Vamos falar sobre o câncer de próstata?

O Novembro Azul, campanha que chama a atenção para a saúde do homem, já acabou. Mas falar sobre a prevenção do câncer de próstata deve ser uma atitude permanente. Afinal, no Brasil, segundo o Inca/Ministério da Saúde (MS), um homem morre a cada 38 minutos por causa dessa doença. A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que tem como principal função, juntamente com outras glândulas, produzir o esperma.

Quem nunca ouviu falar sobre campanhas de saúde que estabelecem cores para alguns meses do ano, com o objetivo de difundir informações, derrubar preconceitos e prevenir doenças? Ao longo dos anos, sobretudo a partir da década de 1990, sociedades médicas, pacientes e organizações da sociedade civil mundo afora vieram difundindo campanhas que relacionam cores para os meses do ano com o objetivo de informar, quebrar preconceitos e ampliar a prevenção de doenças. No mês passado, o Novembro Azul chamou a atenção para câncer de próstata, um dos tipos mais comuns entre os homens, de acordo com o Ministério da Saúde (MS).

O mês de novembro acabou, mas é muito importante seguir com a conscientização sobre câncer de próstata, doença que, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca)/MS, dados de 2017, mata um homem a cada 38 minutos no Brasil.

Em Contagem, assim como em toda a rede pública de saúde do Brasil, para se informar sobre a doença e fazer exames de detecção, se necessário, o homem deve primeiramente passar por uma consulta na Unidade Básica de Saúde (UBS), principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), onde são solicitados diversos exames, dentre eles o PSA, quando o homem completa 50 anos de idade. Em casos de histórico familiar da doença, essa prevenção inicia-se aos 45 anos. O médico da UBS é quem faz o encaminhamento para o exame de prevenção do câncer de próstata a um dos especialistas do CCE Iria Diniz. Sempre que for à consulta com o urologista, o paciente já deve ter em mãos o resultado do seu PSA.

Para falar sobre os problemas que essa pequena glândula, localizada próxima à bexiga e ao intestino pode causar, o médico urologista Carlos Fabricio Sousa de Almeida, que atua no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz desde o ano 2006, traz informações o câncer de próstata, incluindo formas sobre sua detecção, o que pode permitir a recuperação precoce dos pacientes e salvar vidas.

O especialista reforça que o diagnóstico precoce é a melhor arma contra esse tipo de doença. “Com um simples exame de sangue e um rápido e indolor exame de toque, podemos evitar muito sofrimento e a perda de muitas vidas”, atesta o médico.

Confira a entrevista:

O que é próstata? Onde ela está localizada? Só os homens possuem próstata?

É uma glândula que só está presente nos homens e tem a forma de uma noz, localiza-se abaixo da bexiga, em frente ao reto, e engloba a uretra.

Há fatores de risco ou comportamentos que podem favorecer o câncer de próstata?

A hereditariedade é o principal fator de risco. Quem tem parentes próximos com a doença tem maior risco de vir a desenvolvê-la. Fatores como a raça negra e alimentação rica em gorduras e pobre em vegetais e frutas também estão relacionados com maior incidência do câncer de próstata.

O que acontece com a próstata quando ela é afetada pelo câncer?

Primeiramente, surgem nódulos no interior da glândula, que podem se expandir e invadir estruturas próximas, como as vesículas seminais, bexiga e reto. Entretanto, o maior problema é que antes que isso aconteça, células tumorais caem na corrente sanguínea e são levadas para diversas estruturas e órgãos distantes, como ossos, fígado e cérebro.

Existem sinais ou sintomas que podem indicar que a pessoa esteja com câncer de próstata?

Este é o maior problema que enfrentamos. Em sua fase inicial, justamente quando o câncer de próstata pode ser adequadamente tratado e curado, ele não costuma apresentar sintomas. Os sintomas surgem apenas quando a doença já se espalhou e, então, torna-se muito difícil controlá-la. Sintomas como sensação de urina presa, jato urinário fraco e levantar-se muitas vezes à noite para urinar, na maioria dos casos, estão relacionados com o aumento benigno da próstata, a hiperplasia prostática, e não com o câncer. Por isso, a detecção precoce é fundamental.

Existe algum perfil ou grupo populacional que tenha indicação de realizar exames de detecção?

O exame de prevenção do câncer de próstata deve ser realizado por todos os homens a partir dos 50 anos de idade e ser repetido anualmente. Homens que têm parentes próximos com esta doença devem iniciar a prevenção aos 45 anos de vida.

Como é feito o diagnóstico do câncer de próstata? Há métodos diferentes para cada tipo de pessoa?

O diagnóstico é feito através de um exame de sangue que se chama PSA ou antígeno prostático específico, que costuma estar elevado nos casos de doenças da próstata, dentre eles o câncer, e também através do exame de toque prostático, em que o médico consegue palpar irregularidades e diferenças na textura da próstata. Se houver alteração no conjunto desses exames, é indicada então a biópsia da próstata, que consiste em se retirar vários fragmentos da glândula. É um exame realizado pelo reto, guiado por ultrassonografia. É só a biópsia que pode confirmar a presença das células malignas na próstata.

Caso o câncer de próstata seja detectado, quais são os próximos passos?

Caso o tumor seja detectado, ou seja, confirmado pela biópsia, o urologista define junto com o paciente a melhor modalidade de tratamento, de acordo com as características de cada pessoa. Na atualidade, os pacientes são encaminhados à Comissão Municipal de Oncologia, que é o órgão que distribui os pacientes entre as diversas instituições vinculadas ao SUS, como por exemplo o Hospital da Baleia e o Instituto Mario Penna. O tratamento é completamente gratuito no SUS.

Qual ou quais são os tratamentos para o câncer de próstata? Nesses tratamentos, a próstata é extraída do corpo ou é “somente” tratada?

O tratamento depende de até onde a doença se espalhou. Se for um tumor localizado, ou seja, só dentro da glândula prostática, a cirurgia para a retirada de toda a próstata e das vesículas seminais é a melhor opção. Em casos onde os riscos anestésico e cirúrgico são muito altos, não se retira a próstata e, nesses casos, opta-se pela radioterapia, que consiste na destruição por radiação das células tumorais. A radioterapia também é indicada nos casos em que a doença já saiu da próstata mas não acometeu órgãos distantes. E quando a doença encontra-se em fase avançada, ou seja, quando já se espalhou para outras estruturas como ossos, fígado ou cérebro, as chamadas metástases, a melhor opção passa a ser a hormonioterapia e, então, a quimioterapia.

Em um ranking de neoplasias malignas que matam homens, o câncer de próstata ocupa qual posição?

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente no homem e só perde para o câncer de pele. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que teremos mais de 68 mil novos casos de câncer de próstata neste ano. Todo ano, morrem cerca de 13 mil  homens devido à doença.

Ter câncer de próstata pode afetar a capacidade de homens terem ereções ou trazer outros problemas relacionados a atividades sexuais? A retirada da próstata afeta as funções sexuais dos homens?

O câncer de próstata não costuma afetar a função sexual na sua fase inicial, só mesmo quando ele avança. Tanto a cirurgia quanto a radioterapia para o tratamento da doença podem afetar a capacidade do homem em obter ereção. Mas não em todos os casos, depende muito de como era a ereção anteriormente ao tratamento e, também, da técnica operatória e da precisão dos aparelhos de radioterapia. Entretanto, existem diversas formas de se recuperar esta função, seja com medicamentos orais ou locais e até mesmo com o implante de próteses.

Sobre os tabus em torno da doença: é comum que os homens não procurem por um médico para realização do exame de próstata por causa de percepções que associem a realização do exame à problematização da opção sexual?

Sempre houve uma resistência por parte dos homens ao exame de toque retal. Entretanto, percebemos que este tabu tem sido quebrado ao longo dos tempos. Trata-se de um exame muito rápido e indolor e muitos homens estão mais conscientes da importância do diagnóstico precoce da doença. Homens: previnam-se!

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 05/12/2018