Posts com a Tag ‘estudantes’

Funec leva alunos para conhecer Ouro Preto e Mariana

Alunos da unidade Cruzeiro do Sul farão apresentações sobre a excursão as cidades históricas.

Os estudantes da Fundação de Ensino de Contagem (Funec), unidade Cruzeiro do Sul, fizeram uma visita pedagógica as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana. O objetivo foi proporcionar um trabalho de campo para que os estudantes conheçam o patrimônio histórico e cultural dos locais.

Ao todo, 90 alunos vivenciaram diversas experiências durante o passeio. Foram abordadas questões sociocientíficas visando desenvolver os estudos e o pensamento crítico-reflexivo dos estudantes. “O nosso objetivo foi trabalhar a formação cultural e humana dos alunos. São experiências como essas que transformarão os estudantes em cidadãos”, afirma o professor, Gleison Paulino.

Os alunos tiveram contato com as igrejas, museus e a história das atividades mineradoras que existiram no local durante o período colonial. A visitação serviu também para a elaboração de vídeos que serão apresentados na escola como forma de documentário da viagem.

Para as filmagens, os estudantes pegaram trechos da Igreja de São Francisco de Assis, a Casa dos Contos e o Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP); e o distrito de Passagem de Mariana, na cidade de Mariana, para conhecer a Mina da Passagem. A apresentação desse trabalho interdisciplinar será feita em sala de aula. Os grupos de alunos terão que demonstrar como foi a viagem e debater os pontos de vistas sobre o que viram e aprenderam.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Divulgação

Estudantes elevam o nome da Funec em congresso nacional

Alunos do curso de química vão apresentar em Gramado-RS estudo sobre efeitos do refrigerante no organismo.

Os estudantes Mateus Queiroz e Gabriel Nascimento, do curso de química da Fundação de Ensino de Contagem (Funec), unidade Centec, apontaram mitos e verdades sobre os refrigerantes à base de cola. O estudo foi fundamentado em práticas que provam a diminuição de cálcio no organismo de pessoas que consomem a bebida. O resultado será apresentado por eles no 57º Congresso Brasileiro de Química, de 23 a 27 de outubro, em Gramado-RS.

“É maravilhoso ver todo o esforço do projeto ganhar notoriedade. Estamos empenhados em levar o nome da Funec para agregar valor ao nosso currículo”, destaca Gabriel. O projeto ganhou o nome de “A relação entre o consumo regular de ácido fosfórico em refrigerantes à base de cola”.

“Nós estamos felizes e gratos por nossos professores, coordenadores e a direção da Funec estarem nos dando todo o suporte para a execução desse projeto”, enfatiza Mateus Mateus. Com o objetivo de promover a interação entre instituições de ensino, setor industrial, profissionais e estudantes de química, o congresso pretende desenvolver de forma multidisciplinar o progresso científico com debates e apresentações de trabalhos de diversas instituições do país.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Newton de Castro Resende

Dia Nacional da Leitura: data representa o exercício da imaginação

O dia 12 de outubro foi o escolhido para lembrar a todos sobre a importância da leitura.

Nesta quinta-feira (12), é comemorado o Dia Nacional da Leitura. E é de pleno dever que crianças, jovens e adultos nunca percam o hábito de ler. É por meio da leitura que desenvolvemos o senso crítico, aprimoramos o vocabulário, dinamizamos o raciocínio e a interpretação de textos.

Alguns estudiosos explicam que o costume de ler começa na infância. É nessa idade que a vida começa, tudo é novo, e quando entregamos um livro ou revista em quadrinho na mão de uma criança ela adquire a curiosidade de ler o conteúdo apresentado.

Para a bibliotecária da Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, Mary Ângela, ver os alunos entusiasmados com os livros não há preço que pague. “Fico emocionada e me orgulho de poder proporcionar através da leitura momentos de encanto”, destaca Mary.

O secretário Municipal de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves, fala da improtância da leitura para o desenvolvimento dos alunos.

“Certamente é uma ideia feliz fazer coincidir o Dia da Criança com o Dia Nacional da Leitura. Celebrar as crianças e os livros, num mesmo dia, só nos ajuda a fortalecer a convicção da importância que a leitura tem, especialmente a literária, para a formação das pessoas, desde a infância.

A importância da literatura é inconteste. Como arte da palavra e com o seu compromisso com a liberdade, a literatura incide sobre a formação do espírito crítico, fortalecendo a consciência daquilo que somos – nossa identidade cultural -, exprimindo diferentes conteúdos que nos espelham ou questionam, confrontando-nos com nossa existência e suas contradições, com suas riquezas e possibilidades. A literatura mobiliza a imaginação, os sentimentos e as emoções, criando diversas possibilidades de leitura e compreensão do texto e do mundo, além de acionar uma série de conhecimentos daquele que lê. A leitura literária é uma das experiências mais importantes de promoção de intercâmbios com o universo da cultura nas suas infinitas possibilidades.

Nas palavras de Bartolomeu Campos de Queirós, participar da leitura literária é um direito, porque a literatura interroga a vida, a existência, a condição humana e coloca o leitor em diálogo com a fantasia, com o mundo das possibilidades, com suas capacidades de inventar. A literatura, assim, democratiza o poder de criar, recriar, imaginar, romper o limite do provável.

Por sua relevância, a leitura literária, no âmbito da escola, tem assumido uma importância inédita, gerado políticas públicas, pesquisas e debates no campo educacional brasileiro e internacional.

Uma premissa fundamental para o trabalho com a leitura literária na escola é que o professor seja, ele mesmo, um leitor literário. É por meio do seu encantamento com o mundo dos livros, da fantasia e da magia que eles evocam, das possibilidades de interação com o outro que o interroga através da escrita, que o professor poderá despertar, em seus alunos, o desejo de viver essas experiências que a leitura literária promove.

É com base nesses pressupostos, e acreditando no caráter humanizador, cultural, social e histórico da literatura, que a Secretaria Municipal de Educação de Contagem tem investido na política de leitura da rede. Ainda em 2017, todas as escolas e UMEIs receberão um Kit Literário para iniciar a composição de uma biblioteca em cada sala de aula. Os livros serão distribuídos na proporção de um para cada duas crianças ou estudantes. Nosso objetivo é potencializar a formação de nossas crianças e estudantes por meio do desenvolvimento pleno de sua competência leitora na perspectiva literária”.

Joaquim Antônio Gonçalves – Secretário Municipal de Educação

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia está aberta ao público

Ações propostas vão explorar o raciocínio lógico e diversas ferramentas em incontáveis áreas do conhecimento humano.

Começou nesta terça-feira (10), a 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no Museu das Minas e do Metal: MM Gerdau, no Circuito Cultural Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. A programação, que vai até o dia 30 de novembro, pretende levar exposições voltadas para a ciência e a matemática. O objetivo central é mostrar que “a matemática está em tudo”.

Serão apresentados trabalhos produzidos por algumas instituições de ensino de Minas Gerais. Além disso, serão promovidas atividades que visam ampliar o conhecimento sobre os minerais por meio de um jogo de lógica com a utilização de cartas, oficinas de geometria dos minerais, projeto de brinquedos feitos com polímeros, dinâmicas e apresentações de protótipos confeccionados em impressoras 3D, além da criação de aplicativos para o sistema Android de forma fácil, lúdica e divertida, entre outros.

A entrada é franca e está sujeita a lotação máxima. Cada exposição terá um dia e horário. Para conhecer mais sobre o evento, basta clicar aqui e acessar o site da MM Gerdau.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação

Coral de alunos apresenta músicas voltadas para educação alimentar

Grupo formado por estudantes da escola Vereador Jésu Milton dos Santos aprendem brincando e são destaques na instituição.

A Escola Municipal Vereador Jésu Milton dos Santos, da Regional Industrial, apresentou à comunidade o coral Univozes. O projeto existe há mais de 10 anos e é formado por crianças de 6 a 12 anos de idade. A escola tem grande tradição nos projetos que envolvem a música e, na oportunidade, recebeu um grande público, composto por outros alunos, familiares e vizinhos.

O nome Univozes, foi decidido por votação onde todos os estudantes puderam participar. O trabalho é coletivo e foi abraçado pela comunidade. A escola investiu em uniformes e microfones próprios para a turma, tendo a qualidade necessária para as apresentações.

“A música está inserida em todos os projetos. Se soubermos buscar esses meninos eles podem até saber o que eles vão querer como profissão. E na música eles têm a disciplina, atenção e postura. São coisas que eles trabalham sem perceber, porque eles trabalham brincando”, diz a criadora do projeto, Patrícia Valbonetti.

As músicas cantadas são do álbum “Receita de Saúde”, criado pelo produtor musical Lúcio Rodrigo Monteiro, e foram inspiradas para educação alimentar das crianças com obesidade infantil. As músicas foram gravadas em estúdio e depois foram levadas para o ensaio do grupo.

Orgulhosa pelo projeto a diretora Maristela Geralda Cruz falou da importância desse projeto. “A gente quer preservar essa cultura em nossa escola. Vamos dar a continuidade por que é uma das coisas que os meninos amam”, finalizou.

Aulas

Ao todo, 34 alunos participam dos ensaios e fazem exercícios para a voz. As aulas são ministradas uma vez na semana para que os estudantes aprendam de forma divertida e conheçam mais sobre a música. Para ingressar basta ser frequente e ter boas notas.

Reportagem: Nayara Macedo (sob a supervisão de Leonardo Melo)
Foto: Newton de Castro Resende

Romancista Lino de Albergaria visita escola de Contagem

O autor falou dos clássicos literários e deu dicas aos alunos.

A Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida recebeu o romancista, Lino de Albergaria. O autor teve um bate papo descontraído com os estudantes na biblioteca e arrancou emoções ao citar os clássicos criados por ele.

Aproximadamente 40 alunos dos 6º até os 9º anos, foram selecionados para participar do encontro. A regra para a escolha foi estabelecida pelos professores de acordo com a ficha de cada um na biblioteca. Quem tivesse presença assídua no local, durante o ano letivo, teria lugar garantido no encontro com o escritor. “O encontro de hoje serviu para abrir o conhecimento dos alunos e mostrar o quanto é importante frequentar a biblioteca”, afirma a aluna do 9º ano, Giovana Aguiar Pereira.

Durante o papo, Lino contou um pouco da sua história e de como se tornou um escritor conhecido dentro e fora do país. Falou um pouco da profissão e também dos clássicos: De Paris, com amor; Adeus, escola!; Lia e o sétimo ano. E os recém lançados: Bem-vindos à Casa da Neblina; Na Serra das Lianas; A Ilha do Tempo Perdido e Chá das cinco. “Eu adorei o encontro aqui na biblioteca. O local é provocador no que tange aos livros, ao saber que a mistura das classes, idades e turmas é tão comum aqui na escola, me traz conforto e alegria”, destaca o escritor, Lino de Albergaria.

Para a diretora, Márcia Rocha, o fato de os alunos conhecerem o escritor serviu para provar que no futuro eles serão multiplicadores da leitura. Ela também enfatiza que a presença de escritores nas escolas de Contagem é primordial no desenvolvimento pedagógico dos estudantes. “Eu tenho certeza que essa experiência de hoje dará frutos e acredito também que daqui sairão novos escritores, romancistas e poetas”, explica Rocha.

No final do encontro, Lino deixou uma mensagem para os alunos. Ele disse que os jovens não devem largar o hábito de ler e escrever. “Vamos juntos desvendar os mistérios, aventuras e informações que os livros podem oferecer”, finalizou.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Newton de Castro Resende

Kits escolares para todos os estudantes da rede municipal de ensino

Os kits escolares já estão em todas as escolas da rede municipal de educação. Os materiais são distribuídos pelos diretores. Todos os alunos da educação infantil, ensino fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e creches conveniadas já recebem os kits.

Caso algum estudante ainda não esteja com material é preciso comunicar à direção da escola. A Secretaria Municipal de Educação fez a compra dos kits no momento em que as escolas ainda estavam com o processo de matrículas em andamento. As remessas foram enviadas às instituições de ensino com base na listagem de estudantes, repassada por cada diretor. “Os kits devem chegar aos estudantes que foram matriculados na rede municipal de ensino até o mês de março. Se faltar kit para algum estudante, a direção deve formalizar um ofício e encaminhar ao almoxarifado da SEDUC”, esclareceu Renato Moreira, diretor de almoxarifado.

Ao todo são 60.700 kits escolares, distribuídos em 10 categorias. Ele foram montados com base em cada ciclo escolar. “Os materiais são de alta qualidade e vão contribuir para uma melhor aprendizagem, já que são baseados nas necessidades pedagógicas dos estudantes”, afirmou o secretário de educação, Joaquim Antônio Gonçalves.

Confira abaixo os 10 modelos de kits escolares.

 

KIT 01 (CRIANÇAS DE 0 A 1 ANO)
– 1 caderno de registro
– 1 mochila pequena

KIT 02 (CRIANÇAS DE 2 ANOS)
– 1 caderno de registro
– 1 garrafa para água
– 1 mochila pequena

KIT 03 (CRIANÇAS DE 3 ANOS)
– 1 caderno de registro
– 1 caderno de desenho A3
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 1 caixa de giz de cera de 12 cores
– 1 cola
– 1 tesoura sem ponta
– 1 apontador
– 1 garrafa para água
– 1 porta lápis
– 1 mochila pequena

KIT 04 (CRIANÇAS DE 4 E 5 ANOS)
– 2 cadernos brochurão sem pautas
– 1 caderno de desenho A3
– 1 caderno de registro
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 1 caixa de giz de cera de 12 cores
– 1 apontador
– 1 cola
– 1 tesoura sem ponta
– 1 borracha
– 2 lápis pretos
– 1 garrafa para água
– 1 mochila pequena

KIT 05 (1º CICLO)
– 6 cadernos brochurão capa dura
– 1 caderno de desenho A4
– 4 lápis pretos
– 1 apontador
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 2 colas
– 2 borrachas
– 1 tesoura sem ponta
– 1 régua de 30 cm
– 1 garrafa para água
– 1 porta lápis
– 1 mochila grande

KIT 6 (2º CICLO)
– 6 cadernos espiral com pautas
– 1 caderno de desenho A4
– 2 canetas esferográficas azuis
– 1 caneta esferográfica preta
– 1 caneta esferográfica vermelha
– 4 lápis pretos
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 1 cola
– 4 borrachas
– 1 tesoura sem ponta
– 1 apontador
– 1 régua de 30 cm
– 1 garrafa para água
– 1 porta lápis
– 1 pasta grande

KIT 7 (3º CICLO E EJA)
– 6 cadernos espiral capa dura
– 1 caderno de desenho A4
– 4 canetas esferográficas azuis
– 1 caneta esferográfica preta
– 1 caneta esferográfica vermelha
– 1 apontador
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 1 cola bastão
– 4 borrachas
– 1 tesoura sem ponta
– 6 lápis pretos
– 1 régua de 30 cm
– 1 garrafa para água
– 1 porta lápis
– 1 pasta grande

KIT 8 (ESTUDANTES COM BAIXA VISÃO)
– 6 cadernos com pautas amplificadas
– 1 guia de escrita para página inteira
– 2 conjuntos de canetas ponta grossa
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 1 borracha
– 1 apontador
– 1 porta lápis

KIT 9 (ESTUDANTES COM SÍNDROME DE IRLEN)
– 6 cadernos com pauta amplificada
– 1 caixa de lápis de cor de 12 cores
– 2 conjuntos de caneta ponta grossa
– 1 borracha
– 1 apontador
– 1 porta lápis

KIT 10 (ESTUDANTES COM CEGUEIRA TOTAL)
– 1000 folhas de papel braile A4
– 1 reglete de mesa com punção

Reportagem: Júlio César Santos
Fotos: Cássio Matias