Posts com a Tag ‘Saúde Mental’

Contagem capacita equipes de enfermagem que atuam na Saúde Mental

Encontro também promoveu a interação entre os servidores

Uma das bandeiras do prefeito Alex de Freitas é a capacitação dos servidores. O programa de governo está sendo seguido à risca pela Secretaria de Saúde. Na sexta-feira (24), foi realizado um encontro dos trabalhadores da Enfermagem na Saúde Mental, no auditório da UNA Contagem. O objetivo foi capacitar e promover a interação entre os servidores.

Segundo o coordenador de Saúde Mental, Willy Simões, maio foi escolhido para a realização do encontro por dois motivos. “Nada mais justo que realizar o evento no mês em que se celebra o Dia da Enfermagem (12/5) e o Dia do Técnico e Auxiliar de Enfermagem (20/5). Além disso, foi celebrado no dia 18 a Luta Antimanicomial”, afirma Willy Simões.

Contagem conta com 200 enfermeiros, técnicos ou auxiliares que atuam nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Os CAPS são unidades especializadas para tratamento e reinserção social de pacientes da Saúde Mental. Os centros oferecem atendimento interdisciplinar, composto por uma equipe multiprofissional que reúne médicos, assistentes sociais, psicólogos, psiquiatras, entre outros especialistas.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 27/05/2019 

Contagem abraça a luta: manicômio nunca mais!

Caminhada pela avenida João César de Oliveira chamou a atenção para os direitos das pessoas com transtornos mentais

Usuários da Saúde Mental de Contagem, familiares e agentes de saúde tomaram a avenida João César de Oliveira, uma das mais importantes de Contagem, na terça-feira (14). A ação teve como intuito abrir a semana em que se celebra a Luta Antimanicomial. Essa já é uma tradicional caminhada no município, realizada pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, promovendo os direitos e respeito às pessoas com transtornos mentais.

Cerca de 150 pessoas participaram da caminhada. Com faixas, cartazes e gritos de ordem, uniram-se em uma finalidade: “manicômio nunca mais”. A marcha saiu da praça Pinheiro Chagas em direção ao Espaço do Saber. Populares e motoristas paravam com um olhar atento, demonstravam respeito e apoiavam a causa. A caminhada contou com as batidas ritmadas dos tambores do projeto Fica Vivo!

O coordenador da Saúde Mental, Willy Simões, destacou a importância dessa data: “A luta antimanicomial busca o tratamento digno, o fim da internação compulsória, que é extremamente desumano, além da reinserção na sociedade”. Segundo Willy Simões, participaram da ação os Centros de Atenção Psicossocial (Caps), Centro de Convivência Horizonte Aberto e Centro Pop (população em situação de rua).

Dia da Luta Antimanicomial

O Movimento Antimanicomial tem o dia 18 de maio como data porque remete ao Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em 1987, na cidade de Bauru (SP), que reuniu mais de 350 trabalhadores. Na ocasião, foi redigido o manifesto que marca o início da luta pela extinção dos manicômios no Brasil.

Veja as Unidades da Saúde Mental de Contagem:

Capsi: rua Urucuri nº 130, Novo Eldorado. Telefones: 3356-3307 e 3392-1927

Caps III Eldorado: rua Marguerita Fontanarezza nº 106, Eldorado. Telefones: 3355-1558 e 3352-2252

Caps AD: rua Sevilha nº 110, Santa Cruz. Telefones: 3398-7378 e 3398-9922

Caps III Sede: rua Felisbino Pinto Monteiro nº 1099, Praia. Telefones: 3352-5822 e 3352-7215

Centro de Convivência Horizonte Aberto: rua Livorno nº 96, Santa Cruz. Telefone: 3352-5350

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 15/05/2019

Luta Antimanicomial será marcada por caminhada em Contagem

Objetivo é sensibilizar a sociedade na luta pela inclusão de pessoas com transtornos mentais

Para abrir a semana em que se celebra a Luta Antimanicomial, usuários da Saúde Mental de Contagem, familiares e agentes de saúde vão para a rua na terça-feira (14), para participar da tradicional caminhada promovida em prol dos direitos e respeito às pessoas com transtornos mentais.

A caminhada, promovida pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, faz parte de um movimento social mais amplo que visa sensibilizar a sociedade e lutar pela inclusão de pessoas com transtornos mentais. Além de promover a inserção na sociedade por meio de atos, artes e debates.

O Movimento Antimanicomial tem o dia 18 de maio como data que remete ao Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em 1987, na cidade de Bauru (SP), que reuniu mais de 350 trabalhadores. Na ocasião, foi redigido o manifesto que marca o início da luta pela extinção dos manicômios no Brasil.

Serviço:

Caminhada pela Inclusão

Data: Terça-feira – 14 de maio

Horário: 14h

Local e percurso: Praça Paulo Pinheiro Chagas até o Espaço do Saber

 

Repórter: Lucas Santos

Data: 10/05/2019

Projeto TEIA incentiva autocuidado e a convivência com o coletivo

Cada um dos oito distritos sanitários da cidade possui um ponto TEIA, que promove cuidados em saúde mental

Integrantes do Projeto TEIA Ponto Jardim Industrial reuniram-se mais uma vez, na quarta-feira (13), movidos pela iniciativa de cuidar de si e do outro como prática de liberdade e potência de vida e deram sequência à tecitura da trama inclusiva do projeto.

O TEIA – Território, Entrelaces, Inclusão, Autonomia – é uma iniciativa que reúne pacientes com histórico de isolamento, exclusão e internações psiquiátricas, familiares e trabalhadores da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) de Contagem. Sua finalidade é fomentar uma mobilização criativa e cidadã nos usuários assistidos, por meio da convivência e da oferta de oficinas terapêuticas para produções no campo do artesanato, da jardinagem, do teatro e da escrita, entre outras áreas.

Cada um dos oito distritos sanitários da cidade possui um ponto TEIA, que promove cuidados em saúde mental articulados à inclusão social de pessoas com histórico de sofrimento mental e/ou que estão em situação de sofrimento psíquico e/ou vulnerabilidade psicossocial. Os usuários do Ponto TEIA Jardim Industrial reúnem-se todas as quartas-feiras, às 9h, para seguir alimentando essa trama cidadã e inclusiva.

Vida longa ao Projeto TEIA!

Projeto TEIA será tema de seis edições do Caderno de Cidadania, publicação da Gráfica O Lutador. Saiba mais clicando AQUI e AQUI

Clique AQUI e saiba mais sobre a RAPS de Contagem

 

Repórter: Carolina Brauer 

Foto: Fábio Silva 

Data: 14/02/2019

Saúde Mental reúne usuários para confraternização natalina

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizou nesta terça (18), no Clube Arvoredo, uma confraternização natalina com os usuários da Saúde Mental. Participaram do evento, todos os serviços em saúde metal, a Residência Terapêutica e o Centro de Convivência.

A Diretora do Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi) Delzira de Oliveira diz que o intuito dessa confraternização é a promoção e inserção dos usuários no convívio social. “ É buscar a autonomia dos nossos pacientes”, relata.

 Ainda de acordo com Delzira, é uma maneira de sair do ambiente de unidade de tratamento hospitalar e propiciar uma atividade diferenciada, mostrando aos usuários que existem outras atividades integrativas que possam ajudar no tratamento. “Saindo do campo medicamentoso e passando para a área de atividades integradoras”, destacou Delzira.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 18/12/2018

Depressão, vamos conversar?

A depressão é um transtorno mental em que a pessoa abandona o interesse pelas atividades que gosta de realizar, perde a vontade de viver, o sentido da vida e pode vir acompanhada de tristeza, irritabilidade e isolamento social. Acomete pessoas de várias idades, inclusive crianças. A pessoa deixa de realizar atividades rotineiras, perdendo o interesse em sair de casa, afetando o convívio social e familiar do indivíduo.

A psicóloga Josiane Gualberto Gusmão, da Unidade Básica de Saúde (UBS) Csu Eldorado, explica que uma das portas de entrada da depressão é o isolamento social. “ A pessoa deixa de sentar-se à mesa no jantar, assistir televisão reunidos”, diz Josi. A partir desses indícios, é importante que os familiares comecem a entender e  aprofundar no âmbito afetivo para que possam buscar ajuda especializada.

Sintomas:
Os sintomas da depressão são geralmente silenciosos. A família é a base inicial para que o paciente com quadro clínico de depressão possa buscar ajuda para que haja maior eficácia nos resultados. “ A empatia, que é colocar-se no lugar do outro, é o passo principal de auxílio ao paciente com quadro clínico de depressão, não pressionando e acolher a pessoa”, concluiu a psicóloga Josiane.

Onde buscar ajuda?
O primeiro passo é procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS), através do acolhimento que normalmente realizado pela equipe do Núcleos Ampliado de Saúde da Família (NASF), composta por: Assistente Social, Enfermeiro, Psicólogo, Médico. A partir desse acolhimento, o paciente é direcionado para o tratamento de acordo com o grau da doença.

Tratamento:
O tratamento é realizado de forma multidisciplinar, pois muitas vezes o usuário já chega na unidade com um quadro tão grave de depressão que, nem sempre o tratamento psicoterápico é suficiente. Pode acontecer também o tratamento com medicamentos. Além disso, Josiane explica que as práticas integrativas são uma forma de auxiliar o usuário com quadro depressivo e tem atingido excelentes resultados. Ainda segunda ela, espera que essas práticas integrativas possam ser colocadas na linha de tratamento da depressão.

 

Repórter: Jaiderson Henrique(sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Divulgação

Data: 27/11/2018

Saúde Mental: a conscientização é fundamental

Nesta quarta-feira (10), se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental

Vistos como grande tabu pela sociedade, os problemas mentais têm se agravado entre a população mundial. Os sintomas, diagnosticados em sua fase inicial, muitas vezes são confundidos com ansiedade, estresse e/ou depressão. Nesta quarta-feira (10), se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.

Segundo o coordenador de Saúde Mental, da Secretaria Municipal de Saúde, Willy Simões, é uma data para conscientizar a população sobre as causas das doenças psíquicas. “A sociedade que vivemos com excessos de cultura do imediatismo, excesso de redes sociais, necessidade de auto-afirmação aumenta os casos de doenças mentais, como por exemplo, a depressão. A saúde mental é fundamental para que possamos exercer qualquer atividade diária”.

Oferecida no Sistema Único de Saúde (SUS), a partir da Política Nacional de Saúde Mental, Contagem tem unidades voltadas exclusivamente para a Saúde Mental. Os usuários que apresentarem sofrimento em função de transtornos mentais já identificados ou suspeitados devem procurar ajuda nas equipes de PSF ou nos Centros de Saúde, que estarão capacitados para acolher e dar o devido encaminhamento ao problema.

Caso necessário, os usuários são encaminhados para os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), os Serviços Residenciais Terapêuticos, os Centros de Convivência e Cultura. Além de atender pessoas com transtornos mentais, estes espaços acolhem usuários de álcool, crack e outras drogas modificando a estrutura da assistência à saúde mental.

Os usuários com distúrbios mentais, antes encarcerados em manicômios, sendo submetidos a torturas físicas e psicológicas passaram a receber um verdadeiro tratamento, direito ao cuidado, e a não serem apenas excluídos pela sociedade.

Dia mundial da Saúde Mental
Criada em 1992 pela Federação Mundial de Saúde Mental, a data tem como objetivo de combater o preconceito, conscientizar a população e chamar a atenção pública para a questão da saúde mental no mundo.

No Brasil, transtornos mentais e comportamentais são a terceira causa de incapacidade para o trabalho, correspondendo a 9% da concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, de acordo com dados do 1º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade (Secretaria de Previdência/Ministério da Fazenda/2017).

Centro de Atendimento a Saúde Mental em Contagem:
CAPSI – Rua Urucuri nº 130, Novo Eldorado.
Telefone: 3356-3307 e 3392-1927

CAPS III Eldorado – Rua Marguerita Fontanarezza nº 106, Eldorado.
Telefone: 3355-1558 e 3352-2252

CAPS AD – Rua Sevilha nº 110, Santa Cruz.
Telefone: 3398-7378 e 3398-9922

CAPS III Sede – Rua Felisbino Pinto Monteiro nº 1099, Praia.
Telefone: 3352-5822 e 3352-7215

Centro de Convivência Horizonte Aberto – Rua Livorno nº 96, Santa Cruz.
Telefone: 3352-5350

 

Repórter: Ágatha Dumont (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 10/10/2018

Saúde Mental capacita profissionais do SAMU e Guarda Civil

A capacitação foi realizada nessa terça-feira (9), na UNA-Contagem

Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Saúde Mental, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza uma importante ação. Trata-se da Capacitação em Saúde Mental para guardas civis e profissionais do SAMU – Contagem. A capacitação foi realizada nessa terça-feira (9), na UNA-Contagem.

O curso é realizado para cinco grupos de 25 pessoas, sendo 10 guardas, 10 profissionais do SAMU e cinco da saúde mental. “Nosso principal objetivo é capacitar os guardas civis e profissionais do SAMU sobre a abordagem e manejo dos usuários da Saúde Mental em casos de crise”, destacou o coordenador da Saúde Mental de Contagem, Willy Simões.

Na capacitação foram debatidos temas como preconceito, aspectos históricos estudos da psiquiatria sobre o tema. A capacitação termina em dezembro desse ano.

Dia da Saúde da Mental

O Dia Mundial da Saúde Mental é celebrado a 10 de outubro. A data visa chamar a atenção pública para a questão da saúde mental, combater o preconceito e o estigma à volta da saúde psicológica.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 10/10/2018

Diálogos em rede para relacionar saúde mental, trabalho e reabilitação psicossocial

Evento promovido pelo setor de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde teve como base a metodologia de discussão de um caso clínico

Na manhã desta sexta-feira (28), a coordenação do setor de Saúde Mental promoveu o evento “Diálogos em rede”, que abordou o tema “saúde mental, trabalho e reabilitação psicossocial”. A ação aconteceu no auditório da Nova Faculdade, no bairro Cidade Industrial. Um público de cerca de 50 pessoas, servidores da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) do município, esteve presente ao encontro.

A oportunidade propiciou momentos de integração e de capacitação por meio da apresentação de um caso clínico pela convidada do evento, a psicóloga e mestre em Psicologia Social e do Trabalho pela UFMG, Adriana de Paula Reis. A tese de mestrado de Adriana, intitulada “Percursos no SUS: a saúde mental relacionada ao trabalho a partir da atenção primária à saúde”, é fruto de uma pesquisa feita pela psicóloga entre os anos de 2014 e 2016 na rede SUS / Contagem.

A pesquisa apresenta quatro percursos de casos clínicos, e um deles foi especialmente selecionado para a discussão com os participantes, por exemplificar como o estudo de um caso pode apontar caminhos para as condutas no atendimento estruturado em rede. “O paciente foi ensinando o caminho do CAPS à Atenção Primária e à reabilitação psicossocial”, explica a pesquisadora Adriana de Paula. O caso em questão também mostra como o trabalho pode ser uma potência geradora de saúde mental, na medida em que suas atividades tenham sentido para a pessoa que o executa: o trabalho é um dos fatores determinantes da saúde, e pode tanto “curar” quanto “adoecer”. “O trabalho pode ser um recurso terapêutico. Não qualquer trabalho, porque tem aquele trabalho que até pode levar ao adoecimento: tem que ser um trabalho com sentido para a pessoa”, destacou a psicóloga Adriana de Paula.

A psicóloga da RAPS de Contagem e facilitadora do Projeto Teia, Pollyana Lúcia Costa Santos, ressaltou que a discussão em torno da apresentação de um caso clínico é uma forma de capacitação que permite replicar os aprendizados gerados em outros casos. “O caso conduz a formas e produções de cuidado em rede”, diz a psicóloga Pollyana.

O Projeto Teia – Território, Entrelaces, Inclusão, Autonomia – é realizado por meio do Grupo Cultivarte, que reúne pacientes com histórico de isolamento, exclusão e internações psiquiátricas, familiares e trabalhadores da rede de Saúde Mental de Contagem. A partir da inclusão no Cultivarte, esses pacientes mantêm tratamento contínuo nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

A referência técnica do setor de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a psicóloga Carla França, comentou que as reuniões de colegiado com os integrantes da RAPS “são importantes para termos essas oportunidades de alinhamento. O colegiado traz a proposta de sempre pautar capacitações aos profissionais e fomentar discussões a partir do caso clínico”. Um colegiado é uma forma de organização em grupo em que há representações diversas e decisões tomadas em grupos.

O coordenador do setor de Saúde Mental da SMS, Willy Simões, explicou que está em curso um processo de reestruturação do modelo de trabalho da RAPS e que essa reestruturação inclui a ampliação de ações desenvolvidas no Centro de Convivência Horizontes Abertos para os distritos sanitários da cidade, na interface com o projeto Teia. “A proposta é de reinserir o paciente na sociedade. Não é só a busca de tratamento medicamentoso, mas também contribuir para a geração de renda e promoção da autonomia através da reabilitação psicossocial e familiar desses usuários atendidos pela rede”, detalha Willy. Ainda segundo o coordenador, a ideia é de promover encontros similares mensalmente, com um convidado e a apresentação de um caso clínico.

O evento Diálogos em rede aconteceu no contexto do Setembro Amarelo, campanha que tem como objetivo conscientizar quanto à importância da prevenção do suicídio.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 28/09/2018

 

Dia de quem não sai da nossa cabeça

Você sabia que dia 27 de agosto é Dia do Psicólogo? Ele é o profissional responsável  por tentar “ler nossos pensamentos” e auxiliar a compreender a “confusão” da mente humana.  É capaz de nos ouvir por horas e ainda falar de forma branda o que precisamos ouvir.

O psicólogo é muito mais que um simples profissional da área da saúde mental. É o ser humano que nos estende às mãos, empresta os ouvidos e nos conduz com o olhar amoroso, para caminhos mais simples e claros que a vida nos propõe seguir e que por vezes, não conseguimos enxergar.

Para exercer a função de psicólogo, o profissional deve ter concluído o curso de ensino superior em psicologia numa instituição de ensino atestada pelo Ministério da Educação e Cultura.

No Brasil, o Dia do Psicólogo é comemorado em 27 de agosto em homenagem a data da regulamentação desta profissão no país, através do Decreto de Lei nº 4.119, de 27 de agosto de 1964.

 

Repórter: Jaiderson Henrique (Sob Supervisão de Lucas Santos)

Foto: Divulgação

Data: 27/08/2018