Dia Nacional da Leitura: data representa o exercício da imaginação

O dia 12 de outubro foi o escolhido para lembrar a todos sobre a importância da leitura.

Nesta quinta-feira (12), é comemorado o Dia Nacional da Leitura. E é de pleno dever que crianças, jovens e adultos nunca percam o hábito de ler. É por meio da leitura que desenvolvemos o senso crítico, aprimoramos o vocabulário, dinamizamos o raciocínio e a interpretação de textos.

Alguns estudiosos explicam que o costume de ler começa na infância. É nessa idade que a vida começa, tudo é novo, e quando entregamos um livro ou revista em quadrinho na mão de uma criança ela adquire a curiosidade de ler o conteúdo apresentado.

Para a bibliotecária da Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, Mary Ângela, ver os alunos entusiasmados com os livros não há preço que pague. “Fico emocionada e me orgulho de poder proporcionar através da leitura momentos de encanto”, destaca Mary.

O secretário Municipal de Educação, Joaquim Antônio Gonçalves, fala da improtância da leitura para o desenvolvimento dos alunos.

“Certamente é uma ideia feliz fazer coincidir o Dia da Criança com o Dia Nacional da Leitura. Celebrar as crianças e os livros, num mesmo dia, só nos ajuda a fortalecer a convicção da importância que a leitura tem, especialmente a literária, para a formação das pessoas, desde a infância.

A importância da literatura é inconteste. Como arte da palavra e com o seu compromisso com a liberdade, a literatura incide sobre a formação do espírito crítico, fortalecendo a consciência daquilo que somos – nossa identidade cultural -, exprimindo diferentes conteúdos que nos espelham ou questionam, confrontando-nos com nossa existência e suas contradições, com suas riquezas e possibilidades. A literatura mobiliza a imaginação, os sentimentos e as emoções, criando diversas possibilidades de leitura e compreensão do texto e do mundo, além de acionar uma série de conhecimentos daquele que lê. A leitura literária é uma das experiências mais importantes de promoção de intercâmbios com o universo da cultura nas suas infinitas possibilidades.

Nas palavras de Bartolomeu Campos de Queirós, participar da leitura literária é um direito, porque a literatura interroga a vida, a existência, a condição humana e coloca o leitor em diálogo com a fantasia, com o mundo das possibilidades, com suas capacidades de inventar. A literatura, assim, democratiza o poder de criar, recriar, imaginar, romper o limite do provável.

Por sua relevância, a leitura literária, no âmbito da escola, tem assumido uma importância inédita, gerado políticas públicas, pesquisas e debates no campo educacional brasileiro e internacional.

Uma premissa fundamental para o trabalho com a leitura literária na escola é que o professor seja, ele mesmo, um leitor literário. É por meio do seu encantamento com o mundo dos livros, da fantasia e da magia que eles evocam, das possibilidades de interação com o outro que o interroga através da escrita, que o professor poderá despertar, em seus alunos, o desejo de viver essas experiências que a leitura literária promove.

É com base nesses pressupostos, e acreditando no caráter humanizador, cultural, social e histórico da literatura, que a Secretaria Municipal de Educação de Contagem tem investido na política de leitura da rede. Ainda em 2017, todas as escolas e UMEIs receberão um Kit Literário para iniciar a composição de uma biblioteca em cada sala de aula. Os livros serão distribuídos na proporção de um para cada duas crianças ou estudantes. Nosso objetivo é potencializar a formação de nossas crianças e estudantes por meio do desenvolvimento pleno de sua competência leitora na perspectiva literária”.

Joaquim Antônio Gonçalves – Secretário Municipal de Educação

Reportagem: Leonardo Melo
Arte: Renata Coura

Notícias Relacionadas