Posts com a Tag ‘Cerest Contagem’

Enfermeiros do CHC recebem treinamento sobre acidentes de trabalho com material biológico

O médico Túlio Zulato, especialista em saúde do trabalhador, do Cerest (Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem) fala sobre a importância da prevenção e da notificação compulsória de casos de acidentes de trabalho com material biológico.

Profissionais da Saúde do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), principalmente enfermeiros, estão participando nesta semana de palestras sobre Acidente de Trabalho com Exposição a Material Biológico. O médico Túlio Zulato, especialista em saúde do trabalhador, do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem (Cerest) fala sobre a importância da prevenção e da notificação compulsória de casos de acidentes de trabalho com material biológico.

Na apresentação, o médico passa aos profissionais do CHC orientações técnicas sobre prevenção, como o manuseio correto de materiais, o descarte adequado de resíduos hospitalares e o uso de dispositivos de segurança. Outro ponto abordado na palestra é quanto às providências necessárias após o acidente de trabalho, como o fluxograma de atendimento e o correto preenchimento da ficha SINAN (Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação).

“Nosso objetivo é melhorar a notificação dos casos de acidente de trabalho com material biológico e pontuar a importância das medidas para sua prevenção”, explica a enfermeira do Serviço de Biossegurança do CHC, Adriana Alves. “É importante a conscientização dos profissionais que atuam no atendimento aos acidentes de trabalho com material biológico no Complexo, visto que são eventos graves dignos de notificações compulsórias, conforme protocolo do Ministério da Saúde, e que o profissional eventualmente acidentado se torna um paciente com todas as implicações técnicas, éticas e legais desse fato”.

No primeiro semestre deste ano, chamou a atenção da Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT) o aumento no número de notificações de acidente com material biológico no município, mas, segundo a enfermeira Adriana Alves, o que pode estar ocorrendo é, na verdade, uma melhoria no sistema de notificações, em comparação com anos anteriores.

Os acidentes mais comuns são causados por objetos perfurocortantes e atingem, em sua maioria, técnicos de enfermagem e agentes de higienização. As palestras estão sendo ministradas no auditório do Centro Materno Infantil, a partir das 14h, de terça a quinta-feira, com cerca de 40 participantes em cada dia. A partir de agora, palestras com esse enfoque serão periódicas no CHC.

 

Repórter: Eugênio Moreira

Foto: Divulgação

Data: 12/09/2018

Setembro Amarelo: Vencer na vida é viver

Cerest Contagem, que presta assistência especializada a todo trabalhador e trabalhadora acometido por doenças físicas ou psicológicas relacionadas ao trabalho e que necessite de atendimento, tratamento, ou, ainda, que tenha se envolvido em algum acidente de trabalho, reafirma a valorização da vida

O mês de setembro marca a chegada da primavera e, com ela, a expectativa de renovação para florescer a esperança nos corações. Não por acaso, o mês é uma ocasião propícia para celebrar e valorizar a vida, principalmente junto àqueles que estão enfrentando tristezas atrozes e dificuldades de encontrar motivos e respostas para viver. Preste atenção às pessoas do seu entorno: pode ser que alguém ali precise de ajuda para enfrentar tristezas, que fazem parte do ciclo da vida, tão grandes que fazem o indivíduo cruzar uma perigosa fronteira que pode aniquilar o desejo de viver.

No Brasil, país signatário do Plano de Ação em Saúde Mental lançado em 2013 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), comemora-se desde o ano de 2014 o “Setembro Amarelo”: trata-se de uma campanha que tem o objetivo de conscientizar a sociedade quanto à importância da prevenção do suicídio.

De acordo com dados da OMS de 2014, mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida por ano, sendo essa a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos. No Brasil, segundo dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade de 2017, em média, 11 mil pessoas tiram a própria vida por ano. O alerta para os altos índices de suicídio no mundo tem até um dia específico instituído pela OMS, 10 de setembro, data que marca o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. A data busca sensibilizar e conscientizar a população sobre os altos índices de suicídio no mundo e pontuar que essas mortes podem ser prevenidas.

E quando se fala de saúde mental, é preciso incluir nessas discussões os temas relacionados ao trabalho, fonte de criação e reafirmação de identidade e um dos fatores determinantes da saúde. “O nosso trabalho é lugar onde passamos o maior tempo de nossa vida, com colegas, amigos e gestores, falamos da nossa família, dos desejos, conquistas. O trabalho é lugar de vida”, afirma a especialista em Saúde do Trabalhador e diretora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), Fátima Caldeira Brant.

Em Contagem, para os casos em que o trabalho está gerando sofrimento para além da conta, as pessoas podem procurar pelo Cerest, que integra a rede SUS da cidade e atende a trabalhadores formais e informais, do setor público ou privado.

O Cerest é integrado à Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do município e presta assistência especializada a todo trabalhador e trabalhadora que resida nos municípios de Contagem, Ibirité e Sarzedo e esteja acometido por doenças físicas ou psicológicas relacionadas ao trabalho e que necessite de atendimento, tratamento, ou, ainda, que tenha se envolvido em algum acidente de trabalho.

Para acessar esses serviços, o trabalhador que apresente algum sintoma de doenças físicas ou psicológicas relacionadas às atividades do trabalho em que atua deve primeiro procurar por uma Unidade Básica de Saúde (UBS), que por sua vez fará o referenciamento ao Centro de Referência em Saúde do Trabalhador. O Cerest está localizado à avenida Pedro Olímpio da Fonseca, nº 545, no bairro Santa Cruz. O telefone é 3351-6130/6132. Atendimento: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

O melhor está por vir. Acredite!

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 11/09/2018

Colegiado de gestores da Saúde reúne-se para alinhamento de trabalhos da pasta

Necessidade de prestação de um bom acolhimento ao usuário da rede, alinhamento com as diretrizes da prefeitura e fenômeno da judicialização de demandas de saúde foram alguns dos destaques

 

Para debater sobre avanços, resoluções e encaminhamentos feitos no último mês na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), cerca de 120 pessoas, entre gestores de unidades e distritos, superintendentes, diretores, técnicos e assessores da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) participaram de uma reunião de colegiado na quinta-feira (5/7), na Nova Faculdade.

Foi feito um balanço dos primeiros dias com Cleber de Faria Silva como secretário de Saúde de Contagem. Também foi feita a apresentação dos nomes que passaram a ocupar cargos no contexto da reforma administrativa ocorrida em março deste ano e da nomeação de Cleber, em meados de maio. Essa foi a segunda reunião de colegiado com Cleber no comando da pasta.

Além disso, na oportunidade, o público presente pôde conferir uma apresentação sobre questões relacionadas à judicialização em saúde e à gestão compartilhada em saúde de Gilmar de Assis, promotor de Justiça aposentado, também conhecido como o “promotor da Saúde”, uma referência em Minas Gerais e no Brasil na área da saúde.

A mesa de trabalhos foi composta pelas seguintes autoridades: o secretário de Saúde de Contagem, Cleber de Faria Silva; a subsecretária de Assistência à Saúde, Kênia Silveira Carvalho; o subsecretário de Gestão em Saúde, Maurício Rangel de Souza; o assessor de Gabinete Ronaldo Wagner Gontijo; e o secretário de Trabalho e Geração de Renda de Contagem, Frederico Ricardo Fonseca Carneiro, o Fredim Carneiro, convidado a participar da abertura da reunião.

Cleber de Faria ressaltou a importância das equipes de saúde manterem o foco no acolhimento dos usuários da rede SUS / Contagem, frisando que os gerentes de unidades têm papel fundamental nessa mobilização para o acolhimento. O secretário de Saúde enfatizou ainda a intenção de transformar as reuniões de colegiado em rotina, nas quais gestores, técnicos e servidores terão oportunidade de se inteirar sobre o planejamento já pensando no médio e longo prazo e de compartilhar anseios. “Precisamos saber mobilizar as pessoas sob nosso comando, multiplicando o entendimento de que o acolhimento é fundamental. Existem defasagens no quadro de pessoal de algumas unidades, e o acolhimento acontece mesmo nesses lugares, apesar da falta de alguns profissionais. Os quadros profissionais das unidades serão repostos o máximo possível e imediatamente. O prefeito Alex de Freitas continua tendo a saúde como prioridade. Enfrentamos um furacão e vamos começar agora a sair dele. Vamos fazer das reuniões de colegiado uma rotina, para fazer as discussões, falar e ouvir”, afirmou Cléber.

Maurício Rangel de Souza, agora subsecretário de Gestão em Saúde, pontuou que estão acontecendo muitas coisas na saúde, como as melhorias na infraestrutura de algumas unidades. “A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vargem das Flores foi reformada, a UPA Ressaca será reformada, há unidades também passando por reformas. Estamos inaugurando uma unidade de apoio nas Centrais de Abastecimento de Minas Gerais S.A (Ceasa), para fazer um trabalho mais específico com os trabalhadores do local, que também envolve o Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Contagem. Precisamos estar conectados a todas essas ações. Neste ano, teremos vitórias em relação à saúde. O prefeito Alex confia em cada um de nós”, lembrou Maurício.

Kênia Silveira Carvalho, agora subsecretária de Assistência à Saúde, disse que o momento é propício para aprender mais sobre judicialização e para refletir sobre a importância de se prestar um bom acolhimento ao usuário, em um contexto no qual há pendências em repasses da saúde do governo do estado de Minas Gerais junto a municípios. “O governo do estado não está pagando. Ano passado, foram quase R$ 3 milhões que tiramos das nossas ações assistenciais para atender a demandas judiciais. Algumas estão na nossa governabilidade, outras, não”, asseverou Kênia. A subsecretária adiantou ainda que um plano de ação será concebido com base no o Plano Municipal de Saúde (PMS) quadriênio 2018/2021, por sua vez construído ao longo do ano passado, de forma democrática e participativa, por meio das pré-conferências de saúde que ocorreram em cada um dos oito distritos sanitários da cidade. “Começaremos a trabalhar com os superintendentes um plano de ação, com base no Plano Municipal de Saúde. Esse plano será apresentado em agosto”, disse Kênia Silveira.

Gilmar de Assis, promotor de Justiça aposentado, explicou que a judicialização e a gestão compartilhada são dois temas indissociáveis para se entender, nas palavras dele, “os novos tempos do Sistema Único de Saúde (SUS) e o Estado democrático de direito”. Gilmar ressaltou ainda a atuação da atual gestão na área da saúde: “Sou contagense por adoção, pois moro no Eldorado há muitos anos e já fui promotor titular da promotoria de Contagem. Fui diretor da Secretaria das Promotorias de Justiça da Comarca de Contagem de 2001 a 2009. Contagem está de parabéns, me sinto grandemente honrado por tudo o que está sendo feito na saúde de Contagem”, declarou Gilmar de Assis.

Repórter: Carolina Brauer
Foto: Fábio Silva
Data: 09/07/2018

Cerest promove ação contra o Trabalho Infantil

Você sabia que o trabalho infantil é crime? A partir desta premissa, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde (SMS), promoveu nesta terça (26) no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz, uma mobilização e sensibilização contra o trabalho infantil. O ato teve como objetivo conscientizar a população sobre esse crime que acomete cerca de 168 milhões de crianças em todo o mundo.

As atividades da saúde, realizadas entre os dias 19 e 26 de junho, pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), junto às unidades de saúde, escolas municipais, conselhos entre outros promoveu debate e sensibilização para o combate ao trabalho infantil.

É considerado trabalho infantil, no Brasil, aquele realizado por crianças ou adolescentes com idade inferior a 16 anos, a não ser na condição de aprendiz, quando a idade mínima permitida passa a ser de 14 anos.

É obrigatório, no entanto, o ensino dos quatro aos 17 anos, de acordo com o artigo 208 da Constituição da República Federativa do Brasil e artigo 4º da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96)

O Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil é celebrado anualmente em 12 de junho. Esta data foi criada por iniciativa da Organização Internacional do Trabalho, uma agência vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), em 2002.

 

Repórter: Jaiderson Henrique (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Fátima Brant

Data: 26/06/2018

 

Cerest Contagem promove Movimento Abril Verde

No próximo dia 28 de abril, o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) e a Vigilância em Saúde do Trabalhador (Visat) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizam a campanha Movimento Abril Verde. O evento marca o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho e tem como objetivo relembrar os trabalhadores que sofreram acidente no trabalho. Será entregue laços à todos os trabalhadores assistidos pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Contagem (Cerest).

Essa data foi instituída por sindicatos canadenses, para recordar à morte de 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969. No Brasil, em maio de 2005 foi promulgada a Lei nº 11.121, criando na mesma data o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

O acidente de trabalho grave é aquele que acarreta mutilação física ou funcional, e o que leva à lesão cuja natureza implique em comprometimento extremamente sério, com conseqüências nefastas ou fatais.

 

Repórter: Jaiderson Henrique ( sob supervisão de Aída Matos)

Foto: Fátima Brant

Data: 23/04/2018

Trabalhadores são orientados sobre a revisão dos benefícios do INSS

Seminário tratou o tema com o objetivo sanar dúvidas da população

Desde 2015, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está promovendo a revisão do Benefício Incapacitante de Longa Duração (Bild). Para esclarecer dúvidas e orientar trabalhadores de empresas públicas e privadas sobre os critérios estabelecidos para o recebimento de benefícios por meio do INSS, a
Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde, promoveu, na manhã desta quarta-feira (14), seminário no auditório do Centro Materno-Infantil.

Uma das missões do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem (Cerest) é acolher e direcionar os trabalhadores, por isso foi identificada a necessidade de oferecer a população uma oportunidade de entender o funcionamento do Bild, como explica a diretora do Cerest, Fátima Brant. “Lidamos com angústias de trabalhadores que passam por momentos delicados em relação à saúde no trabalho, e entendemos que todos têm direito de serem informados sobre as mudanças na previdência social”, afirma.

De acordo com a legislação, a revisão deveria ser feita a cada 2 anos após o início do benefício. Porém, não havia peritos suficientes para atender estes casos e a perícia inicial foi priorizada por ter uma demanda maior. Atualmente, estudos apontam que as revisões são essenciais para atender a quem de fato precisa do benefício.

A revisão dos benefícios de todos os trabalhadores do país será concluída até janeiro de 2019. Contagem tem um grande número de pessoas que passarão por essa revisão, e como é uma macrorregião, atende também trabalhadores de Ibirité e Sarzedo.

O seminário foi uma iniciativa do Cerest com o apoio do Conselho Intersetorial da Saúde do Trabalhador e Trabalhadora (Cistt) e da Vigilância em Saúde, em parceria com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Repórter: Nayara Vianna

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 15/03/2018

Cerest homenageia as mulheres

O Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem (Cerest) é responsável por dar assistência especializadas aos trabalhadores acometidos por doenças ou problemas de saúde relacionadas ao trabalho. O Cerest realiza ações de prevenção, promoção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e vigilância em saúde dos trabalhadores. E neste dia especial, dedicado às mulheres, a equipe entrega rosas que simbolizam respeito à todas colaboradoras.

Desde quando as mulheres decidiram se unir para lutarem pelos seus direitos se depararam com dificuldades e preconceito. Essa luta foi um marco histórico e a data é celebrada em todos os países.

A luta das mulheres pelo reconhecimento e respeito teve início no dia 8 de março de 1957, em uma fábrica de tecidos em Nova Iorque, quando as trabalhadoras fizeram uma greve para reivindicarem por seus direitos.

Neste dia, elas pediram redução da carga horária; salários equivalentes aos dos homens, uma vez que exerciam as mesmas funções; e melhorias nas condições de trabalho. Porém, a indústria reagiu de forma desumana e radical. O resultado foi a morte de cerca de 130 trabalhadoras. Esse trágico dia marcou o início das lutas das mulheres por seus direitos. Essa luta ainda é diária, e a cada dia, as conquistas são comemoradas. 

Repórter: Nayara Vianna

Foto: Fátima Brant

Data: 08/03/2018

Seminário discute erradicação do trabalho infantil

Trabalho em rede e capacitação são fundamentais para superar subnotificações no município, apontam especialistas participantes

Amanhã, dia 29 de novembro, Contagem comemora o Dia Mundial pela Erradicação do Trabalho Infantil, instituído pela Lei nº 3.600/2002. Para marcar a data e estimular uma reflexão em torno do tema, a Prefeitura de Contagem, por meio das secretarias municipais de Saúde e de Desenvolvimento Social e Habitação, promoveu, nesta terça-feira (28), o Seminário Regional Olhar da Saúde para a Erradicação do Trabalho Infantil.

Ao longo da manhã, o público participante, de cerca de 40 pessoas, composto de gerentes de Unidades Básicas de Saúde (UBS), diretores de distrito, referências técnicas e autoridades ligadas às secretarias, pôde acompanhar palestras sobre trabalho infantil e sobre o que são e que tipo de trabalho desenvolvem o Centro de Referência do Saúde do Trabalhador (Cerest) de Contagem e a Comissão Municipal de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Competi).

Em Contagem, segundo as exposições dos especialistas feitas durante o evento, os poucos dados disponíveis sobre trabalho infantil estão subnotificados. Uma das maneiras de se levantar informações sobre o assunto é por meio das notificações de acidentes de trabalho feitas a partir do atendimento à saúde prestado nas UBS, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e no Complexo Hospitalar.  

Além do trabalho desenvolvido na área da saúde para a erradicação do trabalho infantil, feito por meio do Cerest Contagem, a intersetorialidade em torno do tema envolve também a Vigilância em Saúde e outros setores da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação e a Competi, que congrega vários atores, como a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), o Conselho Tutelar e o próprio Cerest/Visat, que participa do Competi representando a rede SUS/Contagem.

De acordo com dados divulgados em novembro deste ano pelo Mapa do Trabalho Infantil, no Brasil, atualmente, 2,7 milhões de crianças com idade entre 5 e 17 anos estão trabalhando. Entre as funções exercidas, há aquelas que são as piores formas de trabalho infantil, como a prostituição, o tráfico de drogas, os conflitos armados e, ainda, o trabalho nos lixões, nas zonas agrícolas e na catação de alimentos em entrepostos. Seja em função da pobreza, de aspectos de ordem cultural ou das qualidades e habilidades desses jovens seres humanos, as crianças-trabalhadores são pessoas sujeitas a distúrbios emocionais, físicos e psíquicos diversos. Avançar rumo a uma sociedade com padrões mais altos de civilidade inclui a erradicação do trabalho infantil, na busca por uma sociedade mais justa e igualitária.

Redução de danos e intersetorialidade

Participaram da mesa redonda de debates os seguintes especialistas no tema: Túlio Zulato, especialista em Saúde do Trabalhador e médico do trabalho do Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest); Regina Couto, professora pela Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg) e referência no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) em Ibirité; e Fabiana Ghandini, assistente social e técnica de Proteção Especial de Média Complexidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação. A mediação ficou por conta da psicóloga e diretora do Cerest Contagem, Fátima Lúcia Caldeira Brant.

Participaram da mesa de abertura do evento o gestor de Vigilância em Saúde de Contagem, Tércio Sales Morais; a secretária Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação, Luzia Ferreira; e a diretora Cerest Contagem, Fátima Brant.

before

Erradicar o trabalho infantil, na busca por uma sociedade mais justa e igualitária

 Tércio Morais destacou a importância do fomento às discussões sobre o tema. Fátima Brant, frisando o a importância da atuação em rede, pontuou que, se não é possível erradicar o trabalho infantil, é possível atuar na redução de danos associados. Já Luzia Ferreira reafirmou o compromisso da gestão com a erradicação do trabalho infantil, por meio da adesão a essa causa e de políticas públicas que aperfeiçoem diagnósticos, integrem ações e trabalhem em forma de rede articulada, tanto interna quanto externamente.

“Na unidade básica de saúde, no momento do atendimento, quando, por exemplo, uma criança chega com um corte ou queimadura, os profissionais de saúde devem estar atentos para perguntar sobre a situação em que essa criança se machucou, porque pode ser que ela tenha se ferido durante a realização de um trabalho informal”, explica Fátima Brant. “Temos realizado um trabalho de capacitação em UBSs, UPAs e no Complexo Hospitalar”, complementa o médico Túlio Zulato. 

 Data: 28/11/2017

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Elias Ramos/ Fábio Silva

No Brasil, atualmente, 2,7 milhões de crianças com idade entre 5 e 17 anos estão trabalhando

Campanha vai tratar o combate ao trabalho infantil

Em comemoração ao Dia Municipal de Combate ao Trabalho Infantil, celebrado no dia 29/11, a cidade receberá ações de mobilização

A Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação, promove ações de mobilização e sensibilização durante a Semana em Combate ao Trabalho Infantil. O objetivo da ação é divulgar e apresentar, para a população, ações que dizem respeito ao combate do trabalho infantil no município. 

As ações, que ocorrerão nos dias 28 e 29/11 e no dia 1º/12, são coordenadas pela Diretoria de Proteção Especial Média Complexidade e Comissão Municipal Permanente de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Competi), composta por diversas secretarias (Desenvolvimento Social, Saúde, Educação, Defesa Social, Direitos Humanos e Cidadania, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e Conselhos Tutelares).

A técnica da Diretoria de Proteção de Média Complexidade e presidente do Compete, Fabiana Gandini, lembra que os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados em Assistência Social (Creas) também estão envolvidos com relação ao trabalho infantil em nosso município. “A intersetorialidade tem que estar envolvida nesse contexto, o trabalho precisa ser construído em conjunto. Nossa intenção com essa ação é atingir um público que até então não tínhamos atingindo, existem pontos em Contagem que ainda não foram sensibilizados, e até mesmo a questão do horário interfere para que possamos atingir um maior número de pessoas na cidade”, explica. 

Fabiana aborda também outra questão importante para conscientização do combate ao trabalho infantil.  “As pessoas passam e veem a venda do amendoim, na maioria das vezes acham que é normal e que os órgãos públicos não fazem nada. Queremos sensibilizar as pessoas que passam por estes locais e mostrar que a prefeitura vem trabalhando com um olhar diferenciado para essa questão”, concluiu.

Segundo a diretora da Proteção da Média Complexidade, Juliana Milagres, hoje os Creas vêm recebendo muitos casos de trabalho infantil, e essa ação ajuda na divulgação. “Muitas pessoas não têm conhecimento, acham que é normal, sempre falam que trabalham desde pequeno e nunca fez mal. Não entendem que algumas pessoas colocam crianças e adolescentes no trabalho infantil e em situações de risco. Por exemplo, temos em Nova Contagem o trabalho de descascar alho, onde crianças acabam se mutilando”, disse. 

Juliana Milagres explica, ainda, que algumas formas de trabalho infantil são muito graves e danosas para as crianças. “Por muitas vezes, as pessoas não têm consciência dos agravos que isso pode trazer para o futuro da criança e do adolescente. É importante informar que hoje possuímos o trabalho protegido  a partir dos 14 anos, com legislação que respalda o adolescente. Então a campanha vem para sensibilizar as pessoas, não somente a criança e o adolescente mais toda a comunidade com relação ao quanto pode ser danoso o trabalho infantil”, ressaltou. 

Para mais informações entre em contato com a equipe da Diretoria de Proteção da Média Complexidade, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação, pelo telefone: (31) 3913- 2029.

PROGRAMAÇÃO

28/11 – “Seminário Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest)”. Local: Nova Faculdade. 

Horário: das 8h às12h. 

Público alvo: Para gestores e/ou outros atores que não têm o conhecimento – olhar para o trabalho infantil (Seminário de Sensibilização).

28/11 – Ação Praça da Jabuticaba/ Drogaria Araújo 

Horário: das 18h às 20h

29/11 – Ação Supermercado Extra

Horário: das 16h às 19h

1º /12 – Ação Shopping Itaú

Horário: das 16h às 18h

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI

O Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) foi instituído pela Lei Orgânica da Assistência Social, por meio da Lei nº 12.435, de 6 de julho de 2011, como programa de caráter intersetorial, integrante da Política Nacional de Assistência Social, que no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas), compreende ações de transferências de renda, trabalho social com famílias e oferta de serviços socioeducativos para crianças e adolescentes que se encontrem em situação de trabalho.

A proposta de redesenhar o PETI resultou da implementação dos serviços socioassistenciais, desenvolvidos nos Cras e Creas. Dessa forma, o PETI fortalece o papel de gestão, de articulação e de integração da rede de proteção por meio das ações estratégicas para o enfrentamento ao trabalho infantil, as quais são estruturadas em cinco eixos: Informação e mobilização, Identificação, Proteção, Defesa e Responsabilização e Monitoramento.

Data:24/11/2017

Repórter: ketrily Andrade

 

Conheça o setor ligado à prevenção e promoção da saúde do trabalhador

Cerest Contagem atende a trabalhadores formais e informais de empresas públicas ou privadas

Os trabalhadores possuem uma jornada de trabalho muitas vezes desgastante, cheia de atribuições e que demandam atenção para evitar malefícios à própria saúde. Ao longo da vida profissional, são necessários cuidados para que não adquiram doenças ou se vejam inseridos em acidentes de trabalho.

Para atender a esses trabalhadores, formais e informais, de empresas públicas ou privadas, existe o Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Contagem, que integra a Superintendência de Atenção à Saúde (SAS) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Há 26 anos, o Cerest presta assistência especializada a todo trabalhador e trabalhadora que resida nos municípios de Contagem, Ibirité e Sarzedo.

Anastácia Abadia Pires é servidora na Prefeitura de Contagem, trabalha como Agente Comunitária de Saúde (ACS) no Distrito Sede e há oito meses faz tratamento psicoterápico no Cerest. Na avaliação dela, muitos trabalhadores não acessam esses serviços por desconhecimento de sua existência. “O atendimento do Cerest é muito bom, eles realizam um trabalho humanizado, com potencial de ajudar muita gente, mas, muitas vezes, os trabalhadores nem sabem que o Cerest existe”, diz Anastácia.

Todo trabalhador acometido por doenças ou problemas de saúde relacionados ao trabalho e que necessitar de atendimento pode procurar o Cerest

Serviços

Todo trabalhador acometido por doenças ou problemas de saúde relacionados ao trabalho e que necessitar de atendimento, tratamento ou, ainda, que tenha se envolvido em algum acidente de trabalho pode encontrar no Cerest Contagem os seguintes serviços: orientações sobre a prevenção de doenças e acidentes do trabalho, acompanhamento social e orientação previdenciária, atividades em grupo, acompanhamento coletivo ou individual durante tratamentos e orientação psicológica.

Para acessar esses serviços, o trabalhador que apresente alguma queixa ou é indicado a procurar os serviços do Cerest deve primeiro procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) à qual é referenciado e apresentar a sua queixa.  Após o atendimento na unidade de saúde, o profissional da unidade vai orientá-lo conforme a demanda e, constatada a necessidade, emitirá uma guia de referência. Essa guia deverá ser levada até o Cerest, juntamente com outros documentos pessoais (veja lista de documentos, abaixo). O tempo médio para o trabalhador ser recebido no Cerest depois do encaminhamento pela unidade é de uma semana. 

De acordo com a diretora do Cerest Contagem, Fátima Brant, no mês de outubro foram feitos 283 atendimentos e, em novembro, cerca de 150 trabalhadores encontram-se em atendimento. “Trabalhar a promoção e prevenção da saúde e a redução da morbimortalidade da população trabalhadora de Contagem é nossa meta”, afirma Fátima.

Palestras e seminários

Além do atendimento individual, o Cerest também faz um trabalho de prevenção a acidentes de trabalho, por meio da promoção de palestras e seminários, para levar informação e orientações preventivas a setores e empresas cujas estatísticas de ocorrências sinalizem essa necessidade. Essas atividades são intersetoriais e envolvem não só o Cerest, mas também outros setores da SMS, tais como Vigilância em Saúde do Trabalhador (Visat), Imunização, Atenção Básica, DSTAids e até mesmo exteriores à SMS, como a Secretaria Adjunta de Limpeza Urbana.

No contexto da campanha Novembro Azul, estão previstas ações intersetoriais entre a Atenção Básica à Saúde de Contagem e o Cerest, tais como:

– 28/11: Seminário O Olhar da Saúde para Erradicação do Trabalho Infantil, em sensibilização ao Dia Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil, das 9h às 12h, na Nova Faculdade, localizada na avenida Cardeal Eugênio Pacelli, nº 1996, no bairro Cidade Industrial. Evento voltado aos gestores, gerentes e referências técnicas da área da Saúde.

– 30/11: Ação de prevenção aos riscos de acidente de trabalho nas atividades de garis e o cuidado com a saúde, das 7h às 8h30, no canteiro da empresa Localiza, situada à avenida João César de Oliveira, nº 4.665, bairro Cinco.

Endereço

O Cerest Contagem está situado à rua Pedro Olímpio da Fonseca, nº 545, no bairro Santa Cruz, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h.

Veja a lista de documentos necessários para o atendimento no Cerest

1.    Cartão Nacional de Saúde ou Cartão do SUS.
2.     Apresentação de documento de identidade com foto.
3.    Comprovante de Residência.
4.    Carteiras de Trabalho e Previdência Social – CTPS.
5.    Cartões de Cadastro de Pessoa Física – CPF.
6.    Todos os exames, relatórios, laudos e atestados médicos que tenham relação com a doença ou o acidente de trabalho.

Observação: Devem ser apresentados os documentos originais; no caso do item 6, basta a apresentação das cópias

Data:17/11/2017

Repórter:  Simone Ribeiro (sob a supervisão de Carolina Brauer)

Fotos: Adelcio Barbosa