Posts com a Tag ‘Debate’

Estudantes participam de palestras sobre os riscos do uso de drogas

Ações fizeram parte da Semana de Enfrentamento ao Uso e Abuso de Álcool e Outras Drogas

Durante Semana de Enfrentamento e Prevenção ao Uso e Abuso de Álcool e outras Drogas, estudantes da rede municipal de ensino participaram de palestras sobre o tema. O objetivo foi conscientizar crianças e adolescentes sobre os riscos que as drogas e o álcool causam à saúde e à sociedade.

Na Escola Municipal Virgílio de Melo Franco e Escola Municipal Vereador Jésu Milton dos Santos, estudantes entre 10 e 13 anos receberam a professora universitária Kelly Oliva Jorge. Kelly é referência de um trabalho sobre uso de álcool e drogas na adolescência. “É importante falarmos deste tema aos jovens já que esta faixa etária é considerada vulnerável ao primeiro contato com as drogas. Infelizmente os adolescentes que experimentam drogas e álcool nesta fase da vida apresentam mais de 30% de chances de se tornarem adultos viciados”, alertou.

Durante a palestra foram abordadas as mudanças físicas e comportamentais que ocorrem na adolescência e os perigos do querer inserir-se em grupos que, na maioria das vezes, não conseguem fazer a melhor escolha. A palestrante ainda apontou os vários problemas que as drogas e o álcool podem trazer ao organismo, como o câncer de boca, língua, e palato.

Ao final do encontro, os estudantes puderam fazer perguntas e esclarecer suas dúvidas sobre o assunto. “É importante ressaltar que o trabalho de conscientização sobre o uso e abuso das drogas não se esgota em uma semana de prevenção, é um assunto que deve se estender a todas as camadas sociais, principalmente aos estudantes”, finalizou Kelly.

Reportagem: Júlio César Santos
Publicação: 03/07/2018

Funec abre debate sobre o Novo Ensino Médio

As mudanças estão previstas a partir de 2021

Visando aprofundar o entendimento da proposta do Governo Federal sobre o Novo Ensino Médio, a Fundação de Ensino de Contagem (Funec) promoveu uma palestra com o foco nas novas diretrizes que serão aplicadas a partir de 2021.

A palestra foi ministrada pelo superintendente do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação, Wladmir Coelho, que abordou os princípios básicos da educação no Brasil. “O debate ainda é profundo com a sociedade. Para falarmos da renovação do ensino médio, devemos observar a constituição para garantirmos o acesso à educação pública, moderna e laica”, explica Wladmir.

A plateia, composta por servidores da Fundação de Ensino de Contagem, pôde levantar questionamentos e debater sobre o tema. Proposta pelo Ministério da Educação (MEC), a reforma do ensino médio, visa incentivar que as redes de ensino ofereçam ao estudante a chance de dar ênfase em algumas áreas. O novo modelo engloba uma flexibilidade de grade curricular. Disciplinas de artes, educação física, filosofia e sociologia, por exemplo, deixam de ser obrigatórias.

“A ideia de convidar os servidores da fundação é mostrar a importância que o Novo Ensino Médio terá impacto de maneira positiva na vida do estudante. Esse é o pontapé para chegarmos prontos nas nossas escolas. O próximo passo será estruturar um grupo dentro da Funec para discutirmos com os estudantes as propostas”, finalizou o vice-presidente da Funec, Joaquim Antônio Gonçalves.

Reportagem: Leonardo Melo
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 08/06/2018

Estudantes e educadores debatem sobre participação do negro na mídia

O foco é a valorização do negro nos meios de comunicação

Cerca de 80 estudantes do 7º ao 9º ano das escolas municipais Eli Horta Costa e Estudante Leonardo Sadra, localizadas na regional Sede, participaram da roda de conversa sobre a atuação do negro na mídia. O bate papo ocorreu no espaço cultural Casa Azul.

O debate foi mediado pela coordenadora dos projetos de Diversidade da Secretaria Municipal de Educação, Edirléia Pádua e contou com a participação de pessoas de diversos segmentos sociais. Os estudantes e educadores tiveram a oportunidade de interagir, realizando perguntas e opinando sobre o papel do negro nas plataformas de mídia.

Objetivo do evento foi despertar opiniões e pensamentos críticos através de informações e debates sobre assuntos atuais. “Esse debate propõe focar os olhares para a representatividade nesse importante canal social. Viemos discutir porque a população negra sendo a maioria com 54%, é minoria no sentido de representação. Sendo invisível nos meios de comunicação, seja no campo institucional e no espaço de poder.” Explica o empreendedor social, Rafael Aquino.

A coordenadora dos Projetos de Diversidade da Secretaria Municipal de Educação (Seduc) Edirléia Pádua, explica a importância de dar continuidade ao bate papo nas instituições. “As escolas precisam de organizar, solicitar e planejar para ter esse movimento. Não tem luta com o preconceito sem informação e nós precisamos fazer esse combate para um mundo melhor.”

Foram quatro horas de discussões. Os estudantes aprovaram a ação e esperam mais debates sobre o tema. “São poucas escolas que fazem esse tipo de movimento. Eu fico feliz porque já sofri preconceito e é um momento em que podemos expressar o que é a nossa cor e o que ela representa”, comenta a estudante do 8º ano da Escola Municipal Leonardo Sadra, Estéfane Eduarda Oliveira.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob supervisão de Júlio César Santos)
Fotos: Elaine Castro
Publicação: 23/05/2018

Educadores participam de debate sobre ações em prol a população em situação de rua

Especialistas de diversos órgãos e moradores em situação de rua expuseram sobre o tema

Dando sequência aos debates relacionados à “Semana de Enfrentamento e Combate ao Racismo” foi promovido, no Centro Universitário Una, seminário que abordou a igualdade racial trabalhando o tema relacionado a população em situação de rua e as múltiplas faces do racismo. O evento teve a promoção das secretarias municipais de Educação (Seduc); Direitos Humanos e Cidadania; Cultura, Esporte e Juventude.

A palestra contou também com a participação de especialistas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC), Movimento Nacional da População de Rua e a Associação Dos Moradores do Bairro Novo Progresso II (Amonp).

O objetivo do seminário foi levantar discussões sobre o que leva a pessoa à viver em situação de rua e como o poder público tem trabalhado para dar visibilidade as pessoas que hoje estão nas ruas dos grandes centros. Assuntos como o desemprego, saúde e educação também foram pautados para cerca de 80 pessoas que estiveram no local. “Existem muitas pessoas que estão sem os direitos garantidos por lei. Queremos, nesses encontros, nos organizar e buscar o entendimento sobre o quanto essas populações, grupos e etnias sofrem nas ruas das grandes cidades brasileiras”, explica a coordenadora dos Projetos de Diversidade da Seduc, Edirléia Pádua.

Durante o debate foi feito um recorte sobre a cidade de Contagem e o número atual de moradores que vivem em situação de rua. De acordo com a pasta do Direitos Humanos do município, existem cerca de 700 moradores espalhados pela cidade. “Um dos principais pontos do encontro de hoje é também dar voz aos moradores em situação de rua para que eles possam contar as mazelas que eles vivem, e como podemos buscar políticas e ações para ajudá-los em suas vidas cotidianas”, destaca a cientista política da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Maria Zenó.

Também estiveram presentes no evento, cerca de 25 moradores em situação de rua que puderam acompanhar e falar um pouco sobre como é viver no espaço público, além disso eles deram sugestões de como o governo pode abraçar esse movimento que precisa de atenção nas ruas da cidade. “Eu moro na rua há cerca de 13 anos e o atual governo foi o único que vem nos dando voz e amparo para podermos seguir em frente com as nossas vidas. O meu sonho é poder voltar a trabalhar, ter um lar e família. Acredito que um dia terei a chance de realizar”, finalizou, o cozinheiro e morador em situação de rua, Agnaldo de Oliveira Araújo.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Elias Ramos
Publicação: 21/05/2018

Educadores participam do lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

Ciclos de palestras e debates vão até maio

Cento e vinte educadores participaram da abertura do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) em Contagem. O encontro ocorreu no auditório da Escola Municipal Heitor Villa Lobos. Na aula inaugural os participantes assistiram palestras sobre as necessidades da criança durante o aprendizado, tecnologias em sala de aula e sobre as metodologias de ensino na educação infantil.

As palestras foram ministradas por profissionais renomados que atuam e desenvolvem pesquisas sobre educação. O PNAIC chega à 5ª edição em Minas Gerais e propõe uma significativa colaboração na atuação dos professores na rede municipal e estadual.

A temática desta edição é voltada para os jogos digitais e o processo de formação dos docentes.As palestras e debates buscarão soluções e novos métodos de ensino para crianças de 4 a 7 anos em período de alfabetização. “Construir experiências no caderno de currículo infantil traz novas práticas para a escrita, leitura e uma nova discussão sobre o ensino municipal”, destaca a professora, Maria Claudia da Silva.

Os módulos de estudos terminam em maio de 2018. O foco é ampliar as ações de estudos e reflexões. “O encontro serviu para mostrar novas metodologias de ensino para as crianças aprenderam a linguagem escrita. Os jogos digitais serão uma ferramenta mais lúdica e inovadora no processo de aprendizagem tanto do professor quanto do aluno”, afirma a gestora de formação, da Seduc, Lucimara Alves da Silva.

Para conhecer mais sobre o PNAIC e baixar os conteúdos de estudo clique aqui

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Newton de Castro Resende

Fórum promove debates e exibe filmes sobre a educação pública

Educadores, estudantes e agentes culturais discutem o papel do cinema na construção dos programas educacionais

A Prefeitura de Contagem, por meio de suas fundações de Cultura (Fundac) e de Ensino (Funec), promove entre os dias 26 e 28 de outubro, no Centro de Memória do Trabalhador da Indústria de Contagem, o II Fórum de Educação e Cinema de Contagem. Com o objetivo de debater o panorama das artes visuais na formação pedagógica do ensino público, a programação apresenta exibição de filmes e documentários, rodas de conversa e mesas de debates sobre cinema e educação.

A coordenadora do evento, professora Mônica Alves, destaca a importância da integração entre as pastas para a formação dos estudantes. “Pensar em educação é pensar em cultura. As duas áreas sempre dialogaram e trabalharam em conjunto na formação educacional e cidadã. Formatar um plano educacional integrado significa ampliar as bases de conhecimento e formação dos estudantes”, completa.

A abertura do evento aconteceu na tarde de quinta-feira (26) e contou com representantes da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), da Fundação de Cultura (Fundac), da professora Doutora Inês Teixeira e da palestrante Doutora Maria Jaqueline Grammont. A mesa redonda debateu o cinema na sala de aula e contextualizou o cenário atual e os reflexos da construção pedagógica através de discussões sobre filmes exibidos.

Os estudantes da rede pública municipal também participam dos debates e têm a oportunidade de sugerir pautas para integrar a “carta de intenções” que será produzida ao final do evento. No primeiro dia foi exibido o filme “Nunca me sonharam”, documentário de Cacau Rhoden (2017), que trata dos desafios do presente, as expectativas para o futuro e os sonhos de quem vive a realidade do ensino médio nas escolas públicas do Brasil. Na voz de estudantes, gestores, professores e especialistas, ‘Nunca me sonharam’ reflete sobre o valor da educação.

Com número de inscrições esgotadas em três dias, o fórum ainda tem apresentação de trabalhos educacionais como o projeto audiovisual “A escola faz cinema: Experiências com o inventar em Contagem” coordenado pelos professores Alexandre Pimenta e Ana Lúcia Azevedo, que desenvolveram o projeto Inventar com a diferença em Contagem (2016/2017).

A expectativa dos organizadores é que o fórum traga resultados que componham os projetos educacionais futuros e garanta um plano pedagógico amplo e diversificado para o ensino público.

Confira a programação completa aqui.

Reportagem e foto: Marcelo Grillo

Semana da Juventude leva importantes debates às escolas

Empreendedorismo, álcool e drogas foram temas debatidos com os estudantes.

Durante toda a semana, estudantes da rede municipal de ensino acompanham palestras sobre assuntos relacionados à juventude. Na Escola Municipal Isabel Nascimento de Mattos, houve apresentações de duas palestras como os temas: empreendedorismo; álcool e drogas. O evento faz parte da Semana da Juventude e foi organizado pelas secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico e de Esporte, Lazer e Juventude.

O presidente do Centro Industrial de Contagem (Cinco) e ex-aluno da escola, Adimilson Ângelo de Moura, palestrou sobre empreendedorismo, contando a experiência de vida dele. “Aqui nesta escola foi onde começaram os meus sonhos. A minha primeira empresa foi constituída quando tinha 15 anos. Hoje foi um presente poder retornar e falar para os alunos, que são privilegiados por estudarem na mesma instituição, que formou grandes profissionais”, disse.

A escola Isabel Nascimento de Mattos é considerada celeiro de formação de lideranças transformadoras como professores e empresários, dentre eles o prefeito de Contagem, Alex de Freitas.

Para a diretora da escola, Ana Maria Ferreira Gouveia Paixão, os temas foram propícios para o momento. “Estes assuntos precisam ser debatidos. Já estávamos à procura e esta foi nossa oportunidade de colocar a escola em movimento”, informa.

O esporte transforma

O secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Kaká Menezes, que foi jogador de basquete, acredita na proposta de levar crianças e adolescentes a terem experiências com os esportes e assim afastá-las das drogas e da criminalidade.

Palestrante do tema álcool e drogas, Menezes disse que é preciso apostar e acreditar nos jovens. “As drogas só levam para caminhos ruins. O jovem precisa ter boas referências para seguir o caminho do sucesso”, relata.

Davi Felipe Santos da Cruz, de 15 anos, estudante do 9º ano, fala com um brilho no olhar sobre essa experiência. “Gosto de basquete e sempre estou jogando. O esporte é bom, pois ajuda a desabafar os problemas de casa e do cotidiano. Eu gostei muito de tudo isso aqui hoje, porque na maioria das vezes, os pais não conversam com seus filhos sobre as drogas. Espero que aconteça mais e em todas as escolas de Contagem“, pontua.

Confira abaixo as palestras que ainda vão ocorrer durante a Semana da Juventude

 Data                  Hora                                        Local                                                                         Tema

20/09              8h às 11h                            Funec Riacho                                                                Startup
21/09              8h às 11h                        Funec Inconfidentes                                                      Seminário
21/09                19h30                                       UNA                                             Desafios e Oportunidade de Trabalho
21/09             14h às 17h                        E.E. Nova Contagem                                                Álcool e Drogas
22/09             14h às 17h                            E.E. Confrade                                                            Cidadania
22/09              8h às 11h                        E.E. Firmo de Matos                                               Empreendedorismo
23/09             14h às 20h                Praça Pres. Tancredo Neves                                          Festival Cultural

 

 

Reportagem: Anderson Pena
Fotos: Cássio Matias