Posts com a Tag ‘Inclusão’

Educação inclusiva é tema de roda de conversa na Semana da Pessoa com Deficiência

Representantes falaram sobre as conquistas, avanços, desafios, ações efetivas e as novas perspectivas da educação inclusiva

Representantes de cidades da Região Metropolitana participaram de uma roda de conversa sobre a inclusão de pessoas com deficiência no ensino. O bate papo aconteceu no Centro de Inclusão Antônio Carlos Lemos, no Eldorado. Os participantes falaram sobre as conquistas, avanços, desafios, ações efetivas e as novas perspectivas da educação inclusiva de sua cidade.

“Conseguimos reunir pessoas de várias cidades para uma troca de experiências e ter um momento de reflexão. Foi um evento de crescimento para todos. A Prefeitura de Contagem tem investido e avançado em uma educação inclusiva e de qualidade para todos, por essa ser uma determinação do governo Alex de Freitas.”, disse o secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Marcelo Lino.

A roda de conversa foi formada pela mediadora dra. Ângela Matilde, por Ludmilla Screpuchk, representando a Secretaria Municipal de Educação; Elielton Augusto, representando a Secretaria de Educação de Ibirité; Patrícia Cunha, com a Secretaria de Educação de Belo Horizonte; Luciane Dias, do Centro de Referência e Apoio à Educação Inclusiva Rafael Veneroso de Betim; Maria Suely, representando a Escola Municipal Eva Fernandes da cidade de Sarzedo; e Sara Camilo, da Escola Particular Querubim de Contagem.

Cada representante falou um pouco sobre a educação inclusiva em seu município. Ludmilla Screpuchk iniciou a roda de conversa. “É muito importante a parceria da família com a escola. Esse elo é fundamental, não somente no acompanhamento na vida escolar, mas, principalmente, para construção de caminhos, alternativos e políticas que possam efetivamente garantir atendimento de qualidade, não só na educação, mas em todas as políticas como na saúde, assistência, direitos humanos, entre outras”, enfatizou.

Patrícia Cunha, da Secretaria de Educação de Belo Horizonte, disse que “se não fossem os movimentos sociais, nós não teríamos hoje a oportunidade de implementar e acreditar nas políticas que atendam a todas essas pessoas com deficiência.  Também acredito que nem teríamos as oportunidades de fazer os progressos que podemos fazer na educação”, complementou.

Ao final do evento, o público pôde acompanhar a apresentação musical do grupo de alunos com deficiência do Centro de Inclusão Antônio Carlos Lemos.

Reportagem e foto: Raquel Lopes
Publicação: 20/09/2018

 

Seduc firma nova parceria e aumenta o número de Atendimento Educacional Especializado

Atendimento é ampliado aos estudantes de Creches Conveniadas e EJA

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e o Centro de Atendimento e Inclusão Social (CAIS) assinaram um convênio que vai beneficiar estudantes das Creches Conveniadas e a Educação de Jovens e Adultos (EJA), no que tange a educação inclusiva no município.

O convênio propõe complementar o serviço de Atendimento Educacional Especializado, que a Seduc já oferta nas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) e Escolas Municipais. A instituição tem capacidade para atender 50 estudantes das Creches Conveniadas e 50 da EJA, de todas as regiões.

A assinatura foi realizada na tarde dessa terça-feira (18) da sede do CAIS, no bairro Água Branca. O prefeito, Alex de Freitas, a secretária de Educação, Sueli Baliza, o secretário de saúde, Cléber Faria e o secretário de Direitos Humanos e Cidadania, Marcelo Lino estiveram no local. O formato de atendimento com o CAIS havia sido interrompido há três anos e retoma na atual gestão. “Hoje, eu como o prefeito da cidade, tenho o privilégio de resgatar o convênio com o CAIS. Estou muito feliz, já que nossos estudantes merecem um suporte e atendimento dignos”, destaca o Prefeito, Alex de Freitas.

Com o investimento de R$ 360 mil ao ano, o trabalho vem para somar na vida das crianças e adultos que necessitam de atendimento terapêutico e pedagógico, específicos para o desenvolvimento físico e intelectual. Os profissionais irão trabalhar com técnicas que promovam a inserção do indivíduo no contexto social e na vida escolar.

Para se ter uma ideia, os estudantes que possuem o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Deficiência Intelectual serão atendidos, por pelo menos, duas vezes na semana. “Sabemos que o CAIS é uma instituição séria e de prestígio. Acredito que na inclusão devemos saber conviver com todos e não somente saber lidar”, enfatiza a secretária municipal de Educação, Sueli Baliza.

Pensando também na formação dos estudantes da EJA para o mercado de trabalho, a instituição desenvolve metodologias que implicam em um novo olhar sobre o desempenho profissional da pessoa com deficiência. “A inserção no mercado de trabalho é também uma das nossas pautas e será um ganho na vida desses estudantes. Sabemos que existem cotas nas empresas para as pessoas com deficiência e nesse sentido, o CAIS promove ações que preparam esse aluno para concorrer a uma vaga de emprego”, analisa a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias da Seduc, Ludmilla Soares.

O Atendimento Educacional Especializado irá contemplar os estudantes que estão dentro dos critérios estabelecidos pelo o CAIS e a Seduc. “Quanto mais cedo fizermos o Atendimento Educacional Especializado (AEE), melhores são os resultados”, finalizou a superintendente do CAIS, Cristina Abranches Mota Batista.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Pubicação: 19/09/2018

Seduc firma parceria com CAIS e amplia Atendimento Educacional Especializado

Piquenique Inclusivo marca o segundo dia da Semana da Pessoa com Deficiência

O Piquenique foi organizado pelo projeto Circuito Inclusão e pelo Centro de Inclusão Antônio Carlos Lemos

Dezenas de pessoas participaram de mais um evento que integra a Semana da Pessoa com Deficiência. Em seu segundo dia, pessoas com deficiência, familiares e servidores participaram do II Piquenique que aconteceu na manhã deste terça-feira (18), no Parque Ecológico de Contagem, no bairro Eldorado.

O Piquenique foi organizado pelo projeto Circuito Inclusão e pelo Centro de Inclusão Antônio Carlos Lemos, com o apoio da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Segundo a coordenadora do Centro, Sebastiana Rangel, a ideia do piquenique é para que as pessoas com deficiência ocupem o parque e apreciem as apresentações de outros. “Esta semana é muito importante para a conscientização da sociedade. É necessário que se compreenda que as pessoas com deficiências não têm que se adaptar a sociedade e nem aos espaços. São os espaços e a sociedade que tem q se adequar para recebê-los”, disse.

Durante o evento, dois contadores de história deixaram o público bem animado com alguns contos e músicas. As pessoas presentes também apreciaram a roda de capoeira e percussão das pessoas com deficiência do Antônio Carlos Lemos, além do Teatro da equipe da Secretaria de Saúde.

“Quando você proporciona a essas pessoas de fazer um dia diferente, e vivenciar um outro sentimento e momento, é sensacional. É uma alegria imensa os ver brincando, se divertindo. Vê-los assim, fora das quatro paredes de uma escola, uma clínica, abre horizontes”, disse a coordenadora do Circuito Inclusão, Débora Batista. Segundo ela, o projeto tem um ano e busca levar lazer e atividades às pessoas com deficiência.

Para Neuza Rocha, mãe de um rapaz de 37 anos com paralisia cerebral, a Semana da Pessoa com Deficiência é primordial tanto para a família, quanto para a pessoa com deficiência e para a sociedade. “Todos os anos nós participamos. É muito importante esses momentos porque os meninos têm como mostrar o que fazem durante todo ano e pra eles também é importante. Eles se sentem bem no meio de pessoas que são iguais a eles. Meu filho fica muito feliz com os eventos”, disse. Segundo ela, também é importante para conscientizar a população sobre o assunto.

A 10º Semana da Pessoa com Deficiência acontece entre os dias 17 e 22 de setembro. O evento faz parte do calendário do município e tem como um dos objetivos conscientizar a população sobre o assunto e também reivindicar novos avanços nas políticas públicas para as pessoas com deficiência, sejam elas pessoas com diferentes níveis de limitação física, sensorial (ouvir ou enxergar) e cognitiva (mental).

Reportagem e foto: Raquel Lopes
Publicação: 18/09/2018

Inclusão é destaque na revitalização da Escola Municipal Heitor Villa Lobos

As intervenções iniciadas em novembro de 2017 têm previsão de término até o fim de outubro deste ano

A Escola Municipal Heitor Villa Lobos está sendo totalmente revitalizada e a pintura no piso é destaque por permitir inclusão aos alunos com deficiência. As intervenções iniciadas em novembro de 2017 têm previsão de término até o fim de outubro deste ano.

A escola inaugurada em 1992 atende mais de 760 alunos, da Regional Industrial, com a faixa etária entre 6 e 15 anos. Estão sendo feitas melhorias em toda a edificação, pintura de paredes em acabamento acrílico e barrados em acabamento esmalte, pintura de portas, janelas, guarda-corpos, corrimãos, muros, passeios, tetos e pisos do pátio. A restauração está sendo feita de acordo com as diretrizes do memorial descritivo elaborado para o projeto de pintura escolares da cidade, o modelo de pintura foi definido por votação, com participação dos funcionários, alunos e também da comunidade, dentro das quatro possibilidades de pintura existentes.

O engenheiro da Semobs, Thiago Leite, ressalta a necessidade de observar as particularidades de cada escola. “Com o intuito de criar uma integração entre os alunos com deficiência e os demais alunos, foi elaborada uma pintura remetendo a uma via urbana, com faixas de pedestres e de circulação. A proposta surgiu após conversa com o diretor da unidade, e em conjunto com a fiscalização foi definido o modelo de pintura”.

O engenheiro explica ainda como foi possível implantar a proposta de pintura voltada para a inclusão. “A existência do item pintura modular na planilha contratual permitiu que o trabalho fosse desenvolvido sem burocracias. A revitalização de pintura das escolas são de extrema importância para a renovação do ambiente. Isso incentiva a integração escolar e proporciona um ambiente harmonioso e agradável”, justifica.

Para o diretor da escola, Rogério José Lopes, a possibilidade de implantar uma pintura inclusiva é uma inovação humanizada da gestão. “A escola está sendo totalmente revitalizada, isso é um fator extremamente importante para os alunos e funcionários. Estar em um ambiente apropriado e limpo contribui para a melhora na qualidade do ensino e estimula o aprendizado. É preciso ressaltar também que a Semobs se sensibilizou e atendeu de prontidão ao nosso pedido de fazer uma pintura que auxiliasse na integração de todos. É fundamental que a gestão esteja atenta e encontre uma forma de contribuir para que as crianças com deficiência tenham acessibilidade e também possam brincar durante o intervalo”, destaca.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Elaine Castro
Publicação: 10/09/2018

1º Piquenique Inclusão Solidária é realizado em Contagem

Atividades serão promovidas com o objetivo de levar lazer às pessoas com deficiência em Contagem

Neste domingo (20), a partir das 8h30, acontece o 1º Piquenique do Circuito Inclusão Solidária, no Parque Ecológico Thiago Rodrigues, na rua Paineiras, 1722, bairro Eldorado. O piquenique é uma iniciativa da fundadora do circuito, Débora Batista, e conta com o apoio da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, e outras instituições.

A proposta do 1º Piquenique é levar diversão e entretenimento às crianças e jovens com deficiência. Para isso, serão disponibilizadas diversas atividades, dentre elas, brincadeiras, contação de histórias, capoeira, tambor, jornal inclusivo e seção de fotos com as mães. Embora o público-alvo sejam as crianças com deficiência, pessoas de qualquer idade podem participar, explica fundadora do projeto. “Nosso objetivo é fazer a inclusão e a integração das famílias, proporcionado aos participantes um dia agradável e descontraído no parque”.

Além das brincadeiras, o Circuito Inclusão Solidário vai contar com intérprete de LIBRAS e um núcleo sensorial composto por fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e nutricionista materno-infantil. Os profissionais estarão no local compartilhado dicas e informações voltadas, principalmente, para o público-alvo do piquenique.

No parque também será montada uma grande mesa de café da manhã. É importante que cada família leve um lanche para ser partilhado. A previsão é que o evento dure até às 12h. Para o secretário Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Marcelo Lino, apoiar eventos simples e engrandecedores como este é um compromisso do município. “Sabemos que quando o poder público caminha, lado a lado, com a sociedade civil, a humanidade tende a evoluir. Precisamos conhecer as necessidades para propor políticas públicas eficientes que, inclusive, levem em conta a inclusão social”, ressaltou Lino.

Reportagem: Carol Cunha
Arte: Divulgação
Publicação: 17/05/2018

Instrutor desenvolve metodologia de inclusão em Umei de Contagem

Ações têm o objetivo de proporcionar maior interação entre estudantes

Gladson Bueno é deficiente auditivo e instrutor na Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Nova Contagem. O profissional é responsável por acompanhar um garotinho, de 5 anos, que também possui deficiência auditiva. Gladson utiliza a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS para auxiliar o estudante no aprendizado.

O que tem chamado a atenção é que Gladson passou a ensinar a todas as crianças como se comunicar com surdos. De personalidade alegre e contagiante, Gladson consegue atrair a atenção de todas as crianças e dessa forma mostra que as limitações não são barreiras para o convício social.

A escola possui 156 estudantes, de 4 e 5 anos. Durante o recreio e também em eventos o instrutor faz questão de ensinar as diversas possibilidades de comunicação. “As pessoas não vivem sozinhas, elas vivem em comunidade. E para sermos cidadãos, devemos aceitar a inclusão em nossas vidas cotidianas. Os nossos estudantes, por serem de uma faixa etária menor, estão aceitando e compreendendo o quanto é importante a inclusão no ambiente escolar”, destacou a pedagoga, Ivete Alves dos Santos.

O trabalho já tem gerado frutos, tanto que o estudante, portador de deficiência, que é monitorado por Gladson, passou a se socializar mais com os outros coleguinhas e a ter um maior desempenho em sala de aula. “O Maxwell sempre foi um aluno mais tímido, a partir desse trabalho ele se tornou mais comunicativo”, explica a professora de Atendimento Educacional Especializado (AEE), Luciene Fonseca da Silva.

Para Gladson, ser um profissional de LIBRAS na escola, é estar preocupado com o bem-estar dos estudantes e ajudar a desenvolver o método de comunicação. “Acredito que devemos transpor todo tipo de barreira que impede a comunicação. Gosto de participar do dia a dia dos estudantes e contribuir para a evolução educacional e pessoal”, destaca.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende
Publicação: 06/04/2018

Novos estagiários para o atendimento a estudantes com deficiência

A previsão é que os novos contratados estejam nas escolas na próxima semana

A Secretaria Municipal de Educação deu início ao processo de contratação de 150 novos estagiários que vão atender os estudantes com deficiência da rede municipal de ensino. Os candidatos se inscreveram por meio por meio do programa de estágios da Prefeitura.

Os estagiários têm a função de auxiliar os estudantes na comunicação, locomoção, alimentação e higiene, dentro e fora da sala de aula. “A presença do estagiário serve para auxiliar na autonomia do estudante a desenvolver as atividades propostas para a classe. Ele é peça fundamental no auxílio ao estudante e ao professor”, explicou a pedagoga de apoio da Inclusão, Evanir Andrade.

Atualmente, o município possui 380 estagiários. As novas contratações vão possibilitar um atendimento mais qualificado e eficiente aos estudantes com deficiência. Estão sendo convocados os candidatos que cursam e pedagogia e que se inscreveram no portal da Prefeitura entre 26 de setembro de 2017 à 21 de fevereiro de 2018 e os granduandos de educação física, que fizeram o cadastro entre 2 de janeiro de 2017 e 11 de setembro.

A previsão é que os novos contratados já estejam nas escolas na próxima semana. A filha da dona de casa Mariana Silvério tem paralisia cerebral. A criança, de 3 anos é acompanhada por uma estagiária. Para a mãe, a presença da acompanhante em sala é sinônimo de tranquilidade. “Esse acompanhamento faz com que minha filha receba os cuidados que ela necessita. Fico aliviada em saber que durante todo o tempo em que ela está na escola tem alguém disponível para acompanhar os passos dela”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Newton de Castro Resende
Publicação: 02/03/2018

Cuidadores se preparam para o início do ano letivo

Grupo aprende de maneira teórica e prática as formas de auxiliar no aprendizado de deficientes auditivos

O período é de férias para os estudantes, já para os cuidadores, janeiro é sinônimo de aprendizagem. Setenta e oito profissionais, responsáveis por auxiliar os alunos com deficiência auditiva da rede, passam por cursos de capacitação. Durante a semana eles participaram de palestras. A ação foi realizada pelo Departamento de Inclusão da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), em parceria com a Associação dos Surdos de Contagem (ASC).

O módulo propôs aprofundar a discussão sobre a inclusão escolar nas esferas da sociedade. Os cuidadores também receberam dicas de como desempenhar as funções dentro e fora da sala de aula e ainda puderam conhecer as diversas necessidades dos estudantes de inclusão. “Os cuidadores são comprometidos com a causa e esse interesse é essencial para o bom desenvolvimento do trabalho”, destacou a intérprete de LIBRAS, Bianca dos Santos Souza.

Um dos palestrantes,  o coordenador de Políticas para a Pessoa com Deficiência de Contagem, Marcelo Lino, abordou que o cuidador deve observar as habilidades e capacidade de aprendizagem dos estudantes. “É importante descobrirmos o potencial de cada um. Devemos trabalhar com a linha de humanização”, enfatizou Marcelo.

O cilo de palestras termina nesta sexta-feira (26). Além da teoria, os cuidadores absorvem conteúdos práticos. Aulas de primeiros socorros e LIBRAS estão inseridas na programação. “É fundamental termos esses cursos para conhecermos novas técnicas e também aprimorarmos as nossas habilidades”, finalizou a cuidadora, Maria Helena Martins Silva.

Reportagem e fotos: Leonardo Melo
Publicação: 25/01/2018

Seduc promove workshop sobre inclusão nas escolas

Cerca de 200 profissionais estiveram presentes na PUC Contagem.

O setor de Inclusão, da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), promoveu na última sexta-feira (24), workshop voltado para estudos de casos de alunos atendidos nas Salas de Recursos Multifuncionais e no Atendimento Educacional Especializado (AEE). O encontro aconteceu no auditório da Pontifícia Universidade Católica (PUC) Contagem.

O evento visou aprofundar a discussão no que diz respeito à inclusão escolar e as demais esferas da sociedade. Foram apresentados exemplos de casos com alunos de algumas escolas do município, o que serviu para ilustrar a real intenção da Seduc em estar à disposição para tudo que diz respeito aos alunos com deficiência. “O encontro serviu para mostrar quanto é importante as políticas sociais. Penso que devemos trabalhar forte para incluir as nossas crianças, jovens e adultos nas escolas contagenses”, destacou o chefe de gabinete do prefeito, Sérgio Mendes.

A condução do curso foi feita pelas professoras do AEE. Cerca de 200 estagiários, cuidadores, pedagogos, intérpretes e instrutores que trabalham com estudantes da inclusão da rede municipal de ensino estiveram presentes. “Eventos assim mostram a diversidade e a forma como devemos levar a informação para dentro e fora das escolas. O contato com as famílias é primordial para o desenvolvimento e progresso do aluno”, explicou a instrutora de Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), Danubia Mendes.

Atualmente, Contagem, conta com 1.300 estudantes com deficiência. Eles são assistidos por meio dos AEE, que ocorre nas salas de recursos multifuncionais e no AEE Móvel, que são promovidos nos Centros de Educação Infantil (Cemeis). Os professores se deslocam até as unidades de ensino destinadas às crianças para fazer o atendimento específico. São elaborados planos de trabalho para atender às necessidades de cada estudante, objetivando o ensino e fortalecendo a aprendizagem e a autonomia dos mesmos.
A prefeitura também disponibiliza auxiliares de apoio que ajudam na alimentação, locomoção, higienização e comunicação. “A preocupação da Seduc é oferecer atividades nas perspectivas de cuidar e desenvolver ações com as professoras de AEE e toda equipe. Vamos fazer um trabalho qualificado nos trabalhos de inclusão ao ensino”, finalizou a secretária adjunta de Educação, Cláudia Caldeira Soares.

Reportagem e fotos: Leonardo Melo