Funec Centec conquista primeiro e terceiro lugares na 3ª Feira Mineira de Iniciação Científica (Femic)

Estudantes premiadas representarão Contagem com seus projetos expostos em feiras de ciências no México e em Pernambuco.

A Fundação de Ensino de Contagem (Funec), unidade Centec, alcançou duas grandes conquistas na 3ª Feira Mineira de Iniciação Científica (Femic), realizada entre os dias 14 e 16 de agosto, na cidade de Mateus Leme. O projeto Educativo Pioneiras: O Reconhecimento das Mulheres Brasileiras ficou em primeiro lugar, na área de Ciências Humanas, e o Projeto Estudo de Resíduos Sólidos Gerados a partir de Pilhas obteve o terceiro lugar na área de Ciências Exatas e da Terra.

As estudantes do Centec que foram premiadas estão em festa. Júlia Braga Marques Pereira, Vitória Bispo Umbelino, Maria Luiza Andrade Silva, orientadas pelo professor de Sociologia, Frederico Alves Lopes, ficaram em primeiro lugar com o aplicativo Pioneiras e ganharam a credencial para a Expociências Zama, que será realizada em maio de 2020, na Cidade do México. Já as alunas Fernanda Peixoto Xavier e Marina Souza Siqueira, orientadas pela professora de Químca, Girlaine de Castro Oliveira Pereira, foram selecionadas para apresentar o estudo com as pilhas, em junho de 2020 na Feira Expocete, em Pernambuco, além de ganharem bolsas de estudo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq).

Para a vice-presidente da Funec, Raquel Parreira, a conquista é resultado do investimento que a fundação vem fazendo na área de pesquisa. “Estamos todos muito orgulhosos das alunas e dos professores. Essa premiação vem para coroar o incentivo que a Funec, com recursos próprios, mantém na área de pesquisa por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, o PIBIC Júnior. Parabéns a todos os envolvidos e que essa conquista seja mais uma motivação para continuarmos com o excelente trabalho desenvolvido.”, disse.

Para a vice-diretora do Centec e coorientadora dos projetos, Adriana de Oliveira, a iniciação científica é um marco muito importante na história da Funec. “A partir desses projetos, os estudantes puderam ter contato direto com a pesquisa, sobretudo, como fazê-la. Fico cada dia mais impressionada com a qualidade das pesquisas que são feitas nas escolas. O Centec, em especial, tem dado excelentes resultados e isso reflete na facilidade que os estudantes terão na vida acadêmica, a partir da maturidade desenvolvida com relação aos questionamentos do mundo, da sociedade e própria da ciência”, afirmou.

Educativo Pioneiras: O Reconhecimento das Mulheres Brasileiras

As estudantes do terceiro ano do Ensino Médio desenvolveram o aplicativo Pioneiras voltado ao empoderamento feminino. O modelo do app experimental foi pensando cronologicamente na luta de mulheres que se destacaram na história do Brasil e que não tiveram a devida visibilidade.

Elaborado como se fosse uma árvore, ele é fragmentado de acordo com suas partes. Nas raízes, as estudantes deram destaque às mulheres africanas e indígenas que viveram antes do ano de 1.500 até o século XVII. No tronco, estão as biografias das mulheres a partir do século XVIII que se destacaram na independência do país. Na copa da árvore são as contemporâneas do século XX e XXI na luta pelos direitos das mulheres e os frutos são todas aquelas pioneiras que, hoje, batalham para exercer esses direitos conquistados no passado. Além disso, o aplicativo contém a parte interativa de jogos, redação e perguntas aos vestibulandos.

Segundo a estudante Júlia Braga Marques Pereira, o objetivo delas também é levar a ideia do aplicativo para a comunidade em si. “Alguns estudantes do Cefet Contagem e da Funec Inconfidentes nos procuraram para desenvolver o aplicativo e estamos em busca de parcerias, já que o custo é muito alto para a criação de um app. Portanto, já temos o modelo que queremos. Ele é a nossa cara, mas também estamos aptas a participar de rodas de conversa em outras escolas, apresentar palestras e etc. Precisamos mostrar que todas as mulheres são pioneiras, devem ser empoderadas e também são fontes de inspiração”, contou.

Quanto à viagem ao México no próximo ano, elas também estão pensando em fazer um “Pioneiras” para o país. “Queremos fazer uma apresentação em espanhol, estamos nos preparando. Esse prêmio foi a realização de um sonho e podemos também empoderar mulheres de todo o mundo”, disse a estudante Vitória Bispo Umbelino. Quem deseja entrar em contato com as estudantes para parcerias ou convite de rodas de conversa pode acessar o instagram @pioneirasbr.

Estudo de Resíduos Sólidos gerados a partir de pilhas

O projeto premiado com o terceiro lugar na Femic é totalmente voltado para a questão ambiental. As estudantes do curso técnico de Química começaram a pesquisar sobre o reaproveitamento das pilhas descarregadas, já que seu descarte incorreto pode gerar danos ao meio ambiente. Elas conseguiram reaproveitar a parte mais tóxica das pilhas, que é um pó preto composto de manganês e zinco. Os resíduos foram transformados em permanganato de potássio e sulfato de zinco que podem ser usados em laboratórios como reagentes.

Além do experimento químico, elas fizeram uma campanha voltada para a Educação Ambiental no próprio Centec, conscientizando os alunos sobre o descarte correto das pilhas, nos coletores próprios feitos por elas. Muitas pessoas jogam as pilhas no lixo simplesmente por desconhecerem o fato de que esse material precisa ser descartado corretamente sem gerar prejuízos ao solo e ao meio ambiente em geral.

Segundo a professora de Química do Centec, Girlaine de Castro, os componentes reaproveitados têm diversas aplicações na indústria e as empresas de reciclagem também podem produzi-los. “Todo o projeto tem uma importância muito significativa para a questão ambiental. Estou muito orgulhosa das estudantes. Com a premiação que receberam tive a sensação de missão cumprida em relação a esse projeto. Fico muito feliz em poder contribuir com o meu conhecimento para orientá-las”, disse.

Reportagem: Vanessa Trotta
Foto: Paulo Pereira
Publicação: 27/08/2019

Notícias Relacionadas