Posts com a Tag ‘Vacinação’

Ei, você que é jovem: procure uma unidade de saúde para se vacinar contra a Febre Amarela

Adolescentes de 10 a 19 anos representam mais de 80% das pessoas que têm indicação mas ainda não se vacinaram contra a doença, que pode matar. Risco de contrair Febre Amarela aumenta com a intensificação das chuvas e o calor intenso

Com o verão chegando, aumenta muito o risco de contração de doenças transmitidas por mosquitos, como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela. No caso da Febre Amarela, é possível se proteger não somente eliminando focos de postura de ovos de mosquitos, interrompendo a cadeia de transmissão dessas doenças, mas também com a vacinação, que é feita gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em suas manifestações graves, a Febre Amarela pode ser letal.

A vacina contra a Febre Amarela segue sendo disponibilizada nas salas de vacina de Contagem, assim como aconteceu durante todo o ano (clique AQUI e veja os endereços). A indicação para a vacinação contra Febre Amarela, de acordo com o Ministério da Saúde (MS), são as pessoas que têm entre 09 meses e 59 anos de idade.

O horário de funcionamento das salas de vacina é das 8h30 às 16h30. É necessário apresentar o documento de identidade e o cartão de vacinação. Cabe ressaltar que, se o cidadão tiver qualquer tipo de problema de saúde, deve informar ao profissional de saúde.

Em Contagem, a cobertura vacinal acumulada (2007 – 2018) relativa à Febre Amarela é de 84,20%, com 516.811 doses aplicadas nesse período. A meta do Ministério da Saúde é de 95%. A assessora técnica da Central de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Fernanda Elisa Ferreira de Almeida, explica que a grande procura pela vacina contra a Febre Amarela aconteceu somente no período em que a situação esteve crítica, mas que com a diminuição dos casos notificados, a busca pela vacina diminuiu.

“Nesta época do ano, com a chegada do período das chuvas e o calor intenso, é muito importante que todos os que têm indicação estejam vacinados contra a Febre Amarela. É fundamental que quem ainda não se vacinou procure uma unidade de saúde, principalmente os adolescentes, que representam mais de 80% das pessoas que têm indicação e ainda não se vacinaram contra a doença. Hoje, temos uma estimativa de que cerca de 129 mil pessoas em Contagem ainda não se vacinaram contra a Febre Amarela e, dessas, pelo menos 110 mil são adolescentes com idades entre 10 e 19 anos. Vale lembrar que quem já tomou uma dose já está protegido, por isso é tão importante guardar o cartão de vacinas, mesmo os adultos”, adverte a técnica.

 
Repórter: Carolina Brauer
Foto: Divulgação
Data: 12/12/2018

Vacinação para não deixar doenças evitáveis reaparecerem

Campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo segue até dia 31 de agosto. Iniciativa dos pais de crianças de um a menos de cinco anos de levar os filhos para vacinar é fundamental para a interrupção da transmissão e a erradicação dessas doenças.

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e o Sarampo, iniciada no último dia 6, segue imunizando crianças de um ano a menos de cinco anos contra essas doenças em todo o Brasil e se estenderá até o dia 31 de agosto.

Em Contagem, desde o início da campanha (6/8) até o sábado passado (18/8), quando ocorreu a mobilização do Dia D, já foram aplicadas 13.835 doses contra a poliomielite e 13.622 contra o sarampo, totalizando, respectivamente, uma cobertura vacinal de 43,66% e 42,99%.

A meta do Ministério da Saúde (MS) é de vacinar, até o fim da campanha, 95% do grupo formado por crianças de 1 ano até 4 anos, 11 meses e 29 dias, ao todo, 31.686 crianças no município de Contagem. A meta vale para ambas as doenças.

Atitudes dos pais na contenção de surtos e na erradicação de doenças evitáveis com vacinais é fundamental

No Brasil, as campanhas contra poliomielite foram iniciadas em 1980, e as campanhas contra o sarampo, em 1995, com a vacinação de população-alvo específica que, na grande maioria das vezes, abrange as crianças de um a quatro anos de idade. Conforme o Ministério da Saúde (MS) afirma, o último caso de poliomielite no Brasil ocorreu em 1989. Já em relação ao sarampo, em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo.

Entretanto, apesar dos esforços empreendidos para erradicar essas doenças, o país está enfrentando neste ano de 2018 dois surtos de sarampo, nos estados de Roraima e no Amazonas, de acordo com informações do MS atualizadas em 7/8.

Em comunicado datado de julho/2018, referindo-se à poliomielite, o MS afirma que em 312 municípios brasileiros – sendo 63 da Bahia e 44 de São Paulo –, menos de 50% da população está vacinada.

Também em julho deste ano, as Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP), Imunizações (SBIm) e Infectologia (SBI) divulgaram um manifesto no qual assinalam que “a manutenção da população protegida, através das elevadas coberturas vacinais, é fundamental para manter o país livre da pólio, e as baixas coberturas vacinais, registradas nos últimos anos em nosso país, podem colocar em risco todo o esforço de nosso Programa Nacional de Imunizações”.

A assessora na Central de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Fernanda Elisa Ferreira de Almeida, chama a atenção para a importância da participação dos pais e familiares na interrupção da transmissão e manutenção da erradicação de doenças, evitáveis com vacinas. “É fundamental que os pais levem seus filhos às salas de vacina, para manter o cartão de vacinação sempre atualizado, assim como o seu próprio cartão de vacinas também deve estar constantemente atualizado. Existem diversas vacinas disponíveis para o público adulto, que na maioria das vezes negligencia esse cuidado. As crianças (e/ou adultos) que não são imunizadas são potenciais transmissores de doenças. Um exemplo recente foram os surtos de sarampo que aconteceram inicialmente no norte do Brasil e em seguida atingiu outras regiões do país. Se a população estivesse devidamente vacinada, ou seja, com a cobertura vacinal esperada, não teríamos tido uma disseminação tão rápida da doença”, assevera a técnica.

Agravos que podem ser mortais

Fernanda Elisa ressalta também que o sarampo e a poliomielite são doenças que podem causar agravos que, em alguns casos, podem até matar a pessoa. “O sarampo, que é uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, inicia-se com sintomas mais comuns, como febre, tosse persistente, conjuntivite, coriza, manchas vermelhas no corpo e prostração. Esses sintomas podem se complicar, causando infecções como pneumonias, diarreia, convulsões e lesões no sistema nervoso que podem evoluir para o óbito. Quanto à poliomielite, uma doença infectocontagiosa viral aguda, os sintomas iniciais são parecidos com os da gripe, mas podem vir também associados a perda de força e musculatura dos membros inferiores e dos reflexos. Estes sintomas podem causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte”.

Procure uma das 51 salas de vacinação espalhadas por todo o município (clique AQUI e veja os endereços) e leve as crianças de um ano a menos de cinco anos para tomar as vacinas contra a poliomielite e o sarampo. Não se esqueça de levar o documento e o cartão de vacinas das crianças. As salas funcionam das 8h às 16h30.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 21/08/2018

Sábado é Dia D da Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo em Contagem

Público-alvo são as crianças de um a menos de cinco anos. Exclusivamente nas salas de vacina, também será possível às crianças atualizar todo o cartão de vacinação

Amanhã, sábado (18), é dia de vacinar as crianças de um a menos de cinco anos de idade contra a poliomielite e o sarampo: trata-se do Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra essas doenças. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 11 milhões de crianças devem ser vacinadas em todo o país.

Em Contagem, município onde cerca de 30 mil crianças estão aptas a receber essas vacinas, 49 salas de vacinação e mais seis postos volantes estarão abertos no Dia D, das 8h às 16h30 (clique AQUI para ver os endereços), espalhados por todos os distritos sanitários da cidade. Para receber os imunizantes, basta apresentar o documento de identidade e o cartão de vacinação.

De acordo com a Central de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no Dia D, sábado, exclusivamente nas 49 salas de vacinação, também será possível às crianças de um a menos de cinco anos atualizar todo o cartão de vacinas, com base no Calendário Nacional de Vacinação (clique AQUI para acessá-lo).

Quem deve ser vacinado no Dia D, sábado?

Contra a poliomielite: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou. Em casos de nenhuma dose, será aplicada a Vacina Inativada Poliomielite. Em caso de uma ou mais doses, será aplicada a Vacina Oral Poliomielite, a famosa “gotinha”.

Contra o sarampo: crianças de 1 até 5 anos, independentemente de quantas doses já tomou.

Já atualizou seus dados na Unidade Básica de Saúde?

É através do seu contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcados. Se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar o contato para que você seja avisado. Por isso, manter o cadastro atualizado na UBS é fundamental.

Procure a sua UBS e atualize seus dados! A renovação cadastral é prática e rápida.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 17/08/2018

Mitos e verdades sobre a vacina contra a gripe

Gripe e resfriado são a mesma coisa? A vacina contra a gripe provoca a doença? Gripe pode matar? Informe-se e previna-se contra a desinformação!

Com a chegada do outono, a queda das temperaturas e a diminuição da umidade do ar, gripes, resfriados e crises alérgicas respiratórias tornam-se mais comuns. Em um contexto desses, no qual as pessoas buscam se proteger das doenças respiratórias também por meio da vacinação, podem surgir algumas dúvidas. Confira abaixo o que é mito e o que é verdade em relação à vacina contra a gripe.

É possível pegar gripe com a vacina?
Isso não é possível. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.

É preciso tomar vacina todos os anos?
Sim. Isso acontece por dois motivos. Primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses. Segundo, porque a cada ano circulam diferentes vírus, que por sua vez causam diferentes tipos de gripe. Assim, a vacina é produzida a partir dos vírus que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.

Em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?
Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.

Gripe e resfriado são doenças diferentes?
Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não evoluir para uma pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.

A gripe pode matar?
Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de cinco anos, gestantes e doentes crônicos.

A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?
A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença. Porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:
• Lavar e higienizar as mãos com frequência.
• Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa.
• Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca.
• Ter boa alimentação e beber bastante líquido.
• Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe.
• Manter os ambientes da casa e do trabalho bem arejados.

Fonte: Ministério da Saúde, 2018.

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 24/04/2018

Iniciada campanha de vacinação contra a gripe

Em Contagem, 49 Unidades Básicas de Saúde promoverão a vacinação do público-alvo até 1º de junho

Começou nessa segunda-feira (23) a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe. A meta, segundo o Ministério da Saúde, é imunizar 54,4 milhões de pessoas em todo o país. Em Contagem a expectativa é vacinar mais de 150 mil indivíduos, atingindo a cobertura vacinal de 90% do público-alvo. Em 2017, 101.269 pessoas foram imunizadas, totalizando uma cobertura vacinal de 86,16%.

Dona Maria das Graças, 62 anos, moradora do bairro Amazonas, foi uma das centenas de pessoas que compareceram a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no primeiro dia de vacinação. Segundo ela, desde 2011 toma a vacina da gripe e, desde então, nunca contraiu a doença. “É muito importante se vacinar. É um jeito de se prevenir, e todos nós temos que cuidar da saúde”, ressaltou.

O secretário de Saúde Bruno Diniz destaca o empenho do governo para atingir a cobertura vacinal de 90% do público-alvo. “Para alcançarmos essa meta disponibilizamos 49 Unidades de Saúde, divididas nas oito regionais”, destacou. Além disso, no dia 12 de maio (sábado) será promovido na cidade o “Dia D”, para atender a demanda da vacina.

A vacina desse ano tem a possibilidade de proteger contra três tipos de vírus da gripe: o Influenza A, (nas variações H1N1 e H3N2) e influenza B. Segundo o Ministério da Saúde, no ano passado o país confirmou 394 casos de contaminação por uma das três variações da influenza.

Saiba qual é o público-alvo para receber as doses gratuitamente no SUS:

• pessoas a partir de 60 anos;
• crianças de seis meses a cinco anos;
• trabalhadores da área de saúde;
• professores das redes pública e privada;
• mulheres gestantes e puérperas;
• indígenas;
• pessoas privadas de liberdade (incluindo adolescentes cumprindo medidas socioeducativas);
• profissionais do sistema prisional;
• portadores de doenças que aumentam o risco de complicações em decorrência da influenza.

A vacina é contraindicada para quem tem alergia severa a ovo.

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 23/04/2018

Começa na próxima semana a campanha de vacinação contra a Influenza

Vacine-se contra a gripe e fique protegido! Procure uma unidade de saúde e leve a caderneta de vacinação

De 23 de abril a 1º de junho, está aberta a temporada de vacinação contra a gripe. Em Contagem, 49 salas de vacina funcionarão de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, para aplicar a imunização contra a Influenza nos grupos de pessoas determinados pelo Ministério da Saúde (MS). A meta da cobertura vacinal é de 90% do público-alvo, que para o ano de 2018 é de um total de 151.447 pessoas na cidade. A primeira remessa da vacina, já repassada ao município, contém 35 mil doses.

No ano passado, 101.269 pessoas foram imunizadas, totalizando uma cobertura vacinal de 86,16% do público-alvo. “Em 2017, os grupos prioritários de crianças e gestantes foram os que apresentaram menos cobertura vacinal. Pais e familiares devem estar atentos e encaminhar crianças compreendidas na faixa etária e as mulheres grávidas para tomar a vacina”, afirma a diretora de Vigilância Epidemiológica de Contagem, Fernanda Elisa.

O Ministério da Saúde (MS) alerta para que as pessoas tomem a vacina dentro do prazo da campanha, para evitar a gripe e seus agravamentos antes de o inverno chegar: para a garantia dos efeitos benéficos dos imunizantes, é necessário aguardar por um período de cerca de 15 dias. Ainda de acordo com o MS, o imunizante disponibilizado protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS) (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).

Público-alvo

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da (OMS). São priorizados os públicos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Os grupos prioritários desta campanha são pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), portadores de doenças crônicas não-transmissíveis, pessoas privadas de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas e os funcionários do sistema prisional.

Para se imunizar, a pessoa deve apresentar um documento oficial e o cartão de vacinação. Os doentes crônicos também devem apresentar o relatório médico especificando o motivo da indicação da vacina.

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 20/04/2018

Núcleo das Indústrias recebe vacina contra a febre amarela

Cerca de 500 pessoas foram imunizadas durante a ação na região

Durante cinco dias, servidores da Secretaria de Saúde percorreram as empresas localizadas no Núcleo das Industrias, no Jardim Riacho, para imunizar os empregados dessas instituições contra a febre amarela, facilitando o acesso dos mesmos as doses da vacina. Cerca de 500 doses foram aplicadas durante a campanha na região. A ação, que contou com o apoio da administração Regional Riacho, foi encerrada nesta terça-feira (20).

O Núcleo das Industrias é uma associação, composta por 60 empresas, que tem o objetivo de debater ações em comum. “Muito importante essa parceria com a prefeitura, pois facilitou a imunização dos nossos colaboradores”, ressaltou, o gerente da Braspress Contagem, Marcelo Figueiredo.  

A imunização faz parte das ações da Prefeitura de Contagem para combater a doença no município. O objetivo é alcançar a meta, preconizada pelo Ministério da Saúde, de 95% do público-alvo vacinado. A cidade está com aproximadamente 88% da população vacinada.

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 21/02/2018

Funcionários e frequentadores do Mercado Central são vacinados

Ação é mais uma promovida pela prefeitura no combate à febre amarela

Nessa sexta-feira (16), a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, fez a imunização de funcionários e frequentadores do Mercado Central, cerca de 500 vacinas foram disponibilizadas para o local. Essa é mais uma ação da prefeitura que continua firme no combate e prevenção da febre amarela. O município já imunizou cerca de 87% do público-alvo. A meta do Ministério da Saúde é atingir aproximadamente 95% de imunização.  

Segundo a administração do Mercado Central, no local circulam cerca de duas mil pessoas por dia. A diretora de Imunização da Secretaria de Saúde, Fernanda Elisa, destacou o empenho do município na campanha contra a doença. “Além das 50 unidades de saúde, continuaremos realizando ações específicas, como essa, em que levamos profissionais da saúde em locais de grande fluxo de pessoas, para vacinar a população”, disse. 

Ainda há um número considerável de pessoas que precisam tomar a vacina. Ela é recomendada para quem tem de nove meses a 59 anos e é a medida mais eficaz para prevenção e controle da febre amarela.

Quem pode tomar a vacina (com restrições)

– Pessoas com mais de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou se deslocarem para áreas com transmissão ativa da febre amarela, e que não tiverem alguma contraindicação;
– Gestantes (em qualquer período gestacional) e lactantes (com filhos amamentando) só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus e que não tiverem alguma contraindicação;
– Lactantes devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento;
– Portadores de HIV, desde que não apresentem imunodeficiência.

Quem não pode tomar a vacina

– Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias imunossupressoras (que fazem quimioterapia, radioterapia e usam corticoides em doses elevadas);
– Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe);
– Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia;
– Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina;
– Pessoas com reação alérgica grave a ovo;
-Pacientes com história pregressa de doença do timo (glândula do sistema imunológico). 

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 19/02/2018

Contagenses aproveitaram o sábado para se vacinar

Durante a semana, os cidadãos podem procurar uma das 50 unidades de saúde para se imunizar contra a febre amarela

Dando sequência a campanha de vacinação contra a febre amarela, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, promoveu no último sábado (3), no Centro de Consulta Especializada Iria Diniz e nos três shoppings do município (Big, Itaú Power e Shopping Contagem), ação que imunizou 1.400 pessoas contra a doença.    

Marilda Bastos, do bairro Tropical, explicou que não se lembrava de ter tomado ou não a vacina, por isso aproveitou o sábado para se imunizar. “Não tinha certeza se já havia tomado, e por via das dúvidas tomei a dose. Aconselho a todos a tomar a vacina”, disse. 

Moradora do bairro Glória, a senhora Janete Conceição Morais falou que a campanha promovida pela prefeitura foi um diferencial para que ela fosse até o posto. “Estava preocupada com o que via na televisão, inclusive com mortes. Fiquei sabendo da campanha e vim vacinar, até porque eu nem me lembrava se já havia sido vacinada”, disse.

O secretário de Saúde, Bruno Diniz, destacou que a cidade, após um trabalho árduo que envolveu diversos profissionais, está próxima de atingir a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, de 95% do público-alvo vacinado. “Chegamos a uma grande parcela da população vacinada, cerca de 87% do que é estabelecido. Durante a semana as pessoas podem se vacinar em uma das 50 unidades disponíveis”, disse. 

Bruno ainda lembrou que em 2017 Contagem promoveu a maior campanha de vacinação contra a febre amarela de sua história, quando mais de 150 mil pessoas foram vacinadas.  

 

Repórter: Daniel Paiva

Foto: Elias Ramos

Data: 05/02/2018

Frequentadores da CeasaMinas vacinados nesta sexta (2)

Prefeitura facilita acesso a vacina contra febre amarela

Contagem promoveu mais uma ação contra a febre amarela nesta sexta-feira (2). Hoje, a vacinação foi feita nas Centrais de Abastecimento de Minas Gerais S.A (CeasaMinas), de 8h30 às 13h. O objetivo das ações de vacinação, promovidas pela prefeitura, é imunizar 95% da população da cidade, meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. 

“Facilitar o acesso levando os pontos de vacinação para lugares onde tem grande circulação de pessoas é uma boa estratégia da prefeitura, além de ser uma demonstração de cuidado com o cidadão”, afirma a senhora Maria Aparecida Souza, 58 anos, que trabalha na CeasaMinas.  

Segundo o secretário de Saúde, Bruno Diniz, Contagem já vacinou aproximadamente 85% da população e as ações serão feitas até atingir a meta estabelecida. “Todas as cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) estão em alerta e precisam conscientizar a população, estamos facilitando o acesso a vacinação para que o cidadão não deixe de se imunizar. Se cada um fizer a sua parte, a contaminação da doença vai diminuir. Por isso a vacina é a melhor forma de prevenção”, enfatiza. 

É importante lembrar que a dose precisa ser tomada pelo menos dez dias antes de viajar para áreas de risco. Basta apresentar o documento de identificação e carteira de vacinação. Fora da faixa etária, ou se tiver alguma doença, é necessário apresentar também uma prescrição médica.

A ação continua amanhã (sábado), na Praça Iria Diniz e nos Shoppings Itaú, Big e Contagem, serão disponibilizadas 13 mil doses da vacina. Durante os dias úteis (segunda a sexta), os cidadãos podem procurar uma das 50 Unidades de Saúde, das 8h às 16h, e tomar a vacina.

 

Repórter: Nayara Viana

Foto: Elias Ramos

Data: 02/02/2018