Mostra Primavera expõe trabalhos de estudantes da rede municipal

Promovido no Museu do Trabalhador, o evento foi uma oportunidade para alunos, pais e professores trocarem ideias, conhecimento, interagirem e se divertirem.

Animação e alegria tomaram conta do Museu do Trabalhador, na sexta-feira (20), durante a Mostra Primavera das Ciências e Artes – Educação de Contagem em Ação, promovida pela Secretaria Municipal de Educação (Seduc) e a Fundação de Ensino de Contagem (Funec). Alunos das escolas municipais, Funec, pais e familiares, além da comunidade estiveram no local para prestigiar os trabalhos desenvolvidos pelos estudantes da rede municipal de ensino.

Cerca de mais de 6 mil estudantes passaram pelo local onde puderam trocar ideias, conhecimentos, interagirem e se divertirem. Durante todo o dia, além de observarem os trabalhos expostos, os presentes puderam se entreter com várias apresentações que aconteceram no palco dentro do museu, como danças, peças e até recitais de poemas.

Uma das apresentações do dia foi a dos alunos da Escola Municipal Coronel Antônio Augusto Diniz Costa. Por meio da música e da dança, eles levaram ao publico um espetáculo sobre o descobrimento do Brasil. “Nosso professor de português estava trabalhando com a gente sobre os índios, a nação brasileira. Aí a gente achou a nossa cara apresentarmos sobre isto”, contou uma das estudantes que se apresentou, Ana Carolina.

Mãe da estudante Scarlet Roberta da Escola Municipal Dona Gabriela Leite Araújo, Heloísa Roberta, ressaltou a importância de eventos para a comunidade e os alunos. “Todas as escolas estão de parabéns, eu vejo esses projetos como uma maneira de incentivar nossas crianças, principalmente, contra a violência. É forma de evitar que fiquem nas ruas, que apliquem o que é ensinado dentro de casa, mantendo assim a família unida”, opinou.

A mãe Helóisa parabenizou a todos que trabalharam na organização e que propuseram esse grande evento que foi a mostra. “Eu estou gostando muito. Estou orgulhosa. Se na minha época tivéssemos essa oportunidade, as coisas poderiam ser melhores. A partir de agora, com esse incentivo, nós podemos acreditar no futuro das crianças e, até mesmo, da nossa cidade. Vai dar certo”, finalizou, com otimismo.

Segundo a secretária de Educação de Contagem, Sueli Maria Baliza Dias, a mostra contou com mais de 60 stands com projetos que foram da educação infantil até aos alunos da Educação para Jovens e Adultos (EJA), bem como de parceiros que prestigiaram o evento. “Com uma diversidade de projetos apesentados, o público pôde ver de perto o que tem sido realizado durante o período escolar nas nossas unidades. Os moradores abraçam a educação e, para nós, isso é uma alegria, pois estamos aqui mostrando o que as escolas conseguem fazer no dia a dia, sobretudo, na área da ciência, da cultura e das artes. A mostra é um momento muito especial para nossa rede de ensino, é um belo projeto. As escolas ficam felizes e todos apresentam e conhecem os trabalhos”, disse.

Sueli Baliza, ainda, salientou o trabalho das escolas na escolha dos projetos. “É um trabalho muito democrático, a Seduc colabora com a montagem da infraestrutura, mas as escolas são as responsáveis pela escolha e desenvolvimento dos temas e das criações”, explicou, parabenizado a todos os envolvidos.

Projetos –

Em uma época em que muito se fala sobre preservação ambiental, queimadas e reciclagem, quem passou pelo Museu do Trabalhador pôde perceber vários trabalhos sobre o assunto, como o projeto “Reciclar e Reutilizar: uma Ação Consciente”, dos alunos do 5º ano da Escola Municipal Professor Domingo Diniz. Segundo a professora responsável pelos alunos, a escolha do projeto surgiu a partir do material estudado por eles dentro de sala de aula. “Esse projeto faz parte do conteúdo do 5º ano. Nós pegamos um gancho para trazer a nossa realidade. Eles tiveram uma palestra onde foi ensinado sobre a diferença entre aterro sanitário e lixão. A partir daí visitamos o aterro sanitário da cidade e os galpões de colta seletiva do município. Em seguida, eles fizeram brinquedos com materiais recicláveis e, com isso, conseguiram perceber que podem brincar e interagir, sem gastar dinheiro e, ainda, ajudando o meio ambiente”.

Quem passou pelo stand da Escola Municipal Professora Maria Olintha pôde levar para casa uma “Bomba Ecológica”, feita pelos alunos responsáveis pelo projeto “Árvore”. De acordo com a estudante Helena Teixeira, o projeto deles veio para conscientizar os seres humanos sobre as ações deles. “Com o nosso projeto, queremos mostrar para todo mundo que precisamos plantar mais árvores e que os seres humanos precisam ter consciência acerca do desmatamento porque, do contrário, destruiremos o mundo”, relara a estudante de 10 anos.

De acordo com a pedagoga Viviane Cristina Hilário Fernandes, da Umei Dona Alice Ferreira França, foram desenvolvidos com os pequeninos um trabalho que tratou as diferenças e a diversidade racial dentro da literatura infantil. Já os pequenos da Umei Bernardo Monteiro, expuseram desenhos, rabiscos e pinturas. “Trouxemos esse trabalho para mostrar que crianças de 2 e 3 anos também produzem arte, com a intenção de deixarem suas primeiras marcas em nossas vidas e na escola”, contou a pedagoga, Rosimeire Miranda.

Os formandos da Funec, unidade Centec, aproveitaram a oportunidade para colocarem em prática o que estudam no dia a dia. A estuante Julia Fadel era só entusiamo durante os atendimentos. “Está sendo maravilhoso pra gente estar aqui, principalmente, para nós que estamos quase formando. É uma experiência incrível, ter esse contato com as pessoas, poder mostrar nossos conhecimentos, saber como vai ser quando conseguirmos um estágio e começarmos a trabalhar”. Além de trazerem seus trabalhos nas áreas científicas, os estudantes da Funec estavam oferecendo serviços de saúde como medição de glicose e fazendo tipagem sanguínea.

A Mostra Primavera das Ciências e Artes – Educação de Contagem em Ação também trouxe para o público um espaço especial, promovendo a inclusão de alunos com deficiência. O evento contou com um lugar onde estudantes, pais, familiares e o público em geral puderam ver como funciona o Atendimento Educacional Especializado (AEE) e o tem feito para o desenvolvimento desses alunos. “Contamos com uma série de recursos de baixa e alta tecnologia para trabalharmos com esses estudantes, por meio de estímulos que são necessários de acordo com a deficiência e a limitação de cada um. O objetivo é que eles possam desenvolver autonomia, independência, principalmente, em relação a sua locomoção. Desenvolvemos atividades em que esses os estudantes possam transpor as barreiras que encontram no ambiente escolar, visando à socialização, à participação nas atividades escolares e, principalmente, à participação no processo de aprendizagem”, informou a superintendente de Projetos Especiais e Parcerias da Secretaria Municipal de Educação (Seduc), Ludmilla Skrepchuk.

Reportagem: Milla Silva
Fotos: Geraldo Tadeu
Publicação: 24/09/2019

Notícias Relacionadas