistérios, aventuras e informações que os livros podem oferecer”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende

Bienal do Livro incentiva a leitura em todas as idades

Evento movimentou o Centro de Memória do Trabalhador.

O Centro de Memória do Trabalhador da Indústria recebeu no último final de semana a 2ª Bienal do Livro de Contagem, maior evento literário da cidade. Promovido pelo Sítio Escola 4 Elementos, teve o apoio da prefeitura.

A programação foi diversificada. Houve palestras, rodas de bate papo, espaço kids e contação de história. Além disso, foi uma grande oportunidade para a aquisição de livros a preços acessíveis.

A servidora pública Viviane Souza saiu de Belo Horizonte com os filhos para visitar a feira e saiu encantada com o evento e com o Centro de Memória do Trabalhador. “Trouxe meus filhos para incentivá-los ao hábito da leitura. Hoje em dia, as crianças quase não leem, ficam muito tempo conectados aos smartphones e aos jogos. Adorei a Bienal e fiquei impressionada com esse espaço, não sabia que Contagem tinha um lugar tão lindo para receber eventos”, disse.

O empresário Junior José Martins, do bairro Inconfidentes, levou a família ao evento para incentivar os filhos para o gosto pela leitura. “Graças a Deus, minha filha mais velha sempre gostou de ler. Vim trazer a Geovana, que tem 5 anos e está aprendendo a ler. Temos que introduzir a literatura dentro de casa, pois ela é importante no desenvolvimento das crianças, ajudando no aprendizado e na formação do caráter”, disse.

Reportagem: Daniel Paiva
Foto: Geraldo Tadeu

Segunda edição da Bienal do Livro promete movimentar Contagem

Com mais de cem atrações confirmadas, evento vai trazer  diversão para todos os públicos

A partir de hoje, Contagem recebe a segunda edição da Bienal do Livro. O evento é realizado no Centro de Memória do Trabalhador da Indústria. Até domingo (24), serão diversas atrações para crianças, jovens, adultos e idosos. O projeto nasceu em 2014 com o objetivo de estimular o interesse pela literatura e possibilitar a comunidade o acesso a todas as atividades culturais.

Promovida pelo Sítio Escola 4 Elementos, com apoio da Prefeitura de Contagem, por meio da Fundação de Cultura do Município (Fundac), a bienal terá uma programação diversificada contendo palestras com autores, rodas de bate papo, espaço kids e um espaço para contadores de histórias.

Os organizadores da bienal, Rafael Mansur e Iara Marcucci, afirmam que este é o maior evento literário que a cidade conhece. Editores, ilustradores, autores e profissionais de todo o Brasil foram convidados. Alguns nomes confirmados para esta edição prometem agitar o público. Entre eles o quadrinista uruguaio Gervásio Troche, que vem à Bienal para falar de seu processo criativo e seus livros “Dibujos Invisibles” e “Bagagem”. Ariane e Jéssica, as meninas da página Indiretas do Bem também marcarão presença para falar sobre o livro “Recados do Bem”. O YouTuber Rodolfo Castrezana, do canal Nerd Rabugento, promete arrastar uma multidão para o seu bate papo.

Tome Nota

Dias 22, 23 e 24 de setembro, das 9 às 20h
Centro de Memória do Trabalhador da Indústria de Contagem
Avenida Marechal Castelo Branco, s/nº, bairro JK, Contagem
Entrada gratuita

Programação

Sábado (23 de Setembro) – Espaço Fogo (Auditório I)

09h20 – Bate Papo com Paula Landucci
10h05 – Dibujos Invisibles, com Gervasio Troche
10h50 – Como é ser mulher e negra hoje? Como a literatura pode ajudar na nossa luta? – Conversando com as meninas do Estaremos Lá.
11h35 – Ditaduras e Homossexualidades, uma conversa com Renan Quinalha.
12h30 – Bate papo com Sandro Ribeiro – Quadrinista da DC Comics e Marvel.
13h05 – O mundo dos quadrinhos – Um bate papo com os quadrinistas Felipe Castilho e Carol Christo.
13h50 – O Conselho Jedi: Conversando sobre o Universo Star Wars.
14h35 – A participação da mulher negra na literatura brasileira, com Stephanie Ribeiro – Mediação: Monique Evelle
15h20 – Gente que espalha amor – Uma conversa com as meninas do Indiretas do Bem, Ariane e Jéssica. 16:50 – A história da Marvel Comics, com Cláudio Diniz.
17h35 – Trans, cadeirante, ativista – Luta e Literatura, com Leandrinha Du Art.
18h20 – As adaptações de quadrinho e o Cinema – Rodolfo Castrezana, o Nerd Rabugento. 19:05 – Livros e Terror – Bate papo com Marcus Barcelos.

Sábado (23 de Setembro) – Espaço Água (Semi Arena)

9h30 – Show Infantil com a companhia Pé de Moleque;
10h05 – Show com Marco Aur 10:50 – Contação de Histórias com Ana Raquel
13h50 – Contação de Histórias com Samuel Medina
16h05 – Contação de Histórias com Alzira Umbelino Programação Domingo (24 de Setembro) Espaço Fogo (Auditório I)
10h05 – O Nerd do Século XXI – Um bate papo com Rodolfo Castrezana, O Nerd Rabugento.
10h50 – Diálogos sobre Adoção, um bate papo com a autora e mãe adotiva Fabiana Nogueira Neves
11h35 – “O verão em que tudo mudou” – Uma roda de conversa com Gabriela Freitas, Vinicius Grossos e Thais Wandrofski.
12h20 – Transformando as cidades em livros, com Felipe Arco.
13h05 – Bate papo com Augusto Alvarenga
13h50 – Cromossomos 21 com o escritor e diretor Alex Duarte
14h35 – Escrevendo sobre o amor: Laura Conrado, Samanta Holtz e Iris Figueiredo.
15h20 – Diálogos sobre adoção: com as escritoras Carmem Lúcia, Luciana Neves e Denise Martins.
16h05 – Todas as formas de amor, bate papo com Ique Carvalho.
16h50 – Anúncio: A III Bienal do Livro de Contagem
17h35 – O mundo das HQs, com o desenhista da Marvel e DC Comics, Rodney Buchemi.

Domingo (24 de Setembro) – Espaço Água (Semi Arena)

10h50 – O Quintal da Guegué
14h35 – Contação de Histórias com Ana Raquel
15h20 – Concurso de Cosplay 16:40 – Oficina para bebês e crianças pequenas
17h30 – Show com Marco Aur

Reportagem: Marcelo Grillo

Escola promove semana dedicada à leitura

Estudantes levaram as páginas dos livros para o palco. 

A Escola Municipal Professora Júlia Kubitschek de Oliveira está em festa. Durante toda a semana os estudantes participam da Jornada Literária. O evento é regado a apresentações culturais e muita leitura. Houve teatro, dança, contação de histórias, concursos de redação e desenho e declamação de poemas.

Na manhã de hoje (21), os estudantes participaram de um café literário. Em meio às quitandas, salgados, sucos e cafés, eles trocaram experiências sobre obras já lidas. “Os alunos estão muito empolgados, e isso fez aumentar o fluxo de visitas na biblioteca”, explicou Vanusa Cristina de Oliveira, auxiliar de biblioteca da escola.

A Jornada Literária foi idealizada pela professora de português, Adraina Baldoin. A ideia é integrar todos os estudantes, independente da idade. Todos os 328 estudantes da educação infantil e do ensino fundamental estão envolvidos.

O evento será encerrado nesta sexta-feira (22). Haverá apresentação de teatro dos estudantes da educação infantil. Eles vão encenar a peça “Bom Dia Todas as Cores”, fábula que conta a história de um camaleão que vivia mudando de cor para agradar aos amigos. A proposta é mostrar que devemos ouvir as pessoas, mas fazer o que o nos deixa feliz.

Após o teatro, haverá uma grande troca de livros. Os estudantes levaram cerca de 500 exemplares para a escola. As obras ficarão expostas e os alunos poderão levá-las para casa. “A troca de livros tem o propósito de fazer o conhecimento girar. O livro que está guardado na estante de um, vai estar nas mãos de outro”, destacou Vanusa.

A Jornada Literária continua no próximo mês, com a premiação dos vencedores dos concursos de redação e desenho.

Reportagem: Júlio César Santos
Fotos: Divulgação

Estudantes trocam experiências literárias em intercâmbio

A visita teve como foco o famigerado clássico literário Correspondências, de Bartolomeu Campos de Queirós.

Estudantes da cidade de Papagaios, no Centro-Oeste de Minas, visitaram Contagem para mais uma fase do projeto “Correspondências”, baseado na obra do escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós. A proposta, criada pela servidora da área de inclusão da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Maria da Conceição de Oliveira, contribue para incentivar o hábito da escrita e da leitura.

Os alunos foram recepcionados por estudantes da Escola Municipal Professora Maria Olintha, na Praça Presidente Tancredo Neves. Três escolas de Papagaios foram selecionadas para visitar o município. A Escola Estadual Jacir Lopes Duarte, Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida e o Educandário Cecília Meirelles, instituição particular, enviaram jovens para o intercâmbio. “O projeto é maravilhoso. Trabalhamos de maneira divergente e temos a certeza que somente a literatura faz nascer o novo na escola”, destaca Rosa Maria Filgueiras, fundadora e secretária-executiva da Associação Cultural Bartolomeu Campos de Queirós.

Após a receptividade, os estudantes foram convidados a participar de uma contação de história no coreto da praça. “É um prazer fazermos parte desse projeto e também por estarmos aqui recepcionando os estudantes. O intercâmbio entre escolas é de extrema importância no que que diz respeito ao aprendizado”, enfatiza Maria de Abreu, professora da Escola Municipal Professora Maria Olintha.

A estudante da cidade de Papagaios, Lívia Pereira Faria, de 10 anos, ressaltou a importância do projeto e como ele mudou a forma de estudo dela. “Eu vejo o projeto como uma nova forma de aprender, acredito que os clássicos do Bartolomeu trazem formas para melhorarmos a escrita e a leitura”, afirmou Lívia.

Quem também gostou da cidade e adorou em fazer parte da comitiva que veio para Contagem foi o aluno Wellington de Almeida Pereira, também de 10 anos. “Estou muito emocionado por visitar Contagem, achei a cidade linda. Fazer parte do projeto é algo bom para todos nós”, explicou.

A secretária-adjunta de Educação, Claudia Caldeira Soares também é uma grande incentivadora do projeto. “Projetos como o que vimos hoje são de extrema importância para o desenvolvimento das crianças e adolescentes de Contagem”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Elaine Castro

Estímulo à leitura na rede municipal por meio da ventriloquia

Meta do projeto executado pelo Santander é atender 1.200 alunos de cinco escolas.

Alunos da Escola Municipal Doutor Sabino Barroso não desgrudaram os olhos da apresentação de ventriloquia. Eles lotaram a quadra da instituição de ensino do bairro Betânia para participar da contação de histórias. O Projeto Escola Brasil (PEB), é promovido pelo Banco Santander, em parceria com a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc).

A contadora e youtuber Bruna Vieira, animou os mais de 100 estudantes que estavam na plateia. Utilizando instrumentos musicais na ventriloquia, contou a fábula “A vaca que botou um ovo”, do autor britânico Andy Cutbill. “Eu adorei o teatro, a mágica da corda, e espero que ela volte para nos com mais histórias”, disse a aluna Alice Cunha Pereira.

A meta é levar o projeto para cinco escolas de Contagem. “É a primeira vez que trazemos esse projeto para a cidade. Queremos incentivar os alunos o hábito de ler e escrever, para a sensação de satisfação plena”, destaca Wingryd Abjaudi, representante do Santander.

Além das apresentações, o projeto contempla as escolas com obras literárias. Segundo Wingryd, além da Doutor Sabino Barroso, outras escolas municipais de Contagem, como Dona Babita Camargos, Eli Horta Costa, José Lucas Filho e Estudante Leonardo Sadra também receberão títulos. Serão cerca de 30 livros para cada instituição.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende

 

Estudantes de Contagem participam do Salão do Livro Infantil e Juvenil de MG

Participantes podem conhecer os lançamentos, conversar com autores e participar de atividades culturais.

Sessenta estudantes da Escola Municipal Machado de Assis visitaram o Salão do Livro Infantil e Juvenil do Estado de Minas Gerais. As crianças e adolescentes tiveram a oportunidade de conhecer os estandes com as variedades literárias e os lançamentos que prometem fazer os leitores se emocionarem. Além do passeio pelos corredores, repletos de obras, os participantes puderam conversar com autores, ouvir histórias e assistir peças teatrais. A estudante Maria Eduarda Pereira, de 11 anos, ficou encantada. “Os livros te levam para vários lugares. É muito interessante”, destacou.

A terceira edição do evento é realizada no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, em Belo Horizonte e até o fim de semana deve ser visitada por 100 mil pessoas. Duzentas editoras participam do Salão. De acordo com os organizadores, o objetivo é aproximar o público infantil e juvenil e da literatura e dos autores. A bibliotecária da escola Machado de Assis, Lucy Oliveira, participou de diversas atividades com os estudantes. “Trazer os pequenos para viver esse momento é muito gratificante”, exclamou Lucy.

Para visitar o Salão do Livro, os estudantes do Machado de Assis passaram por uma seleção. O diretor da escola definiu que os alunos que mais frequentaram a biblioteca esse ano seriam contemplados com o passeio “Quando promovemos o incentivo à leitura, a gente percebe que o movimento na biblioteca aumenta e nossos alunos se tornam mais produtivos”, explicou Ilton César Vieira.

O Salão do Livro Infantil e Juvenil de Minas Gerais vai até domingo (20). O Parque Municipal Américo Renné Giannetti fica na avenida Afonso Pena, 1377, centro, Belo Horizonte. O Salão funciona de quarta à sexta de 8h30 às 20h, sábado e domingo de 9h às 20h. A entrada é gratuita. Mais informações no site do evento ou pelo telefone 3241-2177.

Reportagem: Júlio César Santos
Fotos: Divulgação

Troca de livros literários agita escola de Contagem

Ação tem o objetivo incentivar o hábito da leitura.

A mesa montada no centro da sala estava repleta de livros. Todos a disposição de pais e estudantes. O evento, intitulado “Escambo Cultural” foi realizado pela Escola Municipal Machado de Assis. Durante um mês, os participantes entregaram livros na escola. Para cada exemplar, a pessoa recebia uma ficha. No dia do evento, os convidados puderam trocar os tickets por obras literárias.

O escambo foi idealizado pela bibliotecária da Escola Municipal Machado de Assis, Lucy Fernandes. Tem a proposta de fazer com que os livros que já foram lidos cheguem às outras pessoas. “O conhecimento tem que circular. Aquele livro que deixou de ser novidade para um é uma boa pedida para o outro”, destaca o diretor da escola, Ilton César Vieira.

Dezessete turmas da escola participaram do evento. Os exemplares foram separados por categorias. Havia um espaço para pais e professores e outro apenas para os alunos. Segundo a direção da escola, cerca de 800 livros foram trocados. A interação agradou tantos os participantes que o diretor já prepara um próximo encontro. “Essa ação faz com que os estudantes leem mais. Ver um colega entregar um livro para o escambo desperta a vontade de participar”, finaliza.

Reportagem: Júlio César Santos
Fotos: Divulgação

Aprendizado e muita descontração em roda de poesia

Ação faz com que estudantes tomem gosto pela leitura.

Fim de tarde, chá, biscoitos e muita poesia. Parece um encontro de amigos mas é uma atividade da Escola Municipal Maria do Amparo. Uma vez por ano, os estudantes afastam as carteiras, fazem uma roda na sala para recitar e ouvir poemas e poesias. O projeto, intitulado “Chá com Leitura” foi idealizado pelo professor de ensino religioso, Marcos Antônio da Cruz e tem o objetivo de aproximar os alunos da literatura. “Gosto de ressaltar os valores e os sentimentos na minha disciplina. Procuro fazer com que os alunos tenham essas percepções que devem ser aplicadas no dia a dia.”, destacou Marcos.

Os temas são livres. Entre um biscoito e um chá, que ficam disponibilizados no canto da sala, um estudante levanta, vai até o centro da sala e faz a leitura. Em seguida começa a roda de debates. Todos podem opinar sobre os textos. O projeto promove uma grande interação. Além dos estudantes, professores e até os pais entram na roda. “Com o projeto comecei a ter o hábito de ler e a minha escrita melhorou. Acredito que iniciativas como essas podem nos transformar e nos fazer crescer”, ressaltou o estudante John Vitor dos Santos Reis.

Noventa alunos do 7º ano participaram do “Chá com Leitura”. A interação é grande. Em determinados momentos são formadas duplas e cada particpante pode ouvir um poema de forma exclusiva. São utilizados canos de pvc coloridos que são colocados sobre os ouvidos do colega. A atitude é chamada de “cochicho poético”. Assessora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação Cleire Cristina Pinto Silva foi uma das convidadas e aprovou a experiência. “A sensação de interagir com os estudantes é muito boa. Aproximar alunos e professores é maravilhoso, ainda mais com projetos que incentivam o hábito de ler”, explicou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende

Contação de história leva diversão, leitura e combate ao medo

Alunos ficaram encantados com a forma teatral apresentada pelo projeto “Trilhas da História”

O Cemei Darcy Ribeiro, situado no Vargem das Flores, recebeu na última terça-feira (16) o projeto “Trilhas da História”, onde houve contações de histórias aos alunos de 3 a 5 anos. O programa é ligado à Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e tem como objetivo levar aos estudantes acesso diferenciado à literatura, contribuindo para o hábito de ler. O tema abordado na contação foi a lenda folclórica brasileira “Tutu Marambá”. A fantasia em formato de teatro serviu também para mostrar aos estudantes que não se deve ter medo em situações na vida.

Oriunda do nordeste brasileiro, a história do Tutu Marambá é uma cantiga popular também usada como história infantil. Em alguns casos é contada de forma “aterrorizante” para aqueles que não querem dormir. “Por meio dessa história conseguimos trabalhar o medo das crianças. O nosso objetivo é mostrar que a lenda é divertida e que não precisam temer. Queremos torná-las conscientes no combate ao medo”, explica Izabel Cristina Rocha, arte-educadora.

Os 125 alunos presentes deram boas gargalhadas e mostraram-se animados com a peça. Quem se divertiu com a história e está ansioso em poder ler um pouco sobre o tutu foi o aluno Arthur Guilherme de Souza. “Eu gostei muito da forma como a contadora brincou com a gente. Eu fiquei feliz em conhecer a história e vou ler o livro”, destaca.

A proposta da Seduc é executar o projeto em todas as escolas da rede. As contações de histórias são às terças, quartas e quintas-feiras. Os diretores devem solicitar a visita na Seduc. Os temas são selecionados pela equipe do Programa de Leitura. “A contação é uma vivência diferente na vida deles. O bairro é situado numa região carente, quando trazemos o pessoal da Seduc pensamos como o entretenimento pode levar felicidade e aprendizado aos alunos”, finaliza a diretora Sandra Aparecida Silva.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende