Posts com a Tag ‘HMC’

Profissionais da saúde arrecadam leite para doações às famílias contagenses

Está é a segunda etapa de ação solidária promovida no Complexo Hospitalar e UPA’s de Contagem para amenizar as consequências da pandemia do coronavírus.

A rede de urgência e emergência de Contagem está iniciando mais uma etapa da campanha voluntária para arrecadação de alimentos a serem doados às famílias vulneráveis do município, em meio ao momento de isolamento social que a sociedade vive. O objetivo agora é recolher caixas de 1L de leite integral e repassar às famílias dos alunos assistidos nos contraturnos escolares.

As doações podem ser feitas pelos profissionais, e quem mais tiver interesse em participar, nos postos de coletas das Unidades de Prontos Atendimentos (UPA) JK, Petrolândia, Ressaca, Sede e Vargem das Flores, do Centro Materno Infantil (CMI), do Hospital Municipal de Contagem (HMC) e a sede da Secretaria Municipal de Saúde.

Nesta fase, o IGH e da Secretaria Municipal de Saúde de Contagem, que deram início a ação solidária com doações de cestas básicas de alimento, contam com a parceria do Projeto Transformar Contagem, do Conselho Municipal dos Direitos da Infância e Juventude e do Banco de Alimentos do município. Para doar o leite, o alimento deve estar com a embalagem original, lacrada e dentro do prazo da validade.

Parceiros

Transformar Contagem é um projeto desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Contagem com o objetivo de potencializar o sentimento de solidariedade e de conectar os diferentes setores da sociedade, gerando o engajamento cívico na população da cidade através do voluntariado. O projeto está alinhado com a Agenda 2030, dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) é um órgão público municipal, de natureza colegiada, que tem por função formular a política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente em âmbito municipal.

Banco de Alimentos tem como objetivo arrecadar doações oriundas do setor público e privado. Os alimentos recebidos são selecionados por uma equipe técnica para distribuição gratuita às instituições e famílias cadastradas.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 24/06/2020

Profissionais da área da saúde participam de capacitação para aperfeiçoamento da assistência

Profissionais da saúde do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e da Secretaria de Municipal de Saúde (SMS) participaram da capacitação Lean Six Sigma no nível Yellow Belt. A capacitação tem como objetivo abordar a utilização das ferramentas de melhorias Lean e controle de projetos que estão em implementação nas unidades da rede de saúde municipal buscando a melhoria da gestão dos serviços e da qualidade na assistência à população contagense.

“A finalidade é capacitar a equipe para identificar problemas e saber como resolvê-los. Entre os benefícios, acreditamos que iniciamos um movimento capaz mudar a realidade das unidades,” destacou a coordenadora Regional de Qualidade do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), Renata Damasceno, que foi responsável pelo treinamento.

O curso teve duração de três dias e ocorreu nas Faculdades Nova e UNA, de Contagem. No total, 38 pessoas foram capacitadas e certificadas em Yellow Belt. Os belts determinam o nível de conhecimento que o profissional possui em ferramentas de qualidade. Além do Yellow Belt existem os níveis Green Belts e Black Belts.

As enfermeiras do Pronto Socorro do Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, Vanda Auxiliadora da Costa e Ludmilla Danielle Souza Oliveira ficaram admiradas com o curso. “As orientações ajudaram a abrir mais a mente e pensar fora da caixa. Temos que realmente insistir na aplicação dos processos para conseguirmos melhores resultados,” contou Vanda Costa. Para Ludmilla Oliveira é comum ao decorrer do tempo os profissionais acostumarem com as situações e estabelecerem um olhar viciado para algumas questões. “Aprendemos aqui que com a aplicação das metodologias na totalidade podemos identificar as reais causas e agirmos precisamente alcançando resultados mais eficientes,” destacou.

Aperfeiçoamento da rede de saúde

As capacitações fazem parte da rotina dos profissionais da rede de urgência e emergência de Contagem visando à melhoria da qualidade da assistência ao cidadão. No que tange a capacitação Yellow Belt os profissionais aprendem a utilizar as ferramentas para melhoria contínua dos processos internos, processos estes que em muitos casos estão desordenados ou obsoletos.

Aplicação estratégica

Atualmente, o Pronto Socorro do HMC participa do Projeto Lean nas Emergências, promovido pelo Ministério da Saúde e desenvolvido pelo Hospital Sírio Libanês (SP). As atividades estão na etapa de intervenção com visitas quinzenais das tutoras da metodologia.

O CMI e UPAs do município também estão desenvolvendo práticas das metodologias visando a melhoria dos processos internos. Unidades de saúde acreditadas seguem protocolos adotados mundialmente que visam garantir a qualidade e a segurança da assistência prestada.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 09/03/2020

Hospital Municipal de Contagem participa de capacitação do Ministério da Saúde e Hospital Sírio-Libanês

Profissionais e gestores do HMC e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) participam em São Paulo de capacitação

O “Projeto Lean nas Emergências” tem como objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS)

Profissionais e gestores do Hospital Municipal de Contagem (HMC) e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) participam nesta semana, em São Paulo, de capacitação para implementação do “Projeto Lean nas Emergências”, uma iniciativa do Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Sírio Libanês. O curso tem como objetivo reduzir a superlotação dos serviços de urgência e emergência do Sistema Único de Saúde (SUS).

O HMC foi selecionado juntamente com outros 39 hospitais do Brasil para fazer parte do quarto ciclo de treinamentos que aborda uma gestão voltada para a melhoria de processos e eliminar desperdícios e atividades de baixo valor agregado.

“O Lean tem origem no Japão, mais precisamente na produção da empresa Toyota e tem como finalidade enxugar os processos, ou seja, produzir mais com o recurso que tem. Na unidade hospitalar, a ideia é atender toda a demanda que chega ao Pronto Atendimento de forma eficiente, diminuindo o período de internação que impacta na lotação da unidade,” esclareceu o coordenador de Produção Assistencial do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), Jean Santana.

Para a coordenadora de Enfermagem do HMC, Betânia Claudiano, o projeto trará oportunidades de melhoria do processo de trabalho, otimização da mão de obra, redução de custos e, principalmente, promoção na qualidade assistencial. “Foram dois dias de intenso trabalho, muito aprendizado e troca de experiências com profissionais de hospitais de todo país. Teremos muito trabalho nos próximos meses, mas certamente colheremos bons frutos,” ressaltou.

Um diagnóstico já foi feito no setor de pronto-socorro do HMC e, a partir de fevereiro, a unidade receberá equipes do Hospital Sírio-Libanês para implementação da metodologia em Contagem com os colaboradores que participaram do treinamento.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 29/01/2020

Complexo Hospitalar e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) criam força-tarefa para atendimento às vítimas da chuva

Famílias de Contagem foram afetadas pelo deslizamento de encostas e inundações

O quadro de profissionais foi ampliado em 20% no período mais crítico registrado em Contagem

Minas Gerais vive situação de emergência em função das fortes chuvas. Os alertas da Defesa Civil ao longo da última semana mobilizaram a Prefeitura, gestores do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) e Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) do município para o estabelecimento de estratégias que agilizassem os atendimentos caso houvesse necessidade.

O grupo Força-tarefa CHC e UPAs trabalhou com as hipóteses de desastres ocasionadas pelas chuvas que repercutissem no aumento de atendimentos no Hospital Municipal de Contagem (HMC) e UPA JK, unidades localizadas nas áreas consideradas mais críticas, e traçou como medida a ampliação do quadro de profissionais em 20% na equipe assistencial. Além da convocação de outros profissionais da higienização, portaria, assistente social, TI e manutenção para apoio a assistência à saúde.

“As ações tiveram como objetivo não deixar brecha para a desassistência e dar o suporte adequado às vítimas e familiares, antecipando crises diante de uma situação inesperada” esclareceu o diretor-geral do CHC, Flávio Santos. As equipes também trabalharam para verificar a disponibilidade e reserva de insumos, equipamentos, rouparia e o que fosse preciso para uma situação atípica. Uma ambulância foi contratada para a demanda extra de pacientes.

Para receber possíveis vítimas, alguns pacientes da UPA JK foram transferidos para as demais UPAs, liberando alguns leitos. No HMC, os leitos do Hospital Dia foram reservados e preparados para caso houvesse demanda de atendimento a pacientes.

A rede de urgência e emergência de Contagem (CHC e as cinco UPAs) atendeu de sexta-feira a domingo (24 a 26 de janeiro) dez pessoas, vítimas da chuva. Uma criança veio a óbito. Devido à perda dos documentos com o desmoronamento, a equipe de serviço social do HMC auxiliou familiares nos procedimentos necessários para esta questão.

 

Repórter: Bruna Alves

Foto: Adelcio Barbosa

Data: 28/01/2020

Encontros para garantir excelência na assistência da equipe de enfermagem do CHC

O objetivo desses encontros é implementar processos de enfermagem que padronizem e deem mais qualidade no atendimento ao paciente

Buscando qualificar ainda mais a assistência prestada pelos profissionais de Enfermagem, as coordenações da categoria do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) vêm se reunindo periodicamente para implementar processos de enfermagem que padronizem e deem mais qualidade no atendimento ao paciente.

Na última segunda-feira (16), o encontrou contou com a participação da PhD em Enfermagem, dra. Tânia Couto Machado Chianca, convidada pelo Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais (Coren-MG) para palestrar a respeitos da CIPE (Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem) e Processos de Enfermagem.

“O processo de Enfermagem o tem sido definido como uma forma sistemática e dinâmica de prestar cuidados de enfermagem, que é realizado por meio de cinco etapas interligadas: avaliação, diagnóstico, planejamento, implementação e evolução,” explicou Tânia Chianca. “O registro do que é feito por estes profissionais torna o trabalho mais eficiente e dá qualidade a assistência prestada,” completou.

Participaram as coordenações de enfermagem gerais Centro Materno Infantil (CMI) e Hospital Municipal (HMC), Centro Obstétrico, Pronto Atendimento Pediátrico, CTI Neonatal, Enfermaria Pediátrica, Pronto Socorro, Bloco Obstétrico, CTI Adulto, Clínicas Médica e Cirúrgica, Núcleo de Segurança do Paciente e Educação Permanente.

“Em nossas reuniões estamos estudando e definindo quais referências teóricas e como iremos implementar um Sistema de Atendimento de Enfermagem comum para nossas unidades e profissionais,” esclareceu a coordenadora geral de Enfermagem do HMC, Betânia Claudiano. “O objetivo é que nosso serviço seja quantificado para acompanharmos o que é necessário melhorar mas também o paciente tem um atendimento excelente” reforçou.

 

 

Foto: Bruna Alves

Data: 20/12/19

Contagem celebra o Dia do Fonoaudiólogo com boas notícias para a população

Atualmente, a equipe multiprofissional conta com sete destes profissionais e três residentes na assistência para um atendimento de qualidade aos pacientes

Em 9 de dezembro, o SUS-Contagem celebrou o Dia do Fonoaudiólogo. De acordo com a resolução do Conselho Federal de categoria, o fonoaudiólogo é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico, habilitação e reabilitação funcional da deglutição e gerenciamento dos distúrbios de deglutição.

No ano de 2019, foi possível aumentar o número fonoaudiólogos na assistência do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), o que demonstra a importância deste profissional no ambiente hospitalar. Atualmente, a equipe multiprofissional conta com sete destes profissionais e três residentes na assistência para um atendimento de qualidade aos pacientes.

No Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, a fonoaudiologia atua na avaliação e reabilitação das funções da deglutição e fala dos adolescentes e adultos internados, com ampla participação nos casos clínicos graves e complexos, visando melhores resultados funcionais para o paciente.

A assistência é prestada para os pacientes internados na Clínica Médica e Cirúrgica, Politraumatismo e CTI Adulto. A maior demanda é de pacientes que apresentam distúrbios da deglutição (disfagia) em decorrência de Acidente Vascular Cerebral (AVC), Traumatismo Cranioencefálico (TCE), Doenças Neurológicas, Respiratórias e Gastroesofágicas.

No Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, as fonoaudiólogas e residentes na disciplina que atuam no CTI Neonatal têm o papel de promover o desenvolvimento motor e oral dos prematuros garantido assim o sucesso da alimentação por via oral de maneira segura e eficaz. Tratando-se de recém-nascidos, o objetivo principal é estimular o aleitamento materno e orientar gestantes e puérperas para esta atividade.

Há profissionais da área também que atendem os bebês e mães do Alojamento Conjunto e ambulatório realizando a Triagem Auditiva Neonatal (TAN). Popularmente conhecido como o teste da orelhinha, a TAN é um importante exame que deve ser feito, preferencialmente, nos primeiros 30 dias de vida do bebê, para a detecção de perda auditiva precoce.

Formada há 16 anos e trabalhando há quase oito anos no HMC, a fonoaudióloga, Carolina Galvão, relata que a escolha da profissão se deu pela vontade de ajudar o próximo e atuar na área da saúde. “Me sinto feliz por poder ajudar as pessoas e, principalmente, em sentir que o trabalho da fonoaudiologia faz diferença para os pacientes, pois reabilitamos e possibilitamos adaptações que permitem devolver aos pacientes, qualidade de vida com relação à alimentação e comunicação,” relatou Carolina Galvão.

 

Texto e Foto: Bruna Alves

Data: 12/12/2019

Complexo Hospitalar de Contagem promove a “Semana de Humanização”

As atividades tiveram o intuito de promover um momento recreativo e de relaxamento para os funcionários

Atividades foram realizadas com objetivo de promover a interação entre funcionários do Centro Materno Infantil de Contagem (CMI) e do Hospital Municipal de Contagem (HMC)

Entre os dias 11 e 12 de novembro, o Centro Materno Infantil de Contagem (CMI) sediou a “Semana de Humanização” com objetivo de promover a integração dos funcionários do CMI e do Hospital Municipal de Contagem (HMC). Nesse sentido, os servidores tiveram a oportunidade de participar de sessões de massoterapia, oficina de meditação e consciência corporal, aula de forró, além de luau ao vivo, palestra e stand-up.

Para a responsável pelo setor de Humanização, Regiane Braga, as atividades tiveram o intuito de promover um momento recreativo e de descanso para os funcionários. “O objetivo da Política Nacional de Humanização é promover ações para amenizar a situação do ambiente hospitalar, tanto para usuário, como para gestores e funcionários. É uma missão esse trabalho em saúde, então a gente propôs esse evento para eles”, concluiu.

A assistente administrativa Tatiana Moura contou que essa ação traz um momento de interação e vínculo entre os funcionários e destacou o desejo de que todos do hospital passem pelo momento de relaxamento das atividades. “A massagem corporal é muito boa, muito relaxante, tira a gente do nosso mundo de trabalho. Faz a gente ser transportada para um momento de empatia”, finalizou.

A palestra motivacional, com o tema “humanização”, ocorreu no segundo de dia evento. A palestrante Cintia Alves discorreu sobre a política de humanização e também abordou sobre afeto. “É um momento que a gente traz os trabalhadores para trocar experiências e ter discussões e para a valorização. Também para trazer uma reflexão para eles, pensarem em si mesmos, avaliarem suas relações e como é importante o afeto entre eles”, disse.

 

Texto e Foto: Lorena Campos

Data: 14/11/2019

HMC faz sensibilização para o controle de infecções hospitalares

Na data, a unidade recebeu um importante aliado para a ação: o Robô Humanoide Ozires

Buscando fortalecer uma prática simples, mas importante para o controle de infecções hospitalares – a lavagem das mãos, o Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho realizou, nos dias 28 e 29 de outubro, o Dia D – todos contra a infecção. Na data, a unidade recebeu um importante aliado para a ação: o Robô Humanoide Ozires.

Trata-se de um androide desenvolvido por meio de um projeto de pesquisa de alunos de uma faculdade mineira que vem sendo usado estrategicamente para a conscientização de boas práticas na saúde.

Durante a visita, Ozires interagiu com as pessoas, dançou tango e hip hop, tocou músicas como a Marcha Imperial (tema da série Star Wars) e fez projeções de vídeos com o objetivo de incentivar a adesão dos trabalhadores de saúde à correta lavagem das mãos.

O robô percorreu os corredores da unidade acompanhado da diretora regional do IGH, Eliana Ferreira, e da enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do HMC, Simone Tolentino. Também estava presente o professor de bioinformática e pesquisador Bráulio Couto, um dos orientadores do projeto de pesquisa que deu origem ao Ozires e demais colaboradores do HMC.

Além de profissionais de saúde, Ozires sensibilizou pacientes e acompanhantes. Alguns sorriram, outros se encantaram. Houve quem ficasse desconfiado, mas todos se surpreenderam com a inusitada visita. Muitos aproveitaram para fazer vídeos e tirar fotos.

“O DIA D foi uma ação conjunta da assistência com o objetivo de ressaltar a importância da higienização das mãos no ambiente hospitalar que também faz parte das metas da Segurança do Paciente e aumentar a adesão a esta prática a todo o momento, tanto pelos profissionais, como pelos pacientes e acompanhantes,” explicou Simone Tolentino.

Cartilhas informativas e adesivos foram distribuídos aos participantes. Nos CTIs foi realizado um “campeonato de lavagem de mãos” por plantão. Os profissionais foram observados durante as atividades de rotina e, ao longo do dia, verificado a quantidade de lavagens de mãos realizadas. “Este é um setor muito importante para o controle de infecções e suas transmissões, uma vez que encaminha os pacientes, muitas vezes com o quadro clínico delicado, para as demais clínicas do Hospital,” comentou a coordenadora do CTI, Priscila Fazzio.

 

Foto: Bruna Alves

Data:01/11/2019

Novos equipamentos modernizam a assistência no CHC

São duas autoclaves com a capacidade 700 litros cada. A antiga máquina que foi substituída tinha a capacidade de apenas 250 litros e gastava mais água durante o ciclo de trabalho

O Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) recebeu, em agosto, equipamentos modernos de uso constante na assistência à saúde de seus pacientes. Os aparelhos, que já começaram a ser instalados, visam melhorar a produção do trabalho das equipes e gerar economia de energia e água.

São duas autoclaves com a capacidade 700 litros cada. Uma das máquinas foi instalada no último mês na Central de Material e Esterilização do CHC. O equipamento é responsável por esterilizar e secar materiais de densidade como campos e roupas cirúrgicas, instrumentais e utensílios empacotados ou não, vidros, luvas, seringas, borrachas, líquidos em frascos herméticos ou não, utilizados no Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho e Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus. A antiga máquina que foi substituída tinha a capacidade de apenas 250 litros e gastava mais água durante o ciclo de trabalho.

A nova autoclave utiliza vapor saturado de água sob pressão com remoção de ar através de pulsos de vácuo com uma potência de produção três vezes a mais que a anterior. Outro diferencial do dispositivo é que ele tem display touch screen e ampla variedade de configurações, auxiliando o funcionário nas demandas apresentadas diariamente.

Os demais equipamentos são quatro focos cirúrgicos de teto, que por serem de led melhoram iluminação do campo cirúrgico para o profissional atuar, proporcionando mais segurança no procedimento.  Com design moderno, leve e de fácil movimentação, sua tecnologia fornece iluminação adequada com baixo calor. Um foco já foi instalado este mês no Bloco Obstétrico do CMI, no início do mês.

Os novos equipamentos foram doados pela CEMIG, por meio de Programa, que tem como objetivo substituir equipamentos de alto consumo energético por outros mais novos e econômicos visando a eficiência energética dos estabelecimentos hospitalares. “Estes itens são muito bem-vindos, pois irão impactar na economia de energia e água, uma vez que são mais eficientes tecnologicamente que os antigos”, explicou o coordenador da Engenharia Clínica do CHC, Milton Aparecido de Carvalho.

A instalação está sendo feita gradativamente devido a necessidades de adequações estruturais nos setores que receberam a nova aparelhagem.

 

 

 

Foto: Adelcio R. Barbosa

Data: 25/10/2019

Paciente recebe alta no HMC com nova perspectiva de vida

O paciente era morador de rua e estava internado há mais de um ano

Antônio Marques de Oliveira, 64 anos, recebeu nesta semana alta médica do Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, no bairro Eldorado. E, junto com a evolução do estado de saúde, ele começa uma nova etapa da sua vida: tem um lugar para morar e alguns amigos para visitar na unidade que ficou por mais de um ano.

O contagense era morador de rua quando chegou no HMC em agosto de 2018, apresentando sintomas de insuficiência renal aguda. Além dos cuidados assistências recebidos ao longo do tempo que esteve lá, a equipe multiprofissional se empenhou para viabilizar tudo que ele precisasse para ter uma vida digna.

“Trata-se de uma alta responsável, além de ter recebido os cuidados de saúde, o paciente teve seus direitos sociais resgatados como documentos, moradia e benefício previdenciário. Antônio Marques seguirá sua vida com autonomia e o apoio da rede do município”, explica a assistente social do Hospital Municipal, Luíza Duarte. A profissional se sente emocionada por mais um desfecho exitoso de caso social.

Ele deixa a unidade para residir em uma pensão, no bairro Novo Eldorado, e com novos documentos. Além disso, mensalmente, Antônio Marques receberá o Benefício de Prestação Continuada (BPC), cartão alimentação para uso nos restaurantes populares do município. Outra ajuda será o transporte sanitário para procedimentos de hemodiálise no Centro de Nefrologia de Contagem, no bairro Bernardo Monteiro.

“Quero continuar cuidado da minha saúde e retomar uma rotina de atividades para meu bem”, comentou o senhor, que ficou feliz em poder deixar a unidade com outra perspectiva de vida, em relação a que tinha quando chegou.

O clínico e cardiologista, Paulo Furtado, conta que “é muito bom ver pacientes deixando o hospital ainda melhores que chegaram no local e que nos casos de longa permanência, como do Antônio Marques, que não tem familiares. Sempre há uma aproximação da equipe que passa a conviver quase que diariamente com o paciente”. Segundo o profissional, esta alta social, como é chamada, é bom para o paciente, mas também para o hospital, que terá a possibilidade dar a assistência clínica a outras pessoas.

O serviço social do Complexo Hospitalar de Contagem tem sido fundamental para identificar determinantes sociais no processo saúde-doença com o objetivo de garantir o acesso à saúde e aos direitos sociais. O assistente social desenvolve ações que refletem nas expressões das questões sociais como desemprego, habitação, idosos, pessoa com deficiência, criança e adolescente e outras.

 

 

Foto: Bruna Alves

Data: 18/10/2019