Curtas-metragens sobre Contagem são produzidos nas escolas

Projeto visa valorizar a cultura regional, bem como incentivar os alunos na leitura e produção de textos

Os estudantes da Escola Municipal Coronel Augusto Diniz da Costa participam de um projeto nacional que visa preservar a cultura e estimular a expressividade por meio linguagem audiovisual. O “Inventar com a Diferença” é promovido pela Universidade Federal Fluminense, em parceria com o Ministério da Justiça e Cidadania, e consiste na produção de curtas-metragens.

Durante todo o ano letivo, os alunos participam de reuniões, fazem pesquisas de temas e escrevem roteiros. Na sequência fazem a produção, gravação e edição dos filmes. Em Contagem, os curtas foram produzidos em lugares escolhidos pelos alunos, como a Casa de Cacos, a Praça das Jabuticabas e a Praça Presidente Tancredo Neves. Para executar o projeto, os estudantes contaram com a ajuda de parceiros. Os equipamentos, como câmeras, tripés e luzes foram fornecidos por educadores, jornalistas e profissionais ligados à área cultural.

“Os alunos tiveram a missão de utilizar as lentes das câmeras para enfatizar e valorizar a questão cultural dos patrimônios e mostrar a evolução da cidade”, destacou a coordenadora do projeto em Contagem, Denise Betônico.

O projeto está presente em 26 estados e no Distrito Federal. Os estudantes participantes já produziram mais de 1400 vídeos. Em Contagem, os filmes já foram finalizados. Todas as produções puderam ser assistidas na própria escola. As turmas se reuniram no auditório para ver todos os conteúdos em um grande projetor.

Satisfeita com o resultado do trabalho, feito por ela e pelos colegas, Jéssica Layne, de 14 anos afirma: “Eu gostei bastante de gravar as sequências e fazer as entrevistas. Foi interessante segurar a câmera pela primeira vez e colocar o meu olhar no filme”.

Além promover a imersão dos estudantes nos conceitos culturais da cidade, o projeto serve como aliado das disciplinas. “Ele faz com que os estudantes leiam e escrevam mais. Eles se sentem sujeitos mais importantes e participativos”, destacou a diretora Daniela Ferreira.

Além da Escola Municipal Coronel Antônio Augusto Diniz Costa, outras sete instituições de ensino em Contagem aderiram ao “Inventar com a Diferença”. “A gente se sensibiliza ao ver a transformação dos alunos. A arte é o veículo que mexe nas fibras mais íntimas de todas as pessoas”, finalizou Denise.

Reportagem: Nayara Macedo (Sob a supervisão de Júlio César Santos)
Fotos: Divulgação

Notícias Relacionadas