Teste do pezinho deve ser feito ainda na primeira semana de vida do bebê

Exame é capaz de diagnosticar precocemente enfermidades que, muitas vezes, demoram a apresentar os primeiros sintomas

Nesta quarta-feira, dia 6 de junho, é Dia Nacional do Teste do Pezinho. O exame é realizado através da coleta do sangue retirado com uma picadinha feita no calcanhar dos bebês nos primeiros dias de vida.

A pequena punção no pezinho pode fazer alguns pequeninos chorarem, mas é importante para diagnosticar precocemente enfermidades que podem demorar a apresentar os primeiros sintomas de doenças, melhorando as chances de tratamento e reduzindo danos dos futuros cidadãos. Gratuito e ofertado pela rede SUS, o exame é realizado em qualquer unidade de saúde do município.

De acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde (MS), o teste deve ser feito na primeira semana de vida do bebê, preferencialmente no quinto dia após o nascimento. Além do teste de detecção, o SUS oferta ainda o atendimento com médicos especialistas para tratamento gratuito, ao longo da vida, para as doenças detectadas.

A pediatra e coordenadora da Neonatologia do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, Renata Vieira Faria Couto, reforça a importância da realização do exame. “Com o teste, é possível diagnosticar precocemente enfermidades que, muitas vezes, demoram a apresentar os primeiros sintomas”, explica a médica.

O teste do pezinho é capaz de detectar condições como:

– hipotiroidismo congênito;
– anemia falciforme;
– fenilcetoneina;
– hiperplasia adrenal congênita;
– fibrosecistica;
– deficiência de biotinidase.

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Elvira Angel

Data: 06/06/2018