Posts com a Tag ‘Sistema Único de Saúde (SUS)’

Debater a saúde também é um exercício de cidadania

Reunião ordinária do Conselho Municipal de Saúde será terça-feira (14), no auditório da Prefeitura

Uma vez por mês, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, realiza a Reunião Ordinária do Conselho Municipal de Saúde (CMS). A reunião ordinária de maio será na terça-feira (14), às 17h30, no auditório da Prefeitura (praça Tancredo Neves, nº 200, bairro Camilo Alves). O objetivo é debater as políticas públicas voltadas para a saúde de Contagem.

O CMS é um órgão formado pelos três segmentos que compõem o Sistema Único de Saúde (SUS): gestores, trabalhadores e usuários. Ele faz parte da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e atua como parceiro da gestão. As reuniões ordinárias ocorrem mensalmente em todas as segundas terças-feiras do mês.

 

Repórter: Lucas Santos 

Data: 13/05/2019

Conselho Municipal de Saúde reúne-se nesta terça-feira, na Secretaria

Será a primeira Reunião Ordinária sob a presidência de Maria José Pinto, recém-eleita para o cargo

A primeira Reunião Ordinária do Conselho Municipal de Saúde (CMS) sob a presidência de Maria José Pinto será realizada nesta terça-feria, às 17h30, na Sala de Licitação da Secretaria Municipal de Saúde, na avenida General David Sarnoff, nº 3113, Cidade Industrial.

O Conselho Municipal de Saúde é um órgão formado pelos três segmentos que compõem o Sistema Único de Saúde (SUS): gestores, trabalhadores e usuários. O CMS integra a Secretaria Municipal de Saúde e atua como parceiro da gestão. A reunião ordinária ocorre normalmente em toda segunda terça-feira de cada mês. A participação nessas reuniões é aberta à comunidade.

A nova Mesa Diretoria do CMS, para o ano de 2019, foi eleita no último dia 26. Maria José Pinto foi eleita a presidente, e Raymundo Rodrigues, o vice-presidente. Ambos representam o segmento usuário. Elane Lobo, inspetora sanitária na Vigilância Sanitária e representando o segmento trabalhador, foi eleita primeira-secretária. Representando o segmento gestor, Ronaldo Gontijo, ex-presidente do CMS, foi eleito segundo-secretário.

 

Repórter: Eugênio Moreira

Foto: Elaine Castro

Data: 19/03/2019

Centro Materno Infantil cada vez mais estruturado para a função de Hospital Amigo da Criança

Complexo Hospitalar de Contagem é avaliado por representantes do Ministério da Saúde, que apontam avanços em relação à última visita, em 2015

O Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus está recebendo a visita de duas representantes do Ministério da Saúde, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), para avaliação da Maternidade Municipal de Contagem no que diz respeito às diretrizes da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC). Promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o IHAC tem o objetivo de incentivar o aleitamento materno e reduzir os índices de mortalidade infantil.

Os critérios avaliados baseiam-se na Portaria nº 1.153, de 22/5/2014, que institui a IHAC como estratégia de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à saúde integral da criança e da mulher no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Os Hospitais Amigos da Criança recebem incrementos financeiros para os procedimentos de assistência ao parto e atendimento ao recém-nascido em sala de parto.

O parecer para a manutenção da habilitação em Contagem não será emitido na visita. Porém, no julgamento da presidente da Comissão de Aleitamento Materno do CMI, Kátia Fonseca, o hospital foi bem avaliado. “A visita épositiva. Elas nos parabenizaram por muitas coisas que são feitas aqui. Evidentemente, teremos que melhoraralgumas. Mas a avaliação foi muito positiva. A IHAC é um selo de qualidade que vai mostrar para a comunidade e para a as mãe que o CMI é um centro de excelência, onde elas podem contar com boas práticas no parto e nascimento, oferta e orientações sobre aleitamento materno”, afirma Kátia. Ela é enfermeira neonatologista, integrante de várias comissões no CMI e plantonista no CTI neonatal.

Ela destaca que a maternidade tem como norma e compromisso seguir o acordo mundial da Unicef/OMS de 1992 e o parecer jurídico do MS nº 62/1994, de não receber nenhuma doação, gratificação ou ajuda financeira que venha da indústria de leites infantis artificiais (fórmulas lácteas), mamadeiras e chupetas, entre outras normas similares. “Também garantimos a permanência da mãe e do pai junto ao recém-nascido 24 horas por dia na unidade neonatal, com livre acesso a ambos, ou, na falta desses, ao responsável legal pela criança”, aponta Kátia.

A avaliação ocorre no momento em que o CMI vem aumentando a capacidade de atendimento. Em 2017 foram feitos 3.838 partos, 629 a mais que em 2016 (3.209 procedimentos). De janeiro a setembro de 2018 foram 3.639 partos. Também está sendo registrada uma evolução na capacidade de atendimento nas linhas de cuidado em neonatologia e pediátricos/Saúde da Criança: as 97 vagas ofertadas em 2017 aumentaram para 187, crescimento de cerca de 92%.

O IHAC tem o objetivo de incentivar o aleitamento materno e reduzir os índices de mortalidade infantil

O IHAC tem o objetivo de incentivar o aleitamento

materno e reduzir os índices de mortalidade infantil

Redução da mortalidade

Estudos científicos apontam que o aleitamento materno é o principal responsável pela redução da morbidade e a mortalidade infantil. Em função disso, a OMS e a Unicef idealizaram a IHAC em 1990, para apoiar, proteger e promover o aleitamento materno por meio de normas e rotinas que o incentivem. “A IHAC busca reduzir a morbimortalidade infantilbaseado no fato de que bebês que mamam no peitoexclusivamente durante seis meses têm menos chance de ter doenças, alergias e de morrer antes de completar um ano de idade. Além disso, com o aleitamento materno a mãe tem melhorias na saúde, com menos risco de morte e de sangramento ou hipotonia (diminuição do tônus muscular)”, complementa Kátia.

Por determinação da Portaria nº 1.153, a avaliação presencial dos Hospitais Amigos da Criança devem ocorrer a cada três anos. A última no CMI tinha sido feita em 2015. “Na ocasião fomos aprovados em todos os passos, só precisamos ter mais cuidado com a questão do contato pele a pele na sala de parto”, ressalta Kátia.

Na avaliação deste ano o resultado não foi diferente. “Todos os dez passos estão sendo atendidos. Evidentemente, sempre há o que melhorar. O Cuidado Amigo da Mulher foi muito elogiado pelas avaliadoras. A gente teve uma menção honrosa neste sentido. Muitas instituições têm dificuldade de manter essas práticas”,afirma a presidente da Comissão de Aleitamento Materno do CMI.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Elvira Angel

Data: 18/12/2018

Ei, você que é jovem: procure uma unidade de saúde para se vacinar contra a Febre Amarela

Adolescentes de 10 a 19 anos representam mais de 80% das pessoas que têm indicação mas ainda não se vacinaram contra a doença, que pode matar. Risco de contrair Febre Amarela aumenta com a intensificação das chuvas e o calor intenso

Com o verão chegando, aumenta muito o risco de contração de doenças transmitidas por mosquitos, como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela. No caso da Febre Amarela, é possível se proteger não somente eliminando focos de postura de ovos de mosquitos, interrompendo a cadeia de transmissão dessas doenças, mas também com a vacinação, que é feita gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em suas manifestações graves, a Febre Amarela pode ser letal.

A vacina contra a Febre Amarela segue sendo disponibilizada nas salas de vacina de Contagem, assim como aconteceu durante todo o ano (clique AQUI e veja os endereços). A indicação para a vacinação contra Febre Amarela, de acordo com o Ministério da Saúde (MS), são as pessoas que têm entre 09 meses e 59 anos de idade.

O horário de funcionamento das salas de vacina é das 8h30 às 16h30. É necessário apresentar o documento de identidade e o cartão de vacinação. Cabe ressaltar que, se o cidadão tiver qualquer tipo de problema de saúde, deve informar ao profissional de saúde.

Em Contagem, a cobertura vacinal acumulada (2007 – 2018) relativa à Febre Amarela é de 84,20%, com 516.811 doses aplicadas nesse período. A meta do Ministério da Saúde é de 95%. A assessora técnica da Central de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Fernanda Elisa Ferreira de Almeida, explica que a grande procura pela vacina contra a Febre Amarela aconteceu somente no período em que a situação esteve crítica, mas que com a diminuição dos casos notificados, a busca pela vacina diminuiu.

“Nesta época do ano, com a chegada do período das chuvas e o calor intenso, é muito importante que todos os que têm indicação estejam vacinados contra a Febre Amarela. É fundamental que quem ainda não se vacinou procure uma unidade de saúde, principalmente os adolescentes, que representam mais de 80% das pessoas que têm indicação e ainda não se vacinaram contra a doença. Hoje, temos uma estimativa de que cerca de 129 mil pessoas em Contagem ainda não se vacinaram contra a Febre Amarela e, dessas, pelo menos 110 mil são adolescentes com idades entre 10 e 19 anos. Vale lembrar que quem já tomou uma dose já está protegido, por isso é tão importante guardar o cartão de vacinas, mesmo os adultos”, adverte a técnica.

 
Repórter: Carolina Brauer
Foto: Divulgação
Data: 12/12/2018

Trabalho dos Agentes de Combate às Endemias (ACE) na prevenção das arboviroses

Atuação dos ACEs no combate a doenças como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela é parte importante na estratégia de enfrentamento de mosquitos transmissores de enfermidades

Filomena Cândida Duarte Silveira, 72 anos, moradora do Bairro Industrial, vive em uma casa com um lindo jardim. Em cada vaso, muita vegetação que recebe toda a atenção dessa professora aposentada e, claro, muita água. Filomena tem até uma caixa d’água coletora de água da chuva, para dar conta de molhar todas aquelas flores e plantas ornamentais.

Mas, por trás de tanta beleza, existe um perigo que pode estar escondido: se houver água empossada ou parada em algum pratinho de vaso de planta, em alguma folha que acumule água ou se a caixa d’água coletora não estiver devidamente telada, um pequeno, mas mortal inimigo pode usar esses locais para depositar seus ovos. É que a fêmea do mosquito Aedes aegypti, aquele mesmo, que todo mundo sabe que transmite doenças como Dengue, Zika e Chikungunya, pode colocar seus ovos em qualquer lugar que acumule ou contenha água parada. E é sempre bom lembrar que a Febre Amarela, doença para a qual existe vacina, que segue disponível na rede SUS / Contagem (clique AQUI e veja os endereços das salas de vacina), também é transmitida por um mosquito.

Principalmente nesta época do ano, com a chegada do período das chuvas e o calor intenso, a participação e o engajamento da população na eliminação dos reservatórios de água que possam se tornar ninhos de postura de ovos de mosquitos é fundamental. Não custa frisar que essas doenças podem até matar!

Filomena, uma senhora de muitos dotes manuais e que acumulou sabedoria ao longo de décadas de vida, sabe disso. Mas ela também sabe que está sujeita a cometer erros, como qualquer pessoa. “Eu sou humana, a gente falha”, admite. E é por isso que Filomena não hesita em receber os Agentes de Combate às Endemias (ACE) a cada dois meses. Entre as atribuições dos ACEs estão as visitas domiciliares, nas quais os agentes inspecionam os locais e orientam a população quanto à prevenção das zoonoses em geral. As zoonoses são doenças típicas de animais que podem ser transmitidas aos seres humanos, e vice-versa. Especialmente nesta época do ano, em que as chuvas se intensificam, o trabalho dos ACEs volta-se para a prevenção das arboviroses, doenças como aquelas transmitidas pelo Aedes.

Com o trabalho dos ACEs, a população visitada recebe orientações quanto à correta destinação do lixo e dos chamados inservíveis, recipientes artificiais descartados indiscriminadamente e/ou que podem acumular água, como pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores e seus pratinhos, caixas d’água descobertas, cisternas, piscinas e até tampinhas de garrafa e bebedouros de animais. Atualmente, a rede SUS/ Contagem conta com o trabalho de 249 ACEs, 20 deles contratados neste segundo semestre de 2018.

Isabela Cristina é uma das ACEs responsáveis pela vistoria na região onde está localizada a casa de Filomena. “Realmente, a dona Filomena toma todos os cuidados que são importantes para evitar o acúmulo de água, E quando a gente detecta alguma inconformidade, ela sempre nos ouve com atenção e faz os procedimentos necessários para resolver o problema”, diz a agente. Isabela faz parte da equipe de ACEs que trabalham na região que são coordenados por Cintia Fernanda. “É importante criar vínculos com a comunidade e, na medida do possível, fazer com que os mesmos agentes sigam com as visitas periódicas nos locais visitados. Isso deixa o trabalho mais eficiente e eficaz”, diz Cintia. A supervisora geral dos ACEs do distrito sanitário Industrial, Edimeia Dias, completa: “O trabalho de prevenção de zoonoses, entre elas as arboviroses, é um trabalho que depende da ação conjunta de todos. Não adianta só a dona Filomena fazer a parte dela, os vizinhos e toda a comunidade também precisam, cada um, fazer a sua parte. E nós, os ACEs, estamos sempre contribuindo para isso”.

“Eu acho muito importante a visita dos agentes. Elas chegam aqui e nos alertam. A gente falha, às vezes. E elas nos ajudam a achar os erros e a evitar o perigo. Meus vasos não têm pratinho embaixo, e todos são furados embaixo, pra não acumular água. E na minha caixa d’água coletora tem duas telas, amarradas com arame”, ensina a sábia senhora, que inclusive já se vacinou contra a Febre Amarela. “Eu e todo mundo aqui em casa”, reforça.

O diretor de Vigilância e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), José de Renato de Rezende Costa, explica que o município vem sistematicamente realizando as visitas domiciliares dentro da programação dos ciclos epidemiológicos propostos pelo Ministério da Saúde (MS) e, ao mesmo tempo, monitorando semanalmente locais em pontos estratégicos do município. “Em Contagem, 100% do território está coberto pelas armadilhas chamadas “Ovitrampas”, 534 armadilhas, ao todo, espalhadas pela cidade. O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito, para que coloquem seus ovos ali. Pela quantidade de ovos, ou pela ausência deles, a SMS pode traçar ações estratégicas”, afirma José Renato, que é médico veterinário.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Carolina Brauer

Data: 12/12/2018

Vamos falar sobre o câncer de próstata?

O Novembro Azul, campanha que chama a atenção para a saúde do homem, já acabou. Mas falar sobre a prevenção do câncer de próstata deve ser uma atitude permanente. Afinal, no Brasil, segundo o Inca/Ministério da Saúde (MS), um homem morre a cada 38 minutos por causa dessa doença. A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que tem como principal função, juntamente com outras glândulas, produzir o esperma.

Quem nunca ouviu falar sobre campanhas de saúde que estabelecem cores para alguns meses do ano, com o objetivo de difundir informações, derrubar preconceitos e prevenir doenças? Ao longo dos anos, sobretudo a partir da década de 1990, sociedades médicas, pacientes e organizações da sociedade civil mundo afora vieram difundindo campanhas que relacionam cores para os meses do ano com o objetivo de informar, quebrar preconceitos e ampliar a prevenção de doenças. No mês passado, o Novembro Azul chamou a atenção para câncer de próstata, um dos tipos mais comuns entre os homens, de acordo com o Ministério da Saúde (MS).

O mês de novembro acabou, mas é muito importante seguir com a conscientização sobre câncer de próstata, doença que, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca)/MS, dados de 2017, mata um homem a cada 38 minutos no Brasil.

Em Contagem, assim como em toda a rede pública de saúde do Brasil, para se informar sobre a doença e fazer exames de detecção, se necessário, o homem deve primeiramente passar por uma consulta na Unidade Básica de Saúde (UBS), principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), onde são solicitados diversos exames, dentre eles o PSA, quando o homem completa 50 anos de idade. Em casos de histórico familiar da doença, essa prevenção inicia-se aos 45 anos. O médico da UBS é quem faz o encaminhamento para o exame de prevenção do câncer de próstata a um dos especialistas do CCE Iria Diniz. Sempre que for à consulta com o urologista, o paciente já deve ter em mãos o resultado do seu PSA.

Para falar sobre os problemas que essa pequena glândula, localizada próxima à bexiga e ao intestino pode causar, o médico urologista Carlos Fabricio Sousa de Almeida, que atua no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz desde o ano 2006, traz informações o câncer de próstata, incluindo formas sobre sua detecção, o que pode permitir a recuperação precoce dos pacientes e salvar vidas.

O especialista reforça que o diagnóstico precoce é a melhor arma contra esse tipo de doença. “Com um simples exame de sangue e um rápido e indolor exame de toque, podemos evitar muito sofrimento e a perda de muitas vidas”, atesta o médico.

Confira a entrevista:

O que é próstata? Onde ela está localizada? Só os homens possuem próstata?

É uma glândula que só está presente nos homens e tem a forma de uma noz, localiza-se abaixo da bexiga, em frente ao reto, e engloba a uretra.

Há fatores de risco ou comportamentos que podem favorecer o câncer de próstata?

A hereditariedade é o principal fator de risco. Quem tem parentes próximos com a doença tem maior risco de vir a desenvolvê-la. Fatores como a raça negra e alimentação rica em gorduras e pobre em vegetais e frutas também estão relacionados com maior incidência do câncer de próstata.

O que acontece com a próstata quando ela é afetada pelo câncer?

Primeiramente, surgem nódulos no interior da glândula, que podem se expandir e invadir estruturas próximas, como as vesículas seminais, bexiga e reto. Entretanto, o maior problema é que antes que isso aconteça, células tumorais caem na corrente sanguínea e são levadas para diversas estruturas e órgãos distantes, como ossos, fígado e cérebro.

Existem sinais ou sintomas que podem indicar que a pessoa esteja com câncer de próstata?

Este é o maior problema que enfrentamos. Em sua fase inicial, justamente quando o câncer de próstata pode ser adequadamente tratado e curado, ele não costuma apresentar sintomas. Os sintomas surgem apenas quando a doença já se espalhou e, então, torna-se muito difícil controlá-la. Sintomas como sensação de urina presa, jato urinário fraco e levantar-se muitas vezes à noite para urinar, na maioria dos casos, estão relacionados com o aumento benigno da próstata, a hiperplasia prostática, e não com o câncer. Por isso, a detecção precoce é fundamental.

Existe algum perfil ou grupo populacional que tenha indicação de realizar exames de detecção?

O exame de prevenção do câncer de próstata deve ser realizado por todos os homens a partir dos 50 anos de idade e ser repetido anualmente. Homens que têm parentes próximos com esta doença devem iniciar a prevenção aos 45 anos de vida.

Como é feito o diagnóstico do câncer de próstata? Há métodos diferentes para cada tipo de pessoa?

O diagnóstico é feito através de um exame de sangue que se chama PSA ou antígeno prostático específico, que costuma estar elevado nos casos de doenças da próstata, dentre eles o câncer, e também através do exame de toque prostático, em que o médico consegue palpar irregularidades e diferenças na textura da próstata. Se houver alteração no conjunto desses exames, é indicada então a biópsia da próstata, que consiste em se retirar vários fragmentos da glândula. É um exame realizado pelo reto, guiado por ultrassonografia. É só a biópsia que pode confirmar a presença das células malignas na próstata.

Caso o câncer de próstata seja detectado, quais são os próximos passos?

Caso o tumor seja detectado, ou seja, confirmado pela biópsia, o urologista define junto com o paciente a melhor modalidade de tratamento, de acordo com as características de cada pessoa. Na atualidade, os pacientes são encaminhados à Comissão Municipal de Oncologia, que é o órgão que distribui os pacientes entre as diversas instituições vinculadas ao SUS, como por exemplo o Hospital da Baleia e o Instituto Mario Penna. O tratamento é completamente gratuito no SUS.

Qual ou quais são os tratamentos para o câncer de próstata? Nesses tratamentos, a próstata é extraída do corpo ou é “somente” tratada?

O tratamento depende de até onde a doença se espalhou. Se for um tumor localizado, ou seja, só dentro da glândula prostática, a cirurgia para a retirada de toda a próstata e das vesículas seminais é a melhor opção. Em casos onde os riscos anestésico e cirúrgico são muito altos, não se retira a próstata e, nesses casos, opta-se pela radioterapia, que consiste na destruição por radiação das células tumorais. A radioterapia também é indicada nos casos em que a doença já saiu da próstata mas não acometeu órgãos distantes. E quando a doença encontra-se em fase avançada, ou seja, quando já se espalhou para outras estruturas como ossos, fígado ou cérebro, as chamadas metástases, a melhor opção passa a ser a hormonioterapia e, então, a quimioterapia.

Em um ranking de neoplasias malignas que matam homens, o câncer de próstata ocupa qual posição?

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tumor mais frequente no homem e só perde para o câncer de pele. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que teremos mais de 68 mil novos casos de câncer de próstata neste ano. Todo ano, morrem cerca de 13 mil  homens devido à doença.

Ter câncer de próstata pode afetar a capacidade de homens terem ereções ou trazer outros problemas relacionados a atividades sexuais? A retirada da próstata afeta as funções sexuais dos homens?

O câncer de próstata não costuma afetar a função sexual na sua fase inicial, só mesmo quando ele avança. Tanto a cirurgia quanto a radioterapia para o tratamento da doença podem afetar a capacidade do homem em obter ereção. Mas não em todos os casos, depende muito de como era a ereção anteriormente ao tratamento e, também, da técnica operatória e da precisão dos aparelhos de radioterapia. Entretanto, existem diversas formas de se recuperar esta função, seja com medicamentos orais ou locais e até mesmo com o implante de próteses.

Sobre os tabus em torno da doença: é comum que os homens não procurem por um médico para realização do exame de próstata por causa de percepções que associem a realização do exame à problematização da opção sexual?

Sempre houve uma resistência por parte dos homens ao exame de toque retal. Entretanto, percebemos que este tabu tem sido quebrado ao longo dos tempos. Trata-se de um exame muito rápido e indolor e muitos homens estão mais conscientes da importância do diagnóstico precoce da doença. Homens: previnam-se!

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 05/12/2018

ESP-MG realiza segundo seminário “Justiça Social e Equidade”

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) realiza no próximo dia 5 de dezembro, o segundo seminário “Justiça Social e Equidade”, com o objetivo de promover uma reflexão sobre os desafios do Sistema Único de Saúde (SUS) em cenários de desigualdade social.

O seminário integra o projeto “Capacitação de Conselheiros e Atores em Educação Permanente e Controle Social no SUS Contagem”, parceria da Escola com a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, e o Conselho Municipal de Saúde de Contagem.

A atividade é gratuita, aberta ao público e terá declaração de participação. Vagas limitadas.

Programação:

13h às 13h30: Recepção e Credenciamento
13h30 às 13h45: Abertura
13h45 às 17h: Palestra 1 – “Comunicação e Políticas Públicas de Saúde”, Profº Jean Alves (Docente – ESP-MG)
Palestra 2: “Democracia e Participação Social”, Profº Ricardo Fabrino Mendonça (Docente – UFMG)
17h às 17h30: Avaliação do evento pelos participantes e encerramento

Faça AQUI sua inscrição!

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Divulgação

Data: 29/11/2018

Dia Nacional do Agente de Saúde é hoje

Profissional favorece o vínculo entre comunidade e serviços de saúde

Nesta quinta-feira, 4 de outubro, comemora-se o Dia Nacional do Agente de Saúde, um profissional muito importante para o fortalecimento dos elos entre a comunidade e os serviços de saúde. Por estar em contato permanente com os usuários e suas famílias, o Agente de Saúde favorece o vínculo entre equipes com a comunidade e fortalece a implementação do Sistema Único de Saúde.

A Prefeitura de Contagem e a Secretaria Municipal de Saúde parabenizam todos os Agentes de Saúde pelo seu dia!

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 04/10/2018

Terça-feira é dia de exercer a cidadania nas reuniões do Conselho Municipal de Saúde

Reuniões ordinárias são mensais e realizadas em toda segunda terça-feira do mês. A reunião ordinária de outubro ocorrerá na próxima terça, dia 9/10, na Prefeitura de Contagem

 

Uma vez por mês, a terça-feira em Contagem vira dia de Reunião Ordinária do Conselho Municipal de Saúde (CMS). A reunião ordinária de outubro será no dia 9/10, próxima terça-feira, às 17h30, no Auditório da Prefeitura (Praça Tancredo Neves, nº 200, bairro Camilo Alves).

O CMS é um órgão formado pelos três segmentos que compõem o Sistema Único de Saúde (SUS) – gestores, trabalhadores e usuários – que faz parte da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e que atua como parceiro da gestão. As reuniões ordinárias ocorrem mensalmente em todas as segundas terças-feiras do mês.

O presidente do CMS de Contagem, Ronaldo Gontijo, explica que a participação nas reuniões é aberta à comunidade. “O Conselho é um espaço no qual os cidadãos podem participar, apresentar demandas e se manifestar. Por isso, as pessoas podem e devem participar dessas reuniões, e todas e todos serão bem-vindos”, reforça o presidente.

Participe das reuniões do Conselho Municipal de Saúde (CMS) e exerça sua cidadania!

Serviço:

Reunião Ordinária do Conselho Municipal de Saúde

Dia: 9/10 – terça-feira
Horário: 17h30
Local: Prefeitura Municipal de Contagem (Praça Tancredo Neves, nº 200, bairro Camilo Alves)

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 02/10/18

 

Ouvidoria da Saúde passa por reformas para melhor atender o cidadão

As manifestações podem ser encaminhadas pessoalmente, por telefone ou por e-mail

 

A Secretaria de Saúde, por meio da Ouvidoria SUS/Contagem, informa que o setor está passando por obras de reforma. O objetivo é readequar o espaço para facilitar o trabalho dos servidores e aprimorar o atendimento ao cidadão. Nos próximos dias o número de atendimento será normalizado.

A Ouvidoria SUS/ de Contagem é um instrumento de gestão e cidadania. É um mecanismo institucional de participação social onde o usuário do SUS participa da gestão por meio da ouvidoria – instrumento da gestão para o aperfeiçoamento da qualidade e da eficácia das ações e serviços prestados pelo SUS.

Até outubro desse ano, a Ouvidoria recebeu 3.305 demandas. “A expectativa quem ultrapassemos o número de atendimentos em relação ao ano de 2017 que foi de 3.773”, ressaltou o Ouvidor do SUS/Contagem, Cliver Oliveira.

O canal com o cidadão

A Ouvidoria SUS/Contagem ganhou um destaque na gestão do prefeito Alex de Freitas. Segundo Cliver, a Ouvidoria recebe demandas para consultas especializadas, exames, cirurgias entre outras e encaminha para os setores responsáveis em busca de uma solução.

Até o ano de 2016, a Ouvidoria SUS/Contagem não tinha uma planilha de atendimentos, o que dificultava as ações da Secretaria de Saúde. Foram atendidas cerca de 1.900 demandas, quase a metade de 2017.

Como registrar sua manifestação

Antes de registrar uma manifestação na Ouvidoria SUS procure o órgão e/ou instituição envolvida com a resolução de seu problema ou questionamento, podendo ser a Unidade Básica de Saúde.

Esta iniciativa é muito importante para assegurar a efetividade da estratégia de descentralização dos serviços e para reforçar os mecanismos de participação popular nos processos de implantação de políticas de saúde pública de uma maneira geral.

Se essa tentativa já foi feita, sem sucesso, entre em contato com a Ouvidoria SUS de Contagem. Cliver Oliveira deu uma importante dica para o usuário. “Geralmente o maior número de ligações para a Ouvidoria são realizadas de manhã, então na parte da tarde as linhas da ouvidoria ficam descongestionadas”.

A manifestação pode ser feita das seguintes formas:

– Presencialmente: na própria Ouvidoria das 8h às 17h, localizada no prédio da Secretaria de Saúde, na avenida General David Sarnoff, 3113 – Cidade Industrial.

– Ou ainda pelos telefones: 0800-283 2947 / 3472-6275. Vale lembrar que o 0800 recebe ligações de celular, sendo, portanto, a principal linha da Ouvidoria. Além disso, você ainda pode enviar sua demanda pelo e-mail: ouvidoria.sus@contagem.mg.gov.br.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Divulgação

Data: 03/10/18