Posts com a Tag ‘UPAs’

Serviço de Saúde inovador em Contagem auxilia pacientes com covid-19

Desde a criação do serviço de telemonitoramento, mais de 2500 pessoas foram assistidas pela equipe da Secretaria Municipal de Saúde (Contagem). O telemonitoramento foi implantado no dia 19 de abril. O acompanhamento via telefone é realizado após avaliação e notificação dos pacientes pela rede de saúde como casos suspeitos da covid-19 e que estão em isolamento domiciliar.

Ao todo, oito profissionais da saúde monitoram diariamente  cerca de 150 pacientes confinados nas suas residências. Atualmente, mais de 800 pacientes são monitorados pelo serviço que funciona no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz.

Segundo a gestora do CCE Iria Diniz, Delzira de Oliveira, o usuário sintomático que procura algum dos serviços de saúde (CCE Ressaca, UPAs, Complexo Hospitalar, UBS) são atendidos e orientados quanto aos isolamento. O serviço cadastra o paciente no telemonitoramento via sistema interligado para a rede.“A equipe do CCE Iria Diniz acessa a planilha todos os dias pela manhã, incluem os novos pacientes referendados pelos equipamentos públicos já citados e os médicos ligam para cada paciente”, destacou Delzira.

Este procedimento acontece de 48 em 48 horas e se repete até o 14°dia de sintoma, quando caso não ocorra nenhum agravo do quadro, o paciente recebe alta.

Projeto foi aprovado pelos pacientes

Delzira ressaltou que a experiência tem sido muito exitosa. “Os paciente estão em um momento frágil devido ao suposto quadro (ou confirmação) de COVID-19, eles relatam que durante todo o período em que se encontram isolados, sentem-se cuidados e isso auxilia a melhoria da doença”.

Fernando Augusto,  morador do Ressaca, deu positivo para Covid-19 em, os  sintomas foram considerados graves, como febre, falta de ar e tosse. Fernando foi acompanhado pelo serviço de Telemonitoramento.

A mãe de Fernando, Maria Luiza, que recebia as ligações do serviço e repassava os cuidados da equipe ao filho. Maria que fez essa ponte entre o filho e o telemonitoramento agradece a iniciativa da Secretaria de Saúde. “Esse serviço (de telemonitoramento) foi muito importante para o meu filho, o quadro dele era sintomático e o apoio da equipe foi fundamental para a recuperação  dele em casa”, conclui Maria Luiza.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Barbosa

Data: 24/06/2020

Campanha de profissionais de saúde da rede pública de Contagem doa alimentos para famílias do Município

As doações feitas pelos servidores totalizaram 1,3 tonelada de alimentos e produtos de higiene utilizados na montagem de cestas básicas

Durante os meses de abril e maio deste ano, os profissionais da rede pública de saúde de Contagem realizaram uma campanha para arrecadar alimentos e ajudar famílias que estão passando por dificuldade nesse período de pandemia causada pelo novo coronavírus. As doações foram recolhidas em locais como o Complexo Hospitalar e Unidades de Pronto-Atendimento (UPA’s) e totalizaram 1,3 tonelada de alimentos. Foram montadas cestas com os produtos arrecadados.

A partir desta terça-feira (9), as famílias selecionadas pelos oito distritos de saúde de Contagem começaram a receber as cestas contendo alimentos e produtos de higiene. A seleção foi baseada nos critérios de avaliação social, mapeada pelos profissionais da Saúde de Família. “A população nos vê hoje, mais do nunca, como heróis que cuidam de suas vidas. No entanto, sabemos que muitas dessas pessoas que ficaram em suas casas perderam o seu sustento. Isso nos sensibiliza e nos motiva a ajudar ainda mais, com isso, além de cuidar da saúde daqueles que precisam. Nosso mutirão solidário levará alento aos lares, hoje carentes do básico em suas vidas,” destacou a diretora regional do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), Ana Kécia Xavier.

As famílias que beneficiadas foram avisadas por meio de ligação telefônica do distrito de saúde. Para evitar aglomerações, houve a orientação para que apenas um membro de cada família se desloque ao distrito para fazer a retirada da doação.

O coordenador da equipe multiprofissional, Gladyston Malta, ressaltou sobre a oportunidade de participar da campanha. “As doações feitas pelos colaboradores é um gesto concreto da equipe multiprofissional em gratidão às pessoas que podem e conseguem de alguma forma manter o isolamento social em prol de uma precaução para os profissionais de saúde e toda população”, frisou.

 

Repórter: Nelson Augusto

Foto: Adelcio Barbosa

Data: 09/06/2020

Comitê de Enfrentamento confirma mais duas mortes pela Covid-19 em Contagem

Paciente de 72 e 85 anos, ambos com mais de uma comorbidade, estavam internadas no Hospital Municipal

O Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Covid-19 em Contagem confirmou nesta quinta-feira (21 de maio de 2020) mais dois óbitos: um homem de 72 anos e uma mulher de 85, que estavam internados no Hospital Municipal e morreram em 17 de maio. Ambos tinham mais de uma comorbidade. Com isso, sobe para 7 o número de mortes pelo Coronavírus no Município.

Até 19 de maio, 100 casos da doença foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde, que divulgou o mapeamento da Covid-19 em Contagem. O bairro Bandeirantes, na regional Industrial, concentra a maior quantidade (9), seguido do Riacho das Pedras, na regional Riacho (5). Seis bairros aparecem com 4 casos confirmados, cada: Água Branca, JK e Novo Eldorado, na regional Eldorado; Sapucaias, na regional Petrolândia; Jardim Laguna, na regional Ressaca; e Amazonas, na regional Industrial.

A subsecretária Municipal de Saúde, Kênia Carvalho, ressalta que o mapeamento por bairros e regionais é uma ação estratégica para identificar os pontos mais acometidos pelo Coronavírus, para nortear as estratégias de combate. “As ações planejadas desde o início da pandemia são orientadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), protocolos e rotinas do Ministério da Saúde. A rede assistencial foi preparada para o atendimento de casos suspeitos em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e Unidades de Pronto-Atendimento (UPA’s)”, afirma Kênia.

A subsecretária destaca que estão sendo preparados mais leitos de UTI no hospital de campanha viabilizado pela Prefeitura de Contagem, o Hospital Santa Helena. Os leitos serão utilizados de acordo com o aumento da demanda pelo atendimento de quadros mais graves da Covid-19. “Por enquanto, os leitos do Hospital Municipal são suficientes”, diz.

O mapeamento aponta a regional Ressaca com a maior concentração da Covid-19, com 22 casos confirmados. Em seguida aparecem a Eldorado (21), Industrial (15), Riacho (13), Sede (12), Petrolândia (9), Nacional (7) e Vargem das Flores (1). Uma das inúmeras ações executadas pelo Comitê de Enfrentamento foi a instalação de tendas para atendimento específico da doença na UPA’s JK (regional Eldorado) e Ressaca (regional homônima). Alas com a mesma finalidade foram criadas na UPA Sede e Hospital Municipal de Contagem.

Linha de frente

Para os trabalhadores da saúde, que estão na linha de frente do combate ao Coronavírus, além dos que atuam na segurança pública, foi implementado um atendimento específico no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Contagem, onde é feita a testagem, seguindo o protocolo do Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Contagem disponibilizou hospedagem gratuita em hotel, no bairro Eldorado, para quem atua na linha de frente contra a Covid-19, para que esses colaboradores e suas famílias tenham a saúde preservada. A hospedagem é ofertada prioritariamente aos profissionais que convivem com pessoas do grupo de risco, como as acima de 60 anos, gestantes, com doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias crônicas, hipertensão, familiares em tratamento oncológico e com a imunidade reduzida.

O Município também vem fazendo a desinfecção de pontos com grande movimentação de pessoas com aplicação do hipoclorito, produto usado como desinfetante, para evitar a propagação do Coronavírus. Trinta e cinco locais serão desinfectados. A ação conta com a participação de agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (Transcon), Guarda Civil e de Combate às Endemias (da Secretaria Municipal de Saúde).

Confira a quantidade de casos confirmados e óbitos por regional:

REGIONAIS CONFIRMADOS ÓBITOS
Ressaca 22 2
Eldorado 21 2
Industrial 15  
Riacho 13 1
Sede 12  
Petrolândia 9 1
Nacional 7 1
Vargem das Flores 1  
TOTAL 100 7

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Elias Ramos

Data: 21/05/2020

UPAs de Contagem recebem nova remessa de enxoval hospitalar

As peças são fundamentais para a segurança do paciente e do trabalhador neste período em que o controle para transmissão da Covid-19 está diretamente relacionado à higiene e ao uso de equipamentos individuais de proteção (EPIs).

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Contagem receberam, em abril, nova remessa do enxoval hospitalar para uso de paciente e colaboradores. As peças são fundamentais para a segurança do paciente e do trabalhador neste período em que o controle para transmissão da Covid-19 está diretamente relacionado à higiene e ao uso de equipamentos individuais de proteção (EPIs).

As UPA’s JK, Petrolândia, Ressaca, Sede e Vargem das Flores receberam camisolas, bermudas, conjuntos privativos, lençóis e cobertores em quantidades variadas de acordo com as demandas de cada local. O enxoval das unidades de Pronto Atendimento visa manter a higiene do ambiente e a prevenção de infecções microbiológica entre as pessoas que necessitam de assistência à saúde.

A UPA Vargem das Flores recebeu 635 itens entre lençóis, cobertores, campos cirúrgicos e vestimentas para pacientes e colaboradores. Para o gerente da unidade, Wanderson Oliveira, o enxoval para os pacientes é de suma importância para a equipe da Enfermagem que lida direto com o paciente. “A roupa e os demais itens utilizados durante a estadia da pessoa na unidade estão também relacionados ao cuidado e em promover o conforto ao paciente que está em uma situação delicada,” reforçou Wanderson Oliveira.

Entre os profissionais, o uso da vestimenta hospitalar pela equipe assistencial é estabelecida pela NR32 como meio de proteção individual dos profissionais. As peças não devem ser usadas pelo profissional fora do estabelecimento. Elas são higienizadas por uma empresa especializada e entregues limpas a cada plantão. Quem faz gestão e o controle destes insumos nas UPA’s é o setor de Hotelaria Hospitalar, o qual proporciona com os seus serviços qualidade, higiene e bem-estar.

Serviço de Rouparia do CHC

O setor de rouparia do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) também adquiriu uma nova máquina de costura overlock, quatro fios. O equipamento dará melhor suporte aos trabalhos realizado pela equipe da costura que atende reparos e demandas pontuais nas peças dos enxovais. “É uma máquina mais moderna que faz acabamentos. Desta forma, a equipe atenderá com mais qualidade o serviço prestado,” afirmou o coordenador da Rouparia do CHC, Elônio Gomes.

 

Repórter: Bruna Alves

Foto: Divulgação

Data: 05/05/2020

Contagem investe em amplas ações na área da saúde para o enfrentamento da Covid-19

A Prefeitura de Contagem tem colocado em prática medidas preventivas e assistenciais na área da saúde para minimizar a possibilidade de contaminação pelo novo coronavírus

A Prefeitura de Contagem tem colocado em prática medidas na área da saúde para dotar as unidades hospitalares de equipamentos e insumos para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Aliado a isso, ações preventivas e assistenciais buscam minimizar a possibilidade da proliferação da doença.  A administração pública tem se pautado por orientações do Ministério da Saúde (MS) e do Comitê de Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 do Município de Contagem.

“Em busca de uma assistência eficiente para a situação, a Prefeitura de Contagem e o Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que compartilha a administração da rede de urgência e emergência no município, tem envidado ações e seguido com zelo as recomendações das entidades de saúde” destacou o diretor do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), Flávio Albuquerque.

No Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, unidade de referência para assistência a traumas e internações prolongadas da cidade, foram abertos 40 leitos de internação e 19 de CTI em uma ala isolada das demais e adquiridos 30 monitores de sinais vitais e 70 respiradores. “O local é destinado a assistência aos pacientes graves, ou seja, com sintomas respiratórios agudos e insuficiência respiratória que mereçam suporte clínico”, acrescentou o coordenador do Pronto Socorro do HMC, André Ottoni.

Nas últimas semanas, foram intensificadas as capacitações dos profissionais visando atualizar a equipe para o cenário epidemiológico, assim como para a utilização dos novos fluxos assistenciais estabelecidos e para o uso correto de equipamentos de proteção individual (EPI’s). Atualmente, todo o conteúdo atualizado é disponibilizado on-line, na modalidade de ensino a distância.

Atualmente, o pronto-socorro recebe apenas casos urgentes oriundos do SAMU, do Corpo de Bombeiros, e da Via-040 e encaminhados das Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s), com gestão dos leitos, tanto de enfermaria e CTI, para emergências e pacientes graves da Covid-19. Foram adaptados os horários e critérios para visitantes e acompanhantes no estabelecimento. Os procedimentos e cirurgias eletivos, ou seja, não urgentes, serão remarcados para período posterior a queda das infecções respiratórias.

Já o Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, unidade reconhecida como Hospital Amigo da Criança que presta a assistência tanto a gestantes e puérperas, como ao público infantil, também estabeleceu ações preventivas no atendimento de casos suspeitos de coronavírus.

As principais mudanças ocorreram nos Pronto-Atendimentos Obstétrico e Pediátrico. As recepções, consultórios de triagem e médicos para atendimento de pacientes com sintomas gripais foram separadas dos demais atendimentos. A medida foi necessária após o território nacional ser declarado como local de transmissão comunitária – são casos de transmissão do vírus entre a população, sem origem conhecida de paciente infectado.

Atualmente, o CMI possui também enfermarias de internação separadas para puérperas e crianças com sintomas gripais. Todas as equipes foram capacitadas e usam os EPI’s obrigatórios conforme os fluxos designados do setor. Os horários e critérios para visitantes e acompanhantes também foram restringidos.

UPA SEDE

A Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Sede, localizada no centro de Contagem, funciona desde o dia 24 de março exclusivamente no atendimento a casos de tratamento da Covid-19. Assim, um paciente com sintomas gripais ou suspeito de infecção por coronavírus que necessita de internação e é atendido na rede de saúde e transferido para o local.

O gerente da UPA, Leandro Santos, esclarece que o estabelecimento possui 20 leitos, sendo um leito destinado para demanda que não encaixe no perfil da doença. Ao todo, existem três respiradores e um aspirador portátil. “A unidade tem como retaguarda o Hospital Municipal de Contagem para os casos considerados mais graves,” completou.

Outra unidade que foi adaptada de forma diferente para atender esta demanda é a UPA JK, uma vez que o estabelecimento encontra-se na região de maior concentração da população contagense. Ela passou a contar, desde o dia 06 de abril, com uma tenda externa equipada com consultórios de triagem e médicos exclusivos para atendimento de pacientes suspeitos de coronavírus ou com sintomas de gripe.

A estrutura, com mais de 76m², tem como objetivo evitar aglomerações, seguindo a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) a respeito do distanciamento recomendado entre as pessoas. Inicialmente, o funcionamento é de 7h às 19h, havendo necessidade, o atendimento será ampliado para 24 horas. “Toda unidade já trabalha com um fluxo assistencial que obedece às recomendações dos órgãos de saúde. Esta ação tem como objetivo fortalecer as medidas preventivas de propagação das doenças respiratórias que são comuns nesta época, dentro do cenário que a sociedade vive da pandemia da Covid-19”, esclarece a gerente da UPA JK, Olívia Bonfim.

Do início do mês até hoje (14/04), mais de 180 pessoas foram atendidas com sintomas de síndrome gripal na UPA JK, ou seja, passaram pelo atendimento separado dos demais pacientes.

Conjunto

O Complexo Hospitalar de Contagem e as UPAs funcionam como uma rede de saúde distribuída no território municipal. Para que a assistência seja prestada de forma eficiente as unidades, trabalham em conjunto no alinhamento dos fluxos e diretrizes assistenciais.

Dessa forma, pacientes suspeitos de terem sido contaminados pela Covid-19, ou com sintomas respiratórios que exijam cuidados clínicos e que buscam atendimento nas UPAs Petrolândia, Ressaca e Vargem das Flores, também são recepcionados e acolhidos por profissionais capacitados para a demanda.

Os locais fornecem álcool 70% para higienização das mãos e máscaras de proteção aos pacientes e acompanhantes, assim como em toda a rede de saúde. Nestas unidades, espaços foram separados caso seja necessário o isolamento do paciente temporariamente.

Toda a rede de urgência e emergência de Contagem está abastecida dos suprimentos importantes na prevenção do coronavírus, como itens de higienização, álcool 70% e equipamentos de proteção individual, assim como também contam com uma ambulância exclusiva para o transporte de pacientes que enquadrem nestes casos. “É um trabalho conjunto de todas as frentes de atuação, com muita dedicação, para o enfrentamento desta pandemia, finalizou diretor do CHC, Flávio Albuquerque.

Hospital Santa Helena

O Hospital Santa Helena, no bairro Eldorado, foi encampado pela prefeitura e se tornou outro local para acolher casos da doença. Com oferta de 113 leitos, sendo 107 para internação e seis (06) semi-intensivo para o tratamento de pacientes com Covid-19, ampliando ainda mais a oferta de leitos no município.

O hospital estava prestes a fechar as portas sob a alegação de problemas financeiros em função da crise provocada pelo coronavírus. Mas agora atuará em apoio à rede de saúde municipal, por meio de parceria com a prefeitura e com a gestão compartilhada entre Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e o Instituto de Gestão e Humanização (IGH).  “O IGH tem acompanhado as diretrizes do Ministério da Saúde e do Governo de Minas com objetivo dar suporte às demandas da população contagense e dos gestores municipais diante da Covid-19”, completou a diretora regional do IGH, Ana Kécia Xavier.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 24/04/2020

Profissionais da área da saúde participam de capacitação para aperfeiçoamento da assistência

Profissionais da saúde do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e da Secretaria de Municipal de Saúde (SMS) participaram da capacitação Lean Six Sigma no nível Yellow Belt. A capacitação tem como objetivo abordar a utilização das ferramentas de melhorias Lean e controle de projetos que estão em implementação nas unidades da rede de saúde municipal buscando a melhoria da gestão dos serviços e da qualidade na assistência à população contagense.

“A finalidade é capacitar a equipe para identificar problemas e saber como resolvê-los. Entre os benefícios, acreditamos que iniciamos um movimento capaz mudar a realidade das unidades,” destacou a coordenadora Regional de Qualidade do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), Renata Damasceno, que foi responsável pelo treinamento.

O curso teve duração de três dias e ocorreu nas Faculdades Nova e UNA, de Contagem. No total, 38 pessoas foram capacitadas e certificadas em Yellow Belt. Os belts determinam o nível de conhecimento que o profissional possui em ferramentas de qualidade. Além do Yellow Belt existem os níveis Green Belts e Black Belts.

As enfermeiras do Pronto Socorro do Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, Vanda Auxiliadora da Costa e Ludmilla Danielle Souza Oliveira ficaram admiradas com o curso. “As orientações ajudaram a abrir mais a mente e pensar fora da caixa. Temos que realmente insistir na aplicação dos processos para conseguirmos melhores resultados,” contou Vanda Costa. Para Ludmilla Oliveira é comum ao decorrer do tempo os profissionais acostumarem com as situações e estabelecerem um olhar viciado para algumas questões. “Aprendemos aqui que com a aplicação das metodologias na totalidade podemos identificar as reais causas e agirmos precisamente alcançando resultados mais eficientes,” destacou.

Aperfeiçoamento da rede de saúde

As capacitações fazem parte da rotina dos profissionais da rede de urgência e emergência de Contagem visando à melhoria da qualidade da assistência ao cidadão. No que tange a capacitação Yellow Belt os profissionais aprendem a utilizar as ferramentas para melhoria contínua dos processos internos, processos estes que em muitos casos estão desordenados ou obsoletos.

Aplicação estratégica

Atualmente, o Pronto Socorro do HMC participa do Projeto Lean nas Emergências, promovido pelo Ministério da Saúde e desenvolvido pelo Hospital Sírio Libanês (SP). As atividades estão na etapa de intervenção com visitas quinzenais das tutoras da metodologia.

O CMI e UPAs do município também estão desenvolvendo práticas das metodologias visando a melhoria dos processos internos. Unidades de saúde acreditadas seguem protocolos adotados mundialmente que visam garantir a qualidade e a segurança da assistência prestada.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 09/03/2020

Simpósio de Cuidados com a pele promove conhecimento para boas práticas

O evento contou com palestras de profissionais especialistas na assistência relacionada às lesões por pressão

Profissionais da saúde e estudantes da área da saúde de Contagem participaram, na última sexta-feira (29/11), do I Simpósio do Serviço de Cuidados com a Pele do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) do município. Com o tema “Lesão por Pressão, conhecer para prevenir”, o evento teve como objetivo ampliar o conhecimento e fortalecer as boas práticas no assunto.

As lesões por pressão conhecidas popularmente por escaras e também chamadas por muitos profissionais de saúde por úlcera de pressão são lesões que podem surgir na pele do paciente restrito ao leito. Segundo a Anvisa, este mal é o terceiro evento adverso mais notificado no Brasil, trata-se de um problema de saúde pública, gerando impactos negativos para o paciente, família e instituições de saúde.

Na abertura do encontro realizado na Nova Faculdade, no bairro Cidade Industrial, estiveram compondo a mesa de autoridades: a diretora regional IGH, Ana Kecia Xavier, o diretor da nova faculdade Pablo Bittencourt, o assessor da Superintendência de Urgência da Secretaria Municipal de Saúde, Vinícius Oliveira Pimenta, o vereador Bruno Barreiro e a enfermeira do Serviço de Cuidados com a Pele e presidente da comissão organizadora do Simpósio, Sheila Oliveira Dias Brandão.

Lesões por pressões

O evento contou com palestras de profissionais especialistas na assistência relacionada às lesões por pressão. A primeira a falar foi a enfermeira dermatológica e especialista em urgência e emergência e Saúde Coletiva, mestranda e membro do grupo de coloproctologia e distúrbios de defecação da UFMG, Marcela Monteiro Pinheiro.

Ela abriu a exposição abordando as principais mudanças nos conceitos ocorridas em 2016 no âmbito mundial e apresentou a classificação das principais lesões por pressão. “Atualmente o termo a ser usado é lesão ao invés de úlcera que foi utilizado até recentemente,” destacou Marcela Pinheiro.

Outro palestrante convidado foi Carlos Tonázio. Ele é estomoterapeuta e mestre em Bioengenharia pela UFMG, capitão enfermeiro coordenador do serviço especializado em feridas do Hospital da Polícia Militar e criador do canal do Youtube: Bate-papo com o estomaterapeuta que possui mais de 380 mil visualizações.

O especialista abordou sobre as principais evidências científicas para a prevenção e tratamento das lesões por pressão. “Médicos e enfermeiros tem que estarem antenados no que diz respeito das boas praticas e métodos comprovados por pesquisas para atuarem de assistência de forma precisa,” ressaltou Carlos Tonázio.

Fizeram parte da programação do Simpósio ainda, as aulas sobre Lesão de kennedy: os limites do tratamento intervencionista, apresentada pela cirurgiã plástica do Hospital Municipal de Contagem (HMC), Ellen Santos; “DAI x lesão por pressão diagnóstico diferencial e manejo da DAI”, com o enfermeiro especialista em urgência e emergência e membro do serviço de integridade cutânea da FHSFA, Tiago Lander Da Silva; “Terapia por pressão negativa (TPN) em feridas de alta complexidade” com o enfermeiro referência da linha cirúrgica nas especialidades cirurgia geral, cirurgia plástica e neurocirurgia, Wagner Oséas Corrêa; e “Lesão por pressão: a importância da intervenção nutricional” com a mestre em ciências aplicadas à saúde do adulto pela UFMG e especialista em nutrição parenteral e enteral pela Braspen / SBNPE, Jeniffer Danielle Machado Dutra.

Além da apresentação dos palestrantes, os participantes puderam conferir o Workshop Inovações na Cicatrização realizado pelos alunos do 5° período de Enfermagem da disciplina Lesão Cutânea da Nova Faculdade, coordenado pela professora Láyza Machado Braga.

Para a coordenadora de Enfermagem da Clínica Médica e Cirurgia do HMC, Claretice Souza, o Simpósio foi ótimo, pois as lesões por pressões é uma realidade da rotina assistencial uma vez que muitos pacientes passam por internações. “Foi muito interessante as palestras, tivemos contato com muito conhecimento e a possibilidade de atualizarmos nesta temática,” disse.

Pré-evento

Nos dias que antecederam o Simpósio, 27 e 28 de novembro, os colaboradores do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) passaram por uma vivência sobre o tema no auditório da unidade. A equipe do Serviço de Cuidados com a Pele e representantes de insumos para o tratamento de lesões montaram mesas expositoras visando ampliar o conhecimento e esclarecer dúvidas sobre o assunto.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 02/12/2019

Tuberculose é tema de capacitação para colaboradores do CHC e UPAs

As orientações foram repassadas pelo médico infectologista do Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz, João Gentilini Faciane de Castro

Na manhã de quarta-feira (06/11), profissionais da Assistência à Saúde lotados no Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do município participaram de uma capacitação sobre tuberculose. A doença que é uma infecção pulmonar provocada por bactéria afeta mais de 67 mil brasileiros por ano.

A palestra transcorreu sobre o novo protocolo de diagnóstico e tratamento da tuberculose, aspectos clínicos da epidemia e medidas de proteção. As orientações foram repassadas pelo médico infectologista do Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz, João Gentilini Faciane de Castro.

Segundo o especialista, a tuberculose é uma doença que mata. E, de acordo com os relatórios de saúde, trata-se de uma doença típica de países em desenvolvimento e comum entre a população adulta jovem. “Para o colaborador da saúde é importante sempre usar os equipamentos de proteção, saber lidar com o manejo do paciente e estar atualizado quanto aos protocolos do Ministério da Saúde para que ele esteja protegido e a doença não contamine mais pessoas,” destacou o médico João Gentilini.

A capacitação faz parte da programação do Núcleo de Educação Permanente que atua  atualização contínua dos profissionais da saúde buscando qualidade na assistência prestada à população.

 

 

Foto:  Bruna Alves

Data: 07/11/2019

I Simpósio do Serviço de Cuidados com a Pele do CHC

As inscrições têm vagas limitadas e devem ser feitas pelo link inserido na matéria até o dia 25 de novembro

No dia 29 de novembro será realizado o I Simpósio do Serviço de Cuidados com a Pele do Complexo Hospitalar de Contagem e Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) do município, que terá como tema: “Lesão por pressão, conhecer para prevenir”. O evento será realizado no auditório da Nova Faculdade, av. Cardeal Eugênio Pacelli, 1996 – Cidade Industrial, Contagem – MG, no horário das 14h às 19h30.

O evento é voltado para profissionais de saúde, residentes e acadêmicos do CHC, UPA’s e demais interessados. As inscrições têm vagas limitadas e devem ser feitas pelo seguinte link (Clique aqui) até o dia 25 de novembro.

A programação do evento com especialistas no assunto e abordará questões importantes desde a prevenção até o tratamento das lesões por pressão. As lesões por pressão ou úlcera de decúbito são feridas ou também as chamadas escaras que se desenvolvem em calcanhares, tornozelos, quadris e no cóccix das pessoas em condição limita de mudar de posição.

Nos dia 27 e 28 de novembro será realizado no auditório do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Souza uma etapa preparatória do evento, denominada Diálogos Dinâmicos, para os colaboradores do CHC e UPAS.

Serviço: I Simpósio do Serviço de Cuidados com a Pele do CHC

Data: 29/11/2019

Horário: 14h às 19h30

Local: Nova Faculdade, av. Cardeal Eugênio Pacelli, 1996 – Cidade Industrial, Contagem – MG

Público-alvo: profissionais, residentes e acadêmicos na área da saúde

 

Foto: Bruna Alves

Data: 01/11/2019

Rede de urgência e emergência de Contagem adota metas de segurança internacional para atendimento na saúde

Metas são preconizadas pela Organização Mundial da Saúde

No dia 17 de setembro foi celebrado o Dia Mundial da Segurança do Paciente. A data tem como objetivo sensibilizar profissionais de saúde e população para um dos pilares mais importantes da assistência: o atendimento seguro aos pacientes.

Desde o início do ano, a rede de urgência e emergência de Contagem, conta com ações do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), que visam estabelecer as seis metas internacionais preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). São elas: Identificação Correta dos Pacientes; Comunicação Efetiva; Melhorar a Segurança dos Medicamentos; Cirurgia Segura; Redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde; e Prevenção de danos decorrentes de quedas.

A coordenadora Regional do NPS, Sara Regina Ferreira, explica que essas diretrizes visam diminuir os índices de riscos e dos erros nos cuidados de saúde. “É por meio das seis metas de segurança que alcançamos a qualidade na assistência, aperfeiçoamos a habilidade profissional e o paciente tem sua saúde restabelecida sem agravos”.

Segundo o Instituto Para a Segurança do Paciente, 134 milhões de eventos adversos ocorrem devido a cuidados inseguros em países de baixa e média renda, o que contribui para que 2,6 milhões de pessoas venham a óbito anualmente. Buscando evitar que esses fatnspos ocorram, as equipes assistenciais das unidades de pronto atendimentos (UPA’s), do Hospital Municipal de Contagem José Lucas Filho e Centro Materno Infantil Juventina Paula de Jesus passam regularmente por capacitações desenvolvidas pelo Núcleo de Segurança do Paciente.

Entre as ações para cumprimento das metas internacionais, já implementadas nas unidades de Contagem, está a Identificação Correta dos Pacientes. Nelas são utilizadas a pulseira de identificação do paciente e o display no leito, que consiste em uma placa personalizada contendo as informações essenciais do paciente (nome, data de nascimento, responsável, observações importantes, etc) para uma assistência segura.

Outra atividade relacionada à segurança do paciente é a notificação de eventos adversos. Os formulários são instrumentos para mensuração dos índices de ocorrência na assistência e fundamentais para melhoria dos processos assistenciais.

A coordenadora Sara Ferreira reforça que paciente, acompanhantes e profissionais da saúde devem atuar juntos no processo de prevenção. No caso dos pacientes e acompanhantes, o apoio recomendado é de fazer perguntas sobre o atendimento, certificando-se durante todo o atendimento que os procedimentos estão sendo realizados conforme o informado pela equipe.

 

 

Foto: Bruna Alves

Data: 18/09/2019