Seduc e Funec promovem 16 Dias de Ativismo, pelo fim da violência contra a Mulheres

A Secretaria Municipal de Educação – Seduc, através da superintendência de Projetos Especiais e de Políticas para as Mulheres, em parceria com a Fundação de Ensino de Contagem – Funec, promovem a ação “16 Dias de Ativismo – Pelo Fim da Violência contra a Mulher”, que tem o objetivo de trazer uma reflexão sobre a violência contra a mulher à comunidade escolar do município de Contagem.

Ao longo de 16 dias serão divulgados materiais que procurem trazer a reflexão com o público docente e de toda comunidade escolar para fazer do ambiente educacional um local cooperativo, solidário e acolhedor para as estudantes e trabalhadoras em situação de violência.

O ponto de partida da ação foi o dia 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra a Mulher, em homenagem ao assassinato cruel das irmãs Mirabal, ocorrida na República Dominicana, no ano de 1960.

A ação segue até o dia 10 de dezembro, quando se comemora o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Neste período, 6 de dezembro marca o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, também conhecido como o Dia do Laço Branco.

Educação e ativismo

A proposta da educação baseada em Direitos Humanos propõe a valorização da constituição dos(as) sujeitos(as) cujas práticas educativas sejam baseadas não somente na razão/técnica, mas também numa visão mais integrativa do ser humano, que dialoga com o mundo que o cerca e que pautam a atuação da Seduc e da Funec no município.

Assim, trazer novas perspectivas que procuram religar o conhecimento do mundo real – no caso da violência contra as meninas e mulheres – é tocar em assuntos sensíveis que podem trazer gatilhos para as mais vulneráveis, que de alguma maneira foram ou continuam sendo violentadas.

As publicações realizadas nos 16 Dias de Ativismo serão pautadas por reflexões inspiradas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil, da Organização das Nações Unidas – ONU, no que se refere à igualdade entre homens e mulheres e empoderamento de todas as mulheres e meninas.

Violência na Pandemia

A violência contra a mulher cresceu 24,4% durante a pandemia da Covid 19, de acordo com a pesquisa “Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil”, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública junto ao Instituto Datafolha, com o apoio da empresa Uber.

O estudo foi debatido durante Audiência Pública promovida pela Câmara dos Deputados, em agosto deste ano.

Conforme os dados divulgados, o percentual de crescimento da violência ocorreu em mulheres acima de 16 anos, que afirmaram ter sofrido algum tipo de violência ou agressão nos últimos 12 meses, durante a pandemia de Covid-19. O número representa 17 milhões de mulheres vítimas de violência física, psicológica ou sexual no último ano.

Repórter Fernando Dutra, em colaboração a Dalila Reis, da superintendência de Projetos Especiais da Secretaria Municipal de Educação de Contagem

Notícias Relacionadas