“Vidas Lokas Importam” busca o fortalecimento da luta antimanicomial em Contagem

Com o objetivo de fortalecer as práticas antimanicomiais e a rede de saúde mental e do SUS municipal, aconteceu na sexta-feira (3/12), o primeiro Fórum de Saúde Mental 2021 – “Vidas Lokas Importam, Re(existências) na Rede de Atenção Psicossocial”, realizado no auditório da Nova Faculdade, na Cidade Industrial, em Contagem.O evento reuniu usuários, trabalhadores e gestores dos serviços de saúde mental e do SUS em Contagem.

A abertura do evento foi feita pelo grupo “Ciclofonia”, do Centro de Convivência Horizonte Aberto. O grupo, composto por usuários do SUS, animou a plateia com muito humor.

No início dos trabalhos, a diretora de Saúde Mental, da Secretaria Municipal de Saúde-SMS, fBárbara Ferreira, falou sobre a importância do Fórum. “Com este evento queremos atingir todo o território da saúde, trazendo diversos profissionais para discutir o fortalecimento das práticas antimanicomiais e buscar juntos, cada vez mais, tratamentos mais qualificados para atender aos usuários da saúde mental no município”, afirmou.

A superintendente de Atenção à Saúde, Renata Felicíssimo, destacou que “melhorar a saúde mental é uma prioridade do governo. “Queremos fazer a diferença na vida das pessoas, se conseguirmos ajudar, pelo menos uma, isso já muda o mundo”, ressaltou.

O usuário dos SUS, Ricardo da Rocha, contou que sempre teve todo apoio do Centro de Atenção Psicossocial-Caps do Eldorado. Ele falou sobre a importância da música, do canto e do amor, principalmente, do amor próprio para buscar tratamento. “A doença mental não escolhe classe social, sexo, idade ou religião, ela atinge a todos”, destacou.

Repórter Adriana Borges

Fotos Fábio Silva

Fórum de Saúde Mental 2021 - 03/12/2021