Posts com a Tag ‘HMC’

Prefeitura e Rotary Club discutem parceria em projeto de atendimento odontológico

Ideia é de articular atuação da prefeitura, de uma instituição de ensino em Odontologia e do Rotary para operacionalizar uma iniciativa que complemente os serviços de saúde bucal já ofertados no município

Na quinta-feira (13), o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, e o secretário de Saúde do município, Cleber de Faria, reuniram-se com integrantes do Rotary Club para o início das conversas de formatação de um possível projeto para prestar atendimento odontológico gratuito à população, de forma a complementar a rede de saúde bucal já existente no município. A reunião ocorreu no gabinete do prefeito.

Em linhas gerais, a concepção do projeto envolve a participação do Rotary, com a cessão de gabinetes odontológicos, equipamentos compostos por cadeira odontológica e outros itens; de uma faculdade de odontologia, com a disponibilização de alunos prestes a se formar que prestam o atendimento à população, sob a supervisão de professores; e da prefeitura, com viabilização dos locais para o funcionamento dos gabinetes odontológicos.

Atualmente, a rede de Saúde Bucal do município dispõe de 38 Unidades Básicas de Saúde (UBS) com equipamentos de saúde bucal, nas quais atuam 48 equipes de Saúde Bucal (eSB). No âmbito da atenção básica, no atendimento individual, há o controle das principais doenças bucais, tais como cárie, doença periodontal (na gengiva) e câncer de boca, bem como cirurgias e atendimentos aos quadros de urgência. Já na atenção bucal especializada, a rede SUS/Contagem conta com os serviços do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) e do Hospital Municipal José Lucas Filho (HMC).

O secretário municipal de Saúde Cleber de Faria destaca os próximos passos das negociações: “vamos marcar uma visita técnica para verificar as condições dos equipamentos, para sabermos que adaptações serão necessárias. A partir daí, teremos condições de estimar quantos gabinetes odontológicos seriam necessários, substituindo equipamentos antigos e acrescentando novos equipamentos em locais que possam recebê-los”.

O prefeito Alex de Freitas ressalta que a parceria com o Rotary é muito bem-vinda, tendo o potencial de contribuir para a melhoria das políticas públicas de saúde bucal já ofertadas pelo município: “O controle passa pelos aspectos definidos pela Secretaria de Saúde para melhorar, lá na ponta, o atendimento para a nossa população, seja substituindo equipamentos que já estão antigos ou sucateados na rede, seja criando novos pontos de atendimento, em parceria com uma faculdade e o Rotary. E com a participação do Rotary, a gente ganha mais um parceiro para ajudar a fiscalizar o funcionamento dos serviços e a coibir a politicagem. As políticas públicas devem sempre ser priorizadas”, deixa claro o prefeito.

O presidente da Comissão de Fundação do Rotary Club de Contagem, Aluisio Pêgo de Oliveira, explica que o projeto trabalha com a ideia de articulação entre teoria e prática odontológica e necessidades da população. “O projeto articula a atuação de executivo municipal, universidade e o Rotary para prestar atendimento odontológico gratuito”, detalha Aluisio.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Cássio Matias

Data: 14/09/2018

Serviço de Atenção Domiciliar ajuda a contar histórias de luta e superação

Graças ao auxílio do SAD e de sua mãe e cuidadora, paciente com esclerose lateral amiotrófica segue a vida respirando com a ajuda de aparelhos e pode comemorar mais um aniversário em casa

O Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) de Contagem é um programa que tem como maior objetivo a desospitalização para acompanhamento no domicílio de pessoas apresentam condições clínicas. Clovis Douglas Rodrigues dos Santos, que completa 45 anos hoje, 10 de abril, é uma das pessoas atendidas no âmbito do SAD.

Após um histórico de sete longos anos de internação hospitalar em decorrência de um processo de paralisia dos membros, de um quadro de insuficiência respiratória e de outras limitações relacionadas à Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), ele conseguiu condições clínicas para voltar para casa e receber atendimento no âmbito do SAD. A transferência domiciliar aconteceu há aproximadamente um ano. Desde então, Clovis segue mantendo estabilidade clínica, não apresentando nenhuma intercorrência que demande sua volta para o ambiente hospitalar.

É graças ao atendimento recebido do SAD que o rapaz, que só respira com a ajuda de aparelhos, não anda e só se comunica com olhos, consegue seguir lutando pela vida e pode comemorar em casa, mais uma vez, um novo natalício, mesmo diante de uma progressão esperada para uma piora em seu quadro clínico, pois a ELA é uma doença grave, degenerativa e sem possibilidade de cura.

Para seguir vivo, Clovis precisa de ventilação mecânica para respirar, o que está sendo feito por meio de aparelhos ligados à energia durante as 24 horas do dia. Os problemas que ele enfrenta não se restringem à dificuldade na respiração, na comunicação e na locomoção: Clovis alimenta-se somente através de uma sonda.

Há aproximadamente um ano, após receber alta hospitalar porque conseguiu estabilidade clínica, o acompanhamento de Clovis pela equipe de Atenção Domiciliar segue sendo feito de forma regular. Toda semana, ele é atendido por diversos profissionais que atuam no âmbito do SAD, tais como fisioterapeutas, nutricionista, enfermeiras, técnicas de enfermagem e assistente social.

Maria José, guerreira

Mas quem está ao lado de Clovis diuturnamente é Maria José dos Santos Filha, mãe de Clovis. Diabética, 70 anos e com problemas de coluna, dona Maria José é quem cuida dele em meio ao cotidiano diário de cozinhar, arrumar, limpar e gerenciar a casa e os afazeres domésticos. No centro da sala da casa simples, na qual além de Maria José e do filho Clóvis vivem um dos cinco filhos da matriarca e um neto criado por ela, o pequeno Juan, de apenas quatro anos, a cama hospitalar onde Clovis segue sua vida dá uma ideia de como o cotidiano do lar gira em torno dos cuidados com o rapaz.

Ao lado da cama fica o aparelho respirador ligado à traqueia de Clovis, que faz as funções básicas de inspiração e expiração. De tempos em tempos, é preciso fazer a aspiração da secreção pulmonar, atividade que é feita também por dona Maria José.

Dona Maria José sempre ao lado do filho durante todos esses anos

Capacitação do cuidador é essencial

O diretor do Departamento de Atenção Domiciliar da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Joanilson Santos Guimarães, destaca que a transferência de Clovis para casa envolveu diversas capacitações voltadas à Maria José, cuidadora de Clovis, para que ela pudesse aprender técnicas de higienização de acamados, banho de leito, troca de curativos, administração de dieta e cuidados relacionados à ventilação mecânica, sinais e sintomas de alerta, entre outras condutas repassadas tanto por profissionais do HMC quanto do SAD.

“Também vale a pena destacar o trabalho de assistentes sociais e psicólogos junto à cuidadora quanto às potencialidades da assistência e o bem-estar que a assistência domiciliar proporciona ao paciente e à sua família. Merecem destaque, ainda, as intervenções de infraestrutura que foram feitas pela gestão municipal no domicílio do paciente, adequando-o a receber os equipamentos necessários”, afirma o gestor.

O médico da equipe que acompanha Clovis na assistência domiciliar do SAD, o clínico geral Fábio Modesto, relata que, durante os onze meses em que ele vem sendo assistido pelo programa, o rapaz precisou tratar apenas uma pneumonia e lesões simples de pele, problemas que devido às condições de Clovis poderiam ter ocorrido em quantidade e intensidade muito maiores se ele estivesse em um hospital. “O paciente apresentou menor número de infecções, bem como menos exames foram solicitados após ter o acompanhamento domiciliar iniciado”, diz o médico, ressaltando que isso só é possível com o trabalho de toda a equipe, composta por cerca de 15 pessoas.

A mãe de Clovis resume a luta travada junto com o filho durante todos esses anos. “Fiquei com ele sete anos no hospital. Por isso, aprendi tudo. Se não fosse isso, não ia aprender. Quando eu ia saber que essa doença existia? Se a máquina está piando (aponta para o respirador), eu vou e desentupo (aspira a secreção do pulmão). Se é alguma dor, eu vou perguntando, perguntando até descobrir onde é. Se é febre, eu dou remédio. Eu tenho a ajuda da turma aí (aponta para a equipe do SAD) e, quando eu preciso, eu ligo e eles vêm. É felicidade demais… eu pensei que não ia dar conta. Eu ouvia dizer de gente que levava para casa, que estava desempregado e não tinha uma gaze em casa para tratar da pessoa doente. Eu podia estar pedindo para ele ir embora, mas Deus não quis e eu cuido dele”, diz Maria José.

Histórico de luta

“Trata-se de uma patologia caracterizada pela degeneração progressiva de neurônios que envolvem o sistema motor em níveis bulbar, cervical, torácico e lombar, culminando com uma limitação progressiva do aparelho locomotor, em geral, preservando a capacidade intelectual e cognitiva”, atesta o diretor do Departamento de Atenção Domiciliar da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Joanilson Santos Guimarães.

A doença de Clóvis fez com que ele fosse encaminhamento para o ambulatório de neurologia do Hospital das Clínicas (HC) da UFMG ainda no ano de 2005, quando recebeu o diagnóstico de ELA e apresentou uma progressão muito rápida das limitações características da patologia. “Em janeiro de 2010, ele foi internado pela segunda vez no HC com quadro de insuficiência respiratória, tendo sido mantido com ventilação mecânica assistida. Depois de inúmeros contatos da gestão do HC com a gestão da SMS, ficou acordada a transferência de Clóvis para o Hospital Municipal de Contagem (HMC), que foi efetivada em maio de 2014”, explica Joanilson.

A transferência de Clovis para o domicílio não aconteceu de uma vez, tendo envolvido a preparação de Maria José, sua mãe, não só do ponto de vista técnico para lidar com alguns cuidados e manuseios de aparelhos em casa, mas também da perspectiva emocional. “Durante anos, a gestão técnica do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) sinalizou a transferência de Clovis para o domicílio. No entanto, existia uma grande resistência de sua mãe, cuidadora informal e acompanhante, além de alguns problemas de infraestrutura do domicílio que dificultariam a admissão de um paciente em ventilação mecânica no lar”, afirma o diretor do SAD. Para lidar com as resistências e resolver processos de infraestrutura, as equipes do HMC, do SAD e da SMS deram início a inúmeras ações para o processo de desospitalização de Clovis. “Após certificação de que a infraestrutura estava adequada e de que a cuidadora informal estava devidamente apta a desenvolver os cuidados em domicílio, ficou acertada a transferência, que se concretizou em maio de 2017”, detalha o diretor.

 
 
Repórter: Carolina Brauer
Foto: Elivan félix
Data: 10/04/2018

Novos equipamentos de anestesia proporcionam melhoria no atendimento

A prefeitura investiu R$ 370 mil na aquisição dos novos carrinhos de anestesia

Com a chegada de cinco novos carrinhos de anestesia, o Hospital Municipal de Contagem (HMC), “José Lucas Filho”, passa a ter condições de promover um número maior de cirurgias por dia. A prefeitura investiu R$ 370 mil na aquisição dos novos equipamentos que têm como objetivo oferecer para a população mais qualidade e segurança nos resultados.

Agora, o hospital conta com nove carrinhos de anestesia em funcionamento. São 8 blocos cirúrgicos. A equipe médica contará com um carrinho que vai ficar de reserva, caso algum em uso precise de manutenção. O equipamento guardado estará preparado para substituição de imediato.

O aparelho de anestesia, atualmente conhecido como Estação de Trabalho de Anestesia por suas inovações tecnológicas, é composto de vários itens integrados entre si com a função básica de administrar gases durante a anestesia inalatória.

Para o médico anestesista, Eduardo Moreira Lima, os novos equipamentos agregam mais tecnologia e melhoram a qualidade da assistência. “Para a equipe médica e para o paciente, quanto mais moderno o equipamento, mais qualidade no resultado final. Com o auxilio tecnológico é mais fácil controlar os sinais vitais, verificar as modalidades ventilatórias e saber a evolução de cada cirurgia. É importante sabermos que a gestão está atenta a isso”.

O HMC conta também com uma equipe de engenharia clínica preparada para fazer as manutenções adequadas nos equipamentos, e buscar no mercado os aparatos mais modernos.

O diretor da Engenharia Clínica, Milton de Carvalho, explica que os equipamentos são utilizados frequentemente e para que eles não sejam sucateados precisam ser avaliados periodicamente. “Nossa equipe é responsável por fazer a manutenção corretiva, preventiva, calibração e validação dos aparelhos diariamente. Além disso, somos responsáveis pela atualização do parque tecnológico e todo o tramite de aquisição de novos equipamentos em conjunto com a equipe médica. Com isso podemos garantir o perfeito funcionamento das máquinas e proporcionar um atendimento mais adequado à população”, enfatiza.

Repórter: Nayara Vianna

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 21/03/2018

Número de partos cresce 19,8% no Centro Materno-Infantil

Em novembro foi batido o recorde de nascimentos de bebês, reflexo das mudanças de gestão implantadas desde o início de 2017

De uma unidade de saúde que funcionava com apenas 30% de sua capacidade à melhor maternidade pública de Minas Gerais, em menos de um ano. Após mudanças na gestão para acabar com problemas estruturais, além de investimentos em recursos humanos, o Centro Materno-Infantil (CMI) Juventina Paula Jesus passou a funcionar com estrutura plena em 7 de agosto. De janeiro a novembro deste ano foram feitos 3.632 partos, 19,8% a mais que no mesmo período de 2016 (3.032).

Em novembro foi batido o recorde de partos no CMI desde janeiro de 2016: foram 368 procedimentos, superando os números expressivos registrados nos meses de setembro (352) e maio (342). O aumento da quantidade de procedimento é resultado de várias adequações feitas pela Secretaria Municipal de Saúde.

A enfermaria pediátrica, o CTI neonatal e a UCI/CTI pediátrica do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), que antes funcionavam nas instalações do Hospital Municipal José Lucas Filho (HMC), foram transferidos para o CMI. Salas de pré-parto, parto e puerpério (PPP) foram abertas e inaugurado o Pronto-Atendimento Infantil.

Além disso, a Casa de Apoio à Gestante e à Puérpera (Cagep) passou a funcionar em um local muito mais apropriado. Dessa forma, o CMI passou a funcionar com 100% de sua capacidade.

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas, comemora o recorde de partos. “Cada pequeno contagense que nascer aqui será do tamanho dos seus sonhos. O futuro da nossa cidade nasce aqui”, afirmou. 

O secretário Municipal de Saúde, Bruno Diniz, ressalta que os números colocam a maternidade entre as principais do Estado.

Data: 28/12/2017

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Adelcio Barbosa

Gestão apresenta retrospectiva de 2017 no Complexo Hospitalar

Cerca de dois mil servidores participam de ação que apresenta um balanço do que foi feito e do que está previsto

O ano de 2017 foi um dos mais importantes na história do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), que abrange o Hospital Municipal José Lucas Filho (HMC) e  0 Centro Materno- Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus. 

Após cerca de quase R$ 6 milhões investidos no abastecimento e melhorias no parque tecnológico, reestruturações em processos e em escalas e a implementação de uma filosofia que busca humanizar ambientes, adequando-os à legislação e oferecendo mais conforto a pacientes e trabalhadores, os problemas do hospital estão sendo enfrentados e o CHC, que vivia uma situação de sucateamento em janeiro de 2017,  se encontra bem mais  reestrurado atualmente.

Para comemorar os bons índices, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), oferece, entre os dias 13 e 15 dezembro, um café para todos os servidores do complexo. O objetivo é apresentar uma retrospectiva de 2017 no complexo, fazendo uma exposição da situação encontrada pela atual gestão há 12 meses, do que foi feito desde então e do que está por vir.

Durante esses três dias,  cerca de dois mil servidores que trabalham no complexo,  entre eles médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem  e pessoal dos setores administrativos e da limpeza, efetivos e contratados, poderão participar da ação, que foi dividida em nove sessões, para que todos os funcionários, de todos os plantões e turnos do hospital, possam ser contemplados.

O prefeito de Contagem, Alex de Freitas, destaca que houve uma mudança significativa no complexo. “Encontramos uma maternidade com apenas 30% em funcionamento ,e o hospital estava com diversos problemas estruturais. Após menos de um ano de governo, conseguimos entregar um novo complexo hospitalar para os contagenses”.

O secretário de Saúde do município, Bruno Diniz, adianta que as boas novas não param: “Ainda em dezembro, entregaremos o novo Centro de Cirurgia e Traumatologia de Contagem. Com esse novo centro, o prefeito Alex de Freitas entrega cerca de 40% do HMC revitalizado somente no primeiro ano de governo”, disse. 

“Para que todas as melhorias ocorridas durante o ano fossem implantadas, a atuação e a colaboração de cada servidor foi fundamental. A atual gestão não teria conseguido avançar tanto, em tão pouco tempo, sem as contribuições de cada um”, ressaltou o superintendente do CHC, João Pedro Laurito Machado.

Conceição Maria da Cruz trabalha na limpeza do hospital há dois anos e vem acompanhando todas essas mudanças: “Houve uma melhora enorme”, afirma a servidora, contratada por uma empresa prestadora de serviços.

 O otorrinolaringologista e coordenador do Serviço de Otorrinolaringologia do HMC, Rodrigo Fantauzzi, há 11 anos atuando no hospital, frisa a importância da garantia de acesso aos serviços de saúde. “Estamos lidando com expectativas de pessoas que contam com a nossa atuação para a resolução dos problemas que chegam ao consultório, ao bloco cirúrgico. Contamos com a disponibilidade de todos os insumos e equipamentos necessários para resolver esses problemas, e é muito gratificante ver como a vida das pessoas pode melhorar graças a esse acesso”, explica o médico.

before

Ação ocorre durante três dias Mais  melhorias

Mais melhorias

Ao longo do ano, houve uma melhoria geral nos indicadores do hospital, como o aumento de cerca de 25% das internações hospitalares quando são comparados os anos de 2016 e 2017: de janeiro a outubro de 2016, 1.117 internações foram feitas; já em 2017, no mesmo período, 1.761 cidadãos com necessidade de internação e cirurgia de urgência/eletiva encaminhadas por Unidades de Pronto Atendimento (UPA) ou que estavam na fila de espera da Regulação puderam ser internados.

Foram feitos milhares de partos e de exames de média e alta complexidade, como tomografias, ressonâncias, ultrassons e endoscopias. Dez leitos de CTI que estavam interditados foram reabertos, e um novo prestador de análises laboratoriais foi contratado.

A enfermaria pediátrica, o CTI neonatal e a UCI/CTI pediátrica do complexo, que antes funcionavam nas instalações do HMC, foram transferidos para o CMI, que conta com ambiência mais preparada e humanizada para atender aos pequeninos. Salas de pré-parto, parto e puerpério (PPP) foram abertas e houve, ainda, a inauguração do Pronto Atendimento Infantil. Além disso, a Casa de Apoio à Gestante e à Puérpera (Cagep) passou a funcionar em um local muito mais apropriado. Dessa forma, o Centro Materno passou a funcionar com 100% de sua capacidade instalada, ante os 30% encontrados em janeiro deste ano.

A quantidade de leitos disponíveis em todo o complexo aumentou dos 199 encontrados no início do ano para os 360 atuais, e a meta é chegar a 408 em 2018.

O complexo hospitalar recebeu, ainda, obras de drenagem de água pluvial, melhorias no sistema de ar condicionado, subestação de tratamento de esgoto e no sistema de oxigênio, além de melhorias na limpeza e na alimentação dos pacientes.

 Data: 14/12/2017

Repórter: Carolina Brauer e Lucas Santos

Fotos: Adelcio Barbosa

Mais 60 leitos são entregues no Hospital Municipal de Contagem

O secretário de Saúde de Contagem, Bruno Diniz, acompanhou o vice-prefeito William Barreiro na visita técnica que marcou a entrega dos leitos. Assim o Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) chega a 360 leitos, praticamente dobrando sua capacidade em relação ao início do ano, quando havia apenas 199 leitos. A meta é chegar a 400 leitos até janeiro de 2018.

Data: 05/12/2017

Fotos: Adelcio Barbosa

Mais sessenta leitos são abertos no Hospital Municipal

Complexo hospitalar saiu de 199 leitos para 360 em apenas 11 meses, meta é chegar a 400 em janeiro de 2018

 O vice-prefeito de Contagem, William Barreiro, representando o prefeito Alex de Freitas, entregou nesta terça-feira (21) 60 novos leitos de enfermaria no Hospital Municipal de Contagem. Com investimentos em torno de R$ 2 milhões, os novos leitos receberão pacientes que passaram por cirurgias. Essa entrega da  continuidade a um novo tempo para a saúde no município.  

O secretário de Saúde de Contagem, Bruno Diniz, acompanhou o vice-prefeito William Barreiro na visita técnica que marcou a entrega dos leitos. Assim o Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) chega a 360 leitos, praticamente dobrando sua capacidade em relação ao início do ano, quando havia apenas 199 leitos. A meta é chegar a 400 leitos até janeiro de 2018.

Desde que assumiram o governo, Alex e William determinaram que a saúde seria uma das prioridades de governo, ao lado da educação e mobilidade. Essa é a primeira obra de reestruturação completa do Hospital Municipal de Contagem em 14 anos.  Com a entrega dos 60 leitos, 25% do hospital já foi revitalizado. Em dezembro, o percentual de reestruturação do hospital chegará a 40%, com a entrega do novo Centro de Cirurgia e Traumatologia de Contagem. 

O vice-prefeito de Contagem, William Barreiro, destacou os avanços da saúde em apenas 11 meses de governo. “Ao entrar no Hospital, me deparei com um cenário completamente diferente. Ao longo da minha carreira como vereador, visitava frequentemente o espaço, ele era um lugar desumano. Estamos fazendo um esforço para entregar um novo complexo para os Contagenses”, disse o vice.

O secretário de Saúde Bruno Diniz frisou que as mudanças vão além de novos leitos. O CHC passou por obras de drenagem de água pluvial, melhorias no sistema de ar condicionado, limpeza, alimentação dos pacientes, subestação de tratamento de esgoto e alimentação de oxigênio.

“O contagense encontrará um Complexo Hospitalar renovado após o mandato de Alex de Freitas e William Barreiro. É um marco para a cidade ter seu hospital sendo 100% revitalizado. Para isso, a saúde recebeu um aporte financeiro de R$ 40 milhões a mais em relação aos outros anos”, ressaltou Bruno Diniz.

Data: 22/11/2017

Repórter: Lucas Santos 

Fotos: Adelcio Barbosa

Comitiva visitou um dos 60 novos leitos que serão inaugurados no Hospital Municipal

O secretário de Saúde, Bruno Diniz, acompanhado do presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Contagem, vereador Wellington Ortopedista, visitou nesta quarta-feira (8), as obras do Hospital Municipal de Contagem (HMC). A previsão é que, ainda neste mês, mais 60 leitos estejam à disposição dos cidadãos contagenses.

A prefeitura de Contagem juntamente com a secretaria de Saúde investe na saúde para adequar os serviços aos usuários e oferecer um atendimento digno aos cidadãos.

Fotos: Adelcio Barbosa

Mais 60 leitos para atender cidadãos no Hospital Municipal

Inauguração dos novos espaços está prevista para o próximo dia 21 de novembro

O secretário Municipal de Saúde, Bruno Diniz, acompanhado do presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Contagem, vereador Wellington Ortopedista, visitou nesta quarta-feira (8), as obras do Hospital Municipal de Contagem (HMC). Desde o início da gestão do prefeito Alex de Freitas, o hospital passa por obras de revitalização e reconstrução das alas. No dia 21 de novembro, (terça-feira), serão entregues mais 60 novos leitos no HMC. 

O secretário de Saúde, Bruno Diniz, ressaltou ainda que Contagem, até o fim do ano dobrará o número de leitos no hospital, passando de 199 para 400. “A nossa meta é chegar a 550 leitos até 2019”. Além de investimentos na estrutura, houve também o reforço no corpo clínico. “Combatemos o déficit de funcionários no HMC, contratamos profissionais para ampliar o atendimento”, explicou. 

Em apenas 10 meses, quase metade da estrutura do HMC recebeu ou ainda passa por alguma melhoria. Bruno Diniz destaca que já foram investidos mais de R$ 7 milhões em obras e R$ 8 milhões para aquisição de equipamentos. “Isso só foi possível devido a um grande esforço do prefeito Alex de Freitas, Secretaria de Saúde e Câmara. Alex de Freitas repassou R$ 40 milhões a mais para o orçamento da saúde”, concluiu o secretário.

O presidente da Comissão de Saúde, vereador Wellington Ortopedista, destacou os avanços e o empenho do governo do prefeito Alex de Freitas com a área da saúde. “Enquanto outras cidades têm dificuldade, fechando unidades de saúde, a Prefeitura de Contagem planeja a reforma de 100% do Hospital Municipal de Contagem”, disse. 

Data: 09/11/2017

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Barbosa