Seduc realiza formação com professores sobre práticas de ações voltadas para a superação do racismo

Ao todo 350 professores da Educação Básica estiveram na UNA Contagem.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc), por meio da direção da Educação das Relações Étnico-raciais, Direitos Humanos e Cidadania, finalizou a formação do primeiro semestre para professores da Educação Básica, que havia se iniciado em março deste ano. Cerca de 350 participantes vivenciaram disciplinas para a construção de práticas pedagógicas no Centro Universitário UNA de Contagem.

Segundo a diretora de Educação das Relações Étnico-raciais, Direitos Humanos e Cidadania, Rosângela da Silva, o curso possui uma parte introdutória que busca refletir sobre os elementos históricos da construção do racismo no Brasil e outra parte voltada para a construção de práticas pedagógicas que incluam no currículo escolar de forma cotidiana a educação das relações étnico-raciais. “O curso é vital para a implementação de ações voltadas para a superação do racismo no ambiente escolar e o cumprimento no disposto da legislação. Além disso o curso contribui para maior assertividade junto ao Plano de Desenvolvimento da Aprendizagem”, destaca Rosângela.

As aulas fazem parte da rede de formação da Seduc e atenderá aos profissionais da rede ao longo do ano, no período de março a dezembro. Vai abranger todas as modalidades da Educação Básica e tem por objetivo subsidiar os profissionais em educação, na construção de estratégias para a implementação de ações voltadas para a educação das relações étnico-raciais e superação do racismo, conforme disposto nas leis 10.639/2003 e 11.645/2008.

O curso teve duração de quatro módulos e contou com a presença de vários nomes que contribuíram com a formação. Entre eles, a escritora Rosa Margarida Carvalho que ministrou aulas para as (os) pedagogas (os) da rede. Neste, a abordagem buscou contribuir para reflexões e elaboração de práticas pedagógicas voltadas para a educação. “O curso foi bom para a interlocução com a escola pois abordamos as questões étnico-raciais em que acreditamos como reflexão para com os professores. Ouvimos relatos que chamaram a nossa atenção e levamos o referencial pedagógico para abordagens dentro daquilo que acreditamos como diversidade”, finalizou Rosa.

Reportagem: Leonardo Melo
Foto: Divulgação
Publicação: 27/06/2019

Notícias Relacionadas