Posts com a Tag ‘Secretaria Municipal de Saúde (SMS)’

Tudo que fizer, faça com amor

Com o entusiasmo e uma voz suave, a servidora Sandra Maria Julio expressa a paixão pelo que faz. Há dez anos desempenhando a função de assistente administrativo, oito desses na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Sandra é orgulho e paixão.

Formada em gestão pública, a funcionária diz que o segredo de realizar um trabalho é saber servir. “ Servir é está disponível para os outros”, disse. Ainda conforme Sandra, esse é o ponto chave em realizar um trabalho com qualidade.

Durante alguns anos, a servidora esteve empenhada nas atividades de recursos humanos (RH) na questão interna. Desde o agosto deste ano, ela retornou à linha de frente e recebeu feedbacks positivos quanto ao seu retorno. “Me senti surpresa com o tanto de gente que disse que bom você está de volta”, destacou.

Sandra disse que leva uma frase que mostra o quanto a satisfação do trabalho reflete em seu dia-a-dia e no que se dispôs a fazer. “ Tudo que fizer, faça com amor”, finalizou.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Rúbia Mageste)

Foto: Jaiderson Henrique

Data: 28/12/2018

Manter informações atualizadas em sua UBS é fundamental para que você possa ser comunicado sobre marcação de consultas, exames e cirurgias. Além disso, é preciso ter certeza sobre qual é a unidade que você deve procurar para resolver suas demandas de saúde, para evitar perdas de tempo e aborrecimentos desnecessários

Há quanto tempo você não vai à sua Unidade Básica de Saúde (UBS)? Tem certeza de que permanece a mesma de tempos atrás? Será que seus dados estão atualizados e, para aquela tão esperada marcação de um procedimento, as equipes de saúde da unidade conseguirão localizá-lo através dos dados disponíveis no seu cadastro? E se o seu telefone tiver mudado nesse meio-tempo? É muito importante ter a certeza de qual é a sua UBS de referência e de manter o seu cadastro junto a ela atualizado, para que você possa ser localizado e saiba onde procurar quando tiver necessidades.

É através do contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcados. Mas, se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar a comunicação. Imagine perder aquela tão aguardada consulta especializada por causa de um telefone errado… por isso, é muito importante manter todos os seus dados atualizados na sua unidade de saúde.

E também é importante saber qual é a sua unidade de referência. Se você mudou de endereço, ou se houve alguma reorganização administrativa interna na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a sua UBS de referência pode ter mudado. E se você não sabe mais qual é a sua unidade de referência, isso pode atrasar procedimentos e lhe trazer aborrecimentos. É que para facilitar o planejamento, a organização e a gestão de redes de ações e serviços de saúde, a Portaria nº 2.436/2017, que estabelece diretrizes para a organização da Atenção Básica, determinou que cada UBS atenda à população compreendida em um território específico, território esse que é previamente determinado. Assim, é importante saber em qual território da UBS você está presente.

Para tirar todas essas dúvidas, basta procurar a UBS mais próxima de sua casa, levando um documento oficial com foto e um comprovante de endereço (água ou luz), para que seus dados sejam atualizados e/ou que você possa saber qual é a sua unidade de referência.

Início de ano é época propícia a várias boas iniciativas. Aproveite o período para conferir sua unidade de referência e atualizar seu cadastro! A renovação cadastral e a indicação da UBS de referência são práticas e rápidas.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 27/12/2018

Com investimentos desde 2017, Contagem vira referência em Minas no controle populacional de cães e gatos

Número de castrações foi ampliada com reestruturação da Unidade de Vigilância de Zoonoses, além de ações para a guarda dos animais

A castração e a guarda responsável são apontados por especialistas como os métodos mais eficientes para o controle populacional de cães e gatos, evitando os problemas de saúde pública relacionados aos animais de rua. Em Contagem, a atual gestão está ampliando ações que tornam o Município referência em Minas Gerais nesta área.

Essa política pública era um dos compromissos de campanha do prefeito Alex de Freitas. Estima-se que haja cerca de 85 mil cães e gatos (entre domiciliados, semidomiciliados e errantes) em Contagem.

De janeiro a outubro de 2016 foram feitas 1.217 castrações, quando os procedimentos foram suspensos. Em 2017 as castrações foram gradativamente retomadas. Em março, quando passaram a ser feitas 200 por mês no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), foi anunciada a meta de no mínimo 400 cirurgias mensais. O número passou para 431 em maio e 424 em junho, 424.

E em setembro, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, deu mais um importante passo ao implementar o serviço de cadastramento online de esterilizações de cães e gatos. Foi inaugurada a reforma e ampliação do CCZ, que passou a se chamar Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVS). Foi uma iniciativa inédita em toda a Região Metropolitana de Belo Horizonte.

É importante destacar que o serviço de castrações de cães e gatos da Prefeitura de Contagem segue as determinações da Portaria n° 8.075, de 11 de setembro de 2017, que estabelece os critérios da triagem de aprovação ou deferimento das esterilizações.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 27/12/2018

Aprendendo e ensinando

O assistente administrativo Thiago Alipio é aqueles cabras tímido que só, mas que ao contar sua trajetória de trabalho, dá orgulho a qualquer pai ou mãe babão. E foi na sala de informática que ele contou um pouco dos degraus percorridos.

“ Iniciei minha carreira em 2001, como contratado em um posto de saúde e primeiro emprego de um jovem sonhador” disse. A partir daí começou a ser escrito o primeiro parágrafo da sua história. “ Como usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), eu fui conhecer e viver o outro lado da saúde pública” relatou.

Ele ressaltou que começou a conhecer as reais necessidades dos usuários. “Com isso, coube a mim mostrar o que poderia ser feito de diferente. Assim como todas as áreas, precisei buscar mais e mais conhecimento para fazer a diferença”.

Nesse tempo, o aprendizado nunca é demais. “ Quando não trabalhamos preventivamente, o usuário sofre muito”, disse. Essa visão preventiva fez Thiago enxergar que poderia agir antes do caos. “ Gratificante é saber que mesmo que tudo parecia dar errado, agimos antes do pior acontecer”, destacou.

Para ele o maior reconhecimento é poder compartilhar o que sabe aos outros que estão na linha de frente. “ Se a linha de frente vai tudo bem, é sinal que a retaguarda tem cooperado para o bom funcionamento do sistema” finalizou.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 26/12/2018

Exemplo de humildade e gratidão

José Tomaz Tinano Neto ou somente seu Tomaz é aquele profissional que cativa as pessoas pela simpatia e respeito aos seus colegas de trabalho. Um homem simples que iniciou sua trajetória no pátio da Secretaria de Saúde e que aos poucos conquistou seus líderes pelo esforço e dedicação no que fazia.

Em 2005, após ser aprovado no concurso público, seu Tomaz foi desenhando a página da sua história na secretaria. “Graças a Deus fui crescendo aos poucos como uma planta, que precisa ser regada diariamente”, disse.

Logo após, surgiu a oportunidade de ser convidado para trabalhar na área administrativa, auxiliando na realização de cópias e serviços voltados para área de papelaria. Como todo novo setor, fui buscar aperfeiçoar e aprender a manusear às máquinas, pois tudo era novo para mim e dependia muito do meu empenho.

Hoje, quatorze anos após essa história escrita pelas mãos de Deus e sendo eu o personagem escolhido, sou grato por tudo que tenho aprendido. “Receber a notícia que sou um pessoa que faz algo diferente, me deixa lisonjeado”, destacou.

“ O respeito é a base de tudo e isso é para mim, algo muito satisfatório porque respeito aos meus colegas e é recíproco na minha vida pessoal e na minha caminhada profissional”, finalizou seu Tomaz.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Lucas Santos

Data: 26/12/2018

Conheça o trabalho dos agentes de saúde, que contribuem para a prevenção e a promoção da saúde

Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) verificam cartões de vacinação, fazem inspeções em imóveis e prestam orientações diversas à população

 

 

Você conhece o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS)? O ACSs compõem as equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) e têm entre suas atribuições realizar cadastros e visitas familiares, identificar as famílias de risco e, também, orientar quanto ao uso dos serviços de saúde, encaminhando e agendando consultas/exames. Eles também participam das reflexões do trabalho das equipes de ESF, compostas por um médico generalista, um enfermeiro, um técnico de enfermagem e um ou mais ACSs. Essas equipes, por sua vez, contam com o apoio das equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

A rotina de um ACS começa cedo: logo na abertura da Unidade Básica de Saúde (UBS), o profissional contribui no acolhimento das demandas que vão aparecendo e recebe o roteiro de trabalhos do dia. E aí, então, nos turnos da manhã e da tarde, é só “pernas pra que te quero”: andanças pelos territórios para atuar na prevenção e promoção da saúde, verificando, por exemplo, se cadernetas de vacinação estão atualizadas, mapeando se existem pessoas que fazem uso de medicação controlada e mostrando às pessoas como funcionam fluxos e onde funcionam serviços de Saúde. Os ACSs também participam com as equipes de saúde e a comunidade da elaboração, programação, avaliação e reprogramação do plano de ação local de saúde.

 E para que tenham condições de trabalho, já que, faça chuva ou faça sol, eles estão sempre cumprindo suas funções, recebem da Prefeitura de Contagem kit de uniforme contendo calça, blusa, boné, tênis reforçado, capa de chuva e protetor solar. Eles também possuem crachás de identificação, o que contribui para a sua própria segurança e a da população.

Já o foco das visitas domiciliares dos Agentes de Combates às Endemias (ACE), ligados à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde (SMS), é outro: quando o trabalho é focal, eles verificam o interior e o exterior (quintais, por exemplo) dos domicílios, procurando por locais que possam receber larvicida, um tipo de veneno contra a postura de ovos de mosquitos, como o Aedes aegypti, transmissor de doenças como a Dengue, a Zika e a Chikungunya. Um desses locais inusitados fica atrás das geladeiras, que possuem um recipiente que costuma acumular água. Já com o Levantamento rápido de índices para Aedes aegypti (LIRAa), somente a parte externa do domicílio é verificada, para a coleta de larvas em possíveis locais de postura de ovos do mosquito, como pratinhos de plantas, caixas d’água, pneus e outros locais que possam acumular água. Esse trabalho é complementando pelo monitoramento semanal de pontos estratégicos do município onde estão instaladas armadilhas chamadas “Ovitrampas”, que cobrem 100% do território da cidade. O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito, para que coloquem seus ovos ali. Pela quantidade de ovos, ou pela ausência deles, a SMS pode traçar ações estratégicas.

Atualização de cartão de vacinas e orientações sobre como usar a rede SUS / Contagem

Na UBS Vila Itália, no distrito sanitário Sede, não é diferente. Nesta quinta-feira (21), três ACSs fizeram algumas visitas domiciliares, como de costume. As ACSs Andréia Aparecida de Souza, Dayane Drumond Ferreira e Janaína Aparecida da Silva, juntamente com a Agente de Combate às Endemias (ACE) Andreia Alves de Medeiros foram até a casa do casal Daniela Aparecida Gonçalves Santana e Elder Luciano Santana, que moram no bairro Fonte Grande. Eles têm três filhos, de 4, 8 e 11 anos e estão abrigando duas sobrinhas de Teófilo Otoni (MG), que vieram passar as férias com os primos.

A Família de Daniela, conta ela, possui plano privado de saúde e não costuma frequentar a UBS Vila Itália para as questões de saúde da família. Mesmo assim, ela acha muito importante a visita dos agentes de saúde. “Orientação é tudo. A saúde começa com a prevenção, com a orientação, para não agravar nenhum tipo de situação de doença”, faz questão de dizer Daniela, que é professora de português. “Fomos ao posto uma vez, eu acho. Mas as vacinas, nós tomamos lá”, complementa o pai, Elder.

Enquanto as ACS conferiam as cadernetas de vacinação da criançada, a ACE Andreia aproveitava para fazer o trabalho focal. A mãe das crianças, Daniela, ficou na dúvida se Elder Júnior, de quatro anos, deveria tomar uma segunda dose da vacina contra a Febre Amarela. As agentes explicaram que, de acordo com as atuais determinações do Ministério da Saúde (MS), quem já se vacinou uma vez não precisa mais tomar outras doses e já está definitivamente protegido contra a doença. Na ocasião, as agentes também frisaram que sempre que uma vacina for aplicada, o técnico ou o agente de saúde deve anotar o número do lote no cartão de vacinação, para a segurança de todos. De todas as cadernetas verificadas, apenas três deverão ser atualizadas em uma ou duas vacinas. Mas isso não será um problema para esta família, pelo menos no que diz respeito à Febre Amarela: “Todo mundo aqui já está vacinado contra a doença”, afirma Elder.

A enfermeira de Saúde da Família da UBS Vila Itália, Rosângela de Fátima Ferreira da Silva, explica, que embora a demanda da unidade seja alta, cerca de cinco mil pessoas referenciadas e uma equipe de ESF, por causa da organização dos fluxos, os agendamentos são feitos, em geral, somente em casos como os de renovação de medicação controlada, pré-natal e puericultura e, também, para os encaminhamentos ao Nasf. Ou seja, no geral, na UBS Vila Itália, as pessoas conseguem resolver suas demandas no mesmo dia. “Nossa taxa de absenteísmo (o não-comparecimento a consultas) é baixa. A gente tenta resolver as demandas no momento em que elas chegam ao acolhimento e/ou no mesmo dia, sem necessidade de marcação. Isso indica que o trabalho de prevenção e promoção à saúde vem funcionando”, explica a enfermeira.

A responsável técnica de Atenção à Saúde do distrito sanitário Sede, Josiane Martins Gonçalves Gomes, reforça que a atuação dos ACSs é de extrema importância na implementação do Sistema Único de Saúde (SUS) e na ESF.  “A atuação desses profissionais no território consolida as relações entre as equipes de saúde e a população. Através das visitas domiciliares rotineiras, seu principal instrumento de trabalho, o ACS mantém um contato permanente com as famílias, desenvolve ações de cuidado, promoção, prevenção e vigilância em saúde, baseadas em prioridades definidas conforme critérios de necessidades, vulnerabilidade e risco. Ele realiza e atualiza cadastros, orienta quanto à utilização dos serviços de saúde e mantém a equipe informada sobre a situação das famílias. Dessa forma, ele multiplica as possibilidades de vínculo e de melhoria da qualidade de vida das pessoas”, finaliza Josiane, que também é enfermeira da Família.

População: receba bem os agentes de saúde!

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 26/12/18

A música traz o sorriso às vésperas do Natal no Complexo Hospitalar

Emoção, lágrimas e sorrisos marcaram a tarde desta quinta

A música consegue nos fazer viajar em um turbilhão de sentimentos. E nessa viagem, o Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), composto pelo Hospital Municipal José Lucas Filho (HMC) e Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, recebeu mais uma ação do projeto “Adote um leito” nessa quinta-feira (20).

A ação tem como objetivo trazer para as pessoas que estavam internadas um sorriso diferente, bem como a entrega de presentes e kits de higiene pessoal. Ana Maria, mãe de uma criança que estava internada no Centro Materno Infantil (CMI) ficou emocionada ao ver sua filha receber tamanho carinho. “ A gente vai ficar até depois do natal, mas o sorriso dela me emociona”, concluiu.

A funcionária da Humanização Rejane Fernandes Braga idealizadora do projeto “Adote um leito”  busca com outros funcionários proporcionar um pouco de alegria às crianças, mães e usuários que estão internados no complexo. “Os olhos marejados e o coração batendo forte são a recompensa maior que tenho”, disse.

“Emocionante essa ação. Esse grande momento é a união do trabalho de todos que abraçaram essa ideia, amigos, pessoas que ligam para ajudar. Humanização é isso, abraçar e acolher o outro”, destacou Rejane.

Já para Angela Maria de Souza Sobral, pastora e coordenadora da Capelania Vida, que leva a sonoridade aos leitos e uma palavra de amor nos momentos mais difíceis, “ o amor de Deus é capaz de mover o coração das pessoas e o resultado são essas lágrimas”, relatou.

 

Repórter: Jaiderson Henrique (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Elvira Angel

Data: 21/12/2018

Saúde Mental reúne usuários para confraternização natalina

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizou nesta terça (18), no Clube Arvoredo, uma confraternização natalina com os usuários da Saúde Mental. Participaram do evento, todos os serviços em saúde metal, a Residência Terapêutica e o Centro de Convivência.

A Diretora do Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi) Delzira de Oliveira diz que o intuito dessa confraternização é a promoção e inserção dos usuários no convívio social. “ É buscar a autonomia dos nossos pacientes”, relata.

 Ainda de acordo com Delzira, é uma maneira de sair do ambiente de unidade de tratamento hospitalar e propiciar uma atividade diferenciada, mostrando aos usuários que existem outras atividades integrativas que possam ajudar no tratamento. “Saindo do campo medicamentoso e passando para a área de atividades integradoras”, destacou Delzira.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 18/12/2018

Comunidade abraça o Natal do CAPS Sede

Dia 13 de dezembro, quase 12hs e sol a pino que lembra os verões mais quentes do litoral, nem o calor nem o horário tira o sorriso dos profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPSSede. Os motivos são simples o amor pelo CAPS, além de ser dia de festa.  O natal do CAPS Sede envolveu os profissionais e a os moradores da região.

Os usuários tiveram um dia regado a pipoca, algodão doce e um almoço especial. O coordenador da Saúde Mental do Caps, Rafael Coelho destacou que é um dia sem igual para homens e mulheres que sofrem diariamente com o preconceito e abandono. “Nosso objetivo é dar carinho a essas pessoas, mostrar o verdadeiro espírito natalino que é o altruísmo, ou seja, se dedicar aos outros”, concluiu Rafael

Atualmente, o CAPS Sede atende a cerca de 230 usuários. “Nosso foco é a humanização do atendimento da saúde mental no CAPS Sede, envolvendo os profissionais e moradores”, destacou Rafael Coelho. A comunidade contribuiu com brindes e doações para o almoço natalino.

CAPS

O Centro de Atenção Psicossocial é um serviço referência no tratamento de pessoas que sofrem com transtornos mentais graves e persistentes. Para ter acesso aos serviços do CAPS o usuário deve ir a uma Unidade Básica de Saúde mais próxima.

O CAPS oferece atendimento multiprofissional, estimulando a integração social e familiar da pessoa com sofrimento, além de oferecer atendimento em regime de hospital-dia.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 18/12/2018

Mazinho há 12 anos escrevendo histórias no volante

O funcionário Oldemar Anelio Magalhães, ou somente Mazinho é aquele profissional que todos gostariam de ter por perto. Sorridente, ele iniciou sua trajetória na Secretaria Municipal de Saúde, em 2004, quando realizou o concurso e assumiu como condutor no ano de 2006, no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU.

Nesse período, já demonstrava o potencial que tinha na parte de mecânica automotiva. Em seguida, a partir do ano de 2008 foi convidado para assumir a área de Gestão Operacional, onde atualmente contribui e muito com seu trabalho.

Mazinho vivenciou muitas histórias durante esse tempo. Teve ao seu lado, pessoas que o incentivaram a buscar conhecimento. “ Tive momentos felizes com o trabalho, conquistas de metas, mas também tristes, como a perda de motoristas que estavam debaixo da minha gestão”, relata.

Ainda conforme Mazinho, hoje existe um desafio grande em atender a demanda da saúde, por ser uma área que necessita de mais atenção e que precisa estar disponível vinte e quatro horas do dia. “ Graças a Deus temos conseguido fazer um bom trabalho”, disse.

Perguntado sobre o que mais motiva, ele foi enfático ao dizer que a dedicação é a palavra-chave. “ Dedicação é uma palavra que eu uso e compartilho com meus comandados, pois tudo que fazemos com dedicação, traz excelentes resultados”, concluiu.

 

Repórter: Jaiderson Henrique (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 17/12/2018