Posts com a Tag ‘estudantes’

Quadrilha da inclusão e da celebração das diferenças

CAEE Antônio Carlos Lemos promove sua festa junina.

Em meio a uma bonita área verde e de muita animação, no sábado (7) à tarde, o Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE) Antônio Carlos Lemos promoveu sua tradicional festa junina. Pessoas atendidas pela instituição, de todas as idades e com diferentes tipos de necessidades especiais, funcionários, familiares e a comunidade em geral participaram da bonita festa e lotaram a quadra da instituição.

Para que o festejo fosse possível, os preparativos começaram um mês antes, relata a coordenadora do CAEE Antônio Carlos Lemos, Sebastiana Rangel. “Todas as pessoas que trabalham aqui se envolveram de alguma forma na preparação da festa. Recebemos também doações de parceiros e fizemos, ainda, gincanas para arrecadar prendas. O objetivo da festa é o de criar mais uma oportunidades de lazer e convivência para os alunos e seus familiares e a comunidade em geral”, frisa a coordenadora.

De acordo com Sebastiana Rangel, a instituição oferta oficinas e atendimento educacional especializado a alunos com necessidades especiais no contraturno de suas atividades escolares e, também, a pessoas com necessidades especiais que já saíram a escola: para todos esses públicos, o CAEE é uma referência. Atualmente, o CAEE atende a um total de 127 pessoas, de todas as faixas etárias.

Samuel Vinicius da Costa, 23 anos, portador da síndrome de down, é uma das pessoas que já não frequentam mais a escolar e que seguem em atendimento no Antônio Carlos Lemos. Samuel concluiu o ensino médio na Funec no ano passado, mas segue participando das oficinas ofertadas na instituição. “O Samuel está aqui desde o ano 2000 e nunca saiu. Em agosto, completam-se 18 anos de muito aprendizado e convivência no Antônio Carlos Lemos”, testemunha a mãe de Samuel, Maria das Graças Chaves da Costa.

Elizabeth Vasconcelos, mãe de uma das pessoas atendidas no CAEE, comenta sobre a importância do local. “Nós vivemos pelos nossos filhos. É aqui que temos nossas amizades e nossa convivência social. Em férias prolongadas, eles chegam até a adoecer, de tanta falta que eles sentem daqui”, diz Elizabeth, mãe de Izabela. Sebatiana Rangel completa, argumentando que o CAEE é um importante lócus de inclusão educacional e social. “Mesmo que já não frequentem mais a escola, as pessoas com necessidades especiais precisam estar em processo contínuo de aprendizagem. Aqui, elas têm essa oportunidade”, esclarece a coordenadora.

O secretário de Direitos Humanos e Cidadania de Contagem, Marcelo Lino, foi uma das centenas de pessoas que prestigiou a festança e passou pelo local ao longo da tarde. Para ele, o CAEE fortalece o processo de inclusão da pessoa com deficiência. “Esse é um importante espaço de fortalecimento do processo de inclusão de pessoas com deficiência no município, tanto do ponto de vista individual quanto em termos de convivência social. Nosso prefeito Alex de Freitas está atendo a isso. A gestão vem incentivando esse processo de inclusão”, afirma o secretário.

Reportagem: Carolina Brauer
Foto: Elias Ramos
Publicação: 11/07/2018

Estudantes de Contagem produzem livro literário

Obra faz parte de um projeto para desenvolver a leitura e escrita.

A Escola Municipal Cândida Rosa do Espírito Santo, da Regional Industrial, tem como premissa incentivar a prática da leitura e escrita. A instituição desenvolve diversos projetos literários voltados para os estudantes da educação infantil e ensino fundamental.

Um dos projetos chamou a atenção. A auxiliar de biblioteca, Gessiely Souza Silva, junto com a equipe pedagógica, prepararam a criação de um livro colaborativo. A obra foi desenvolvida por estudantes de uma sala do 5º ano. O objetivo foi trabalhar o senso crítico, leitura, escrita, percepção de vida e a criatividade.

A narrativa foi baseada no contexto da obra “A Pequena Vendedora de Fósforos”, do escritor e poeta dinamarquês, Hans Christian Andersen. Os estudantes tiveram a missão de transformar a história em um contexto social que precisa ser solucionado. Eles criaram o roteiro do “O Pequeno Catador de Lixo”. A obra relata as mazelas vividas por uma parcela da população nos grandes centros.

Os estudantes foram desenvolvendo o enredo, construindo os textos e as ilustrações. “O mais incrível foi colocar o aluno como ator do processo. A importância que teve esse livro no dia de seu lançamento foi grande e pude perceber que durante o processo de criação eles mostraram um grande potencial organizacional, escrita, leitura e criatividades nos desenhos”, afirmou Gessiely Souza.

O livro foi editado e hoje ocupa um das prateleiras da biblioteca da escola. “O legado que ficou vai render novos frutos. O resultado foi gratificante e proporcionou bastante experiência aos estudantes em relação à escrita e à leitura”, destacou a diretora da escola, Renata Carla Diniz.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 10/07/2018

Projeto Cidade Verde promove plantio na Umei Estrela Dalva

Objetivo é plantar 100 mil árvores até o final de 2020.

Dando continuidade às ações de plantio de mudas nas escolas municipais, a equipe de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), promoveu evento, que levou arte, cultura e informações ambientais, na Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Estrela Dalva, no bairro Arvoredo II.

A ação coincidiu com o aniversário de sete anos da escola e contou com a participação da comunidade. Os pais dos alunos, por exemplo, se reuniram às equipes da Semad e do Programa de Recuperação e Desenvolvimento Ambiental da Bacia da Pampulha (Propam), entidade parceira, para fazer o plantio de 11 mudas. Além disso, houve apresentação musical e cultural a cargo do arte-educador Geraldo Amâncio, do “Zé Capivara”- mascote do Propam, e oficinas de bilboquê para as crianças e de gravura e pintura utilizando material reciclável como recurso didático para os professores e comunidade.

A diretora da escola, Adriana de Cássia Marinho Santos, ficou bastante satisfeita com as atividades. “Nós da escola e toda comunidade (crianças e pais) ficamos surpreendidos com a qualidade do trabalho de nossos parceiros, e agradecemos a todos”, disse.

O evento ocorreu em dois períodos, contemplando os dois turnos da escola. Essas ações fazem parte do Projeto Cidade Verde, que pretende plantar cem mil árvores em toda a cidade até o final de 2020.

Reportagem: Túlio Andrade
Foto: Divulgação
Publicação: 15/05/2018

Programa Educação Conectada leva tecnologia para alunos da rede pública

Em Contagem, 40 escolas municipais estão sendo analisadas pelo Ministério da Educação (MEC).

No final de abril o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e o Ministério da Educação (MEC) promoveram, no Rio de Janeiro, uma chamada pública para apoiar projetos de incorporação de tecnologias digitais na educação pública do programa Educação Conectada. E mais de 40 escolas municipais de Contagem já estão sendo analisadas pelo MEC para aderirem ao programa.

O objetivo é fomentar o uso da tecnologia como ferramenta pedagógica nas escolas públicas de educação básica. Serão testados modelos e casos de aprendizado nas diferentes realidades das cidades brasileiras, por meio de uma oferta balanceada de conexão à internet, conteúdos educacionais digitais e formação de professores. A qualidade da internet que chega até as escolas será monitorada por meio de parceria com o Comitê Gestor da Internet (CGI).

O evento foi a primeira ação estruturada do BNDES no Programa de Inovação Educação Conectada, com a presença de representantes de empresas privadas que incentivarão o programa e do ministro da Educação, Rossieli Soares, que falou sobre o funcionamento do programa e explicou que a proposta vai contemplar todas as etapas da educação básica, da educação infantil até o ensino médio. A intenção é que até 2024 todas as escolas públicas estejam conectadas.

A assessora educacional de Contagem, Jacqueline Coelho, participou do evento e afirmou que o programa incentiva o bom uso da tecnologia. “O incentivo ao uso da tecnologia na sala de aula é importante porque desperta o interesse ao aprendizado. Por isso é fundamental que o professor esteja preparado para desenvolver atividades didáticas tecnológicas para melhorar a qualidade de ensino”, ressalta.

A adesão das secretarias é voluntária e será disponibilizada a todas as redes de educação básica municipais, estaduais e do Distrito Federal. Para participar integralmente das ações do programa, as secretarias deverão fazer adesão em instrumento próprio a ser disponibilizado pelo MEC, no módulo Educação Conectada do Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec).

As ações desenvolvidas serão organizadas em quatro dimensões:

Visão: A dimensão de visão é orientadora do programa e deve estimular o planejamento da inovação e tecnologia como elementos transformadores da educação, promovendo valores como qualidade, contemporaneidade, melhoria de gestão e equidade.

Formação: Ofertará formação continuada a professores, gestores e articuladores. E, para incluir o componente tecnológico na formação inicial, articulará com instituições de ensino superior.

Recursos Educacionais Digitais: Acesso a recursos educacionais digitais e incentivo a aquisição e a socialização de recursos entre as redes de ensino.

Infraestrutura: Investimentos para a ampliação do acesso ao serviço de conectividade e para infraestrutura interna e dispositivos que possibilitem o uso da tecnologia em sala de aula.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Divulgação
Publicação: 11/05/2018

Escola trabalha teoria e prática com o projeto “Educando com a Horta”

A ação engloba estudantes da educação infantil até o 9ª ano da escola Hilda Nunes dos Santos.

Idealizado na Escola Municipal Hilda Nunes dos Santos, na Regional Vargem das Flores, o projeto “Educando com a Horta” repercute positivamente nos alunos melhorando, de uma forma multidisciplinar e saudável, o comportamento dos estudantes no que diz respeito a alimentação. A direção da escola explica que o trabalho é feito com estudantes dos 3 aos 14 anos de idade. Em todas as aulas práticas são introduzidas questões teóricas para reforçar o aprendizado dos alunos.

Tudo começa bem cedo quando os alunos se dividem entre as salas de aulas com os fundos da escola. No local existe uma horta com os mais diversos produtos plantados como frutas, verduras e legumes, tudo bem fresquinho. Todos os processos de compostagem, preparação da terra e plantio são feitos pelos alunos com a ajuda dos professores e direção.

O mais interessante é que desde o início do projeto os estudantes aprenderam a comer de forma saudável e, com isso, estão ensinando aos pais a fazerem todo o processo no terreno de suas casas. Na escola, existe um dia para a colheita quando os pais são convidados, com isso é feito a distribuição de alguns alimentos. Há também a prática feita pelas cantineiras na criação de bolos e sucos com as frutas, verduras e legumes da horta.

As habilidades relacionadas aos componentes curriculares de Geografia, Ciências, Educação Física e também da Língua Portuguesa e Língua Inglesa são trabalhados em todo o processo feito no cultivo dos alimentos, uma vez que os alunos participam desde o preparo da terra até a produção de receitas com os alimentos ali cultivados.

O assessor Educacional da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Gustavo Henrique da Costa, acompanhou parte do processo de plantio feito pelos estudantes e salienta que práticas como essa são fundamentais para o desenvolvimento dos alunos. “Ele engloba habilidades de vários componentes curriculares e reforçando hábitos saudáveis promovendo a qualidade de vida”, destaca.

Para a diretora Sueli Lagioto a atividade desenvolvida no “Educando com a Horta” tem grande significado para os estudantes e para toda a comunidade escolar. Isso porque as crianças e jovens participam de todo o processo proporcionando uma integração entre famílias e escola. “Uma vez que os estudantes realizam o plantio, fazem o acompanhamento do crescimento das hortaliças e legumes, bem como a colheita e o preparo de alguns alimentos junto às famílias na escola. Isso proporciona uma valorização dos costumes e da cultura dos moradores do bairro Tupã”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 09/05/2018

Abertas as inscrições para o curso de medicina da PUC Contagem

Processo seletivo utilizará nota do Enem para ingresso. Valor da inscrição é de R$ 65. Oferta do curso fortalece a Rede Municipal de Saúde de Contagem

As inscrições para o curso de medicina da PUC Contagem já estão abertas. O processo seletivo 2018, aberto desde o dia 7 de maio, oferta 50 vagas e considera a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) (anos 2013 a 2017). As inscrições podem ser feitas até 11/6/2018. A instituição também irá ofertar cinco bolsas integrais aos candidatos inscritos exclusivamente para concorrer às vagas de bolsistas. Nesses casos, além de precisar concorrer exclusivamente às vagas de bolsistas e ser aprovado no processo seletivo, os candidatos precisam ser cidadãos brasileiros, possuir renda familiar mensal per capita não superior ao valor de um salário mínimo e meio e não possuir diploma de curso superior. Para os que pleiteiam as bolsas integrais, as inscrições estarão abertas até 21/5/2018. Das vagas em oferta, 90% destinam-se ao processo seletivo geral e 10%, ao de bolsas integrais. Para todos os casos, o valor da inscrição é de R$ 65.

O anúncio da abertura do curso foi feito ao prefeito Alex de Freitas pelo reitor da PUC Minas, dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, em fevereiro de 2017. Em outubro daquele ano, após uma visita de avaliadoras do Ministério da Educação (MEC) à PUC Contagem, o vice-prefeito William Barreiro recebeu membros do corpo docente da PUC e representantes do MEC para falar sobre a implantação do curso de medicina na cidade. Desde então, aguardava-se pela assinatura do documento legal autorizando a abertura do curso.

A autorização para o funcionamento do curso veio após reunião feita no mês passado (5/4), na qual foi assinada a Portaria Normativa nº 240, de 5/4/2018, que regulamenta o funcionamento do novo Curso de Medicina da PUC Minas Contagem. Com isso, a PUC Minas obteve a aprovação do Ministério da Educação (MEC) para oferecer o curso na cidade. Representando o prefeito Alex de Freitas e acompanhado de outras autoridades, o secretário de Saúde do município, Bruno Diniz, esteve em Brasília presente a esta reunião na qual a portaria foi assinada.

Marco para a cidade

A autorização ocorreu antes da suspensão da criação de novos cursos de medicina no país por cinco anos, por meio de uma outra portaria assinada pelo presidente Michel Temer e por Mendonça Filho em 5/4/2018. A medida vale tanto para instituições públicas federais, estaduais e municipais quanto para instituições privadas. A ampliação de vagas em cursos de medicina já existentes em instituições federais também fica suspensa pelo mesmo período.

Bruno Diniz salienta a importância da abertura de um curso de medicina situado no município. “Após várias reuniões e audiências, e antes da assinatura de um decreto que suspende a abertura de novas vagas de curso de medicina por cinco anos no Brasil, o curso de medicina da PUC Contagem foi autorizado. Este curso, bem como os outros já existentes em Contagem, fortalecerão a Rede Municipal de Saúde e promoverão uma rica troca de conhecimentos, fixação de novos profissionais, qualificação e ampliação das ações de saúde, de ensino pesquisa e qualidade de vida”.

Ressaltando que a PUC é uma das instituições de ensino superior mais conceituadas do país, o prefeito Alex de Freitas destaca a relevância da instalação do curso no município. “A abertura do curso de medicina da PUC campus Contagem é um marco histórico para a cidade, que terá mais potencial para melhorar os serviços de saúde oferecidos à população”, atesta o prefeito.

Informações PUC Contagem: (31) 3319-4444.

Reportagem: Carolina Brauer
Foto: PucMinas Contagem/Divulgação
Publicação: 09/05/2018

Alunos da educação infantil podem receber orientações lúdicas sobre saúde

Diretores podem agendar apresentações com o grupo “Agente em Cena”.

Com o objetivo de levar as crianças informações sobre meio ambiente, saúde e o combate e prevenção de endemias de uma forma lúdica e divertida, os diretores que atendem a educação infantil podem agendar apresentação do grupo “Agente em Cena” para que alunos de 1 a 5 anos recebam essas orientações. O agendamento pode ser feito por telefone (31) 3364-3087 ou pelo e-mail agenteemcenacontagem@gmail.com.

O grupo de teatro foi criado há 12 anos pelos próprios Agentes de Combate a Endemias (ACE), mas em 2014, as atividades foram interrompidas. A atual gestão retomou os trabalhos do grupo e firmou parcerias por meio da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde (Ascom) com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES). Essa parceria possibilitou uma melhor capacitação dos artistas, assim o grupo está ganhando mais espaço para desenvolver as atividades propostas e crescendo cada dia mais.

Reportagem: Nayara Vianna
Arte: Renata Coura
Publicação: 08/05/2018

Escolas públicas e privadas de todas as regiões já podem visitar o maior planetário de Minas Gerais

Localizado no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o espaço conta com o novo Planetário.

O Observatório Astronômico recém-inaugurado em Juiz de Fora, na Zona da Mata, está recebendo as inscrições de escolas públicas e particulares que desejam visitar o local e conhecer um pouco sobre os planetas, estrelas e constelações.

Localizado no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o espaço conta com o novo Planetário que possui uma cúpula de projeção de 12 metros de diâmetro e um sistema Zeiss Skymaster ZKP 4 para leitura e transmissão de imagens. Com capacidade para 90 pessoas sentadas, são apresentadas sessões com temas relacionados à Astronomia.

O responsável pela escola deve realizar as inscrições no site, onde serão disponibilizados o formulário que deverá ser assinado e carimbado pelo diretor da instituição para a entrada dos estudantes. A entrada para o local é gratuita, despesas como transporte e lanche para os estudantes serão de responsabilidade da escola.

Antes de realizar o agendamento, o responsável deve ficar atento ao regulamento da visita ao observatório da UFJF. O número máximo do grupo visitante são 90 pessoas.

Atividades como “Aprendendo Brincando” farão parte da visita, que serão destinadas a crianças de 6 a 12 anos mostrando conceitos da Física com ferramentas interativas, além da sessão cinematográfica do “Astronomitos”. Já as crianças com a faixa etária a partir dos 13 anos, poderão se divertir com a atividades interativas relacionadas a energia nuclear.

Às quintas-feiras á noite, se as condições climáticas estiverem favoráveis, o espaço oferece uma sessão de observação astronômica em troca das atividades citadas acima. As visitas ocorrem de terça a sexta-feira no turno da manhã, das 8h às 10h45, e no turno da tarde de 14h às 16h30. Nas quintas as visitas serão noturnas de 19h às 21h.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob a supervisão de Leonardo Melo)
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

19° UFMG Jovem abre chamadas para apresentações de artistas e grupos artísticos escolares

Grupos artísticos de escolas públicas e privadas poderão participar

A 19ª apresentação artístico-cultural realizado anualmente pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), abre inscrições para propostas de apresentações de cunho cultural para escolas públicas e particulares. As inscrições deverão ser feitas por e-mail para contar com a participação de artistas e grupos lúdicos escolares.

Podem participar os estudantes de Educação Básica (ensino fundamental, médio e técnico). As áreas escolhidas para as performances são: dança, teatro, poesias e literatura (sarau) e artes circenses para as apresentações no dia do evento.

Também poderão se inscrever os professores. Os trabalhos podem ser apresentados por meio de maquetes, atividades interativas, cartazes, resultados de trabalhos investigativos e outros tipos de modalidades.

Serão selecionados para expor no evento 30 trabalhos na categoria Ensino Fundamental e 50 do Ensino Médio. A feira acontecerá nos dias 25 a 27 de outubro, na Praça de Serviço do campus Pampulha da UFMG, em Belo Horizonte. O evento será aberto ao público para visitação.
Para quem desejar se inscrever basta enviar um e-mail (ddc-conhecimentoparatodos@proex.ufmg.br).

O limite de inscrição será para o dia 31 de agosto. Qualquer dúvida sobre o formulário de apresentações basta acessar o link.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob a supervisão de Leonardo Melo)
Arte: Renata Coura
Publicação: 07/05/2018

Funec não faz parte da organização de calourada marcada para 5 de maio

A Fundação de Ensino de Contagem (Funec) informa que não faz parte da organização do evento denominado “Calourada Funec 2018”, marcado para iniciar às 18h30 do próximo sábado (5). O nome da tradicional instituição de ensino foi vinculado à festa, com divulgação por meio de cartazes, sem consentimento da direção.

A Funec ressalta que não participa de comemorações com incentivo ao uso de bebidas alcoólicas aos adolescentes matriculados nas unidades da instituição.

Os organizadores do evento foram chamados a prestar esclarecimentos e a Funec solicitou o cancelamento do mesmo. A diretoria da Funec está à disposição dos alunos e pais para quaisquer esclarecimentos.