Posts com a Tag ‘SAMU’

Capacitação para qualificar servidores e integrar ações de saúde

Oferta de capacitação profissional é uma das formas de fomentar a integração entre os níveis de atenção do SUS

O atendimento ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), um direito garantido em lei a todos os cidadãos brasileiros, se dá a partir de um modelo baseado na hierarquização das ações e serviços de saúde organizados por níveis de complexidade. Esse atendimento acontece em três níveis de atenção: no primeiro, estão as Unidades Básicas de Saúde (UBS), a “porta de entrada” ao SUS, onde são marcadas consultas e exames e realizados procedimentos menos complexos, como vacinação e curativos; no segundo, na média complexidade, estão equipamentos como os Centros de Consultas Especializadas e as Unidades de Pronto Atendimento (UPA), que realizam alguns procedimentos de intervenção e oferecem tratamentos a casos crônicos e agudos de doenças; e no terceiro, a alta complexidade, estão os Hospitais de Grande Porte, onde são realizadas manobras mais invasivas e de maior risco à vida.

Embora cada nível de atenção seja responsável por ofertas específicas de serviços, todos os níveis de atenção à saúde precisam estar preparados para lidar com as diversas situações que permeiam o processo saúde-doença. Essa preparação requer integração entre os níveis de atenção.

Nesse sentido, é muito importante que os profissionais da atenção primária estejam aptos a atender os usuários que chegam às UBS e precisam de avaliação e tratamento imediato, de forma a estabilizar e encaminhar esses usuários aos serviços de urgência e emergência do município.

A oferta de capacitação profissional é uma das formas de fomentar a integração entre os níveis de atenção do SUS. A Prefeitura de Contagem está atenta a isso e vem promovendo diversas ações para capacitar e qualificar os servidores da saúde. Ao longo da gestão, diversas iniciativas voltadas à capacitação e qualificação vêm sendo ofertadas, relativas a diversos temas e assuntos.

Uma dessas iniciativas de capacitação foi o 1º Curso de Urgência da Atenção Básica da Rede de Saúde, ofertado pela prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A ação teve o objetivo de preparar profissionais de unidades da atenção primária para as situações de urgência e emergência que chegam as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e unidades com Estratégia de Saúde da Família (ESF), as portas de entrada do sistema público de saúde.

Composto por conteúdos teóricos e práticos, o curso, realizado de março a maio deste ano, foi promovido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a Superintendência de Atenção à Saúde (SAS), a Superintendência de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (Sugest) e a Superintendência de Urgência e Emergência (Surg). Cerca de 300 profissionais foram capacitados, entre médicos e enfermeiros que atendem em unidades de saúde do município ligadas à atenção primária.

“O curso envolveu um trabalho interdisciplinar de profissionais e gestores da rede de saúde do município. Os facilitadores são especialistas em suas áreas e representam tanto a experiência acadêmica, acumulada no desenvolvimento de projetos de formação, capacitação e educação permanente em saúde, como a experiência na vivência profissional”, detalha a referência técnica da Atenção Básica da SMS, Ivana Andrade.

Moisés Elias Soares Silva, enfermeiro de Saúde da Família, foi uma das centenas de pessoas capacitadas pelo curso. Para ele, que trabalha no PSF Jardim Bandeirantes, no bairro Água Branca, participar da capacitação foi uma oportunidade de reciclar conteúdos e, principalmente, de adquirir novos conhecimentos. “Nós, que atuamos na atenção básica, não temos muito contato com situações de urgência e emergência. Achei muito interessante, e os bons profissionais que ministraram as partes teóricas e práticas deixaram os conteúdos bem claros. Essa capacitação faz com que a gente se sinta mais seguro para atuar nessas situações”, atesta o profissional.

Você sabia?

O suporte básico de vida tem como objetivos o rápido reconhecimento das situações de gravidade, a intervenção precoce e a manutenção da estabilidade circulatória e respiratória por meio das manobras de reanimação. Trata-se de um conjunto de medidas e procedimentos técnicos que compreende aspectos da prevenção de fatores e situações de risco, detectando as ocorrências de eventos em determinado local da comunidade e o transporte seguro do paciente.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 03/07/2018

Entrega de uniformes confere mais condições de trabalho a servidores do Samu

Técnicos e motoristas socorristas foram contemplados. Trabalhadores não recebiam uniformes novos há pelo menos cinco anos

Para garantir mais condições de trabalho e segurança a trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da microrregião da qual o município de Contagem faz parte, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) fez a entrega de uniformes a profissionais que atuam na base de Sarzedo. A entrega ocorreu em 27/4, contemplando 12 técnicos de enfermagem e 4 condutores socorristas. Cada um recebeu seu macacão de trabalho. As botas, que integram o uniforme, foram distribuídas pela atual gestão no ano passado. Além de Contagem, a microrregião de saúde em questão integra os municípios de Sarzedo e Ibirité e congrega quase um milhão de pessoas.
 
O assessor técnico da Superintendência de Urgência e Emergência (Surg) da SMS, Alexandre Viana, ressalta que esses trabalhadores não eram contemplados com uniformes novos há anos. “É a primeira vez, em pelo menos cinco anos, que eles recebem uniformes novos. Contagem providenciou esse vestuário entendendo que a segurança desses trabalhadores e das pessoas atendidas também depende das vestimentas adequadas”, salienta o técnico.
 
O diretor-geral do Samu de Contagem, Hudson Douglas Ferreira, atesta que a gestão não tem medido esforços para garantir o funcionamento do serviço, mesmo diante da restrição financeira decorrente do não-repasse de verbas estaduais para a saúde no município. “Desde o ano passado o Samu não recebe recursos do estado. Mas a prestação de serviços segue sendo feita normalmente, graças ao empenho do prefeito Alex de Freitas e do vice Willian Barreiro”, afirma do diretor.
 
Elmar Custódio Lopes, técnico de enfermagem do Samu há um ano e três meses, diz que desde quando entrou no Samu não recebeu uniforme novo e que, desde então, usava um uniforme emprestado. “É o mínimo para podermos trabalhar e desempenhar nossas funções, que temos prazer em realizar”, afirma. Joana D’arc de Sá, técnica do Samu desde julho de 2014, também conta que utilizava uniforme emprestado de outro profissional e que pela primeira vez recebeu o macacão. “As botas vieram no ano passado”, explica.
 
Repórter: Carolina Brauer
Foto: Elivan Félix
Data: 03/05/2018
 
 

Socorrista do Samu de Contagem escolhe o Centro Materno Infantil para ter seu primeiro filho

Na última quarta-feira (4), nasceu o pequeno Miguel Fernandes, no Centro Materno Infantil “Juventina Paula de Jesus”. Seu pai, o condutor socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Felipe Fernandes, escolheu a maternidade de Contagem para o nascimento do seu primeiro filho. Segundo ele, a escolha foi feita justamente por conhecer as instalações da maternidade e saber que se houvesse alguma complicação sua esposa e o bebê teriam a assistência necessária.

Durante o parto, houve complicações e foi preciso fazer uma cirurgia cesariana. Os papais de primeira viagem ficaram encantados com o profissionalismo da técnica de enfermagem, Claudinéia Leonardo, e do médico obstetra, Oton Gonçalves da Silva Júnior. O condutor socorrista do Samu disse que está acostumado a se empenhar para salvar vidas. E agora, estando do outro lado da história, se sente lisonjeado com o atendimento prestado. “Trabalho a 5 anos no Samu, e sinto que está gestão está preocupada em prestar um serviço de qualidade e mais humanizado para os cidadãos. Quero agradecer o carinho dos profissionais que deram apoio à minha esposa e contribuíram para que o parto do meu filho fosse feito da melhor forma”, enfatiza.

A secretaria de Saúde informa que melhorar o atendimento a população e fazer com que o centro materno da cidade funcionasse 100% foram compromissos de campanha do prefeito, Alex de Freitas. Agora, os moradores de Contagem não precisam buscar atendimento em outros municípios, pois os profissionais estão se qualificando cada vez mais e os equipamentos recebem manutenção frequentes para estarem em perfeito estado de funcionamento.

Repórter: Nayara Vianna

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 13/04/2018

Samu recebe reconhecimento pelo trabalho eficiente

Bebê de um ano, socorrido pelo Samu, visita equipe que participou do seu salvamento

A equipe de resgate do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) de Contagem recebeu, na sexta-feira (2), uma visita especial de um bebê que teve cerca de 15% do corpo queimado. A tragédia aconteceu no dia 22 de dezembro de 2017.

Shirlei Pereira Souza, 39 anos, mãe de João Felipe Souza Silva, que tem apenas 1 ano de vida, fez questão de ir com a família ao Samu para agradecer o atendimento dos profissionais que salvaram a vida de seu filho. “Meu filho ficou 15 dias internado e passou por algumas complicações, mas graças à eficiência dos primeiros socorros a chance dele sobreviver aumentou e hoje está se recuperando em casa, por isso fiz questão de vir agradecer as pessoas que cuidaram do João Felipe”, destaca a mãe da criança.

O Enfermeiro do Samu, Valério Morais, participou do socorro à criança e afirma que a visita da família o deixou emocionado. “O reconhecimento pelo nosso trabalho é o que nos incentiva, a equipe toda ficou feliz ao ver o João Felipe se recuperando e satisfeita com apreço dos pais pelo nosso trabalho. Somos dedicados e trabalhamos contra o tempo para salvarmos o maior número de vidas possíveis”, salienta.

beforeAo lado da família, João Felipe visitou equipe do Samu

João Felipe foi levado pelo Samu para o Complexo Hospitalar, onde foi entubado e transferido de helicóptero para o hospital João XXIII, em Belo Horizonte, devido à gravidade do acidente. A mãe conta que o acidente ocorreu enquanto aguardava atendimento em um salão de beleza, no bairro Industrial. João Felipe brincava pelo estabelecimento quando puxou o fio da tomada de um ebulidor que estava dentro de um recipiente aquecendo a água quente que caiu sobre o corpo do bebê.

A Secretaria de Saúde alerta sobre os cuidados para prevenir queimaduras em crianças:

– Deixe líquidos e comidas quentes fora do alcance das crianças;
– Mantenha as crianças fora da cozinha, principalmente se o fogão ou o forno estiverem ligados. Prefira cozinhar nas bocas de trás do fogão e com o cabo das panelas virados para dentro;
– Os produtos químicos, como álcool, artigos de higiene e produtos de limpeza em geral, devem ser mantidos fora do alcance das crianças;
– Atenção à água do banho: a temperatura ideal é 37o C. Teste a água da banheira com a mão. Caso o chuveiro for do tipo que mistura água quente e fria, um adulto deve regular a temperatura antes de a criança tomar banho;
– Álcool líquido e outros combustíveis (querosene, gasolina, thinner, etc.) não devem ser armazenados em casa. Isso porque eles inflamam facilmente na presença de chamas ou faíscas, o que pode causar queimaduras graves;
– Fogos de artifício jamais devem ser manipulados por crianças;
– Use protetores de tomadas e substitua os fios desencapados;
– Evite ligar vários aparelhos eletrônicos na mesma tomada;
– As crianças não devem brincar com pipas e papagaios perto da rede elétrica;
– Para evitar queimaduras provocadas pelo Sol, evite a exposição entre as 10h e 16h. Use protetor solar mesmo em dias nublados;
– Cuidado com as velas: elas devem ficar longe dos pequenos, assim como de cortinas e lençóis. Ao sair de casa, apague-as.

Repórter: Nayara Vianna

Foto: Fábio Silva

Data: 06/03/2018

Samu de Contagem faz parceria com Polícia Rodoviária no Carnaval

Médico e enfermeiro ajudam a salvar vidas em UTI montada em helicóptero da corporação

Carnaval é sinônimo de estradas lotadas de pessoas que vão curtir a folia em várias partes do país. Para aumentar a segurança, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensifica ações nas rodovias. Em Minas, a corporação conta com o apoio de um helicóptero vindo do Rio de Janeiro,   que terá como área de abrangência as Brs 040, 381 e 262.

Dentro da aeronave,  médicos e enfermeiros da equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) de Contagem,    integram a equipe de tripulação com o objetivo de prestarem os atendimentos de urgência e emergência nas situações em que não é possível aguardar o socorro por via terrestre. Nestes casos, a PRF desloca o helicóptero para que sejam realizados os atendimentos e posterior encaminhamento aos hospitais de referência, como João XXIII e Risoleta Neves.

O diretor-geral do Samu 192 de Contagem, Hudson Douglas Ferreira, destaca que o serviço é uma referência em Minas Gerais. “Em 2014 atuamos na Copa do Mundo, em 2016 nas Olimpíadas e agora no Carnaval. Isso mostra o respeito e a competência da Saúde e do Samu de Contagem”, aponta.

A aeronave funciona como uma unidade de terapia intensiva (UTI) móvel, com modernos equipamentos e medicamentos diversos. “O Samu  de Contagem equipou toda aeronave para que possa prestar os atendimentos de urgência e emergência e, junto com a Polícia Rodoviária Federal, prestar atendimentos com agilidade”, ressaltou o assessor técnico da Superintendência de Urgência e Emergência, Alexandre Viana de Andrade.

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 15/02/2018

Ministério da Saúde reconhece regionalização do Samu Contagem

O Samu 192 é referência para o atendimento de cerca de 870 mil habitantes que residem em Contagem, Ibirité e Sarzedo

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do município de Contagem é referência para cerca de 870 mil habitantes que residem em Contagem, Ibirité e Sarzedo.  Possui uma Central de Regulação das Urgências sediada em Contagem responsável pela regulação de todos os casos atendidos nos municípios e conta com sete ambulâncias, sendo 2 Unidades de Suporte Avançado (USA) e sete Unidades de Suporte Básico (USB), estando cinco ambulâncias em Contagem, uma em Ibirité e uma no município de Sarzedo.

Embora na prática o serviço de Contagem funcione como referência para os demais municípios, não era reconhecido pelo Ministério da Saúde como um serviço regional e, com isso, recebia recursos financeiros como se atuasse apenas no município de Contagem.

Diante deste cenário a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, vem buscando junto ao Ministério da Saúde o reconhecimento do Samu como um serviço regional, dada sua relevância e abrangência que extrapola os limites territoriais da cidade. O Secretário de Saúde, Bruno Diniz, falou sobre o empenho do poder executivo no apoio a estas estratégias que possuem como objetivo melhorar o acesso e os atendimentos. “O prefeito Alex de Freitas não tem medido esforços para fazer com que Contagem se torne protagonista em matéria de saúde pública”, disse. 

Diante do pleito de Contagem, o Ministério da Saúde publicou a Portaria nº 3.659, de 22 de dezembro de 2017, dando então o devido reconhecimento ao Samu como sendo um serviço regional.

Segundo o superintendente de Urgência e Emergência, Cleber de Faria Silva, este reconhecimento só foi possível devido ao fato de ser garantido nesta gestão o funcionamento do serviço 24h por dia, 7 dias por semana, com equipe multiprofissional (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentre outros), renovação de 100% da frota de ambulâncias, manutenção dos veículos, disponibilidade de materiais e medicamentos e uma série de outros fatores necessários para garantir os atendimentos.

beforeAtendimento é feito 24h por dia, 7 dias por semana

 O diretor-geral do Samu de Contagem, Hudson Douglas Ferreira, destaca que com a publicação da Portaria há um acréscimo de 40% nos recursos repassados mensalmente pelo governo federal, que passa de R$ 258.475,00 para R$ 362.099,00, valor que será utilizado no custeio do serviço regional. “Além do aumento do recurso financeiro repassado, já está aprovado junto ao Estado e Ministério da Saúde a ampliação da frota que passará a contar com mais uma ambulância de Suporte Básico (USB), o que potencializará os serviços já prestados”.

Para o assessor técnico da Superintendência de Urgência e Emergência, Alexandre Viana de Andrade, o reconhecimento do Samu como regional é um reflexo do trabalho que vem sendo feito, garantindo aos usuários o acesso aos serviços de urgência e emergência em tempo oportuno e no serviço mais indicado conforme seu quadro clínico. “Além de garantir o serviço pré-hospitalar móvel (Samu), o município vem pactuando junto aos municípios de Ibirité e Sarzedo a grade de referência para os atendimentos, tendo em vista que o Samu é um dos diversos componentes da Rede e, para garantir o acesso aos usuários, faz-se necessário organização para que haja a continuidade do cuidado ao usuário nos demais serviços, como Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e hospitais”, informou.

 

Repórter: Anderson Pena

Foto: Geraldo Tadeu

Data: 29/01/2018

Trotes ao Samu reduzem 20% após ação de conscientização

Serviço de emergência recebia cerca de 700 ligações indevidas por mês

Até agosto deste ano, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), recebia cerca de 700 trotes por mês. Números considerados expressivos e que causam transtornos aos prestadores de serviço, bem como aos usuários. Diante dessas informações a equipe do Samu, juntamente a Secretaria de Saúde, promoveu campanha nas redes sociais, e por meio de panfletagens durante as ações da Saúde no município, para conscientizar a população reduzindo o número de trotes em 20%. 

Por mês, o Samu Contagem recebe cerca de 1800 chamados, por meio do número 192, para atendimento às vítimas de acidentes domésticos, automobilísticos, suspeitas de Acidente Vascular Cerebral (AVC), engasgos, entre outros. 

Apesar de a campanha ter conseguido reduziu o número de trotes em 20%, o diretor do Samu, Hudson Douglas, ressalta que esses dados podem e precisam reduzir ainda mais. Pensando nisso, ele informa que planeja, juntamente com sua equipe e demais gestores, um projeto para 2018 entre as secretarias de Educação e Saúde, visando despertar a consciência das crianças e torná-las multiplicadoras da importância de cada chamada e atendimento feito pelo Samu. “Pretendemos que essa seja mais uma ação para contribuir com a redução de ligações indevidas”, conclui Hudson.

Samu

O Samu é um serviço gratuito que funciona 24 horas, por meio da prestação de orientações pelo telefone ou ainda pelo envio de veículos quando houver a necessidade. As ambulâncias são tripuladas por equipes capacitadas, compostas por médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e condutores socorristas.

Repórter: Simone Ribeiro (sob a supervisão de Aida Matos)

Fotos: Adelcio Barbosa

Encenação para aprimorar atendimentos reais

Simulado de Trauma envolve Samu, Corpo de Bombeiros, Faculdade de Ciências Médicas e Secretaria de Estado de Saúde

Uma colisão entre dois carros e um ônibus. Um veículo em chamas, explosões e fumaça. Entre as muitas vítimas, algumas em estado grave no interior do ônibus. Há também alguém preso às ferragens de um dos automóveis. Logo chegam os socorristas e os bombeiros, que começam a prestar socorro às vítimas. Começa a se formar um aglomerado de curiosos e pessoas que querem ajudar, e à medida que as vítimas são rapidamente socorridas no próprio local da colisão, com as sirenes ligadas, unidades de resgate chegam para encaminhá-las aos serviços de saúde, sob o desespero de familiares. Aos poucos, os feridos são levados para o Hospital Odilon Behrens, o Semper, a Upa Centro-Sul e para a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (CMMG).

Toda essa cena poderia ter ocorrido hoje mais cedo, mas, desta vez, tudo não passou de uma simulação.

Com o objetivo de criar situações de aprendizagem nas situações de urgência e emergência em saúde, em um ambiente controlado no qual atores caracterizados como vítimas são socorridos após um grave acidente de trânsito, uma operação conjunta entre os Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Contagem, Belo Horizonte e Santa Luzia, a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) de Minas Gerais, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e a CMMG promoveu o Simulado de Trauma.

A encenação, ocorrida na manhã desta sexta-feira (10), no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, em Belo Horizonte, chamou a atenção de quem passava pelo parque. 

Profissionais aprimoram os conhecimentos para atender vítimas com ainda mais eficiência.

O treinamento preventivo contou com dois automóveis e um ônibus especialmente preparados para a ação, da qual participaram dezenas de atores, alunos da CMMG que se maquiaram e se caracterizaram para se assemelharem a vítimas de acidentes de trânsito, bem como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e socorristas do Samu e dos Bombeiros. O treinamento contou também com diversas Unidades de Suporte Avançado (USA) e de Suporte Básico (USB) e Unidades de Resgate do Corpo de Bombeiros.

Mais de 150 pessoas participaram da ação, entre alunos e professores da CMMG, integrantes do Corpo de Bombeiros e do Samu das cidades participantes, entre eles, aproximadamente 30 integrantes do Samu Contagem.

O diretor do Samu Contagem, Hudson Douglas Ferreira da Silva, explica que foram necessários cerca de 45 dias para que toda a encenação pudesse ser feita. “Toda a simulação que fizemos hoje é, na verdade, um exemplo do que ocorre no dia a dia do Samu Contagem, uma referência na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH)”, afirma Hudson. 

“Iniciativas como essa contribuem para o aprimoramento do atendimento às urgências e emergências que é prestado no município. Esse foi o terceiro simulado do qual integrantes do Samu Contagem participaram só nos últimos três meses”, ressalta Alexandre Viana de Andrade, assessor técnico da Superintendência de Urgência e Emergência (Surg) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Contagem, que também acompanhou o simulado.

O professor da disciplina de Urgência da CMMG Marcelo Medeiros Salles, um dos coordenadores da operação, reforça que o simulado é uma oportunidade de os alunos vivenciarem na prática o conhecimento teórico aprendido nos bancos escolares. “Essa capacitação oferece a oportunidade de melhorar o processo de formação dos nossos alunos, criando uma oportunidade para eles experienciarem, na prática, o que é aprendido nas aulas”, diz o professor.

O tenente Nardell, também integrante da coordenação do evento, elenca três grandes contribuições que a ação proporcionou ao Corpo de Bombeiros: “Há a questão da integração entre os bombeiros e outros órgãos públicos, como o Samu, e privados, como a Faculdade de Ciências Médicas. Com isso, podemos alinhar comportamentos e atitudes em situações complexas, para que seja possível uma coordenação dos esforços de todos os órgãos envolvidos. Por fim, mas não menos importante, é uma forma de treinar e de reciclar conhecimentos, para que, quando preciso, possamos trazer para a realidade o conhecimento adquirido”.

Data:10/11/2017

Repórter: Carolina Brauer

Fotos: Fábio Silva

Simulado do Samu Contagem

Com o objetivo de criar situações de aprendizagem nas situações de urgência e emergência em saúde, em um ambiente controlado no qual atores caracterizados como vítimas são socorridos após um grave acidente de trânsito, uma operação conjunta entre os Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Contagem, Belo Horizonte e Santa Luzia, a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) de Minas Gerais, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e a CMMG promoveu o Simulado de Trauma.

A encenação, ocorrida na manhã desta sexta-feira (10), no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, em Belo Horizonte, chamou a atenção de quem passava pelo parque. 

Fotos: Fábio Silva

Atendimento Samu Contagem

O município conta com duas Unidades de Suporte Avançado (USA) e sete Unidades de Suporte Básico (USB), que fazem uma média de 1.500 atendimentos ao mês. Em junho, desse ano, pela primeira vez na história, Contagem renovou 100% de suas viaturas do Samu.

Em média, a central recebe 10 mil ligações por mês, por meio do número 192. As ligações resultam em atendimentos que englobam desde a prestação de informações pelo telefone, para os casos em que não há necessidade de envio da ambulância, e aqueles que requerem o envio do veículo. Com base nas informações coletadas pelo telefone, essa triagem é feita. No último trimestre, das demandas atendidas ao telefone 1.500 resultaram em deslocamento de uma ambulância.