Posts com a Tag ‘Complexo Hospitalar’

Capacitação de ortopedia fortalece habilidades de profissionais do Complexo Hospitalar

Unidade realiza mais de 150 procedimentos cirúrgicos ortopédicos por mês

Cirurgiões e instrumentadores do Centro Cirúrgico do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) participaram de um workshop para fortalecer as habilidades na utilização das novas caixas de OPME (Órteses, Próteses e Materiais Especiais) usadas durante as cirurgias ortopédicas.

O complexo é responsável por mais de 150 procedimentos cirúrgicos, eletivos e de urgência, no mês. Deste número, a maioria são casos ortopédicos. “Hoje, o Centro Cirúrgico da unidade é referência de traumatologia. Desta maneira, além de contar com uma equipe preparada, é essencial possuir materiais de qualidade”, ressaltou a coordenadora do Centro Cirúrgico do CHC, Natalia Nascimento.

O treinamento foi realizado no auditório do Centro Materno Infantil (CMI). Para o coordenador da Ortopedia, Leonardo Eustáquio Vaz Amaral, o conhecimento acerca do material é imprescindível para aprimorar a técnica, o que garante uma assistência de qualidade à população que depende do serviço.

Os OPME podem ser permanente ou transitório, utilizados para auxiliar as funções de um membro e até substituir partes do corpo, evitando deformidades ou sua progressão ou, ainda, compensar insuficiências funcionais. São equipamentos importantes para as assistências ortopédicas.

 

 

 

Foto: Bruna Alves

Data: 08/08/2019

 

 

 

 

Para evitar acidentes de trabalho com perfurocortantes, colaboradores da Saúde participam de palestra

Os palestrantes apresentaram alguns conceitos importantes sobre acidente de trabalho

A capacitação de funcionários do Complexo Hospitalar e UPAs foi no auditório da Maternidade Municipal

Colaboradores do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do município participaram, de 9 a 11 de julho, de uma palestra sobre a saúde do trabalhador, com o objetivo de sensibilizá-los sobre os acidentes com perfurocortantes. As orientações foram ministradas pela diretora do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Contagem, Fátima Brant; Alex Anselmo, referência em Vigilância em Saúde do Trabalhador; e o médico do trabalho do Cerest, Sávio Henrique Teixeira Silveira.

Durante a capacitação, no auditório da Maternidade Municipal, os palestrantes apresentaram alguns conceitos importantes para que os profissionais do Hospital e Maternidade se identificassem com as possíveis situações de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. “Nosso objetivo é promover a saúde do trabalhador. Queremos que ele conheça quais são os agravos para o bem-estar e faça as notificações corretamente quando existir incidentes, para que possamos juntos desenvolver ações preventivas que minimizem os impactos que os acidentes de trabalho causam tanto para quem exerce uma função como para o Sistema Único de Saúde”, destacou Fátima Brant.

Segundo dados apresentados pelos representantes do Centro de Referência de Contagem, o Brasil é o quarto país com maior índice de acidentes de trabalho. São mais de 14 mil casos de invalidez por ano. Entre 2012 e 2017 foram notificadas 2.022 mortes de trabalhadores formais em função do trabalho.

Notificações

Alex Anselmo explicou como funciona a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (Renast) e destacou documentos importantes que dão garantias à saúde e segurança dos indivíduos em exercícios de suas atividades laborais: Portaria 1.823/2012 – Política Nacional de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora; Portaria 204 e 205/2016 – lista nacional de doenças e agravo; Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), dentre outros.

“As notificações são peças fundamentais para que sejam criados argumentos e desenvolvidos planos de ações que visem a melhoria da saúde do trabalhador. É preciso que estes documentos tenham informações completas e claras para que o acidente seja registrado de forma eficaz,” completou Alex Anselmo.

O palestrante também ressaltou que desde maio as UPAs de Contagem ofertam a Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) para os profissionais que acidentaram com material perfurocortante ou tiveram contato com material biológico. Até então, esse atendimento era realizado apenas na UPA JK.

A capacitação é uma ação conjunta dos Núcleos de Biossegurança e Educação Permanente do Complexo Hospitalar de Contagem, Instituto de Gestão e Humanização (IGH) e Cerest Contagem/MG.

 

 

 

Foto: Divulgação

Data: 16/07/2019

 

“Cuidando de Quem Cuida” dá orientações aos acompanhantes de pacientes da pediatria do Centro Materno Infantil

São momentos de relaxamento, roda de conversa, reflexões, escuta das necessidades, acolhimento e orientações sobre os serviços da unidade

Mãe, pai, avó ou avô, tia ou tio. Alguém sempre deve acompanhar as crianças internadas na pediatria do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, em Contagem, zelando pela saúde e segurança dos pequeninos. Em meio à rotina de presenciar os procedimentos ambulatoriais, conversar e brincar, os acompanhantes desses pacientes participam, desde junho, nas tardes das terças e quintas-feiras, das atividades do projeto “Cuidando de Quem Cuida”.

São momentos de relaxamento, roda de conversa, reflexões, escuta das necessidades, acolhimento e orientações sobre os serviços da unidade, entre outras ações que duram menos de 30 minutos, nas enfermarias da pediatria. “As atividades são desenvolvidas pela equipe multiprofissional com objetivo de deixar mais leve o dia e reforçar sobre os direitos e deveres do acompanhante,” explica que o coordenador da equipe multiprofissional do Hospital Municipal, Gradyston Malta.

Nesta semana, os familiares do paciente Davi Sena de Oliveira, de 5 anos, receberam a visita da terapeuta ocupacional Handula Janine Simões. Ela deu esclarecimentos sobre a importância do brincar para o desenvolvimento das crianças e informou sobre a atividade semanal, coordenadas pelas residentes em terapia ocupacional.

A mãe de Davi, Flávia Cristina Pereira Justina de Sena, e o avô do garoto, Geraldo Hélio de Oliveira, gostaram das pontuações feiras pela especialista e elogiaram a proposta do projeto. “Estes momentos são bons para tirarmos dúvidas e reforçarmos a prática de algumas ações para o desenvolvimento da criança”, destacou Geraldo.

A assistente social Nayara Antonacci também esteve nas enfermarias da pediatria apresentando os horários dos atendimentos do setor de psicologia e detalhes sobre o serviço na unidade.

O projeto foi iniciado na clínica médica do Hospital Municipal, em maio, a partir das 11h de terças e quintas-feiras, no solário ou no auditório. A recepção positiva dos participantes motivou expandir a proposta para a internação da pediatria. Futuramente será executado em outros setores do Complexo Hospitalar de Contagem e nas Unidades de Pronto-Atendimento.

 

Foto: Divulgação

Data: 05/07/2019

Profissionais de Saúde recebem capacitação para tratamento de caxumba, rubéola, sarampo e febre maculosa

Secretaria de Saúde ofereceu curso para aperfeiçoar os atendimentos aos pacientes que apresentem sintomas dessas doenças

A Secretaria de Saúde promoveu, na sexta-feira (7), um curso de capacitação para os profissionais das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC). As equipes receberam orientações e diretrizes para os atendimentos aos pacientes que apresentarem os sintomas da febre maculosa, sarampo e caxumba.

A médica infectologista Tânia Marcial destacou quais ações devem ser realizadas se chegarem casos de pacientes com suspeita de febre maculosa, que está ocorrendo principalmente no bairro Nacional: “Os exames de laboratório que devem ser solicitados e coletados, além da classificação do paciente para que possa começar o tratamento com antibiótico, para evitar que a pessoa evolua para as formas mais graves da doença”, afirma.

O diretor de Vigilância e Controle de Zoonoses, José Renato de Rezende Costa, explicou as medidas que estão sendo tomadas, juntamente com a Prefeitura de Belo Horizonte, sobre o surto de febre maculosa na regional Nacional: “Além de combater os carrapatos no terreno, com aplicação de cal, estamos pulverizando os cavalos com carrapaticida”.

Segundo a coordenadora de Enfermagem do Complexo Hospitalar, Betânia Claudiano de Oliveira, é relevante para os profissionais esse tipo de capacitação. “Estamos vivendo um momento em que várias doenças temáticas estão em evidência, então esse treinamento veio para fortalecer e capacitar, a ponto de termos uma equipe qualificada na ponta para fazermos os atendimentos e diferenciar essas doenças”, declara.

O gerente-geral da UPA Vargem das Flores, Wanderson de Oliveira, também aprovou a iniciativa da Secretaria de Saúde, ainda mais para os profissionais das UPAs que recebem um fluxo de pessoas muito grande diariamente. “Nós recebemos por dia 400 pacientes e entre eles pode haver algum paciente com suspeita de maculosa ou de sarampo. Essas capacitações são essenciais para a nossa equipe. Sempre”, conclui.

Fique atento aos sintomas

Em caso de apresentar quaisquer sintomas de febre maculosa, caxumba ou sarampo, é recomendado que o paciente procure a Unidade de Saúde mais próxima para que o tratamento possa ser administrado o quanto antes. Lembrando que a Unidade Básica de Saúde do Nacional é referência no tratamento dos pacientes com suspeita de febre maculosa da região.

Sintomas da febre maculosa

· Dores locais nas articulações, no abdômen ou nos músculos

· Febre, calafrios ou perda de apetite

· Náusea ou vômito

· Erupções na pele ou manchas vermelhas

· Dor de cabeça, erupção nos pés e nas mãos, sensibilidade à luz ou vermelhidão nos olhos

Sintomas do sarampo

· Manchas avermelhadas na pele, que começam no rosto e progridem em direção aos pés

· Febre

· Tosse

· Mal-estar

· Conjuntivite

· Coriza

· Perda do apetite

· Manchas brancas na parte interna das bochechas

Sintomas de caxumba

· Inchaço e dor nas glândulas salivares, podendo ser em ambos os lados ou em apenas um deles

· Febre

· Dor de cabeça

· Fadiga e fraqueza

· Perda de apetite

· Dor ao mastigar e engolir

Sintomas da rubéola

· Febre até 38ºC

· Secreção nasal, tosse e espirros

· Dor de cabeça

· Mal-estar

· Gânglios aumentados, especialmente próximos ao pescoço

· Conjuntivite

· Manchas vermelhas na pele que causam coceira

 

Repórter: Milla Silva (sob orientação de Lucas Santos)

Foto: Fábio Silva 

Data: 10/06/2019

Semana da Enfermagem homenageia profissionais por meio do conhecimento

Auxiliares, técnicos e enfermeiros do Complexo Hospitalar e das UPAs têm programação especial para celebrar a profissão

Durante a 16ª Semana da Enfermagem, de 13 a 18 de maio, os profissionais lotados no Complexo Hospitalar e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Contagem estão participando de palestras, dinâmicas e intervenções culturais com objetivo de celebrar a profissão. Em 2019, as unidades trabalham o tema “Segurança do Paciente, Metas Internacionais”, mas também conteúdos para o desenvolvimento pessoal.

Segundo a coordenadora de Educação Permanente, Ana Paula Reis, a programação vem reforçar conhecimentos que os profissionais já aplicam na rotina para garantir a segurança do paciente. “Além disso, é muito importante para todos nós celebrar o aniversário da precursora da enfermagem, Florence Nightingale, e nosso trabalho diário de cuidarmos do próximo, redobrando o saber de práticas positivas”, destaca.

No primeiro dia de atividades, as unidades Vargem das Flores, Sede e JK receberam as coordenadoras regionais de Educação Permanente, Ana Paula Reis, da Segurança do Paciente, Sara Regina, e da Qualidade, Marina Mamede, para um momento reflexivo e interativo sobre as seis metas da Segurança do Paciente preconizadas na política de saúde mundialmente. São elas:

· Identificar o paciente corretamente;

· Melhorar a comunicação efetiva;

· Melhorar a segurança da medicação;

· Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto;

· Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde – higienização das mãos;

· Reduzir o risco de lesões e quedas ao paciente;

Para a técnica de enfermagem da UPA JK, Maria José Silva Cardoso, foi muito positivo este momento de aprendizado e descontração: “É muito bom comemorar o Dia do Enfermeiro, pois é a profissão que amo. Espero que todos nós enfermeiros possamos pensar melhor sobre nossa dedicação e cuidado, colocando-se no lugar do outro para um atendimento de qualidade”.

A programação da 16ª Semana da Enfermagem prossegue, na terça-feira (14), nas UPAs Ressaca e Petrolândia e, de quarta (15) a sexta-feira (17), no Complexo Hospitalar. No sábado (18), haverá um simpósio durante todo o dia para fechar as atividades em homenagem aos auxiliares e técnicos de enfermagem e enfermeiros.

 

Foto: Divulgação

Data: 14/05/2019

Residência médica prepara profissionais para o mercado de trabalho e para a vida

Formandos da Residência Médica do Complexo Hospitalar de Contagem comemoraram etapa alcançada

“Prometo que, ao exercer a arte de curar, me mostrarei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência…” Esse trecho do juramento de Hipocrátes, cunhado mais de 2 mil anos antes de Cristo, simboliza bem o papel da medicina. Papel que passarão a cumprir os 14 formandos da Residência Médica do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC).

A solenidade foi realizada pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, na quinta-feira (31), na Casa do Rotariano de Contagem. Os médicos se especializaram em Ginecologia Obstetrícia, Pediatria, Cirurgia Geral e Clínica Médica. A Residência Médica é uma das etapas necessárias para a especialização do profissional após a conclusão do curso de medicina.

A oradora da turma, Isabella Campanema, não escondeu a emoção. Os meses de intenso trabalho, as horas longe da família foram recompensadas. À turma que a acompanhou nesse período, ela deixou um belo recado: a necessidade de um apoiar o outro. “Aprendemos que na medicina não é um só”, destacou Isabella.

Segundo o subsecretário em Gestão em Saúde da SMS, Maurício Rangel, a saúde está em constante transformação, e Contagem avançou muito no governo Alex de Freitas. “A estrutura que temos na saúde, atualmente, torna Contagem referência na região, aumentando a procura pela residência no CHC. Cerca de 600 pessoas disputam as 17 vagas de residência para a próxima turma”, conclui Maurício Rangel.

O diretor-geral do Complexo Hospitalar de Contagem, João Pedro Laurito, reforça as melhorias na saúde. “Inauguramos um novo bloco cirúrgico, maternidade com 100% de funcionamento, trocamos equipamentos, tudo isso facilita para a chegada dos residentes”, aponta João Pedro Laurito.

Residência

Uma das formas de atuar na formação dos quadros que irão compor a rede SUS/Contagem é oferecer programas de especialização em diversas especialidades. Mas somente hospitais habilitados pelo Ministério da Educação (MEC) podem oferecer especializações reconhecidas como residência médica, e é preciso atender a uma série de critérios para obter esse reconhecimento, como é o caso da residência médica oferecida pelo CHC.

 

Repórter: Lucas Santos 

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 01/02/2019

Prevenção ao Suicídio é tema de palestra no Complexo Hospitalar

A psicóloga Vivian Zicker, coordenadora do Grupo de Apoio a Enlutados por Suicídio da UFMG (Gaes), destacou a importância da abordagem correta ao paciente suicida na prevenção de novos casos

O suicídio ainda é um tabu em nossa sociedade. Mas os números sobre os casos de suicídio no Brasil e no Mundo mostram que o assunto merece ser tratado com a maior transparência possível. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (ONU), foram 804 mil casos em todo o mundo em 2012 e 32 por dia somente no país. Dentro da campanha do Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio, uma palestra, no auditório do Centro Materno Infantil, na última segunda-feira (17), abordou o tema para os profissionais de saúde do Complexo Hospitalar de Contagem. A psicóloga Vivian Zicker, coordenadora do Grupo de Apoio a Enlutados por Suicídio da UFMG (Gaes), destacou a importância da abordagem correta ao paciente suicida na prevenção de novos casos.

“O primeiro atendimento dos profissionais de saúde vai ser fundamental para o resto da história de vida do paciente”, explica a psicóloga, membra da Associação de Suicidologia da América Latina e Caribe. “O paciente não deve ser tratado como uma pessoa que quer chamar a atenção, um fraco, egoísta. Tem de se tratar um transtorno mental, uma doença como qualquer outra, com a diferença de que não há um exame para provar sua existência.”

Na palestra, a suicidóloga Vivian Zicker apresentou as principais características psicológicas de um suicida e orientou os profissionais de saúde quanto à importância da detecção do sofrimento do paciente naquele momento e a melhor maneira de se abordar um paciente nessas condições. “A informação é muito importante para que o profissional de saúde possa saber como conduzir corretamente o paciente no atendimento inicial e posteriormente no tratamento”, destaca a psicóloga.

No Hospital Municipal de Contagem são realizados, em média, cerca de 60 atendimentos a pacientes suicidas por ano. O paciente é acolhido pela equipe do Pronto Socorro, passa por uma avaliação psicológica e, a partir daí, é encaminhado ao Centro de Atendimento Psicossocial (CAP) do município para análise psiquiátrica e tratamento.

O Complexo Hospitalar de Contagem conta com uma equipe de psicologia para atendimento aos pacientes. São três profissionais no Hospital Municipal: Ana Flávia Pereira Alves, Gabriela Mokarin e Katiúscia Caminhas Nunes, mais a estagiária Júlia Rocha. A Maternidade Municipal conta com outra equipe: Deise Lúcide, Cecília Magna Machado, Noriene Sartori e a residente Stephane.

“A palestra proporcionou capacitação aos profissionais de saúde para uma melhor abordagem ao paciente suicida. O acolhimento à pessoa que tentou suicídio é fundamental durante a assistência hospitalar, pois, se realizado com segurança e empatia, possibilita uma melhor aceitação e adesão ao tratamento”, destaca a psicóloga Ana Flávia Pereira Alves.

 

Repórter: Eugênio Moreira

Foto: Eugênio Moreira

Data: 18/09/2018

Voluntários levam solidariedade, apoio e alegria aos pacientes do Complexo Hospitalar de Contagem

Em comemoração ao Dia Nacional do Voluntário conheça a história de pessoas que dedicam parte de suas vidas em ajudar o próximo

 

“Recebo mais do que dou”. Esta é uma frase muito comum vinda de voluntários, seja em atuação individual, em equipe ou por meio de uma entidade. Em Contagem, principalmente na área da Saúde, pessoas dedicam parte de suas vidas em ajudar o próximo, levando solidariedade, conforto e alegria àqueles que precisam no momento. Nesta terça-feira (28), em comemoração ao Dia Nacional do Voluntário, a doula Rosângela Maria Divina e o grupo Doutor Palhaço contam um pouco de sua história atuando como voluntários na Maternidade Municipal Juventina Paula de Jesus e no Complexo Hospitalar.

Rosângela Maria Divina é uma das 34 doulas que dedicam horas de um dia na semana para levar confiança e carinho às pacientes em trabalho de parto e puérperas (pós-parto) num  momento muito esperado, de expectativa e muitas vezes de aflição. Ela atua como doula há 12 anos, portanto, quando teve seu casal de filhos, em dois partos normais, na maternidade não havia a figura da doula, e nem o marido podia entrar na sala de parto. “Eram outros tempos, a medicina e a área da Saúde evoluíram, agora a vontade e a atitude de ajudar ao próximo vêm sendo bem difundidas e cultuadas.”, diz.

‘Mulher que serve’

A palavra Doula significa “mulher que serve” e, atualmente, é aplicada às mulheres que auxiliam física e emocionalmente as gestantes antes, durante e após o parto. A Maternidade de Contagem oferece capacitação para quem quer ser doula. O trabalho voluntário, segundo informou Rosângela Divina, passa por massagens, aquecimento na banheira ou no chuveiro e exercícios diversos, alguns incluindo a bola de pilates, para facilitar o encaixamento do bebê.

“É um momento de entrega por nós, doulas, para deixar a gestante confiante e estimular o seu corpo a trabalhar antes do parto, inclusive, facilitando o preparo para o parto normal”, complementa Rosângela. De acordo com ela, muitas atuam de forma conclusiva, pois se o parto demorar mais que a escala de 12 horas, muitas ficam com a mãe até o bebê nascer, além de incentivar e orientar sobre a amamentação tranquila e demais cuidados com a mãe e com o bebê.

Segundo a psicóloga e coordenadora do projeto “Doulas Voluntárias – Mulheres que Ajudam”, Cecília Magna Machado, o que diferencia esta atuação da equipe técnica médica para o parto, é que “a doula faz um acompanhamento contínuo, dando ênfase à questão física e o apoio emocional. E o objetivo é criar um clima de tranquilidade, respeito e de humanização, inclusive com o pai da criança”. Em 2006, o projeto  foi criado e aberta a primeira qualificação para a doula na maternidade.

Palhaços levam alegria e conforto

“Doutor Palhaço” é o nome do grupo de uma Capelania Hospitalar que leva aos sábados a alegria e a diversão aos corredores e leitos do Complexo Hospitalar de Contagem, na maternidade, alas da pediatria, de adultos, CTI, sala de transição, entre outros.

Quando estes voluntários chegam, o clima do hospital muda, pois se sabe que lá vem risos, música, às vezes balões e mensagens sobre a esperança cristã, sempre uma forma de ação voluntária de solidariedade e de amor aos enfermos. Nas datas comemorativas, a alegria e a diversão são bem contagiantes. Os palhaços no geral são símbolo de alegria e o jeito engraçado e mágico começa pelos nomes: dra. Pituka; dr. Tic Tic; dr Lamparina. Todos recebem a capacitação para atuarem no ambiente de hospital.

Segundo a coordenadora do grupo Doutor Palhaço de Contagem, Patrícia Karla Fontes Bergerhoff, a atuação do grupo foi tão bem-vinda, que foi autorizado o acesso dos palhaços ao CTI e à sala de transição. “Na sala da pediatria foi criada uma espécie de clínica, onde os palhaços vestidos de doutores fazem uma primeira consulta com as crianças, tornando a ida ou a permanência dos pequenos ao hospital menos dolorosa”, disse.

“Já vimos expressões das crianças mudarem neste local. Até chegarem à consulta propriamente dita com pediatra, elas ficam menos abatidas, mesmo em casos de dor e febre”, informou Patrícia. Nesta sala especial, o Doutor Palhaço, com o jaleco branco, entrega um nariz igual ao dele à criança, aconselhando-as a obedecerem aos pais, se alimentarem bem e tomarem os remédios direitinho. “Os pediatras aprovam este primeiro momento, já que as crianças ficam na espera para a sua vez com seus pais e toda espera é de expectativa e, muitas vezes, extenuante”, completou.

Também na Sala de Transição, quando o acamado sai de uma situação mais fragilizada pós CTI, os palhaços levam a sua alegria contagiando as pessoas com a suas mensagens de amor e fé. Informações em cartazes, bate-papo sobre o dia lá fora e amenidades também animam o enfermo. Segundo Patrícia Bergerhoff, o grupo atende em várias cidades da região metropolitana e foi fundado em 2011 pelo artista circense Bruno Barroso.

 

Repórter: Noeme Ramos

Foto: Divulgação

Data: 28/08/2018

Sucesso entre os servidores da Prefeitura, Ginástica Laboral é implantada no Complexo Hospitalar

Com o intuito de ampliar o projeto, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com o Núcleo de Incentivo à Cidadania (NIC) inaugurou nesta terça-feira (21), mais uma edição da Ginástica Laboral. De essa vez no Complexo Hospitalar de Contagem que corresponde ao Hospital Municipal, o Pronto Atendimento Infantil e o Centro Materno Infantil.

A Ginástica Laboral, que faz parte do Movimenta Contagem, têm sido um sucesso entre os servidores da Prefeitura. A ação promove a saúde e o bem estar no ambiente de trabalho e conta com o acompanhamento do fisioterapeuta, Rafael Fernandes. O movimenta vem agregando valor social e melhorando a auto-estima dos funcionários por onde é implantado.

Segundo a técnica em enfermagem, da Clínica Médica, Waldirene Martins o evento além de ser uma oportunidade de interação entre os colaboradores, também proporciona saúde para o corpo. “Muito proveitosa! A correria faz parte da nossa rotina como profissional e ficamos tensas. Quando a gente alonga da maneira correta deixa a gente relaxada e bem disposta durante o dia”, afirmou Waldirene.

A diretora do Centro Materno Infantil, Cristiane Rosalina Oliveira Pereira destacou que a Ginástica Laboral é uma excelente iniciativa e que é importante incentivar a participação de todos os colaboradores. De acordo com Cristiane os pacientes não serão prejudicados visto que haverá revezamento prezando manter a qualidade do atendimento no local e possibilitando uma maior participação dos funcionários a cada atividade.

Na ginástica laboral é realizada uma série de alongamentos e exercícios físicos no local de trabalho para evitar lesões dos colaboradores por esforço repetitivo ou doenças ocupacionais. Os exercícios são de intensidade média e não há restrição, todos podem fazer.

A ação que aconteceu no auditório do Centro Materno Infantil, contou com a presença de mais de 70 servidores durante a sua inauguração. Até o momento, a projeto está presente na Secretaria de Saúde, nos Centros de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz e da Ressaca.

Já atualizou seus dados na Unidade Básica de Saúde?

É através do seu contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcadas. Se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar o contato para que você seja avisado. Por isso, manter o cadastro atualizado na UBS é fundamental.

Procure a sua UBS e atualize seus dados! A renovação cadastral é prática e rápida.

 

Repórter: Ágatha Dumont (sob supervisão do Jornalista Lucas Santos)

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 21/08/2018

Número de cirurgias eletivas cresce até 60% no Complexo Hospitalar de Contagem

Com o acesso facilitado, diminui a quantidade de contagenses que se submetem a procedimentos cirúrgicos agendados em outros municípios

As cirurgias eletivas são procedimentos de média e alta complexidade, em todas as especialidades médicas, que podem ser agendadas, ou seja, sem caráter de urgência ou emergência. Desde o início da gestão, em janeiro de 2017, uma das diretrizes do prefeito Alex de Freitas é ampliar gradativamente esse tipo de cirurgia no Complexo Hospitalar de Contagem e hospitais conveniados.

E os números são expressivos. Nas ambulatoriais, em que o paciente é liberado imediatamente após a cirurgia, sem a necessidade de internação, como as de catarata e vasectomia, houve aumento de 60% em 2017 (21.242 procedimentos) em relação a 2015 (13.261). Nas eletivas em que os pacientes ficam internados o aumento foi de 36,6% em 2017 na comparação com 2016, passando de 1.758 para 2.402.

Contagem virou destaque nacional em cirurgias eletivas. Foi um dos poucos municípios brasileiros que em 2017 ultrapassou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Com isso, recebeu da pasta federal o dobro de recursos para a promoção desses procedimentos.

A verba extra liberada para Contagem foi de cerca de R$ 1,8 milhão. Ela se somou aos investimentos próprios da Prefeitura de Contagem para a Saúde, destinados às cirurgias eletivas, que ultrapassou R$ 3 milhões.

Com o aumento do investimento, Contagem conseguiu ampliar as agendas de procedimentos em especialidades como mastologia, ginecologia, cirurgia geral, ortopedia e pediatria, reduzindo a fila de espera em mais de dois mil pacientes.

Em 2018, Contagem está executando o Programa Fila Zero, com o objetivo de diminuir as filas das cirurgias eletivas. Estão sendo organizados mutirões para atender a demanda reprimida.

Na vizinhança

Outro importante dado é que desde 2017 a procura dos contagenses por outros municípios para se submeterem a cirurgias eletivas diminuiu. Foram feitas 656 cirurgias outras cidades, quase a metade em comparação com 2016 (1.138 procedimentos).

O cidadão de Contagem passou a ter o acesso facilitado às cirurgias, com poucos deslocamentos, o que dá mais conforto e facilita a vida e o apoio de familiares em momentos tão importantes e delicados.

Já atualizou seus dados na Unidade Básica de Saúde?

É através do seu contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcadas. Se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar o contato para que você seja avisado. Por isso, manter o cadastro atualizado na UBS é fundamental.

Procure a sua UBS e atualize seus dados! A renovação cadastral é prática e rápida.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adélcio R Barbosa

Data: 20/08/2018