Posts com a Tag ‘Saúde’

Tragédias, redenções, solidariedade e humanização no cotidiano do SAMU Contagem

Trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência da cidade, heróis anônimos do cotidiano, lidam com situações extremas, de desastres a resgates e, também, de realizações de sonhos. Como o desejo de um garotinho de apenas quatro anos de ganhar um carrinho de aniversário prometido pela avó, uma senhora em processo de metástase e com severas dificuldades financeiras que foi transportada pelo Samu até o Hospital da Baleia no dia 29/11, mesma data em um ônibus despencou em um viaduto de Contagem, no qual 22 pessoas se feriram, algumas gravemente. E o final da história é surpreendente

Nesses tempos de moedura de sonhos, em que funcionários que deveriam promover a segurança de alunos pequenos ateiam fogo nas crianças, assassinando-as em plena escola, um cachorro é morto cruelmente por um funcionário de uma grande rede de supermercados porque estava “incomodando clientes” e é soado o alarme da volta do Brasil ao Mapa da Fome da ONU, porque cerca de cinco milhões de pessoas estão enfrentando o flagelo da fome, há ainda histórias que fortalecem a crença de que existe esperança na humanidade.

Como a história do menino Lucas, de apenas quatro anos, que sonhava em ganhar de aniversário um carrinho de controle remoto, vermelho, em um embrulho igualmente vermelho, que acabou sendo presenteado pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Contagem. O acontecimento se deu após profissionais do SAMU terem prestado socorro a avó do garoto, que está em processo de metástase e passando por dificuldades financeiras.

Marta, avó do menino Lucas, é uma senhora de 63 anos, moradora do centro de Contagem, que no dia 29/11, por volta das 16h, aguardava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Petrolândia pelo veículo de Unidade de Suporte Básico (USB) do SAMU Contagem para ser transportada até o Hospital da Baleia, em Belo Horizonte. É que ela sofre de um câncer de pulmão, fígado e intestino que está se espalhando pelo corpo dela, a chamada metástase, e o Hospital da Baleia é uma referência em atendimento oncológico em Minas Gerais. O tratamento de Marta está sendo feito pela rede pública de saúde brasileira: de acordo com dados do Hospital da Baleia (2017), 85% dos atendimentos prestados pela instituição são feitos via Sistema Único de Saúde (SUS); UPAs e SAMUs são equipamentos 100% SUS.

Quando a equipe do SAMU Contagem composta pelos técnicos de enfermagem Ricardo Souto e Antônio Domingues e pelo condutor Rodrigo Anacleto chegou à UPA para levar Marta a BH, o pequeno Lucas aguardava pela avó junto a seus pais do lado de fora da unidade, pois a família queria vê-la, pois ela estava em uma ala da UPA cujas visitas não são permitidas, antes que ela fosse transferida para Belo Horizonte.

O técnico de enfermagem Antônio Domingues conta que a família de Marta pediu para que a equipe esperasse por um instante, para que tivessem a oportunidade de estar com ela por pelo menos cinco minutos, despedindo-se antes que ela se fosse. Não que ela estivesse prestes a morrer, mas porque na ala do Hospital da Baleia para a qual ela estava sendo levada também não são permitidos acompanhantes.

“A distância entre a UPA Petrolândia e o Hospital da Baleia é grande. Com quadro de desidratação, a senhora começou a chorar e a contar sua história. Disse que havia trabalhado muito, mas que não conseguira dinheiro para pagar as contas e comprar comida. Disse também que tinha medo de morrer antes de poder presentear seu neto com o carrinho pedido por ele para o dia do aniversário dele, a ser comemorado no sábado seguinte, dia 1/12”, conta Antônio Domingues.

Nesse ponto, Ricardo Souto, o outro técnico da equipe, completa: “Marta, se você permitir, a equipe vai comprar um carrinho para o pequeno Lucas e entregá-lo na casa dele. Estaremos nós, desta mesma equipe, de plantão daqui a sete dias, e nessa data poderemos levar o brinquedo para o garoto”, relata Antônio. “Isso aí”, arrematou Rodrigo Anacleto.

Marta, enfim, foi transportada até BH. Com o serviço cumprido, a equipe seguiu seu trabalho, que é de muitos atendimentos por dia, repletos de momentos em que o limiar entre vida e morte é tênue. O curioso é que horas antes desse atendimento, por volta das 9h30 do mesmo dia 29/11, a mesma equipe participou dos trabalhos de resgate de um grave acidente de ônibus que aconteceu em Contagem, no qual 22 pessoas se feriram, algumas gravemente.

O ciclo de vida e morte que rege o seguir do tempo envolve criação e destruição, caos e criatividade, e os trabalhadores do SAMU sabem muito bem disso. Para lidar com um dia a dia que apresentam situações que levam as pessoas “do céu ao inferno” diuturnamente e em um ritmo alucinante, é preciso ter nervos de aço. E também muita humanidade no coração. É preciso, muitas vezes, manter-se incólume diante das situações, para não sucumbir.

Mas a história de Marta calou fundo o coração daqueles profissionais que cotidianamente lidam com todos os ciclos que envolvem existência e o significado de humanidade. E na primeira oportunidade que tiveram, os integrantes da equipe que a atendeu, muito sensibilizados, solicitaram autorização à coordenadora de Enfermagem do SAMU Contagem, Flávia Freitas, comprar uma cesta básica e o tão sonhado carrinho para aquela família. Flávia prontamente concordou com a ideia da equipe. “Fiquei muito orgulhosa deles, que derem um bom exemplo de solidariedade e humanização do atendimento”, disse Flávia.

Missão planejada, missão cumprida: uma semana depois, no dia do plantão em que a mesma equipe formada por Ricardo Souto, Antônio Domingues e Rodrigo Anacleto foi escalada, os três foram até a casa do garoto Lucas, para lhe presentear com o tão sonhado carrinho. Ah, sim: de controle remoto, vermelho e entregue em um embrulho também vermelho. E para a surpresa de todos, lá também estava ela, Marta, que recebeu em mãos a cesta básica.

Antônio Domingues, com a voz embargada, conta como foi aquele incrível momento: “A primeira coisa que o netinho de Marta fez foi vir correndo para me dar um abraço, sem palavras. A avó de Lucas, da mesma forma, caiu em prantos de alegria sem nada dizer. Para mim, também faltam palavras para exprimir a emoção que tive naquele momento. Tenho 18 anos de experiência nesse ramo e já vi muita tragédia e muita maravilha. Acredito que enquanto o ser humano tiver essa disposição, esse ímpeto de ajudar o próximo, haverá esperança”, profetiza o técnico de enfermagem. Cabe ressaltar que Antônio diz que tem 18 cachorros, todos resgatados da rua, e que teria mais outros 18, se tivesse condições.

O diretor do SAMU Contagem, Hudson Douglas Ferreira da Silva, arremata este pequeno grande exemplo de como os super-heróis existem de verdade, são bem humanos e podem estar próximos a nós: “O maior benefício de se praticar a bondade nem vai para quem a recebe, mas para quem a faz. O SAMU é isso: todos os dias, em todos os momentos, estamos de prontidão para promovermos o bem o máximo possível”.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 07/12/2018

Comunidade do Darcy Ribeiro é beneficiada com um posto de coleta de análises clínicas

Moradores dos bairros Tupã e Icaivera também terão o acesso à realização de exames laboratoriais facilitado, ao todo, cerca de 16 mil pessoas referenciadas. Em 2018, a comunidade do Darcy Ribeiro também foi beneficiada com a abertura de uma nova UBS, outra demanda antiga da população

No dia 31 de outubro, uma quarta-feira, mais um posto de coleta para análises laboratoriais passou a funcionar na rede SUS/Contagem. Trata-se do posto de coleta do Darcy Ribeiro, situado na rua João Luiz de Faria, nº 166, no bairro de mesmo nome. O posto funciona sempre às segundas, quartas e sextas-feiras, na parte da manhã das 7h às 10h, para coleta, e à tarde, das 13h às 17h, para entrega de resultados. A capacidade de atendimento nesses primeiros 20 dias de funcionamento do posto do Darcy Ribeiro foi de aproximadamente 800 coletas.

A implantação do posto de coleta no bairro era uma demanda antiga da população que veio sendo discutida junto ao contexto da inauguração da nova Unidade Básica de Saúde (UBS) Darcy Ribeiro, em maio deste ano, pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e em conjunto com o Conselho Local de Saúde. A nova UBS do bairro, aguardada há mais de 15 anos, substituiu uma antiga unidade de saúde da região que funcionava em um imóvel alugado sem infraestrutura, precário e de difícil acesso para os usuários.

O bairro Darcy Ribeiro localiza-se no distrito sanitário Vargem das Flores, região de vulnerabilidade social que, de acordo com o Boletim de Informações e Dados Urbanos (Bidu) da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano de Contagem de agosto de 2014, possui, segundo dados do Censo do IBGE de 2010, quase 20% de sua população vivendo em aglomerados subnormais.

A chegada do posto de coleta ao Darcy Ribeiro trouxe benefícios a pessoas que, antes, precisavam se deslocar até a posto de coleta Vargem das Flores, local distante cerca de três quilômetros do bairro, com percurso feito geralmente pela rodovia. Muitas dessas pessoas não possuem automóveis, então, para chegar ao posto Vargem, precisavam se deslocar até a rodovia e ter dinheiro para pegar até dois ônibus, comparecer à unidade de saúde e realizar os exames requeridos, alguns bem simples, como de fezes e urina. Entre essas pessoas, gente com mobilidade reduzida, idosos, mães com crianças de colo e indivíduos com severas dificuldades financeiras.

Da mesma forma, moradores do bairro Tupã e Icaivera, que anteriormente também se viam obrigados a se deslocar até o posto Vargem para fazer seus exames, terão o trajeto para o acesso a procedimentos de análises clínicas facilitado com a implantação do posto de coleta do Darcy Ribeiro. Ao todo, uma população referenciada de cerca de 16 mil pessoas será beneficiada.

“A chegada do posto foi uma bênção”

A moradora do Darcy Ribeiro Márcia Alves da Cruz foi uma das pessoas que recentemente realizaram exames de sangue e urina no posto de coleta do bairro. Segundo Márcia, chegar ao posto Vargem das Flores era um verdadeiro tormento. “A chegada desse posto foi uma bênção pra gente. Era muito desgastante para irmos ao ponto de ônibus às vezes às 4h30, 5h da manhã pra conseguir ir até o posto para fazer exame de sangue. E às vezes, a gente chegava lá e a fila era tão grande que não conseguíamos fazer os exames e tínhamos que voltar pra trás. Tinha também a questão do desconforto e do risco, porque pra quem muitas vezes não tem um carro, e tem que andar até o ponto de ônibus para ir para chegar até lá, pode ser um trajeto arriscado. Estou muito grata e muito feliz, as moças daqui têm uma extrema educação e eu recebi um atendimento excelente”, afirma Márcia. Maria Monteiro da Silva é outra pessoa que ficou muito satisfeita com a chegada do posto de coleta no Darcy Ribeiro: “A gente tinha que enfrentar um filão lá no posto Vargem, porque lá já tem muita gente, e aqui ficou muito bom, maravilhoso, espero que o posto continue aqui”, disse a usuária.

Trajeto de linha de ônibus modificado para facilitar o deslocamento da população

Com o apoio do diretor da Regional Vargem das Flores, Sebastião Pedro Araújo, conhecido como “Tiãozinho da sorveteria”, foi possível obter alterações no itinerário de um ônibus que serve ao bairro Tupã, para que o deslocamento até o posto de coleta do Darcy Ribeiro fosse facilitado para a população que precisa chegar a esse posto. Cabe ressaltar que a distância do Tupã até posto Darcy Ribeiro é de aproximadamente oito quilômetros.

Aumento gradativo dos postos de coleta na atual gestão

A implantação do posto do Darcy Ribeiro faz parte de uma iniciativa da Prefeitura de Contagem de incorporar mais postos de coleta à rede, atendendo a uma das principais queixas da população apresentadas à atual gestão no início de 2017, referentes ao antigo prestador de análises clínicas do município, que incluíam atrasos na entrega dos exames e resultados errôneos. À ocasião, o município contava com 12 postos de coletas distribuídos entre os oito distritos sanitários da cidade, e também com postos de coleta nas cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e um no Hospital Municipal de Contagem (HMC).

Agora, com a implantação do posto do Darcy Ribeiro, a rede SUS/Contagem passou a ser composta por 18 pontos de coleta para exames eletivos e mais um posto de coleta em cada Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e um no Complexo Hospitalar de Contagem para urgências, totalizando 23 postos de coleta na rede (clique AQUI e veja os endereços). Só a capacidade diária de realização de exames eletivos chega a cerca de mil coletas.

“É importante ressaltar que para a realização de qualquer exame laboratorial, o usuário precisa passar antes por uma unidade de saúde e ser encaminhado”, lembra Nayara Lucena, do Núcleo de Apoio e Diagnóstico à Laboratório da Superintendência de Atenção à Saúde (SAS) da SMS.

Na atual gestão, também passou a ser possível aos usuários acessar resultados de exames laboratoriais pela internet, através de link disponibilizado no Portal da Prefeitura (o link é este AQUI). Ao fazer a coleta, o usuário recebe um protocolo, com senha e login, para ter acesso online a todos os seus resultados. Já a retirada física dos resultados pode ser feita em qualquer posto de coleta do município, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, na data indicada no protocolo.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 06/12/2018

Núcleo de Terapia Integrativa oferece acupuntura, ventosaterapia e auriculoterapia

Pacientes do SUS terão acesso às técnicas da medicina milenar após serem encaminhados ao CCE Iria Diniz

Moradora da Regional Ressaca, Iranilda Batike sentia muitas dores nas costas devido a um desvio de coluna. Ela fazia fisioterapia, mas o incômodo permanecia. Por recomendação médica na Unidade Básica de Saúde (UBS) Oitis, Iranilda decidiu experimentar a acupuntura.

Segundo ela, em apenas duas sessões sentiu a diferença. Iranilda sorri ao destacar como sua rotina mudou. “Eu gostei demais dos resultados, tomava medicamentos todos os dias e já tem uma semana que não tomo remédio para dores”, afirma.

Iranilda é uma das primeiras usuárias do Núcleo de Terapia Integrativa (NTI) implantado no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz (CCE). O NTI oferece acupuntura, ventosaterapia e auriculoterapia. “Além disso, está em fase de implantação musicoterapia e aromaterapia”, destacou o enfermeiro e acupunturista Eduardo Barbosa.

Aliny Vasconcelos, gestora do CCE Iria Diniz, destaca que as terapias integrativas eram espalhadas por diversas unidades de saúde do Município. “A ideia era centralizar todas no Iria Diniz, então aproveitamos um espaço que anteriormente era usado pela reabilitação infantil, que foi absorvido pelo CER IV”. O NTI vai atender cerca de mil pessoas por ano.

Medicina milenar

Na última sexta-feira (30), o secretário Municipal de Saúde, Cleber de Faria Silva, visitou o Núcleo de Terapia Integrativa, que é composto por um médico, um enfermeiro e um fisioterapeuta. “Aliado à medicina tradicional, fortaleceremos a medicina chinesa para os usuários do SUS Contagem”, ressalta o secretário.

Os interessados pelas Terapias Integrativas deve se encaminhar à UBS mais próxima. Eduardo Barbosa explica que ao final das sessões, o paciente é encaminhado novamente a um médico na Unidade Básica de Saúde para acompanhamento do tratamento.

Tipos

A ventosaterapia é o tratamento com ventosas, que pode ser indicado para eliminar a dor nas costas causadas por tensão muscular ou contraturas, inchaço nos braços, pernas ou pés, dor nas articulações, sendo também um bom complemento no tratamento da celulite.

A acupuntura é indicada para tratamento de dores de cabeça, depressão, dores crônicas na coluna, estresse e ansiedade, alergias, insônia, doenças respiratórias e casos de tabagismos, entre outros.

A auriculoterapia pode ser indica para dores por torções, contraturas ou distensões musculares, problemas reumáticos, respiratórios, cardíacos, urinários, digestivos, hormonais, como obesidade, anorexia ou doenças da tireoide, e psicológicos, como ansiedade ou depressão.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Fábio Silva

Data: 03/12/2018

Aproveite para fazer gratuitamente o teste rápido de Infecções Sexualmente Transmissíveis

Mutirão fará os exames nesta sexta-feira (30 de novembro), das 8h às 16h, no Centro de Testagem e Aconselhamento do CCE Iria Diniz

No próximo sábado (1º de dezembro), é comemorado o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Para marcar a data, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Programa IST/AIDS e Hepatites Virais de Contagem vai promover nesta sexta-feira (30), das 8h às 16h, um mutirão para testes rápidos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)/HIV. O CTA/SAE funciona no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz.

O coordenador do Programa IST/AIDS e Hepatites Virais de Contagem, Paulo Henrique Belmiro, explica como será o mutirão. “A ação é voltada para todas as pessoas que quiserem fazer o teste rápido de HIV, Sífilis e Hepatites B e C. Não é necessário fazer nenhum agendamento prévio, nem jejum, basta o interessado comparecer ao local e apresentar um documento oficial com foto. É feito um pequeno furo no dedo e o resultado sai em poucos minutos”.

De acordo com o Programa IST/AIDS e Hepatites Virais de Contagem há 1.511 adultos em tratamento no Serviço de Atendimento Especializado (SAE). Entre eles está um dos primeiros portadores do vírus que iniciaram tratamento com coquetéis em Contagem, em agosto de 2000, que prefere não se identificar.

Para comemorar os muitos anos de lutas e superações e contribuir espontaneamente para a celebração do dia de luta contra a doença, esse paciente bordou um estandarte em comemoração ao mutirão que ocorrerá na sexta. No bordado, junto a uma linda mulher negra, ele se mostra grato à equipe que o atende no Programa.

“Agradeço a Jesus, à minha família, aos médicos do SAE e do CCE Iria Diniz e principalmente à psicóloga”, disse. Ele aprendeu a bordar em uma iniciativa do CTA/SAE. “Os psicólogos me ajudaram muito. Sou homossexual e contraí o HIV. Nas primeiras vezes que entrei no consultório da psicóloga, vi outras pessoas com HIV fazendo coisas normais, como comendo juntos em uma mesa, vi que eu poderia ter uma vida normal. Resolvi ser honesto comigo mesmo e quis me tratar. Minha saúde está em dia, mesmo que eu tenha minhas limitações”.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 30/11/2018

“O pior vírus é o do preconceito”

No próximo sábado, dia 1º de dezembro, comemora-se o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Confira a entrevista com o médico infectologista Leandro Curi, da rede SUS / Contagem, que aborda o panorama atual da doença e dá informações sobre como buscar tratamento para a doença em Contagem

Na terça-feira (27), o Ministério da Saúde (MS) lançou a campanha que celebra os 30 anos do Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado em 1º de dezembro. De acordo com a UNAIDS, programa das Nações Unidas que atua no combate à Aids, desde o início da epidemia da doença, por volta de 1980, 35,4 milhões de pessoas no mundo morreram por causas relacionadas à doença. De lá para cá, relatórios da UNAIDS mostram que os esforços intensificados em testagem e tratamento do HIV estão alcançando mais pessoas que vivem com o vírus e que as mortes relacionadas à Aids caíram mais de 51% em 2004. Esses relatórios podem ser acessados AQUI e AQUI.

No Brasil, segundo o MS, o país também chega aos 30 anos de luta contra o HIV e Aids com queda no número de casos e óbitos. A garantia do tratamento para todos, lançada em 2013, e a melhoria do diagnóstico contribuíram para a queda, além da ampliação do acesso à testagem e redução do tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento. No total, 21 estados apresentam redução na taxa de mortalidade, entre eles, Minas Gerais. Os antirretrovirais, medicamentos usados no tratamento da doença, são totalmente financiados pelo governo federal. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta um dos melhores medicamentos do mundo para tratamento da doença, o dolutegravir.

Em Contagem, segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divepi) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no ano de 2017, foram notificados 144 pacientes infectados pelo HIV e 60 casos diagnosticados de AIDS em residentes do município. Já em 2018, até a presente data, dados preliminares (sujeitos a alterações) dão conta de que foram cem pacientes infectados pelo HIV e 36 casos diagnosticados de AIDS em residentes de Contagem. Já de acordo com o Programa IST/AIDS e Hepatites Virais de Contagem, atualmente, 1.511 adultos estão em tratamento no Serviço de Atendimento Especializado.

Para falar sobre o panorama atual da doença e contribuir para a disseminação de informações em relação à prevenção e tratamento em Contagem, confira a entrevista com o médico infectologista Leandro Curi, do SAE do Programa IST/AIDS e Hepatites Virais do município, localizado no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz.

Aids e HIV são a mesma coisa?

Não. HIV é simplesmente o vírus que contamina. Se a doença se desenvolve, o que nem sempre chega a acontecer, a gente chama de Aids.

Quais são as principais formas de contágio?

Transmite-se HIV com sexo desprotegido vaginal, anal ou oral. A mãe, quando tem HIV, também poder transmitir na amamentação para a criança, e também quando ela tem HIV, no canal do parto, se ela não estiver com um bom tratamento. O HIV também é transmitido com objetos perfurocortantes contaminados, como agulhas.

E alicate de unha?

Alicate de unha e tesourinha não são uma forma de transmissão muito eficiente para HIV, mas sim para outras doenças, como Hepatites B e C. Mas no beijo, no abraço, no compartilhando talheres e copos não se transmite HIV, e nem dormir junto, sentar no mesmo assento ou compartilhar assento sanitário.

Quais são os sintomas que podem indicar que a pessoa está com o vírus da Aids? E haveria um período em que esses sintomas se manifestariam?

Como há várias formas de a pessoa apresentar o quadro de ficar doente ou não, tem gente que não tem sintoma nenhum. E isso é um perigo, porque ela transmite o HIV sem saber que tem. Em alguns casos, a pessoa pode ter problemas respiratórios, na cabeça, neurológico, ínguas, que são os linfonodos aumentados, mas que podem se passar por outras doenças virais. Então, esses sintomas não querem dizer necessariamente que se trata do HIV ou que vai dar em alguma doença. Por isso, a melhor forma de saber se existe contaminação por HIV é fazendo o diagnóstico, o teste. Se você teve atividades de risco, como sexo desprotegido por exemplos nos últimos seis meses, faça o teste, para não ter surpresas futuramente.

Então, a recomendação quanto à periodicidade de realização de teste de Aids é a testagem de seis em seis meses?

Pessoas que tiveram vários parceiros não testados devem fazer, sim, o teste de seis em seis meses, para o controle.

Qual a diferença entre o teste rápido e o convencional? Tem vantagens ou desvantagens em relação ao grau de confiabilidade do resultado?

Existem diferenças, assim como existem vários tipos de teste. Mas o teste rápido, que é uma picadinha no dedo, com resultado em 15 minutos, é bem recomendado e pode dar um resultado bem fiel. É claro que, diante de um resultado positivo, você precisa fazer outros exames confirmatórios. Mas o teste rápido é uma ótima fonte inicial de diagnóstico.

Em relação à chamada “janela imunológica”, em que a pessoa já estaria contaminada com os vírus, mas os testes ainda não seriam capazes de detectar: isso existe mesmo?

Hoje em dia, com os testes mais modernos, em pouco tempo, umas três a quatro semanas, pode-se fazer o teste e se a pessoa estiver contaminada, já aparecerá no exame. E às vezes até aparece antes, mas no momento em que tenha ocorrido a contaminação, em cerca de um mês já dá para saber. É importante dizer que se a pessoa achou que se contaminou ela tem até 72 horas desde quando teria ocorrido a contaminação para se prevenir, tomando a PEP.

O que é PEP?

PEP é a sigla para “Profilaxia Pós-Exposição ao HIV”, um medicamento profilático tomado depois da exposição. Se a pessoa teve acidentes perfurocortantes no hospital, ou em casa, ou na rua, ou teve sexo desprotegido, ela deve buscar atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Contagem, em todas as UPAs. E em caso de exposição sexual feminina, a mulher deve procurar o Centro Materno Infantil (CMI). E aí a pessoa vai tomar um medicamento por 28 dias, depois de fazer exames, para prevenir que, se o vírus entrou no corpo dela, ele não se manifeste. Com isso, a gente tem grandes chances de conseguir eliminar esse vírus, para a pessoa não desenvolver a infecção.

Qual a diferença entre PEP e PrEP?

São duas siglas que significam coisas diferentes. A PEP significa “Profilaxia Pós-Exposição”, sobre a qual acabamos de mencionar. Já a A PrEP é a “Profilaxia Pré-Exposição”, voltada às pessoas que estão em situações vulneráveis e que podem usar a medicação diariamente, para prevenir a infecção. Por exemplo, as pessoas que não têm parceiro fixo, profissionais do sexo, pessoas transexuais ou que têm relacionamento com alguém que já têm o HIV e homens que fazem sexo com vários homens. São pessoas que tem maior risco de contrair o HIV e que podem usar o medicamento profilático que, com o uso da camisinha, vai dar uma excelente proteção para evitar a infecção. Isso já é uma realidade no Brasil e no mundo.

Mas a PrEP tem sempre uma indicação médica clara, correto? Critérios muito claros, porque não é qualquer pessoas que pode tomar a PrEP.

Exato. Tem que existir indicação para tal. Tem uma triagem, um encaminhamento e tem que fazer um tratamento com infectologista, assim como quem já trata o HIV.

Quais são os tratamentos utilizados atualmente? São remédios combinados, cada pessoa pode utilizar um tipo diferente de medicamento?

O tratamento consiste em vir às consultas, fazer exames corretamente, seguir claramente as orientações do médico que atende àquele paciente, usar a medicamente corretamente, como prescrito, e aí é levar basicamente uma vida normal, sempre tentando o caminho da via salutar, da vida saudável, praticando atividade física, usando proteção no sexo, para não se contaminar com outras infecções sexualmente transmissíveis, e fazendo o controle adequado. Quando esse controle está estabilizado, o retorno é de seis em seis meses, muito fácil de fazer. É muito mais fácil tratar o HIV depois de diagnosticado do que muitas outras doenças, como por exemplo o diabetes.

Mesmo que as pessoas estejam contaminadas e levem uma vida praticamente normal, se seguirem o tratamento corretamente, existem efeitos colaterais com o uso dessas medicações?

As medicações hoje, disponibilizadas no Brasil, pelo SUS, são muito boas, muito modernas. Com isso, a gente lida mais facilmente com qualquer tipo de queixa que o paciente tenha. As medicações anteriores eram muito mais agressivas para o organismo e traziam mais efeitos colaterais. Hoje em dia, a maioria dos sintomas colaterais a gente consegue segurar bem com o tratamento adequado, no consultório mesmo e com um bom tratamento clínico. Então, hoje em dia, praticamente, há pouco efeito colateral. A maioria dos meus pacientes não relata nenhum efeito colateral. Essa é a realidade de 2018. Um bom tratamento, com pouquíssimo efeito colateral e muito eficaz.

O tratamento é oferecido somente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil?

A disponibilidade de medicamento vem através do governo federal. O tratamento pode ser feito com médicos da via pública ou particular, lembrando que na via pública do SUS ele é universal, ou seja, para todas as pessoas que desejarem. E a medicação é basicamente pública.

Após a descoberta do vírus, hoje em dia, após todas as melhorias em termos de tratamento, qual é a expectativa média de vida de uma pessoa com HIV que segue corretamente os tratamentos? Ou não se diz mais sobre expectativa de vida?

Essa é uma boa pergunta. Obviamente, quanto mais cedo for feito o diagnóstico, quem faz tratamento adequadamente, os estudos atuais mostram, deste ano, que a qualidade e a expectativa de vida de quem tem HIV, tratando-se corretamente, aproxima-se muito da de que não tem HIV. Então, hoje em dia, vive-se bem e convive-se muito bem com o HIV. Reforço também que quem faz tratamento adequado e correto fica com a carga viral tão baixa que a pessoa chega a nem transmitir o HIV. Então, além de o bom tratamento garantir uma qualidade e expectativa de vida a longuíssimo prazo, as pessoas ficam velhinhas com saúde, com HIV, e sem transmitirem a doença. Mas, para isso, precisa-se do diagnóstico e do tratamento correto.

Hoje em dia, ainda faz sentido falar sobre “grupo de risco”, como quando a doença foi descoberta, há cerca de três décadas, e era comum associar a Aids aos homossexuais e aos hemofílicos?

Hoje em dia, não. Esse termo já está em desuso e é inclusive pejorativo. O que existe é comportamento de risco. Ou seja: qualquer pessoa está passível de se contaminar com HIV, independentemente de orientação sexual, condição sanguínea e idade: basta um descuido, uma relação desprotegida única para se contaminar.

Em Contagem, para onde as pessoas devem se dirigir para fazer testes e buscar tratamento?

Aqui em Contagem, o fluxo funciona da seguinte maneira, como na maioria dos locais no Brasil: o diagnóstico pode ser feito no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), aqui em Contagem localizado no localizado CCE Iria Diniz, nas várias Unidades Básicas de Saúde (UBS) espalhadas pela cidade ou em consultórios particulares. Com o resultado positivo, as pessoas são encaminhadas para o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) para tratamento. No SAE, elas terão um acolhimento muito organizado, vão passar pela assistente social, que dará informações vitais sobre o tratamento e o programa, e serão encaminhadas ao médico, que dará prosseguimento ao tratamento. O CTA/SAE possui três infectologista para adulto e um infectologista pediátrico. E anexo ao SAE, há uma farmácia, onde se retira a medicação.

Por fim: qual a principal mensagem para as pessoas em relação à Aids?

Uma orientação que eu faço para todos os que eu conheço é “vamos acabar com a discriminação, vamos acabar com o preconceito, com o julgamento com os pacientes com HIV”. Porque hoje em dia, com um bom tratamento, é vida normal que segue. Com um bom tratamento, a doença vira uma condição crônica de saúde e o ciclo de transmissão é interrompido. Não tem porque ter estigma contra uma doença que nem chega a deixar a pessoa doente se houver um bom tratamento. Então, protejam-se, façam o teste e, em caso positivo, tratem-se. O pior vírus é o do preconceito.

Testagem

No dia 30/11, sexta-feira, das 8h às 16h, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da rede SUS / Contagem, instalado no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, promoverá um mutirão para a realização de testes rápidos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) / HIV.  Clique AQUI para saber mais.

 

Repórter: carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 28/11/2018

Depressão, vamos conversar?

A depressão é um transtorno mental em que a pessoa abandona o interesse pelas atividades que gosta de realizar, perde a vontade de viver, o sentido da vida e pode vir acompanhada de tristeza, irritabilidade e isolamento social. Acomete pessoas de várias idades, inclusive crianças. A pessoa deixa de realizar atividades rotineiras, perdendo o interesse em sair de casa, afetando o convívio social e familiar do indivíduo.

A psicóloga Josiane Gualberto Gusmão, da Unidade Básica de Saúde (UBS) Csu Eldorado, explica que uma das portas de entrada da depressão é o isolamento social. “ A pessoa deixa de sentar-se à mesa no jantar, assistir televisão reunidos”, diz Josi. A partir desses indícios, é importante que os familiares comecem a entender e  aprofundar no âmbito afetivo para que possam buscar ajuda especializada.

Sintomas:
Os sintomas da depressão são geralmente silenciosos. A família é a base inicial para que o paciente com quadro clínico de depressão possa buscar ajuda para que haja maior eficácia nos resultados. “ A empatia, que é colocar-se no lugar do outro, é o passo principal de auxílio ao paciente com quadro clínico de depressão, não pressionando e acolher a pessoa”, concluiu a psicóloga Josiane.

Onde buscar ajuda?
O primeiro passo é procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS), através do acolhimento que normalmente realizado pela equipe do Núcleos Ampliado de Saúde da Família (NASF), composta por: Assistente Social, Enfermeiro, Psicólogo, Médico. A partir desse acolhimento, o paciente é direcionado para o tratamento de acordo com o grau da doença.

Tratamento:
O tratamento é realizado de forma multidisciplinar, pois muitas vezes o usuário já chega na unidade com um quadro tão grave de depressão que, nem sempre o tratamento psicoterápico é suficiente. Pode acontecer também o tratamento com medicamentos. Além disso, Josiane explica que as práticas integrativas são uma forma de auxiliar o usuário com quadro depressivo e tem atingido excelentes resultados. Ainda segunda ela, espera que essas práticas integrativas possam ser colocadas na linha de tratamento da depressão.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Divulgação

Data: 27/11/2018

Seja um doador e ajude a salvar vidas

Doar sangue é um ato de solidariedade humana, que ajuda a salvar milhares de vidas todos os dias. No próximo domingo (25), é comemorado o Dia Nacional do Voluntário Doador de Sangue com o objetivo de informar e conscientizar a população sobre a importância de ser um doador de sangue, além de homenagear àqueles que através de um gesto simples salvam vidas.

Estabelecida através do Decreto de Lei nº 53.988, a data coincide com fundação da Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue, assinada pelo presidente Castello Branco, de 30 de junho de 1964. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é necessário seguir algumas regras para doar sangue.

Seja você também um doador. Ajude a salvar vidas!

Quem pode doar
• Homens e mulheres;
• Ter entre 16 e 68 anos;
• Ter acima de 50 quilos;
• Não ter Hepatite B, Hepatite C, Doença de Chagas, Sífilis, HIV (AIDS), HTLV;
• Estar bem alimentado e descansado;
• Se estiver gripado, esperar no mínimo sete dias para poder doar sangue;
• As grávidas devem esperar entre 90 e 180 dias após o parto para doar sangue;
• Após uma doação de sangue as mulheres devem esperar 90 dias para voltar a doar, enquanto que os homens devem esperar no mínimo 60 dias.

Serviço
Hemominas BH
Endereço: Alameda Ezequiel Dias, 321 – Bairro: Santa Efigênia – Cep: 30130110
Telefone: (31) 3768-4515 / (31) 3768-4572
Coleta: Segunda a sábado – 7h às 18h.
Agendamento: 155 – opção 1

 

Repórter: Ágatha Dumont (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Divulgação

Data: 23/11/2018

Morador do Riacho das Pedras é o primeiro a receber uma prótese de braço em Contagem

Essa é mais uma ação da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, que visa zerar a fila de órtese e prótese no município

Há cerca de três anos, Antônio Marinho sofreu um acidente de carro. O imprevisto lhe custou o braço esquerdo. Desde então, o morador do Riacho das Pedras aguardava uma prótese para suprir a falta do membro. Esse dia chegou. Nessa quinta-feira (22), pela primeira vez na história, Contagem entregou duas próteses de braços.

O senhor Antônio não escondeu a emoção de ser a primeira pessoa de Contagem a receber uma prótese de braço. “Essa prótese significa muito pra mim, era um desejo antigo. Há três anos faço tratamento no Iria Diniz e sonhava com isso”. Além das próteses de braço, foram entregues próteses de pernas e órteses (calçados ortopédicos fabricados de acordo com a necessidade e avaliação do usuário).

O investimento total gira em torno de R$ 327 mil. Essa é mais uma ação da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, que visa zerar a fila de órtese e prótese no município. “É um momento histórico para Contagem, pela primeira vez entregar próteses de braços. Só o usuário pode explicar o quanto essa conquista é importante no dia a dia”, destacou o secretário municipal de Saúde, Cleber de Faria Silva.

O morador que necessita de uma órtese ou prótese deverá se encaminhar até uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima. Na UBS o usuário será avaliado e encaminhado para o Centro de Consultas Iria Diniz. Nos próximos meses, o CER IV será totalmente responsável pelas próteses e órteses no município.

• Prótese – Componente artificial que tem por finalidade suprir necessidades e funções de indivíduos quando perde algum membro do corpo, no lugar é posto uma prótese mecânica (barcos, pernas).

• Órtese – É um apoio ou dispositivo externo aplicado ao corpo para modificar os aspectos funcionais ou estruturais para obtenção de alguma vantagem mecânica ou ortopédica (sapatos ortopédicos, palminhas, coletes etc).

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 23/11/2018

Tecnologia da Informação a serviço das ações de saúde de Contagem

Entre as iniciativas que trouxeram melhorias a gestores, servidores e usuários, implantação de prontuário eletrônico, informatização de unidades, mais de dez mil atendimentos técnicos, mais de 14 mil cadastros no sistema de castração on-line de cães e gatos, fornecimento de 350 computadores e 200 impressoras e, ainda, inclusão em cadastro do governo federal para implantação de fibra ótica e redes de dados em unidades de saúde próprias do município

Você conhece o departamento de Tecnologia da Informação (TI) da SMS? Ele é o setor responsável por todo o suporte técnico dado às unidades de saúde do município. Graças ao trabalho do setor, computadores são instalados e consertados, com ligação à internet, são oferecidos treinamentos e até mesmo sistemas de integração de dados são desenvolvidos, como o Sistema de Agendamento WEB para castração de cães e gatos em Contagem e a implantação do prontuário eletrônico.

Prontuário eletrônico

Uma das principais realizações do setor na atual gestão tem sido a implementação do sistema de gestão de saúde e do prontuário eletrônico, relacionado ao projeto Cartão Saúde Integrada. Com ele, os usuários da saúde terão um prontuário único, onde serão registrados dados como identificação, anamnese (queixas, antecedentes, histórico), exames físicos, hipóteses, diagnósticos e planos terapêuticos. Além de digitalizar as informações do paciente e facilitar a transmissão dos dados para o governo federal, a ferramenta tem potencial para otimizar a gestão de Saúde Pública.

O motivo é que essa tecnologia permite reunir em um só documento informações que antes estavam dispersas em diversos sistemas. Ao longo da vida dos usuários, os atendimentos precisam envolver diversas especialidades e áreas e acontecem em diferentes equipamentos e níveis de atenção à saúde. Mas, sem a integração dessas informações em um único documento, os dados dos usuários ficam fisicamente dispersos, e pode ser necessário buscar prontuários médicos de um mesmo paciente dentro de um mesmo espaço físico ou até mesmo em unidades de saúde diferentes. Já com o prontuário único, pode-se obter dados dos pacientes em um só documento, via tecnologia da informação, contribuindo para a tomada de decisão dos profissionais de saúde mediante as necessidades do usuário com muito mais rapidez e eficiência.

O diretor de TI da SMS, Eliandro Leal Teles, detalha as vantagens da implantação do prontuário eletrônico: “Já são 64 mil usuários do SUS cadastrados com prontuário eletrônico único no sistema de saúde municipal. O prontuário eletrônico já está implementado no Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Ressaca e Petrolândia”.

De acordo com Eliandro, a previsão é de toda a rede SUS / Contagem esteja integrada no sistema de gestão informatizado e de prontuário eletrônico em 24 meses. “Teremos um prontuário único para cada usuário da rede de saúde de Contagem, seja na urgência, seja na atenção básica ou especializada, e para isso o edital 047/2018 já foi publicado, com pregão eletrônico datado de 30/11/2018, para contratação de empresa especializada para prestação de serviços de acesso à internet e comunicação de dados multimídia, via fibra ótica (link disponível AQUI)”, explica o diretor de TI.

Informatização das unidades

Além disso, a informatização do sistema de gestão em saúde nas unidades da rede SUS / Contagem também vem possibilitando melhorias nos processos de trabalho, em um contexto de antecedentes em que muitas unidades de saúde sequer eram equipadas com computador ou tinham acesso à internet. O diretor de Infraestrutura do Setor de TI da SMS, Vitor de Paula Batista Carvalho, afirma que a informatização de 100% da rede SUS / Contagem, incluindo as farmácias distritais, é advento recente. “Antes de 2017, cerca de 30% das unidades não tinham internet. Agora todas as unidades possuem computador e acesso a internet. O próximo passo é integrar a comunicação de todas as unidades com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS)”, diz Vitor.

Conquistas e sensibilidade de gestão

A superintendente Administrativa da SMS, Sílvia Araújo de Souza, comenta as ações de gestão necessárias para todas essas conquistas: “Foi necessário pesquisar e identificar necessidades da rede e, também, sensibilidade para compilar essas informações, para que os processos fossem bem sucedidos e pudéssemos gerar os produtos que temos hoje”.

Para a superintendente, gestores, servidores e usuários serão beneficiários com toda essa informatização. “Todos só tem a ganhar, porque esse sistema de informatização e integração de informações vai facilitar a interlocução entre todas as áreas, tanto no que diz respeito ao sistema de prontuário eletrônico quanto da informatização das unidades. Hoje, no mundo tecnológico em que vivemos, é uma necessidade podermos contar com tecnologias da informação nas unidades de saúde. Com certeza, tornará os processos mais eficientes e trará benefícios a todos”, diz a superintendente.

Saiba mais sobre o que vem sendo feito pelo setor de Tecnologia da Informação da SMS

De acordo com o analista de sistema da diretoria de Tecnologia da Informação, Juliano Tente de Almeida, na atual gestão, foram desenvolvidas pelo departamento de Tecnologia da Informação da SMS as seguintes ações:

– atendimentos técnicos à rede SUS/Contagem: foram feitos cerca de 10.700 atendimentos, entre serviços como suporte e apoio técnico, treinamentos aos usuários, intervenções, instalações, configurações e reparos;

– desenvolvimento de sistemas: foi desenvolvido o Sistema de Agendamento WEB para castração de cães e gatos em Contagem. De acordo o setor de TI da SMS, no período que vai de 08/2017 a 11/2018, houve 86.203 acessos ao formulário disponibilizado no site, 14.176 cadastros e 3.564 e procedimentos realizados;

– fornecimento e instalação de computadores: foram fornecidos e instalados cerca de 350 computadores para suporte às unidades de saúde do município;

– informatização das unidades de saúde: houve a conclusão da informatização das unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF) prevista pela Superintendência de Atenção à Saúde (SAS) do sistema E-SUS.

– fornecimento de insumos: diversos insumos foram fornecidos a diversas áreas da SMS, como impressoras, totalizando um quantitativo de cerca de 200 impressoras e em funcionamento;

– inclusão em cadastro do governo federal para implantação de fibra ótica e redes de dados em unidades de saúde próprias do município: houve a inclusão das unidades próprias de saúde do município no projeto Cidades Inteligentes, do Governo Federal, para implantação de fibras ópticas e criação e integração de rede de dados e voz.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 23/11/2018

Servidores do Hospital Municipal recebem treinamento de prevenção a acidentes e doenças no trabalho

O treinamento está sendo ministrado por Técnico em Segurança do Trabalho e Medico do Trabalho, do Centro de Referencia da Saúde do Trabalhador (Cerest/Contagem)

Nessa última quarta-feira (21), servidores do Complexo Hospitalar de Contagem, que fazem parte do Grupo de Apoio à Saúde e Segurança do Trabalhador (Gassmat), iniciaram o treinamento de NR-5 (saúde do trabalhador), assemelhando a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). O treinamento será feito durantes os dias 21, 22 e 23 de novembro, no auditório do Centro Materno Infantil.

O treinamento está sendo ministrado por Técnico em Segurança do Trabalho e Médico do Trabalho do Centro de Referencia da Saúde do Trabalhador (Cerest/Contagem).

Através de palestras, vídeos e apostilas, os integrantes da Gassmat, se interam sobre os cuidados na prevenção de acidentes no seu setor de trabalho e também cuidados que devem ser tomados para com a saúde do trabalhador.

“A importância do treinamento é informar sobre os riscos presentes no ambiente de trabalho, e possibilitar que os servidores atuem na prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho”, destacou Túlio Zulato, médico do Trabalho do Centro de Referencia da Saúde do Trabalhador (Cerest/Contagem).

 

Repórter: Nelson Augusto

Foto: Elvira Angel

Data: 22/11/2018