Posts com a Tag ‘Educação’

UMEI Nova Contagem recebe nova pintura

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs) está executando, desde novembro de 2017, os serviços de pintura em 83 unidades escolares.

A Unidade Municipal de Educação Infantil (UMEI) Nova Contagem recebeu nova pintura e garantiu um ambiente mais harmonioso, limpo e agradável aos usuários. Com o serviço de pintura iniciado no último mês de abril, foi contemplada toda a estrutura da edificação. As paredes, tetos, esquadrias metálicas, muros e pisos foram totalmente revitalizados. Foi realizada em cada escola uma votação onde alunos, pais e servidores puderam escolher a pintura a ser realizada na fachada. A execução dos serviços na fachada segue conforme votação e internamente conforme memorial descritivo, onde cada sala é de uma cor, totalizando sete cores, tendo como referência o arco-íris. A Unidade atende 296 alunos de 3, 4 e 5 anos.

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs) está executando, desde novembro de 2017, os serviços de pintura em 83 unidades escolares. Das 83, 29 unidades já tiveram os serviços de pintura finalizados. A previsão é de que até dezembro de 2018, todas as unidades sejam contempladas.

Segundo o engenheiro Thiago Leite, a pintura da UMEI Nova Contagem, assim como todas as unidades, seguiu as diretrizes do memorial descritivo elaborado para o projeto de pintura escolares do município.

De acordo com a diretora da UMEI Nova Contagem, Adélia Almeida Prates e Freitas, a satisfação dos pais, alunos e servidores com a revitalização é notória. “A UMEI foi inaugurada em 2009 e pela primeira vez passa por uma mudança dessa grandeza. Os usuários agradeceram muito pelas mudanças e até o astral das crianças melhorou, o que demonstra que o colorido desperta a alegria dos pequeninos. Temos um ipê rosa no pátio, que harmonizou ainda mais o ambiente. Iremos inaugurar a quadra demarcada e um espaço com amarelinha e outras brincadeiras. As crianças ficarão ainda mais vibrantes. Veio tudo em boa hora: uniformes novos e escola revitalizada”, comemorou. E as melhorias na UMEI Nova Contagem não param por aí. Está previsto para os meses de setembro e outubro a arborização da unidade.

Estão sendo investidos R$44 milhões em reformas das unidades educacionais e R$ 11,8 milhões em pinturas. Ao todo, 115 escolas terão serviços de pinturas, obras e outras intervenções. As obras e pinturas estão sendo feitas por etapas e o cronograma se estenderá até o fim de 2018.

Reportagem: Stella Santiago
Foto: Ricardo Lima
Publicação: 24/08/2018

Seduc reforça tema de inserção de imigrantes nas escolas

A direção de projetos especiais e corpo pedagógico fizeram reunião sobre o tema na secretaria.

A Superintendência de Projetos Especiais e Parcerias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) fez um encontro de apresentação com professores, pedagogos e oficineiros no intuito de alinhar os trabalhos que serão feitos nas escolas de Contagem com os imigrantes haitianos e de outras nacionalidades.

A pauta abordou questões sobre o projeto “Escola sem Fronteiras” e também o assédio moral e racial que muitos imigrantes têm enfrentado no Brasil. Durante o bate-papo entre os profissionais que estão à frente nas escolas e o corpo responsável da Seduc, cada um pôde falar como é a realidade dentro das escolas do município que recebem imigrantes com dificuldade em língua portuguesa.

É com base na lei que o Português como Língua Estrangeira (PLE) tem sido assegurado nas escolas contagenses. E os 58 estudantes matriculados na rede atualmente tenham acesso ao conteúdo gratuito e voltado para a cidadania daquele indivíduo que chega na cidade e precisa saber se comunicar para poder trabalhar e viver na sociedade. “O nosso intuito é trazer uma política de igualdade e empoderamento. Queremos também envolver outras secretarias que nos ajudem a transformar esse nosso olhar para o imigrante que vive em Contagem”, afirma a diretora de Relações Étnico Raciais e Gênero da Seduc, Rosângela da Silva.

Durante a reunião, os profissionais das escolas, puderam levantar o que evoluiu dentro do campo do ensino com o imigrante. Trabalhos voltados para a cultura, lazer, música, poesia, cinema e festividades folclóricas também foram destacados como forma de aprendizado nas falas de cada um. “Durante as aulas e as atividades que fazemos com os estudantes, eu pude perceber que somos todos iguais. Essa experiência ao longo dos anos em que estive à frente dos projetos, mostrou que é possível e satisfatório trabalharmos com cada aluno de outras nacionalidades”, destaca a professora de Português, Maria Rita da Consolação.

No final da reunião ficou marcado novas agendas e visitações nas escolas Escolas Municipais Maria Silva Lucas e Isabel Nascimento de Mattos que hoje recebem os estudantes nas Regionais do Ressaca e Petrolândia, respectivamente. A Seduc reforça que os professores são capacitados e dão um curso intensivo de 6 meses para o turno da noite. Atualmente a cidade de Contagem possui cerca de 2 mil imigrantes, em sua grande maioria haitianos. “O Projeto Escola sem Fronteiras têm um papel importante na inserção da temática imigrantes. Sabemos que pessoas de diversas nacionalidades vivem hoje no município e dessa forma, queremos acolher e reforçar as garantias que todos eles precisam receber para se ter uma educação justa e forte na cidade”, finalizou a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias da Seduc, Ludmilla Soares.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 27/07/2018

Vagas para Educação de Jovens e Adultos

Em Contagem, 21 escolas municipais possuem EJA.

Pessoas que deixaram os estudos e querem retornar à escola têm a oportunidade de se matricular na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em Contagem, 21 escolas municipais e os espaços Bem Viver Mário Covas e Luís Palhares oferecem o curso.

Para se matricular na EJA é preciso ter mais de 18 anos. Mas a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), também autoriza o estudante a ingressar na EJA, caso ele tenha idade inferior aos 18 anos e precise trabalhar como menor aprendiz.

As matrículas podem ser feitas durante todo o ano letivo. Para se inscrever na EJA é preciso ir até uma instituição que ofereça o curso com documento de identidade, ou certidão de nascimento ou certidão de casamento; CPF; comprovante de endereço; duas fotos 3×4 e comprovante de escolaridade (histórico escolar, ficha individual do estudante ou declaração da escola). Caso o aluno não tenha o documento que comprove a escolarização, ele passará por uma prova para avaliar em qual etapa do curso irá entrar.

As escolas de Contagem que oferecem EJA passaram por uma reformulação neste ano. Os estudantes do curso passaram a contar com um pedagogo, auxiliar de biblioteca e dois professores alfabetizadores exclusivos. O quadro com professores de Português, Matemática, História, Geografia e Ciências continuou o mesmo. As aulas ocorrem de segunda a quinta-feira.

Em Contagem as aulas da EJA ocorrem no período da noite. Mas a Escola Municipal Professora Lígia Magalhães e o Espaço Bem Viver Mário Covas oferecem o curso no período da manhã. Já o Espaço Bem Viver Luís Palhares têm turmas no período da manhã e tarde.

A coordenadora da EJA em Contagem, Guaraciaba do Carmo, destaca que o programa Educação de Jovens e Adultos é uma porta para quem necessita concluir os estudos. “É importante o aluno ter essa consciência que o voltar a estudar fará parte da formação dele como pessoa e abrirá também portas na vida”, finalizou.

Confira abaixo as instituições que oferecem EJA em Contagem:

Regional Eldorado

Escola Municipal Vasco Pinto da Fonseca
Rua das Paineiras, 1500, Eldorado

Escola Municipal Joaquim Teixeira
Rua Nossa Senhora de Fátima, 1307, Água Branca

Escola Municipal Sócrates Mariani Bittencourt
Praça Nossa Senhora da Conceição, 335, Novo Eldorado

Regional Petrolândia

Escola Municipal Newton Amaral Franco
Rua Estireno, 15, Petrolândia

Escola Municipal Senador José de Alencar
Rua Crisoprácio, nº 27, Bairro Sapucaias

Regional Industrial

Escola Municipal Professora Júlia Kubitschek de Oliveira
Rua Nascimento Teixeira, 62, Industrial

Escola Municipal René Chateubriand Domingues
Rua Padre José Maria de Man, 30 – Novo Riacho

Escola Municipal Virgílio de Melo Franco
Rua Luminosa, 75, Vila São Paulo

Escola Municipal Professora Lígia Magalhães *
Rua Ozório de Morais, 957, Industrial

Regional Sede

Escola Municipal Coronel Antonio Augusto
Avenida João de Deus Costa, 47, Centro

Escola Municipal Estudante Leonardo Sadra
Rua Joaquim Camargos, s/n, Centro

Espaço Bem Viver Mário Covas *
Rua Manoel de Matos, 162, Central Park

Escola Municipal Dona Babita Camargos
Avenida João de Deus Costa, 47, Centro

Regional Ressaca

Escola Municipal Coronel Joaquim Antonio da Rocha
Rua Diamante, 930, São Joaquim

Escola Municipal Maria Silva Lucas – CAIC Laguna
Rua Bragança, 866, Jardim Laguna

Regional Nacional

Escola Municipal Professor Wancleber Pacheco
Rua Santo Antonio, 60, Tijuca

Escola Municipal Glória Marques Diniz
Rua Goiabão, 50, Bom Jesus

Escola Municipal Walter Fausto do Amaral
Rua Mármore, 140 – Conjunto Carajás, Pedra Azul

Regional Vargem das Flores

Escola Municipal Professora Ana Guedes Vieira
Rua VC 4, 777, Bairro Nova Contagem

Escola Municipal Ivan Diniz Macedo
Rua Nossa Senhora da Conceição, 500, Retiro

Escola Municipal Francisco Sales da Silva Diniz
Rua Stela Diniz Macedo, 301, Darcy Ribeiro

Escola Municipal Giovanini Chiodi
Rua das Pitangueiras, 2, Ipê Amarelo

Espaço Bem Viver Luís Palhares *
Rua Maria José Chiodi, 107, Nova Contagem

Todas as escolas oferecem EJA à noite, menos a E. M. Lígia Guimarães e o Espaço Bem Viver Mário Covas, que atendem no turno da manhã, e o Espaço Bem Viver Luís Palhares, que atende nos turnos da manhã e da tarde. *

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura
Publicação: 20/07/2018

Obras de construção da Umei Arvoredo estão em ritmo acelerado

A construção teve início em outubro de 2017 e tem previsão de ser finalizada em julho de 2019.

Os trabalhos de construção da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Arvoredo, na Regional Ressaca, estão em ritmo acelerado para que a cidade tenha em breve, mais um espaço para receber 188 pequeninos contagenses. Localizada na Rua Quatro, s/nº, no bairro Arvoredo II, a construção teve início em outubro de 2017 e tem previsão de ser finalizada em julho de 2019. O valor de investimento é de R$2.025.584,23.

O espaço será contemplado com dez salas para alunos de 0 a 5 anos, sala multiuso, playground, quatro sanitários femininos e masculinos infantis, quatro sanitários femininos e masculinos para adultos, dois sanitários para pessoas com deficiência, refeitório, diretoria, almoxarifado, secretaria, dois fraldários, lactário, sala multiuso, espaço para horta, playground, lavanderia, rouparia, jardim e estacionamento. A nova unidade terá 2 mil metros quadrados de área construída.

De acordo com o gestor de Engenharia, Dante Luiz Nascimento, a construção da Umei atende a uma demanda da população e a fase atual é de coroamento da alvenaria e concretagem, com previsão de finalização no início de agosto. “A próxima etapa será de colocação de revestimento, piso e execução da estrutura para receber o telhado. O ritmo da obra está dentro do cronograma e pretendemos entregar o empreendimento até julho de 2019. Com a entrega, aumentaremos o número de alunos na educação infantil com ensino de qualidade”, finalizou.

Umeis em construção

Além da Umei Arvoredo, mais três estão em construção na cidade: Tropical, Vale das Orquídeas e Lúcio de Abreu. Atualmente, a rede municipal de ensino de Contagem conta com 37 Umeis, 7 anexos e 27 escolas que atendem estudantes de educação infantil. São 10.358 crianças, de 0 a 5 anos, matriculadas. Em 2017, foram criadas 975 vagas na educação infantil. Já em 2018 foram 700 novas vagas. Com as cinco novas Umeis, a Secretaria Municipal de Educação alcançará a marca de 2.521 vagas criadas em dois anos e meio (fevereiro de 2017 a julho de 2019).

Reportagem: Stella Santiago
Fotos: Paulo Pereira
Publicação: 20/07/2018

Umei Professora Juverci de Freitas Ferreira é revitalizada

Medida contribui para oferecer mais qualidade de ensino e melhorar a condição de trabalho dos educadores.

A Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Professora Juverci de Freitas Ferreira atende 250 alunos, com faixa etária entre 3 e 5 anos, no bairro Amazonas, Regional Industrial. Nos últimos anos, os alunos e funcionários sofriam com a precariedade da estrutura e com a falta de manutenção no ambiente escolar. Para oferecer mais qualidade de ensino e melhorar a condição de trabalho dos educadores, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos (Semobs), realizou intervenções na escola e investiu na acessibilidade para facilitar a inclusão de pessoas com deficiência.

A engenheira responsável pela obra de manutenção, Thaís Estanislau, explica como foi feito o projeto. “A intervenção foi planejada de acordo com a necessidade de cada escola, nesta Umei reformamos as salas, biblioteca, banheiro, espaço de recreação, cozinha, faixada, rampas de acesso e refeitório. Trocamos o telhado antigo pelo telhado termo acústico (que também possui isolamento térmico) e fizemos a pintura com cores vibrantes porque sabemos que isso interfere na relação do aluno com o ambiente e pode influenciar positivamente no aprendizado”, relata.

O administrador da regional Industrial, Beto Diniz, alerta ainda que a manutenção e preservação por parte da população é fundamental para que o trabalho feito não seja em vão. “Temos pedido o apoio popular para nos ajudar a fiscalizar e a manter as benfeitorias que estão sendo realizadas nas escolas municipais e Umei”, afirma.

Reportagem: Nayara Vianna
Fotos: Elaine Castro
Publicação: 20/07/2018

Quadrilha da inclusão e da celebração das diferenças

CAEE Antônio Carlos Lemos promove sua festa junina.

Em meio a uma bonita área verde e de muita animação, no sábado (7) à tarde, o Centro de Atendimento Educacional Especializado (CAEE) Antônio Carlos Lemos promoveu sua tradicional festa junina. Pessoas atendidas pela instituição, de todas as idades e com diferentes tipos de necessidades especiais, funcionários, familiares e a comunidade em geral participaram da bonita festa e lotaram a quadra da instituição.

Para que o festejo fosse possível, os preparativos começaram um mês antes, relata a coordenadora do CAEE Antônio Carlos Lemos, Sebastiana Rangel. “Todas as pessoas que trabalham aqui se envolveram de alguma forma na preparação da festa. Recebemos também doações de parceiros e fizemos, ainda, gincanas para arrecadar prendas. O objetivo da festa é o de criar mais uma oportunidades de lazer e convivência para os alunos e seus familiares e a comunidade em geral”, frisa a coordenadora.

De acordo com Sebastiana Rangel, a instituição oferta oficinas e atendimento educacional especializado a alunos com necessidades especiais no contraturno de suas atividades escolares e, também, a pessoas com necessidades especiais que já saíram a escola: para todos esses públicos, o CAEE é uma referência. Atualmente, o CAEE atende a um total de 127 pessoas, de todas as faixas etárias.

Samuel Vinicius da Costa, 23 anos, portador da síndrome de down, é uma das pessoas que já não frequentam mais a escolar e que seguem em atendimento no Antônio Carlos Lemos. Samuel concluiu o ensino médio na Funec no ano passado, mas segue participando das oficinas ofertadas na instituição. “O Samuel está aqui desde o ano 2000 e nunca saiu. Em agosto, completam-se 18 anos de muito aprendizado e convivência no Antônio Carlos Lemos”, testemunha a mãe de Samuel, Maria das Graças Chaves da Costa.

Elizabeth Vasconcelos, mãe de uma das pessoas atendidas no CAEE, comenta sobre a importância do local. “Nós vivemos pelos nossos filhos. É aqui que temos nossas amizades e nossa convivência social. Em férias prolongadas, eles chegam até a adoecer, de tanta falta que eles sentem daqui”, diz Elizabeth, mãe de Izabela. Sebatiana Rangel completa, argumentando que o CAEE é um importante lócus de inclusão educacional e social. “Mesmo que já não frequentem mais a escola, as pessoas com necessidades especiais precisam estar em processo contínuo de aprendizagem. Aqui, elas têm essa oportunidade”, esclarece a coordenadora.

O secretário de Direitos Humanos e Cidadania de Contagem, Marcelo Lino, foi uma das centenas de pessoas que prestigiou a festança e passou pelo local ao longo da tarde. Para ele, o CAEE fortalece o processo de inclusão da pessoa com deficiência. “Esse é um importante espaço de fortalecimento do processo de inclusão de pessoas com deficiência no município, tanto do ponto de vista individual quanto em termos de convivência social. Nosso prefeito Alex de Freitas está atendo a isso. A gestão vem incentivando esse processo de inclusão”, afirma o secretário.

Reportagem: Carolina Brauer
Foto: Elias Ramos
Publicação: 11/07/2018

Programa Segundo Tempo promove atividades recreativas em escolas

O tema Legado da Copa visa desenvolver a cultura do esporte.

Atividades recreativas foram realizadas, por meio do Programa Segundo Tempo em diversas escolas de Contagem. O projeto, cujo tema é Legado da Copa, visa desenvolver a cultura do esporte e integração social em crianças e adolescentes. Os eventos aconteceram entre os dias 2 e 6 de julho.

Foram trabalhadas questões como: a história do futebol, educação para torcer, atletas de alto rendimento, posições e regras do futebol de campo, hinos, gritos de guerra, nações participantes, entre outras. O programa, desenvolvido em todo o Brasil, tem características variadas como por exemplo o Segundo Tempo Universitário, Segundo Tempo das Forças Armadas no Esporte e o Segundo Tempo Paradesporto.

O secretário de Esporte, Adriano Faria, afirmou a importância do tema abordado. “É muito válido o trabalho de interação, uma vez que, estamos acompanhando diversas manifestações de brasileiros durante a copa. Precisamos relembrar a época em que pintávamos as ruas e avenidas de verde e amarelo reunindo amigos e familiares para torcer pele seleção. Esse espírito de união precisa sempre estar em evidência”, relatou.

O coordenador geral do Programa Segundo Tempo em Contagem, Guilherme Paiva, visitou todos os núcleos e acompanhou as atividades junto aos alunos. “Foi sensacional ensaiar gritos de guerra, poder falar para todos sobre a trajetória do Brasil em mundiais. A proposta veio em boa hora”, informou.

O projeto

O Programa Segundo Tempo visa democratizar o acesso a diferentes práticas esportivas, possibilitando o desenvolvimento dos alunos participantes. É atribuído o trabalho socioeducativo por meio do esporte promovendo o respeito aos princípios da cidadania, inclusão social e democracia prioritariamente em áreas de vulnerabilidade social.

O atendimento engloba alunos de escolas públicas com a faixa etária de 6 a 17. As modalidades esportivas são: basquete, futsal, voleibol, handebol, futebol de campo, hockey, xadrez e tênis de mesa. As aulas ministradas por profissionais de educação física, sempre acontecem no contra-turno escolar.

Para saber onde existe um núcleo do Programa Segundo Tempo ligue para 3392-7549.

Reportagem: Anderson Pena
Foto: Newton de Castro Resende
Publicação: 10/07/2018

Inscrições para Prêmio Professor do Brasil vão até 28 de maio

Premiação é voltada apenas para educadores de escolas públicas.

As inscrições para a 11ª edição do Prêmio Professor do Brasil vão até 28 de maio. Podem participar professores de escolas públicas que atuam no Ensino Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. As inscrições são gratuitas e podem feitas exclusivamente pelo site.

Deverão ser enviados relatos de práticas pedagógicas desenvolvidas pelos profissionais da educação em sala de aula.r O objetivo é estimular a participação dos professores, reconhecendo e dando visibilidade às atividades que além de desenvolverem uma reflexão, buscam a excelência na educação.

Serão avaliadas seis categorias: Ensino Infantil creche; Ensino Infantil pré-escola; Ensino Fundamental 1º ao 3º ano; Ensino Fundamental: 4º e 5º ano; Ensino Fundamental 6º a 9º ano e Ensino Médio.

Serão premiados os professores responsáveis pelo melhor projeto de cada uma das categorias. A listagem da premiação está disponível no regulamento. No ato da inscrição os professores também poderão optar em participar da premiação extra, na qual o responsável deverá escolher um dos cinco temas, conforme o trabalho inscrito.

O Prêmio Professor do Brasil foi criado em 2005 pelo Ministério da Educação em parceria Secretaria de Educação Básica (SEB).

Reportagem: Nayara Macedo (Sob supervisão de Júlio César Santos)
Arte: Divulgação
Publicação: 25/05/2018

Seduc promove seminário para professores e pedagogos

Cerca de 130 profissionais participaram das atividades no auditório da UNA.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) promoveu, no Centro Universitário UNA, formação para professores e pedagogos do Ensino Fundamental em parceria com a Editora do Brasil. Cerca de 130 profissionais lotaram o auditório para acompanhar o tema sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Com o objetivo de melhorar a qualidade do trabalho dos profissionais da rede municipal, o seminário serviu para levar os métodos que serão usados na BNCC dentro das escolas públicas e também particulares. A cidade de Contagem saiu na frente ao determinar com clareza o que os alunos têm o direito de aprender. Com isso, contribui para promover a equidade educacional.

Assessora Educacional da Seduc, Soraya Aparecida Ferreira Silva, destaca que essa formação serviu para mostrar o quanto a BNCC vai contribuir para a qualidade e melhorias do ensino no país. “Cada região vai poder acrescentar o que é comum dentro dessa matriz curricular. Seguimos a base que é estabelecida via Governo Federal e com isso podemos aprimorar visando o bem-estar dos nossos estudantes contagenses”, afirmou.

Quem também ficou por satisfeita e acredita que o seminário foi de grande aprendizado é a pedagoga da Escola Municipal Professora Maria Olintha, Cirleia Alves Franca. Ela explica que os profissionais da rede municipal devem participar das formações para estarem inteirados com o tema da BNCC que é bem recorrente dentro do ensino brasileiro. “A nova BNCC vai trazer um outro olhar para dentro da educação. Acredito que os nossos estudantes vão ter grandes resultados nesse novo currículo dentro da aprendizagem nas escolas”, finalizou

Reportagem e foto: Leonardo Melo
Publicação: 16/05/2018

Prefeitura promove Semana de Enfrentamento e Combate ao Racismo

No sábado (19) ocorre a 5ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo.

No último domingo (13), foi celebrada a Abolição da Escravatura, assinada em 1888 pela Princesa Isabel. Porém, a desigualdade racial ainda é frequente no Brasil. Mesmo depois de tanto tempo, ainda há discriminação pelas diferenças sociais, culturais, econômicas e religiosas. E para combater a intolerância, conscientizar e mobilizar os servidores e a população, a Prefeitura de Contagem promove durante o mês de maio a 5ª Marcha de Enfrentamento e Combate ao Racismo, no dia 19, e diversas outras ações.

A marcha, bem como as ações propostas, são fruto de parceria entre as secretarias municipais de Educação (Seduc); Direitos Humanos e Cidadania; Cultura, Esporte e Juventude. Estão programadas diversas ações, como debates, sessões de filmes, seminários com especialistas, festas e atos públicos para conscientizar os moradores da cidade.

Na manhã desta terça-feira (15), dando início aos debates que enfatizam a necessidade da criação de políticas públicas e apontam questões étnicas raciais, foi promovido seminário, no auditório da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), com o tema “Povos e Comunidades Tradicionais: Quilombolas, Indígenas e Ciganos; desafio da política pública no enfrentamento e combate ao racismo”, que contou com a participação de educadores da rede pública.

O coordenador da educação escolar indígena do Estado, Jusnei Xakriaba, foi um dos palestrantes e explicou que a promoção de eventos que debatem as diferenças étnicas é fundamental para assegurar o direito dos povos que ainda lutam pela igualdade. “Eu acredito que a inserção desses temas nas escolas mostra a realidade dos povos que vão além da literatura”, afirma.

A professora da rede municipal, Cristina de Figueiredo, disse que a discussão sobre o combate racial precisa ser disseminada principalmente nas escolas. “As iniciativas sobre esta questão ainda são isoladas e precisam ser valorizadas. Por isso a gestão deve induzir com frequência o diálogo nas unidades de ensino sobre esse assunto para formar cidadãos mais tolerantes às diferenças”, enfatiza.

Para a coordenadora dos Projetos de Diversidade da Seduc, Edirléia Pádua, a reflexão sobre preconceito deve ser discutida na escola porque a luta e resistência étnica e racial é diária. “Falar das diferenças e do empoderamento dos negros, índios, ciganos e outros povos que sofrem discriminações, proporciona que a sociedade se torne mais democrática e tolerante. Nossos alunos e também toda a sociedade devem receber orientações sobre as diferenças e aprender de fato a conviver com elas”.

A coordenadora também lembrou que o apoio da atual gestão permite que as políticas públicas sejam executadas com eficiência. “Para o desenvolvimento de celebrações como esta é primordial o incentivo da gestão municipal. Além de cumprir com o dever, mostra que os representantes do executivo estão de fato preocupados com os moradores da cidade”.

Clique aqui e confira o folder com a programação completa.

Reportagem: Nayara Vianna
Foto: Rafael D’Souza
Publicação: 15/05/2018