Posts com a Tag ‘Educação’

Escola Sem Fronteiras certifica imigrantes em Língua Portuguesa

O projeto desenvolvido pela Secretaria de Educação contribui para a inserção dos estrangeiros em Contagem.

O Projeto Escola Sem Fronteiras certificou em Língua Portuguesa, na segunda-feira (11), durante cerimônia na Câmara Municipal, 57 alunos imigrantes. Desenvolvido pela Prefeitura de Contagem desde 2015, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), o Escola Sem Fronteiras estabelece o atendimento a estudantes matriculados ou não na rede municipal. Haitianos e colombianos que se estabeleceram em Contagem nos últimos anos tiveram acesso ao Programa de Língua Estrangeira (PLE) ministrado na Escola Municipal Maria Silva Lucas, na Regional Ressaca, durante um ano.

Segundo a subsecretária municipal de Ensino, Dagmá Brandão Silva, a Seduc vem fortalecendo o Escola Sem Fronteiras porque acredita que toda pessoa que mora em Contagem precisa ser cuidada e acolhida. “Este projeto tem esta característica do trato da diversidade e da diferença. Ao ofertar a formação em Português para estrangeiros, propiciamos para essas pessoas a construção da Língua Portuguesa. A certificação na língua não tem caráter de escolarização, pois o objetivo é fazer a inserção na cidade, no país. Nós temos pessoas aqui que já são formadas em curso superior e estão aprendendo a língua para ter acesso aos bens materiais e culturais”, disse.

O haitiano Louis Novinxonn chegou em Contagem em junho de 2017 e foi acolhido no curso em 2018. Ele conta que assim venceu as dificuldades em se estabelecer no novo país e aprendeu rápido o português. “Estou muito feliz em conseguir. Já estou trabalhando, gostando do Brasil e pretendo ficar mais tempo para conseguir ajudar minha família no Haiti”, contou.

Conforme explica a diretora de Educação das Relações Étnico-raciais e Direitos Humanos da Seduc, Rosângela Silva, no período de 2010 a 2014, Contagem recebeu o maior número de imigrantes da Região Metropolitana de Belo Horizonte, uma população estimada em 2 mil pessoas, sobretudo de nacionalidade haitiana. “Neste contexto, foi criado o Escola Sem Fronteiras, para garantir o acolhimento adequado aos imigrantes quanto ao acesso, permanência e progressão escolar viabilizando o diálogo entre a escola, familiares e comunidade por meio do ensino da Língua Portuguesa”, disse.

O professor haitiano e presidente da Associação Kore Ayisyen, Phanel Georges, ajuda a comunidade haitiana em Contagem no processo de integração. Para ele, o projeto é essencial à medida que possibilita o contato educacional e cultural das famílias e facilita a inserção das crianças, garantindo o direito universal à Educação.

Reportagem: Vanessa Trotta
Foto: Elaine Castro
Publicacao: 12/03/2019

Novos membros do Conselho Municipal de Educação de Contagem tomam posse

Evento foi realizado nessa quarta-feira (12), no auditório da Prefeitura de Contagem

Na manhã dessa quarta-feira (12) ocorreu a solenidade da posse dos novos membros do Conselho Municipal de Educação de Contagem. A solenidade, no auditório da Prefeitura, contou com a participação de autoridades, membros da sociedade civil e do poder público.

O Conselho municipal de Educação é composto por 25 conselheiros titulares e 25 suplentes. O novo mandato terá duração de três anos. “O Conselho Municipal de Educação é muito atuante; é um conselho plural. Temos membros do poder legislativo, executivo e sociedade civil. Analisamos tudo que se refere a educação no município”, destacou a Presidente do Conselho de Educação, Thássia Leão.

A função dos conselheiros não é remunerada. No Conselho existem três comissões temáticas de trabalho: Comissão de Ensino; Comissão de Legislação, Planejamento e Análise Financeira; e Comissão de Divulgação e Eventos. “A participação do conselho é importante e necessária. Estamos fazendo a recomposição dos conselheiros e membros do conselho para que possamos trabalhar juntos na política pública, especialmente em relação a educação”, disse a secretária municipal de Educação, Sueli Baliza.

Criado por meio da lei Municipal n° 1609, de 20 de dezembro de 1983, o Conselho Municipal de Educação de Contagem (CMEC), é um órgão de natureza colegiada e permanente, que desempenha funções normativas, deliberativas, consultivas e de controle sócia. Tem como objetivo assegurar a participação da sociedade no aperfeiçoamento da educação municipal.

A mesa foi formada pela secretária municipal de Educação, Sueli Baliza, pelo subsecretário de Gestão e Operação, Sérgio Mendes, pela Coordenadora da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, Galdina Arrais, pela presidente do Conselho Municipal de Educação, Thássia Leão e pelos vereadores Caxicó, Daniel do Irineu e Jair Tropical, que assinaram o termo, referendando a posse. Os novos conselheiros começam a atuar imediatamente.

Confira mais fotos da posse na Galeria 1 e Galeria 2.

Reportagem: Nelson Augusto
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 12/12/2018

Conselho Municipal de Educação realiza posse de novos conselheiros

Conselho Municipal de Educação realiza posse de novos conselheiros

Mãe de estudante com deficiência cria roupa que auxilia na inclusão esportiva

O jovem de 13 anos participou do torneio da escola e fez três gols para a alegria da turma.

A Escola Municipal Heitor Villa-Lobos, na Regional Industrial, tem promovido desde o último final de semana um torneio esportivo dentro de suas dependências. Por ser uma escola que também agrega estudantes com deficiência, a direção trabalhou para que todos pudessem participar de maneira inclusiva das atividades que tomaram as três quadras da escola.

Mas o que mais chamou a atenção dos presentes, foi a determinação de um jovem do 7ºano, que fora abraçado por seus colegas de classe e também por seu professor de Educação Física. O garoto, João Bernardo Avelar Santos é cadeirante e nasceu com tetraplegia ou quadriplegia (que é quando uma paralisia afeta todas as quatro extremidades), estava tendo problemas de desnutrição grave e com isso começou a surgir sintomas de depressão.

A sua mãe, que é costureira, Maria Lucia Baeta, preocupada com o bem-estar e a saúde do filho, criou uma roupa similar à de outro pai que também tinha o sonho de ver o filho praticando atividades esportivas. Ela fez uma espécie de adequação em que um adulto a veste, e com isso o seu filho consegue também se fixar por dentro dela. Pela situação do João Bernardo, ele precisava de uma roupa que o pudesse mantê-lo ereto para que assim o peso fosse suportado por quem o levasse para dentro dos ambientes em que ambos estivessem.

Na opinião do professor de Educação Física, Luiz Gustavo Martins de Abreu, a roupa proporcionou mais interação do estudante com os seus colegas de classe e também o deixou mais próximo das atividades esportivas. Prova disso, que durante o campeonato na escola, Luiz Gustavo, foi a pessoa que o direcionou dentro de quadra no duelo de futsal entre duas turmas. João Bernardo foi o autor dos três gols que levaram a sua turma para a próxima fase do torneio. “Eu sempre quis trabalhar inclusão quando cheguei na escola. Minha vontade sempre foi de motivá-lo e durante esses dias de torneio na escola, foi o ápice da emoção ao vê-lo feliz e realizado com a sua participação em quadra”, destaca Luiz Gustavo.

A mãe, Maria Lúcia, ficou feliz em ter projetado a roupa e na avaliação dela o filho voltou a ser uma criança mais feliz. “Eu falei com ele que ia tentar fazer uma roupa que o pudesse dar a chance dele jogar futsal e consegui. Foi tudo tão rápido, acredito que achamos uma brecha que faça com que ele melhore da depressão e o faça voltar a sorrir novamente, vamos acompanhar mais de perto nas aulas de Educação Física”, finalizou.

O estudante João Bernardo também possui uma irmã gêmea, Maria Beatriz, também do 7º ano na mesma escola. Ela nasceu com diplégia espástica (paralisia que pode ser mais ou menos grave dos membros inferiores), e faz o uso de andador. Ela também participou do torneio, dessa vez na modalidade queimada. Desde os quatro anos de idade vão juntos na escola e são sinônimos de força e determinação por seus colegas.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 31/10/2018

Conselho Nacional de Educação e Seduc divulgam o corte etário para 2019

O objetivo é dar diretrizes às escolas para o próximo ano letivo.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc), por meio da resolução publicada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), orienta às escolas e aos pais de alunos sobre a idade de corte daqueles que vão ingressar na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, com idade de 4 e 6 anos, respectivamente, completados até 31 de março em 2019. O objetivo é que não haja interrupção ou retenção no percurso formativo dos estudantes.

A regra pode ser dispensada, segundo o CNE, para os alunos que já frequentam o ensino regular e eventualmente fazem aniversário depois da data limite. A partir de agora, escolas públicas de todo o país deverão observar a regra firmada em 2010. Os estudantes nascidos de 01/04/2013 a 30/06/2013, que realizaram o cadastro escolar em 2018, para acesso em 2019, deverão ser matriculados no 1º ano do Ensino Fundamental.

As inscrições de cadastro escolar, realizadas em 2018, para acesso em 2019, na Educação Infantil, obedecerão ao corte etário, até 31 de março. As crianças matriculadas e frequentes em instituições como creche (0 a 3 anos) ou pré-escola (4 e 5 anos), terão sua progressão assegurada, mediante comprovação de escolarização.

Em casos de não comprovação do estudante na Educação Infantil ou pré-escola, deverão ser matriculados conforme o corte etário de 31 de março. “O parecer do CNE é defender que a criança tenha até seis anos de idade para aprender de maneira lúdica antes de prosseguir ao Ensino Fundamental. Por meio disso vamos alinhar o sistema de educação no país que antes prejudicava de uma certa forma o desenvolvimento da criança na escola, vejo com bons olhos”, finalizou a superintendente de Organização e Administração da Rede Escolar da Seduc, Daniela de Souza Viana.

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura
Publicação: 30/10/2018

Educação de Contagem é destaque no 4º Encontro Internacional de Cidades pela Felicidade

Ações na educação de Contagem serão apresentadas aos países participantes

Contagem participa do 4º Encontro Internacional de Cidades pela Felicidade realizado em Quillota, no Chile. Durante três dias, 24 países vão discutir políticas públicas que promovem o bem à população. Fóruns temáticos sobre educação, saúde e ações governamentais estarão em pauta.

Contagem será representada pelo subsecretário de Gestão e Operações, Sérgio Mendes. Sérgio irá ministrar uma palestra sobre as medidas adotadas pelo município para reverter os recursos em benefício ao cidadão. “No nosso município, o que o contribuinte paga é retornado às famílias de Contagem. Dentre os retornos estão o kit escolar, o uniforme, que promove igualdade dentro das escolas, a reforma das escolas que proporciona ao aluno um ambiente agradável”, destacou.

A educação tem um espaço importante no Encontro. Isso porque os países que buscam caminhos para promover a felicidade e o bem-estar da população acreditam que as escolas são o diagnóstico para o desenvolvimento social e humano. “Nós vamos conseguir transformar a sociedade quando enxergarmos nossas crianças e vermos que ali estão sendo moldadas vidas. O professor é fundamental para que o aluno tenha uma nova forma de vida, um novo olhar sobre a sociedade”, enfatizou Sérgio.

Contagem iniciou a participação no fórum internacional de ações que buscam a felicidade do cidadão neste ano. É o segundo encontro com participação do município. A reunião dos países volta os olhares para a organização política, com intuito de buscar ações que de fato beneficiem e promovam o bem-estar.

O 4º Encontro Internacional de Cidades pela Felicidade ocorre nos dias 17, 18 e 19 de outubro no Centro Cultural Leopordo Silva Reynoard, em Quillota, no Chile. A apresentação de Contagem será nesta quinta-feira.

Reportagem: Júlio César Santos
Publicação: 18/10/2018

Mês de setembro foi repleto de ações educativas sobre o trânsito

Atividades atenderam cerca de 790 crianças e adolescentes em escolas municipais e privadas.

O mês de setembro é símbolo de diversas campanhas e movimentos que buscam conscientizar a população sobre determinados temas, dentre eles o trânsito. Consciente disso, a Prefeitura de Contagem, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (Transcon), promoveu no decorrer do mês ações educativas em escolas públicas e privadas do município.

Com o objetivo de estimular o comportamento seguro no trânsito, as atividades atenderam cerca de 790 crianças e adolescentes, que participaram de exercícios lúdicos, como sinalização semafórica, trilha do trânsito, gincanas, exposições e abordagens educativas sobre estacionamento em área escolar. Os agentes de trânsito também integraram quase todas dinâmicas praticadas nas escolas de ensinos infantil, fundamental e médio. Uma maneira de compartilhar conhecimento entre agentes e população.

A gerente de Educação para o Trânsito da Transcon, Adriana Ferrari, comentou que a parceria entre as escolas, órgãos públicos e privados foi fundamental para o sucesso das ações. “As instituições demostraram interesse e colaboraram para que tudo ocorresse bem. O que é importante, pois os estudantes serão multiplicadores das orientações dadas nas dinâmicas que oferecemos nas escolas”, disse.

Ela lembrou ainda que o mês de setembro não se restringe apenas a Semana Nacional do Trânsito, ocorrida entre os dias 18 e 25 de setembro. “O mês é importante, pois comemoramos o Dia Mundial sem Carro (22), o Dia dos Agentes da Autoridade de Trânsito (23) e o Dia Nacional do Trânsito, datas importantes para orientar sobre o papel de cada um para o trânsito seguro”, pontuou.

A Transcon promove ações educativas no município em todos os meses do ano. Algumas atividades recebem prioridade de acordo com o calendário de campanhas nacionais, definidas pelo Conselho Nacional de Trânsito, como a Semana Nacional do Trânsito e o Movimento Maio Amarelo.

Reportagem: Yuri Soares
Fotos: Divulgação
Publicação: 02/10/2018

UMEI Nova Contagem recebe nova pintura

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs) está executando, desde novembro de 2017, os serviços de pintura em 83 unidades escolares.

A Unidade Municipal de Educação Infantil (UMEI) Nova Contagem recebeu nova pintura e garantiu um ambiente mais harmonioso, limpo e agradável aos usuários. Com o serviço de pintura iniciado no último mês de abril, foi contemplada toda a estrutura da edificação. As paredes, tetos, esquadrias metálicas, muros e pisos foram totalmente revitalizados. Foi realizada em cada escola uma votação onde alunos, pais e servidores puderam escolher a pintura a ser realizada na fachada. A execução dos serviços na fachada segue conforme votação e internamente conforme memorial descritivo, onde cada sala é de uma cor, totalizando sete cores, tendo como referência o arco-íris. A Unidade atende 296 alunos de 3, 4 e 5 anos.

A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs) está executando, desde novembro de 2017, os serviços de pintura em 83 unidades escolares. Das 83, 29 unidades já tiveram os serviços de pintura finalizados. A previsão é de que até dezembro de 2018, todas as unidades sejam contempladas.

Segundo o engenheiro Thiago Leite, a pintura da UMEI Nova Contagem, assim como todas as unidades, seguiu as diretrizes do memorial descritivo elaborado para o projeto de pintura escolares do município.

De acordo com a diretora da UMEI Nova Contagem, Adélia Almeida Prates e Freitas, a satisfação dos pais, alunos e servidores com a revitalização é notória. “A UMEI foi inaugurada em 2009 e pela primeira vez passa por uma mudança dessa grandeza. Os usuários agradeceram muito pelas mudanças e até o astral das crianças melhorou, o que demonstra que o colorido desperta a alegria dos pequeninos. Temos um ipê rosa no pátio, que harmonizou ainda mais o ambiente. Iremos inaugurar a quadra demarcada e um espaço com amarelinha e outras brincadeiras. As crianças ficarão ainda mais vibrantes. Veio tudo em boa hora: uniformes novos e escola revitalizada”, comemorou. E as melhorias na UMEI Nova Contagem não param por aí. Está previsto para os meses de setembro e outubro a arborização da unidade.

Estão sendo investidos R$44 milhões em reformas das unidades educacionais e R$ 11,8 milhões em pinturas. Ao todo, 115 escolas terão serviços de pinturas, obras e outras intervenções. As obras e pinturas estão sendo feitas por etapas e o cronograma se estenderá até o fim de 2018.

Reportagem: Stella Santiago
Foto: Ricardo Lima
Publicação: 24/08/2018

Seduc reforça tema de inserção de imigrantes nas escolas

A direção de projetos especiais e corpo pedagógico fizeram reunião sobre o tema na secretaria.

A Superintendência de Projetos Especiais e Parcerias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) fez um encontro de apresentação com professores, pedagogos e oficineiros no intuito de alinhar os trabalhos que serão feitos nas escolas de Contagem com os imigrantes haitianos e de outras nacionalidades.

A pauta abordou questões sobre o projeto “Escola sem Fronteiras” e também o assédio moral e racial que muitos imigrantes têm enfrentado no Brasil. Durante o bate-papo entre os profissionais que estão à frente nas escolas e o corpo responsável da Seduc, cada um pôde falar como é a realidade dentro das escolas do município que recebem imigrantes com dificuldade em língua portuguesa.

É com base na lei que o Português como Língua Estrangeira (PLE) tem sido assegurado nas escolas contagenses. E os 58 estudantes matriculados na rede atualmente tenham acesso ao conteúdo gratuito e voltado para a cidadania daquele indivíduo que chega na cidade e precisa saber se comunicar para poder trabalhar e viver na sociedade. “O nosso intuito é trazer uma política de igualdade e empoderamento. Queremos também envolver outras secretarias que nos ajudem a transformar esse nosso olhar para o imigrante que vive em Contagem”, afirma a diretora de Relações Étnico Raciais e Gênero da Seduc, Rosângela da Silva.

Durante a reunião, os profissionais das escolas, puderam levantar o que evoluiu dentro do campo do ensino com o imigrante. Trabalhos voltados para a cultura, lazer, música, poesia, cinema e festividades folclóricas também foram destacados como forma de aprendizado nas falas de cada um. “Durante as aulas e as atividades que fazemos com os estudantes, eu pude perceber que somos todos iguais. Essa experiência ao longo dos anos em que estive à frente dos projetos, mostrou que é possível e satisfatório trabalharmos com cada aluno de outras nacionalidades”, destaca a professora de Português, Maria Rita da Consolação.

No final da reunião ficou marcado novas agendas e visitações nas escolas Escolas Municipais Maria Silva Lucas e Isabel Nascimento de Mattos que hoje recebem os estudantes nas Regionais do Ressaca e Petrolândia, respectivamente. A Seduc reforça que os professores são capacitados e dão um curso intensivo de 6 meses para o turno da noite. Atualmente a cidade de Contagem possui cerca de 2 mil imigrantes, em sua grande maioria haitianos. “O Projeto Escola sem Fronteiras têm um papel importante na inserção da temática imigrantes. Sabemos que pessoas de diversas nacionalidades vivem hoje no município e dessa forma, queremos acolher e reforçar as garantias que todos eles precisam receber para se ter uma educação justa e forte na cidade”, finalizou a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias da Seduc, Ludmilla Soares.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Geraldo Tadeu
Publicação: 27/07/2018