Posts com a Tag ‘Prefeitura Municipal de Contagem’

Conheça o trabalho dos agentes de saúde, que contribuem para a prevenção e a promoção da saúde

Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) verificam cartões de vacinação, fazem inspeções em imóveis e prestam orientações diversas à população

 

 

Você conhece o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS)? O ACSs compõem as equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) e têm entre suas atribuições realizar cadastros e visitas familiares, identificar as famílias de risco e, também, orientar quanto ao uso dos serviços de saúde, encaminhando e agendando consultas/exames. Eles também participam das reflexões do trabalho das equipes de ESF, compostas por um médico generalista, um enfermeiro, um técnico de enfermagem e um ou mais ACSs. Essas equipes, por sua vez, contam com o apoio das equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

A rotina de um ACS começa cedo: logo na abertura da Unidade Básica de Saúde (UBS), o profissional contribui no acolhimento das demandas que vão aparecendo e recebe o roteiro de trabalhos do dia. E aí, então, nos turnos da manhã e da tarde, é só “pernas pra que te quero”: andanças pelos territórios para atuar na prevenção e promoção da saúde, verificando, por exemplo, se cadernetas de vacinação estão atualizadas, mapeando se existem pessoas que fazem uso de medicação controlada e mostrando às pessoas como funcionam fluxos e onde funcionam serviços de Saúde. Os ACSs também participam com as equipes de saúde e a comunidade da elaboração, programação, avaliação e reprogramação do plano de ação local de saúde.

 E para que tenham condições de trabalho, já que, faça chuva ou faça sol, eles estão sempre cumprindo suas funções, recebem da Prefeitura de Contagem kit de uniforme contendo calça, blusa, boné, tênis reforçado, capa de chuva e protetor solar. Eles também possuem crachás de identificação, o que contribui para a sua própria segurança e a da população.

Já o foco das visitas domiciliares dos Agentes de Combates às Endemias (ACE), ligados à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde (SMS), é outro: quando o trabalho é focal, eles verificam o interior e o exterior (quintais, por exemplo) dos domicílios, procurando por locais que possam receber larvicida, um tipo de veneno contra a postura de ovos de mosquitos, como o Aedes aegypti, transmissor de doenças como a Dengue, a Zika e a Chikungunya. Um desses locais inusitados fica atrás das geladeiras, que possuem um recipiente que costuma acumular água. Já com o Levantamento rápido de índices para Aedes aegypti (LIRAa), somente a parte externa do domicílio é verificada, para a coleta de larvas em possíveis locais de postura de ovos do mosquito, como pratinhos de plantas, caixas d’água, pneus e outros locais que possam acumular água. Esse trabalho é complementando pelo monitoramento semanal de pontos estratégicos do município onde estão instaladas armadilhas chamadas “Ovitrampas”, que cobrem 100% do território da cidade. O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito, para que coloquem seus ovos ali. Pela quantidade de ovos, ou pela ausência deles, a SMS pode traçar ações estratégicas.

Atualização de cartão de vacinas e orientações sobre como usar a rede SUS / Contagem

Na UBS Vila Itália, no distrito sanitário Sede, não é diferente. Nesta quinta-feira (21), três ACSs fizeram algumas visitas domiciliares, como de costume. As ACSs Andréia Aparecida de Souza, Dayane Drumond Ferreira e Janaína Aparecida da Silva, juntamente com a Agente de Combate às Endemias (ACE) Andreia Alves de Medeiros foram até a casa do casal Daniela Aparecida Gonçalves Santana e Elder Luciano Santana, que moram no bairro Fonte Grande. Eles têm três filhos, de 4, 8 e 11 anos e estão abrigando duas sobrinhas de Teófilo Otoni (MG), que vieram passar as férias com os primos.

A Família de Daniela, conta ela, possui plano privado de saúde e não costuma frequentar a UBS Vila Itália para as questões de saúde da família. Mesmo assim, ela acha muito importante a visita dos agentes de saúde. “Orientação é tudo. A saúde começa com a prevenção, com a orientação, para não agravar nenhum tipo de situação de doença”, faz questão de dizer Daniela, que é professora de português. “Fomos ao posto uma vez, eu acho. Mas as vacinas, nós tomamos lá”, complementa o pai, Elder.

Enquanto as ACS conferiam as cadernetas de vacinação da criançada, a ACE Andreia aproveitava para fazer o trabalho focal. A mãe das crianças, Daniela, ficou na dúvida se Elder Júnior, de quatro anos, deveria tomar uma segunda dose da vacina contra a Febre Amarela. As agentes explicaram que, de acordo com as atuais determinações do Ministério da Saúde (MS), quem já se vacinou uma vez não precisa mais tomar outras doses e já está definitivamente protegido contra a doença. Na ocasião, as agentes também frisaram que sempre que uma vacina for aplicada, o técnico ou o agente de saúde deve anotar o número do lote no cartão de vacinação, para a segurança de todos. De todas as cadernetas verificadas, apenas três deverão ser atualizadas em uma ou duas vacinas. Mas isso não será um problema para esta família, pelo menos no que diz respeito à Febre Amarela: “Todo mundo aqui já está vacinado contra a doença”, afirma Elder.

A enfermeira de Saúde da Família da UBS Vila Itália, Rosângela de Fátima Ferreira da Silva, explica, que embora a demanda da unidade seja alta, cerca de cinco mil pessoas referenciadas e uma equipe de ESF, por causa da organização dos fluxos, os agendamentos são feitos, em geral, somente em casos como os de renovação de medicação controlada, pré-natal e puericultura e, também, para os encaminhamentos ao Nasf. Ou seja, no geral, na UBS Vila Itália, as pessoas conseguem resolver suas demandas no mesmo dia. “Nossa taxa de absenteísmo (o não-comparecimento a consultas) é baixa. A gente tenta resolver as demandas no momento em que elas chegam ao acolhimento e/ou no mesmo dia, sem necessidade de marcação. Isso indica que o trabalho de prevenção e promoção à saúde vem funcionando”, explica a enfermeira.

A responsável técnica de Atenção à Saúde do distrito sanitário Sede, Josiane Martins Gonçalves Gomes, reforça que a atuação dos ACSs é de extrema importância na implementação do Sistema Único de Saúde (SUS) e na ESF.  “A atuação desses profissionais no território consolida as relações entre as equipes de saúde e a população. Através das visitas domiciliares rotineiras, seu principal instrumento de trabalho, o ACS mantém um contato permanente com as famílias, desenvolve ações de cuidado, promoção, prevenção e vigilância em saúde, baseadas em prioridades definidas conforme critérios de necessidades, vulnerabilidade e risco. Ele realiza e atualiza cadastros, orienta quanto à utilização dos serviços de saúde e mantém a equipe informada sobre a situação das famílias. Dessa forma, ele multiplica as possibilidades de vínculo e de melhoria da qualidade de vida das pessoas”, finaliza Josiane, que também é enfermeira da Família.

População: receba bem os agentes de saúde!

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 26/12/18

Contagem investe em inclusão social na Saúde e faz história

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas, abriu nessa quarta-feira (12), a Semana de Entrega das 170 cadeiras de rodas ‘padrão’

Desde 2017, a ampliação de políticas públicas para inclusão, tornou Contagem o município referência no estado na implementação políticas públicas de inserção social. Wallison Silva com sorriso e carisma é prova o quanto a inclusão é fundamental. Desde 2012, ele aguardava uma cadeira de rodas nova que contribuísse para sua acessibilidade e autonomia.

“Agradeço ao prefeito Alex de Freitas, que teve sensibilidade e retomou a entrega de cadeiras de rodas em Contagem”, afirmou Wallison. Ele foi um dos convidados que participou de uma ação que comprova o aumento de políticas públicas voltadas para a pessoa com deficiência no município.

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas, abriu nessa quarta-feira (12), a Semana de Entrega das 170 cadeiras de rodas ‘padrão’. Desde 2013, Contagem não entregava cadeira de rodas padrão. A ação tem como objetivo atenuar a fila de espera pelo equipamento. Foram atendidos usuários que precisavam de cadeiras de rodas novas, e aqueles que receberam cadeiras de rodas motorizadas, mas que precisavam de uma cadeira padrão (por ser mais leve e de fácil transporte) para irem a uma consulta, por exemplo.

Prioridades sociais

O prefeito Alex de Freitas destacou que com mais essa ação voltada para a pessoa com deficiência, o governo atende aos anseios do município. Ele ressaltou que o país e o estado sofrem as piores crises econômicas e políticas dos últimos anos, mas Contagem não fugiu da responsabilidade.

“Recebemos críticas pelas luzes de natal, porém um governo sério deve ter prioridades, e as nossas foram abrir o CER IV, reformar escolas e unidades de saúde, comprar uniforme e material escolar, fazer a entrega de cadeiras de rodas padrão e motorizadas, entre outras ações”, destacou o prefeito.

Alex de Freitas ressaltou que enquanto municípios fecham unidades de saúde ou travam investimentos, Contagem está na contramão da história. “Todo governo faz escolhas e as nossas foram pelas que atendem ao social. Mesmo sem o repasse do Estado, Contagem mantém os investimentos na saúde e educação”, finalizou Alex.

O secretário municipal de Saúde, Cleber de Faria Silva, reforçou dizendo que Contagem quebra alguns conceitos. “Primeiro, crise nem sempre significa cortes de investimentos, o município não parou de investir no que é prioritário. Segundo, que a saúde não é feita só no consultório. 170 usuários demonstram o quanto a cadeira de rodas é importante para o bem-estar social, qualidade de vida e acessibilidade, isso também é saúde”, concluiu o secretário.

Cadeiras de Rodas Motorizadas

Pela primeira vez na história de Contagem, usuários receberam cadeiras de rodas motorizadas. No total, 128 foram beneficiados. Em 2017, foram entregues 58 cadeiras, já em 2018, o número chegou a 70. O investimento da Prefeitura de Contagem é de cerca de R$ 600 mil.

Os beneficiados pelas cadeiras motorizadas receberam diagnóstico ou fazem no CCE Iria Diniz tratamento de lesão medular, paraplegia (perda de controle e sensibilidade dos membros inferiores), tetraparesia (perda parcial da motricidade nos quatro membros) e distrofia muscular.

CER IV
Localizado no bairro Europa, na Regional Sede, o Centro Especializado em Reabilitação Tipo IV (CER IV) tem capacidade para atender cerca de 700 pessoas por mês. O Centro Especializado em Reabilitação é incluído na categoria IV, por atender quatro tipos de deficiência: física, visual, intelectual e auditiva. Inaugurado em cinco de novembro, o centro foi aberto a população, após treinamento dos profissionais, em 19 do mesmo mês.

A primeira prótese de braço

Em 23 de novembro de 2018, Antônio Marinho entrou para história. Antônio foi o primeiro morador de Contagem que recebeu uma prótese de braço. O morador do Riacho aguardava a prótese desde 2015. Antônio perdeu o braço em um acidente de carro. O morador que necessita de uma órtese ou prótese deverá se encaminhar até uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 12/12/2018

 

Saúde do Homem é tema para ser tratado permanentemente

Homens não costumam procurar pelas unidades de saúde antes do adoecimento, mas esse comportamento pode favorecer mortes por cânceres, como o câncer de próstata, uma das principais causas de falecimento masculino entre homens com mais de 40 anos. O urologista é o profissional indicado para esse tipo de demanda. Em Contagem, CCE Iria Diniz oferta mais de 500 consultas mensais com esse especialista

O Novembro Azul, campanha que chama a atenção para a saúde do homem, já acabou, mas falar sobre a prevenção da saúde masculina deve ser uma atitude permanente: os homens costumam procurar as unidades de saúde somente quando enfermidades que poderiam ser prevenidas ou tratadas já se agravaram. É preciso que haja uma mudança de comportamento dos homens, para que frequentem as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e se cuidem mais.

“A consulta do homem na UBS é importante para que possam ser feitos exames que detectem doenças antes que estejam em estágios avançados”, reforça a superintendente de Atenção à Saúde (SAS), Diana Barbosa. O encaminhamento ao urologista, quando necessário, pode fazer a diferença entre vida e morte masculina. No Brasil, segundo o Inca/Ministério da Saúde (MS), um homem morre a cada 38 minutos por causa do câncer de próstata. A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que tem como principal função, juntamente com outras glândulas, produzir o esperma, e é o urologista o especialista que define junto ao paciente a melhor modalidade de tratamento caso um tumor na próstata seja detectado, de acordo com as características de cada pessoa.

Em Contagem, são ofertadas aproximadamente 560 consultas mensais com urologista no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, uma média de 140 consultas por semana. O equipamento conta com três urologistas. Um deles é o médico Carlos Fabricio Sousa de Almeida, que na semana passada concedeu entrevista ao Portal da Prefeitura de Contagem sobre o câncer de próstata (disponível AQUI ).

Homens morrem mais, diz Fiocruz

Pesquisa divulgada pela Fiocruz em 2010 revelou que “dentre as situações que mais matam o homem, até os 40 anos, estão as causas externas (violência, agressões e acidentes de trânsito/trabalho). Depois dos 40 anos, em primeiro lugar estão as doenças do coração e, em segundo, os cânceres, principalmente do aparelho respiratório e da próstata. A cada três pessoas que morrem no Brasil, duas são homens”.

Essa mesma pesquisa divulgou resultados de um levantamento feito com sociedades médicas brasileiras, antropólogos, psicólogos e integrantes de conselhos de secretários de saúde, aproximadamente 250 pessoas, que apontou que os homens não costumam frequentar os consultórios médicos (resumo dos resultados disponível AQUI  ).

Atenção, homens: sempre é tempo de se cuidar! Procure uma UBS e se informe sobre prevenção e promoção da saúde do homem!

Mutirão de vasectomia foi estendido até dezembro

Em julho deste ano, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), deu início a um mutirão de vasectomias. A vasectomia é um método contraceptivo masculino que consiste na realização de uma pequena cirurgia feita com anestesia local, sem necessidade de internação, para que o homem não possa mais gerar filhos e evite a gravidez feminina. Normalmente, são ofertadas cerca de 40 cirurgias de vasectomia e, com o mutirão, houve um incremento de mais 40 procedimentos, totalizando a abertura de 80 agendas mensais. Inicialmente, a ideia era de manter o mutirão até o mês de setembro, mas a gestão decidiu estendê-lo até dezembro. Ao final da ação, terão sido ofertadas aproximadamente 480 cirurgias de vasectomia.

UBS é a porta de entrada para o acesso à vasectomia

Os homens interessados em fazer a vasectomia devem procurar a UBS em que são referenciados e passar pela reunião de planejamento familiar, um grupo de orientação que ocorre periodicamente nas unidades de saúde, para que dúvidas possam ser tiradas e esclarecimentos possam ser feitos. Posteriormente, é feito o encaminhamento ao urologista. Em matéria publicada no Portal da Prefeitura de Contagem em agosto deste ano, o médico urologista Arley Valle Soares, um dos médicos urologistas do CCE iria Diniz, apresentou informações sobre o procedimento, inclusive sobre mitos que costumam acompanhá-lo (clique AQUI e veja a matéria).

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 12/12/2018

Trabalho dos Agentes de Combate às Endemias (ACE) na prevenção das arboviroses

Atuação dos ACEs no combate a doenças como Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela é parte importante na estratégia de enfrentamento de mosquitos transmissores de enfermidades

Filomena Cândida Duarte Silveira, 72 anos, moradora do Bairro Industrial, vive em uma casa com um lindo jardim. Em cada vaso, muita vegetação que recebe toda a atenção dessa professora aposentada e, claro, muita água. Filomena tem até uma caixa d’água coletora de água da chuva, para dar conta de molhar todas aquelas flores e plantas ornamentais.

Mas, por trás de tanta beleza, existe um perigo que pode estar escondido: se houver água empossada ou parada em algum pratinho de vaso de planta, em alguma folha que acumule água ou se a caixa d’água coletora não estiver devidamente telada, um pequeno, mas mortal inimigo pode usar esses locais para depositar seus ovos. É que a fêmea do mosquito Aedes aegypti, aquele mesmo, que todo mundo sabe que transmite doenças como Dengue, Zika e Chikungunya, pode colocar seus ovos em qualquer lugar que acumule ou contenha água parada. E é sempre bom lembrar que a Febre Amarela, doença para a qual existe vacina, que segue disponível na rede SUS / Contagem (clique AQUI e veja os endereços das salas de vacina), também é transmitida por um mosquito.

Principalmente nesta época do ano, com a chegada do período das chuvas e o calor intenso, a participação e o engajamento da população na eliminação dos reservatórios de água que possam se tornar ninhos de postura de ovos de mosquitos é fundamental. Não custa frisar que essas doenças podem até matar!

Filomena, uma senhora de muitos dotes manuais e que acumulou sabedoria ao longo de décadas de vida, sabe disso. Mas ela também sabe que está sujeita a cometer erros, como qualquer pessoa. “Eu sou humana, a gente falha”, admite. E é por isso que Filomena não hesita em receber os Agentes de Combate às Endemias (ACE) a cada dois meses. Entre as atribuições dos ACEs estão as visitas domiciliares, nas quais os agentes inspecionam os locais e orientam a população quanto à prevenção das zoonoses em geral. As zoonoses são doenças típicas de animais que podem ser transmitidas aos seres humanos, e vice-versa. Especialmente nesta época do ano, em que as chuvas se intensificam, o trabalho dos ACEs volta-se para a prevenção das arboviroses, doenças como aquelas transmitidas pelo Aedes.

Com o trabalho dos ACEs, a população visitada recebe orientações quanto à correta destinação do lixo e dos chamados inservíveis, recipientes artificiais descartados indiscriminadamente e/ou que podem acumular água, como pneus, latas, vidros, garrafas, vasos de flores e seus pratinhos, caixas d’água descobertas, cisternas, piscinas e até tampinhas de garrafa e bebedouros de animais. Atualmente, a rede SUS/ Contagem conta com o trabalho de 249 ACEs, 20 deles contratados neste segundo semestre de 2018.

Isabela Cristina é uma das ACEs responsáveis pela vistoria na região onde está localizada a casa de Filomena. “Realmente, a dona Filomena toma todos os cuidados que são importantes para evitar o acúmulo de água, E quando a gente detecta alguma inconformidade, ela sempre nos ouve com atenção e faz os procedimentos necessários para resolver o problema”, diz a agente. Isabela faz parte da equipe de ACEs que trabalham na região que são coordenados por Cintia Fernanda. “É importante criar vínculos com a comunidade e, na medida do possível, fazer com que os mesmos agentes sigam com as visitas periódicas nos locais visitados. Isso deixa o trabalho mais eficiente e eficaz”, diz Cintia. A supervisora geral dos ACEs do distrito sanitário Industrial, Edimeia Dias, completa: “O trabalho de prevenção de zoonoses, entre elas as arboviroses, é um trabalho que depende da ação conjunta de todos. Não adianta só a dona Filomena fazer a parte dela, os vizinhos e toda a comunidade também precisam, cada um, fazer a sua parte. E nós, os ACEs, estamos sempre contribuindo para isso”.

“Eu acho muito importante a visita dos agentes. Elas chegam aqui e nos alertam. A gente falha, às vezes. E elas nos ajudam a achar os erros e a evitar o perigo. Meus vasos não têm pratinho embaixo, e todos são furados embaixo, pra não acumular água. E na minha caixa d’água coletora tem duas telas, amarradas com arame”, ensina a sábia senhora, que inclusive já se vacinou contra a Febre Amarela. “Eu e todo mundo aqui em casa”, reforça.

O diretor de Vigilância e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), José de Renato de Rezende Costa, explica que o município vem sistematicamente realizando as visitas domiciliares dentro da programação dos ciclos epidemiológicos propostos pelo Ministério da Saúde (MS) e, ao mesmo tempo, monitorando semanalmente locais em pontos estratégicos do município. “Em Contagem, 100% do território está coberto pelas armadilhas chamadas “Ovitrampas”, 534 armadilhas, ao todo, espalhadas pela cidade. O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito, para que coloquem seus ovos ali. Pela quantidade de ovos, ou pela ausência deles, a SMS pode traçar ações estratégicas”, afirma José Renato, que é médico veterinário.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Carolina Brauer

Data: 12/12/2018

Ressaca e Nacional se vestem de laranja contra o câncer de pele

Dezembro encerra o ano colorindo a chegada do verão. O mês dedicado ao combate ao câncer de pele, nomeado de ‘Dezembro Laranja’ é comemorado mais uma vez em Contagem. A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu nessa terça-feira (11), na região do Nacional, a segunda edição do Dezembro Laranja – Se exponha mas não se queime.

A ação promovida pelo Centro de Consultas Especializadas Ressaca (CCE), em parceria com o Distrito Nacional, teve como objetivo promover a prevenção e alertar sobre os perigos da exposição ao sol sem protetor solar. O encontro teve como foco os Agentes de Combate as Endemias (ACE) e os Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

Em Contagem, tanto os Agentes de Endemias quanto os Agentes de Saúde recebem protetor solar. O município conta com mais de 400 ACS e cerca de 550 ACE. A gestora do CCE Ressaca, Júlia Mendes, destaca a escolha o público alvo. “Além da alta exposição ao sol, eles têm contato direto e diariamente com a população, então além de se prevenirem eles são um canal de transmissão de conhecimento”.

Mais de 100 agentes de Saúde e Endemias participaram da ação. Entre as participantes estava Fabiana Pereira. Há mais de três anos atua como Agente de Combate a Endemias, na região. Ela destacou que sempre usa o protetor solar, sobre o encontro destacou a importância para tirar alguns questionamentos. “Achei muito bom, estava sem saber a maneira correta de usar o protetor solar”.

A dermatologista do CCE Ressaca, Tissiane Gomes, palestrou e tirou dúvidas sobre a doença ao longo da ação. Voltando as questões de Fabiana, ela estava sem saber o número de vezes que se deve passar o protetor ao longo do dia. Tissiane foi enfática, “para quem trabalha boa parte do dia no sol deve passar protetor solar de três em três horas, além disso, o protetor deve ter o fator acima de 30”, concluiu a dermatologista.

Ao final do evento, os participantes ganharam um kit contendo protetor solar e dicas para cuidar da pele.

CCE Ressaca

O CCE Ressaca, localizado no bairro São Joaquim, fica em uma área central, para que possa atender as regiões do Ressaca e Nacional. Somando, as duas regionais chegam ao número de 200 mil moradores. O objetivo do CCE Ressaca é descentralizar o atendimento. Antes o morador tinha que se deslocar até o Eldorado.

A gestora do CCE Ressaca, Júlia Mendes, destaca que o empenho que a unidade de saúde empreendeu na região do Nacional. “Estamos muito felizes pela grande adesão dos usuários do Nacional, conseguimos praticamente zerar a fila de espera da cardiologia na região. Graças, também, ao empenho dos Agentes Comunitários de Saúde que zelam pela região”.

ACS e ACE

O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é o profissional responsável por atuar na promoção e prevenção da saúde, mapeando e encaminhando pessoas ao serviço de saúde. O agente participa, com as equipes de saúde e a comunidade, da elaboração, programação, avaliação e reprogramação do plano de ação local de saúde.

O Agente de Combate a Endemias (ACE) promove visitas aos imóveis e outras localidades com o objetivo de prevenir e controlar doenças como dengue, malária, leishmaniose e doença de Chagas. Participa, também, das ações de vacinação de cães e gatos para prevenção e controle da raiva.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 11/12/2018

Conselho Municipal de Saúde convida a todos para a primeira reunião ordinária nesta terça (11 de dezembro)

A participação popular é fundamental para que a sociedade possa contribuir com os processos de proposição, avaliação e fiscalização das políticas de saúde no Município

O presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS) de Contagem, Ronaldo Gontijo, e os integrantes da Mesa Diretora, convidam a todos para participar das reuniões ordinárias, que ocorrem toda segunda terça-feira do mês. A primeira será nesta terça (11 de dezembro), às 17h30, no auditório da Prefeitura de Contagem (praça Presidente Tancredo Neves, 200, bairro Camilo Alves)

A participação popular é fundamental para que a sociedade possa contribuir com os processos de proposição, avaliação e fiscalização das políticas de saúde no Município, inclusive no que diz respeito aos aspectos financeiros. Também são feitas reuniões dos Conselhos de Saúde Federal e Estadual.

Na ocasião, conselheiros (titulares e suplentes) debaterão temas de importância vital para Contagem, como a votação do Plano Municipal para o enfrentamento das chamadas arboviroses, doenças como dengue, zika e febre chikungunya.

Exerça sua cidadania e participe.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 11/12/2018

Obras na UPA Ressaca entram em fase final

Um antigo desejo dos moradores das regiões do Ressaca e Nacional está se realizando, a reforma da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Ressaca. A longa espera pela obra terminou, e desde agosto desse ano a UPA passa por revitalização completa. A UPA é uma das mais movimentadas e importantes de Contagem.

Além da Ressaca, atende também a região do Nacional. As duas regionais somam mais de 200 mil moradores. A moradora do Novo Progresso, Alexandra Rodrigues, ressaltou que aprova a obra. “Está ficando muito boa, sabemos dos transtornos, mas faz parte, quando mexemos em casa temos que quebrar primeiro para depois aproveitar as melhorias”.

O gestor da UPA Ressaca, Moisés Abreu, destacou que foram investidos cerca de R$ 340 mil na obra. Além de uma nova fachada, é realizada a pintura completa da unidade, construída uma entrada específica para ambulâncias, troca do telhado e banheiros e reestruturação completa da rede de esgoto.

Além disso, uma importante demanda dos usuários será realizada, as acrianças serão separada da ala dos adultos. Será, ainda, construído um jardim próximo a ala infantil. “A previsão que a obra será concluída em meados de abril de 2019.”, destacou Moisés.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 07/12/2018

Centro Materno Infantil também participa do Novembro Azul

O Novembro Azul é uma campanha para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata

 

Assim como cada mês do ano tem uma comemoração voltada para a saúde, em novembro não será diferente. O Novembro Azul é uma campanha de conscientização realizada por diversas entidades dirigida à sociedade e, em especial, aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Foi em prol dessa campanha que o Centro Materno Infantil (CMI) está promovendo durante todo o mês de novembro uma homenagem e também um lembrete aos pais, visitantes e profissionais que utilizam e trabalham no Alojamento Conjunto.

“Buscamos conscientizar o público masculino que temos na maternidade, que são pais, avós e tios que vêm visitar os bebes, e também os profissionais que trabalham no setor. O novembro azul é tão importante quanto ao outubro rosa, que foi  voltado para prevenção ao câncer de mama.”, disse a assistente social do Centro Materno Infantil, Érica Fernanda Elias Santana.

O Alojamento Conjunto é um local com 61 leitos destinado para as mães ficarem com o filho após saírem da sala de parto, e também, para gestante que necessita de um cuidado mais próximo antes do parto. No alojamento, os pais também ficam de acompanhantes, por isso a campanha do novembro azul está sendo feita nesse setor.

 

Repórter: Nelson Augusto

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 06/11/2018

Aumento de postos de coleta e diminuição de reclamações nos serviços de análises clínicas da rede SUS/Contagem

Com a implantação de um posto volante de coleta no distrito Vargem das Flores, rede SUS/Contagem passa a ser composta por 17 postos de coleta no âmbito da Atenção Básica, cinco a mais do que em 2017, e por 24 postos de coleta, considerando toda a rede.

 

Em janeiro de 2017, havia diversas reclamações de usuários da rede SUS/Contagem relativas ao prestador de análises clínicas de então, o Labclim. À ocasião, o município contava com 12 postos de coletas distribuídos entre os oito distritos sanitários da cidade, e também com postos de coleta nas cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e um no Hospital Municipal de Contagem (HMC). A substituição desse prestador era uma das prioridades da gestão naqueles primeiros meses de governo: entre os problemas encontrados na área da saúde, as reclamações relativas à prestação dos serviços de análises clínicas, que incluíam atrasos na entrega dos exames e resultados errôneos, eram uma das principais queixas da população.

Foi então que, em julho de 2017, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), contratou um novo prestador de análises clínicas, o grupo Santa Casa. Progressivamente, foram sendo incorporados mais postos de coleta à rede, de forma que, no primeiro semestre de 2018, a rede passou a ser composta por 16 postos no âmbito da Atenção Básica, espalhados por todos os oito distritos sanitários.

Já no segundo semestre deste ano, desde o dia 31 de outubro, a atual gestão implantou mais um posto de coleta: trata-se do posto de coleta volante do distrito Vargem das Flores. Agora, a rede SUS/Contagem passa a ser composta por esses 17 pontos de coleta e mais um posto de coleta em cada Unidade de Pronto Atendimento (UPA), um no Hospital Municipal de Contagem (HMC) e um no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, totalizando 24 postos de coleta na rede.

Na atual gestão, também passou a ser possível aos usuários acessar resultados de exames laboratoriais pela internet, através de link disponibilizado no Portal da Prefeitura (o link é este AQUI ). Essa possibilidade está vigente desde outubro de 2017. Ao fazer a coleta, o usuário recebe um protocolo, com senha e login, para ter acesso online a todos os seus resultados. Resultados de exames como hemograma, glicose, PCR, colesterol total e frações, triglicérides, creatinina, ureia, potássio e sódio são disponibilizados em até 72 horas.

Já a entrega física dos resultados ficou mais segura e organizada: em vez de os resultados serem enviados a toda a rede, o que causava riscos de extravio e tornava mais difíceis processos de trabalho, a entrega passou a ser feita no posto onde a coleta foi feita. Atualmente, os resultados podem ser retirados em qualquer posto de coleta do município, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h, na data indicada no protocolo.

Com todas essas melhorias, a quantidade de reclamações quanto aos serviços de análises clínicas caiu drasticamente: se em setembro de 2017 a Ouvidoria SUS Contagem registrou 144 reclamações relativas a análises clínicas, nos últimos seis meses a Ouvidoria vem registrando uma média de três a quatro reclamações mensais referentes a esses serviços.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 07/11/2018

Índice de Efetividade do TCE-MG aponta avanços em Contagem na Saúde, Educação e Segurança

Relatório destaca progressos significativos no Município após investimentos iniciados pela Prefeitura em 2017, na comparação com o ano anterior

 

O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) divulgou o Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), que aponta a qualidade e eficácia dos investimentos feitos pelos municípios durante um ano. Contagem obteve um resultado muito positivo, dando saltos em 2017, quando começou a gestão do prefeito Alex de Freitas.

A Educação, que em 2016 se encontrava “Em fase de Adequação (C+)”, pulou para “Muito Efetivo (B)”. A Saúde saiu de “Baixo Nível (C)” para “Muito Efetivo (B)”. No quesito Proteção das Cidades, a evolução foi de “Muito Efetivo (B)” para “Altamente Efetivo (A)”.

Os avanços nestas três áreas eram esperados com entusiasmo por Alex de Freitas. Apesar da crise econômica, agravada pelo contingenciamento de repasses a Contagem pelo governo do Estado, a Prefeitura se esforça para manter os investimentos.

Na Saúde, por exemplo, segundo dados da auditoria do TCE, a gestão municipal conseguiu importantes avanços já em 2017. A demanda reprimida foi reduzida no atendimento de média e alta complexidade da Atenção Básica. O tempo de espera para a primeira consulta caiu para no máximo 30 dias.

Várias Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) foram regularizadas, de acordo com as normas do Corpo de Bombeiros. Com isso, o atendimento mais que dobrou em 2017, quando foram atendidas mais de 360 mil pessoas.

Na atual gestão, os médicos cumprem horário integral, o que não acontecia antes. Esses profissionais passaram a receber horas extras por necessidade de serviço nas unidades em que as equipes não são suficientes.

A capacidade do Município no que se refere às internações também melhorou expressivamente. Foram registradas 26.234 no ano passado, 24 mil a mais do que em 2016. Os pacientes passaram a ter um tratamento mais adequado.

Em relação aos casos de dengue, as estatísticas são espetaculares. Em 2017 foram visitados 845.692 imóveis para fiscalização e combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, 300 mil a mais do que no ano anterior. Foram apenas 367 casos diagnosticados (sem óbito), 44.400 a menos do que em 2016, quando Contagem sofreu com um surto da doença.

SAÚDE PLENA

Sobre a gestão da saúde materna e infantil, o Município se destacou no ano passado pelos quase 10 mil testes realizados para diagnóstico de sífilis para gestantes (2 mil a mais que em 2016) e pelos quase 4 mil partos no Centro Materno Infantil, que passou a funcionar em sua plenitude.

Quanto às Unidades de Saúde que necessitavam de reparos, 47 já estão em pleno funcionamento. Restam apenas dez com problemas de infraestrutura física, que estão sendo sanados.

Por fim, Contagem ganhou pontos com o Tribunal de Contas do Estado por superar o mínimo constitucional de investimentos na Saúde (valor obrigatório que um Município deve destinar à área) e por garantir que todas as despesas fossem pagas desde o início de 2017 com recursos municipais, por meio do Fundo Municipal de Saúde.

MAIS VAGAS, PROFESSORES E INVESTIMENTO NAS ESCOLAS

Muitos investimentos são feitos na Educação desde 2017, com aumento de vagas de 0 a 3 anos

Muitos investimentos são feitos na Educação desde 2017, com aumento de vagas de 0 a 3 anos

Na Educação, o empenho da Prefeitura de Contagem não foi diferente. A organização de dados foi fundamental para garantir melhorias na gestão em 2017, haja visto que em 2016 não havia sequer o controle do número de profissionais da área em cargos efetivos ou de preenchimento temporário. Atualmente são 852 efetivos e 222 temporários.

Em 2016 também não havia registros da quantidade de ausências em sala de aula dos professores do 1º ao 5º ano (justificadas ou não). Com o novo modelo de gestão foi registrada em 2017 pelo menos uma ausência de professor por licença médica durante 84.415 dias. O diagnóstico é importantíssimo para que o Município consiga identificar o problema e possa resolvê-lo.

Para surpresa da atual gestão, a Prefeitura não tinha até 2016 registro da quantidade de recursos municipais aplicados na capacitação e avaliação do corpo docente do 1º ao 5º ano. Em 2017 foram investidos R$ 165 mil.

Muitos outros avanços foram obtidos em 2017, como o aumento do número de turmas nas creches (alunos de 0 a 3 anos), que passaram de 94 para 114. Com isso, foram 603 matrículas a mais que em 2016. As vagas integrais também aumentaram (de 67 para 101). O número de profissionais nas creches subiu de 151 para 196.

Em 2017 também foram ampliados os números de turmas, matrículas e profissionais na pré-escola e no ensino fundamental. Foram 436 professores a mais que em 2016.

O kit escolar foi entregue mais cedo no ano passado, em março. A Prefeitura aumentou a quantidade de bibliotecas dentro das escolas (de 77 para 95) e quadras poliesportivas cobertas (eram apenas quatro, agora são 61).

Outra conquista de Contagem apontada pelo TCE foi a de a Prefeitura ter passado a usar um programa específico para desenvolvimento da leitura e escrita dos alunos (Pnaic) em pelo menos 30% de toda a rede municipal, além de ter aderido ao Programa Estadual de Rendimento Escolar. O Município também aderiu a mais indicadores de qualidade para análise da educação do ensino fundamental.

NOTA A NA PROTEÇÃO DAS CIDADES

Mais perto da população, a Guarda Civil registra queda da violência

Mais perto da população, a Guarda Civil registra queda da violência

 

No quesito “Proteção das Cidades”, Contagem tirou nota máxima (A). O Município comemora a queda da criminalidade em 29,56% em 2017, na comparação com o ano anterior. Os avanços apontados pelo IEGM já tinham sido identificados pela Guarda Civil.

O IEGM é obtido por meio de informações coletadas em questionários aplicados em auditoria e enviadas ao TCE-MG pelos municípios. A essas informações são acrescentados dados extraídos do Sistema Informatizado de Contas dos Municípios (Sicom), além de outros indicadores governamentais.

 

Repórter: Patrícia Brum

Foto: Fábio Silva, Elias Ramos e Elaine Castro

Data: 26/10/2018