Posts com a Tag ‘CCE Iria Diniz’

Contagem celebra um ano do programa Mover – Movimento em favor da vida

Nessa sexta-feira (21), é comemorado, no Brasil, o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. O dia é uma importante oportunidade para refletirmos sobre a importância da inclusão social. Contagem realizou ao longo dessa semana diversas ações em comemoração a data. Entre elas, um ano de sucesso do Programa “Mover – Movimento em favor da vida”.

Aureliano Moisés da Silva, morador do bairro Fonte Grande, região Sede, foi um dos beneficiados com o programa. Há sete anos a vida dele mudou e passou a precisar de uma cadeira de rodas. Porém, sua vontade de viver e seu sorriso no rosto o deixaram mais forte. Em 2017, precisava de uma nova cadeira, foi até a Unidade Básica de Saúde (UBS), próxima a sua casa e solicitou o equipamento.

Para sua grata surpresa e de sua esposa, Aureliano recebeu uma ligação do Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz (CCE), informando que ele receberia uma cadeira de rodas motorizada. “Estou muito feliz, devido a envergadura que tenho nas costas, a cadeira de rodas ‘comum’ não de dava estabilidade”, ressaltou Aureliano.

A independência foi outro destaque que ele fez. Após a cadeira motorizada, Aureliano já se deslocou tanto por Contagem que precisou trocar os pneus. “Estou totalmente independente, vou ao Eldorado com muita frequência agora, faço as compras da casa”. Para facilitar as compras, ele adaptou outra cadeira de rodas e criou uma ‘carretinha’ que acopla em sua cadeira motorizada.

A esposa de Aureliano, também, comemora o novo equipamento. Silvana Sônia Nogueira destaca que a região que sentia dores no corpo ao empurrar a cadeira antiga, devido aos morros da região que mora. “Nossa vida mudou 100%”, afirma a esposa.

Programa Mover

O programa criado em 2017, pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, visa zerar a fila de usuários que são beneficiados com uma cadeira de rodas motorizada.

Na oportunidade foram entregues 58 cadeiras, já em 2018, o número chegou a 70. O investimento da Prefeitura de Contagem é de cerca de R$ 600 mil. No total, 128 usuários foram beneficiados.

Os beneficiados pelas cadeiras motorizadas receberam diagnóstico ou fazem no CCE Iria Diniz tratamento de lesão medular, paraplegia (perda de controle e sensibilidade dos membros inferiores), tetraparesia (perda parcial da motricidade nos quatro membros) e distrofia muscular.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Adelcio Ramos Barbosa

Data: 21/09/2018

 

Programa IST/AIDS e Hepatites Virais é referência no município de Contagem

Centro de Testagem e Aconselhamento é a referência para diagnóstico de Infecções Sexualmente Transmissíveis

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) é um serviço de saúde da rede SUS que promove o acesso ao aconselhamento e ao diagnóstico do HIV, das hepatites B e C e da sífilis, doenças conhecidas como Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). Além do aconselhamento, da testagem e do diagnóstico, o CTA disponibiliza informações e preservativos femininos e masculinos, e encaminha os usuários com resultados reagentes para o tratamento.

O Programa de orientação e apoio sorológico de HIV em Contagem começou há 19 anos, em 1999. De lá para cá, 2.668 pessoas retiraram medicamentos para fortalecer o sistema imunológico frente à infecção, que ainda não tem cura, mas tem tratamento e controle. Atualmente há 1.454 usuários cadastrados no Serviço de Assistência Especializada (SAE) de Contagem que fazem uso regular dos medicamentos antirretrovirais. O programa IST/AIDS de Contagem dispõe de uma equipe multidisciplinar composta por quatro médicos infectologistas (sendo três infectologistas-adulto e um infectologista-infantil), psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais e farmacêutico.

Em 2017, de acordo com o setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram notificados em Contagem 144 casos de HIV+ e 59 casos de AIDS. Até o dia 31 de junho de 2018, já são 53 casos de HIV+ e 20 casos de AIDS. Todos os casos são confirmados em indivíduos acima de 13 anos de idade.

“As pessoas precisam se conscientizar quanto à necessidade do uso do preservativo nas relações sexuais, que é a principal via de contágio do HIV. Só na semana passada, fizemos o atendimento pelo SAE de nove primeiras consultas, ou seja, existem mais nove pacientes diagnosticados com o HIV”, afirma o coordenador do programa IST/Aids, Paulo Henrique Teixeira Belmiro.

Para não ter dúvida, faça o teste e se previna!

As testagens podem ser feitas de segunda a quinta-feira, com distribuição de 30 senhas ao dia, sendo 15 senhas distribuídas às 7h30 e mais 15 às 13h. Caso seja confirmado o diagnóstico do HIV, é oferecida, gratuitamente, toda a medicação necessária e o acompanhamento da equipe multidisciplinar. As sextas-feiras são reservadas para o trabalho de orientação e aconselhamento de profissionais do CTA, feito em escolas e empresas. O CTA também promove qualificações de profissionais da Atenção Básica da rede SUS/Contagem.

Profilaxia Pós-Exposição (PEP)

A recomendação de uso do preservativo em todas as relações sexuais é unânime. No caso de uma relação sem proteção, ou se acontecer de o preservativo estourar, e em situações de violência sexual e acidente ocupacional, a pessoa deve procurar, o mais rápido possível, pelo atendimento médico de urgência na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) JK. Lá serão feitos os exames e administrados os medicamentos antirretrovirais relativos ao protocolo da Profilaxia Pós-Exposição Sexual (PEP).

Diferença entre HIV e AIDS

“É importante assinalar que AIDS e HIV não são a mesma coisa. As siglas designam coisas diferentes. AIDS é a sigla em inglês para a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA), ocasionada pelos desdobramentos do contágio com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). Ainda não existe uma cura para a AIDS, mas o vírus pode ser controlado com medicamentos.

Todos os que têm AIDS estão infectados com o HIV, mas nem todos os infectados pelo HIV irão desenvolver a AIDS”, explica o coordenador Paulo Henrique Teixeira Belmiro.

O Programa IST/AIDS e Hepatites Virais está localizado à avenida João César de Oliveira, nº 2.889, no bairro Eldorado. Para a testagem, é solicitado um documento com foto.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 27/08/2018

Prefeitura promove mutirão de vasectomia

Objetivo é incentivar o engajamento dos homens no planejamento familiar e normalizar a fila de espera para o procedimento

A decisão sobre ter ou não filhos e, em caso positivo, sobre a quantidade de filhos desejada é individual e familiar. Mulheres e homens podem evitar uma gravidez indesejada, e a vasectomia, procedimento cirúrgico feito no homem, é uma das formas de prevenir a gestação. Helder Alessandro Martins da Silva, 38 anos, passou por uma cirurgia de vasectomia nesta terça-feira (21), no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz. Acompanhado pela esposa, Carla Santos Xavier, ele conta que aguardou por dois anos para ser chamado para realizar o procedimento e que essa foi uma decisão que envolveu muita reflexão. “Tenho uma filha de nove anos e também um enteado. Tomei essa decisão, e minha esposa está de acordo, porque não adianta ter um monte de filhos e não poder cuidar deles direito”, argumenta.

Carla, esposa de Helder, explica que a chegada da filha do casal foi planejada pelo marido. “Ele é uma pessoa muito centrada. Ele tomou essa decisão também pensando em mim, e eu o apoiei. A expectativa de vida está aumentando, as taxas de natalidade estão caindo e as pessoas estão vivendo mais, mas as coisas são difíceis. Ter filho é ter uma grande responsabilidade”, complementa Carla.

Helder foi um dos mais de duzentos homens já que foram atendidos em mais um mutirão de vasectomia promovido pela Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O objetivo é incentivar o engajamento dos homens no planejamento familiar e normalizar a fila de espera para a vasectomia, um procedimento relativamente rápido de esterilização masculina. Feita com anestesia local e considerada definitiva, a vasectomia é uma cirurgia contraceptiva em que o canal que leva espermatozoides do testículo ao pênis é interrompido. “Para fazer a vasectomia é preciso assistir uma palestra, tem os exames e os procedimentos, mas a cirurgia mesmo durou apenas uns 20 minutos, foi muito rápido e simples”, disse Helder após a cirurgia, da qual saiu caminhando normalmente.

O mutirão, que teve início em junho e se estenderá até setembro de 2018, promove um incremento de aproximadamente 60 cirurgias de vasectomia mensais em relação à oferta rotineira, que é de cerca de 40 procedimentos, para possibilitar que uma média de cem cirurgias mensais seja ofertada até o término da ação. De lá para cá, mais de 200 procedimentos foram executados, reduzindo pela metade uma fila de espera que já foi de 400 homens. As cirurgias estão sendo feitas no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz.

O médico urologista Arley Valle Soares, um dos médicos urologistas do CCE iria Diniz, reforça que a cirurgia é bastante rápida, contudo, “mais importante do que falar sobre a cirurgia em si é falar do que vem antes. A vasectomia é um procedimento cirúrgico, definitivo, voltada para aquelas pessoas, aqueles casais que estão realmente decididos a não ter filhos. Porque, se for uma coisa temporária, existem vários outros métodos contraceptivos muito eficazes e que não são definitivos”, diz o urologista. E como todo método contraceptivo, a vasectomia apresenta prós e contras. “A vantagem principal da vasectomia é o controle do homem sobre a gravidez. Porque, quando ele não faz, esse controle está compartilhado com a parceira, com a esposa.  A desvantagem é que se trata de um método contraceptivo, para quem não quer mais ter filhos, e não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Então, para aquelas pessoas que vão continuar a ter vida sexual, que não seja uma pessoa casada, precisa manter os cuidados”.

“Disfunção sexual causada por vasectomia”: mito a ser combatido com informação

De acordo com o médico Arley Valle, a grande preocupação da maioria dos pacientes é quanto a supostos problemas sexuais ou urológicos que poderiam ser causados pela vasectomia. O urologista ressalta, contudo, que a vasectomia não provoca disfunção sexual. “As pessoas que nunca fizeram, às vezes por ansiedade, ou por medo, ficam no disse-me-disse, mas a vasectomia não causa nenhuma alteração na função sexual, ela não interfere na parte do testículo, é simplesmente uma ligadura do canal que vai levar o espermatozoide. A ejaculação permanece, mas em volume menor. O sêmen é composto por três substâncias e o espermatozoide é uma delas”, explica o médico.

Você deseja realizar uma vasectomia? Veja como acessar a cirurgia

A gestora do CCE Iria Diniz, Aliny Vasconcelos, explica que a vasectomia é um procedimento cirúrgico relativamente simples e que está disponível na rede SUS/Contagem. “O homem pode participar do processo de planejamento da família ao optar por uma vasectomia, que é um procedimento cirúrgico simples, rápido e que pode ser feito sem a necessidade de internação. Os interessados devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para se inteirar sobre os encaminhamentos necessário, como participar das reuniões do planejamento familiar com as equipes de Saúde da Família e estar com os documentos em dia, como o termo de consentimento assinado e exames laboratoriais sem alteração”, detalha Aliny. A rede SUS/Contagem conta com três urologistas, que atendem no CCE Iria Diniz, e oferta uma média de 600 consultas mensais para a especialidade.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 22/08/2018

Dia D da Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo e 1º Mamaço do Centro Materno mobilizam famílias em Contagem

Em Contagem, cerca de 30 mil crianças estão aptas para receberem as vacinas

Jéssica, Tatiane e Lanna saíram de casa com os filhos no último sábado com o mesmo objetivo. Incentivar outras mães a amamentarem seus filhos e vaciná-los contra a poliomielite e o sarampo. Valentina, Heitor e Caio já estão imunizados e integram a expectativa do Ministério da Saúde:  vacinar 11,2 milhões de crianças em todo o país. Em Contagem, cerca de 30 mil crianças estão aptas para receberem as vacinas.

Para incentivar o aleitamento materno e sensibilizar a população quanto à importância e seus benefícios, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promoveu no último sábado, 18 de agosto, na praça do Iria Diniz, o primeiro Mamaço do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, a Maternidade de Contagem. A iniciativa ocorre no contexto do Agosto Dourado, instituído pela a Lei nº 13.435/2017, que estabelece agosto como o Mês do Aleitamento Materno.

Em conjunto à ação, também ocorreu o Dia D de Mobilização da Campanha de Vacinação Contra o Sarampo e a Poliomielite. Mães, pais ou responsáveis também puderam aproveitar para levar as crianças de um ano a menos de cinco anos para receber as vacinas contra sarampo e poliomielite no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz. A campanha será  promovida até 31 de agosto e o atendimento está disponível  em 49 salas de vacinação, das 8h às 16h30 (clique AQUI para ver os endereços), espalhadas por todos os distritos sanitários da cidade. Para receber os imunizantes, basta apresentar o documento de identidade e o cartão de vacinação.

Campanhas são fundamentais

A presidente do Comitê de Aleitamento Materno do CMI, Kátia Fonseca, esteve presente ao Mamaço para uma roda de conversa sobre a importância da amamentação. “O aleitamento materno é a primeira vacina que o recém-nascido recebe na sua vida. Para o bebê, o leite materno é um alimento completo e que age no combate a doenças. O colostro é a primeira imunização após o nascimento. O bebê recebe os anticorpos maternos e é colonizado com as bactérias protetoras que a mãe tem em seu organismo”, informou Kátia.

O prefeito Alex de Freitas marcou presença no evento e levou os filhos para vacinarem. “Temos que fazer a nossa parte como poder público, mas cada pai, mãe ou responsável também deve cumprir o seu papel e levar os filhos até um local de vacinação. Já trouxe as minhas ferinhas! Assim como são fundamentais as vacinas contra a poliomelite e sarampo, a primeira vacina de todas é o leite materno. Combinamos as duas campanhas para também incentivar e conscientizar as mães sobre os benefícios da amamentação e a doação para os bancos de leite”, destacou.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o leite materno é capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos, reduz o risco de desenvolvimento de hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta e protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. E para a mulher, pesquisas indicam que o ato de amamentar atua diminuindo as chances de desenvolvimento dos cânceres de mama e de ovário.

O secretário Municipal de Saúde, Cleber de Faria Silva, ressaltou que o Brasil tem algumas dificuldades em relação a adesão  dos pais às campanhas de vacinação, mas Contagem está em um patamar interessante em percentagem de cobertura. “Esperamos que nesse mês alcancemos novamente a meta exigida pelo Ministério da Saúde. A SMS irá fazer todos os esforços para a cobertura e assistência às crianças, que são as principais beneficiadas. O 1º Mamaço foi idealizado com o intuito de alcançar mais mães e conscientizá-las sobre a importância da amamentação”, salientou.

Jéssica Damasceno, mãe de Valentina de 1 ano e 6 meses, fez questão de vacinar a filha e ainda participar do Mamaço. “O momento da amamentação é o mais especial que passo com ela. Trabalho e adaptei o meu tempo para estar com ela. Quero amamentar enquanto ela quiser”. Jéssica é garota propaganda da campanha e também doadora de leite materno.

A pedadoga Tatiane Silva é mãe de Heitor de 10 meses e Dante de 6 anos. Ela elogiou a iniciativa da prefeitura por em uma única ação propor duas questões importantes: a amamentação e a vacinação. “Temos que incentivar outras mães à pratica da amamentação. No início pode ser difícil e doloroso, mas não podemos desanimar porque os benefícios são inúmeros. Muitas mães desistem ou não produzem leite, mas é um vínculo muito importante tanto para criança quanto para a mãe. Amamentei o Dante até os 2 anos e o Heitor é amamentado até hoje. As mães devem insistir para garantir uma vida mais saudável para os filhos, além do amor transmitido durante a amamentação que é um momento único”, frisou.

Lanna Mara Moreira, mãe do Caio de 1 ano e 9 meses, ressaltou que divide o seu tempo na profissão de decoradora e mãe, priorizando a amamentação do filho. “Além da vacinação, a amamentação é muito importante, pois é a garantia de uma vida mais saudável dos nossos filhos e tranquilidade para os pais”, finalizou.

 

Repórter: Stella Santiago

Foto: Adelcio R Barbosa

Data: 20/08/2018

Maternidade de Contagem promove primeiro “Mamaço” na Praça Iria Diniz

Na ocasião, mães e pais poderão aproveitar para vacinar seus filhos contra o sarampo e a poliomielite no posto volante instalado no CCE Iria Diniz

A prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), promove no próximo sábado (18), das 9h às 12h, na praça Iria Diniz, uma ação de incentivo ao aleitamento materno para sensibilizar a população quanto à importância da amamentação.

Será o primeiro Mamaço do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, a Maternidade de Contagem, quando um grupo de mães se reunirá para amamentar seus bebês em público.

Para participar, basta que as mães compareçam à praça com seus bebês, para que sejam amamentados no seio materno. A iniciativa ocorre no contexto do “Agosto Dourado”, instituído pela a Lei nº 13.435/2017, que estabelece agosto como o Mês do Aleitamento Materno. São esperadas dezenas de mães e seus bebês.

Na mesma oportunidade, mães, pais ou responsáveis também poderão aproveitar para levar as crianças de um ano a menos de cinco anos para receber as vacinas contra sarampo e poliomielite no Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz: é que especialmente no próximo sábado (18), das 8h às 17h, Dia D da mobilização nacional da Campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo, será possível levar as crianças para tomar as vacinas no CCE Iria Diniz.

A presidente do Comitê de Aleitamento Materno do CMI, Kátia Fonseca, estará presente ao Mamaço para uma roda de conversa sobre a importância da amamentação. “O aleitamento materno é a primeira vacina que o recém-nascido recebe na sua vida. Para o bebê, o leite materno é um alimento completo e que age como uma verdadeira vacina. O colostro é a primeira imunização após o nascimento, imuniza os bebês protegendo contra doenças. O bebê recebe os anticorpos maternos e é colonizado com as bactérias protetoras que a mãe tem em seu organismo”, adianta Kátia.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o leite materno é capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos, reduz o risco de desenvolvimento de hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta e protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. E para a mulher, pesquisas indicam que o ato de amamentar atua diminuindo as chances de desenvolvimento dos cânceres de mama e de ovário.

O MS e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam que os bebês sejam amamentados até os dois primeiros anos de vida ou mais, sendo o leite materno o único alimento recomendado nos seis primeiros meses de vida. Segundo a OMS e o Fundo das Nações Unidas para a infância (Unicef), cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até o sexto mês de vida. “Amamentar logo após o nascimento, na primeira hora, é muito importante para a mãe e para o bebê porque essa atitude protege mais o bebê contra doenças e ajuda a mulher a ter leite mais rapidamente e nas contrações uterinas, diminuindo o risco de hemorragias. É um ato que salva vidas”, completa Kátia.

 

Já atualizou seus dados na Unidade Básica de Saúde?

É através do seu contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcadas. Se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar o contato para que você seja avisado. Por isso, manter o cadastro atualizado na UBS é fundamental.

Procure a sua UBS e atualize seus dados! A renovação cadastral é prática e rápida.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Divulgação

Data: 15/08/2018

Ginástica laboral é implantada no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz

A ação, que faz parte do Movimenta Contagem, contou com a presença de mais de 35 servidores, na inauguração da primeira atividade no CCE Iria Diniz

Em decorrência dos desgastes que muitos profissionais sofrem entre uma problemas pessoais, ansiedade e tensões no dia a dia, estar bem fisicamente e com a saúde em dia é importante para manter o bem-estar e promover a melhora na qualidade de vida. Pensando em seus servidores, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com o Núcleo de Incentivo à Cidadania (NIC) implantou nesta quinta-feira (09), a Ginástica Laboral também no CCE Iria Diniz.

Na ginástica laboral são realizados uma série de alongamentos e exercícios físicos no local de trabalho para evitar lesões dos colaboradores por esforço repetitivo ou doenças ocupacionais. Os exercícios são de intensidade média e não há restrição, todos podem fazer.

 A diretora de Gestão da unidade, Aliny Vasconcelos, ressaltou a importância da atividade no local. “Trazer a ginástica laboral para o CCE Iria Diniz foi muito importante para a humanização e valorização dos nossos profissionais e ao mesmo tempo promove a integração entre eles e o setores”, disse Aliny Vasconcelos.

A ação, que faz parte do Movimenta Contagem, contou com a presença de mais de 35 servidores, na inauguração da primeira atividade no CCE Iria Diniz. Entre eles, a presença da ginecologista e ultrasonografista, Tânia Mara Montijo Soares que relatou sobre a importância do projeto no coletivo para unir a equipe. “Eu achei super interessante, porque o nosso dia a dia é muito atribulado. O alongamento e a atividade física no local de trabalho é uma excelente idéia. A prática no coletivo proporciona a união da equipe”, afirmou Tânia Mara Montijo Soares.

A servidora da área administrativa, Rosângela Aparecida de Almeida e Costa, gostou da experiência e disse que a atividade será excelente não só para ela, mas também para os seus colegas. “Pelo o que eu já senti aqui, vai fazer muito bem para mim. Porque eu já estou com 60 anos, a vida anda meio parada e se eu movimentar o corpo vai me ajudar bastante”, disse Rosângela.

De acordo com o fisioterapeuta do projeto Movimenta Contagem, Rafael Fernandes, responsável por orientar as aulas nas unidades, o projeto que começou na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) tem gerado bons resultados e está sendo bem aceito pelos participantes. Destacou ainda que existe a possibilidade de implantação das atividades do projeto no Hospital Municipal de Contagem e no Centro de Consultas Especializadas da Ressaca. A proposta está em processo de análise e aguardando confirmação.

Já atualizou seus dados na Unidade Básica de Saúde?

É através do seu contato telefônico que a equipe de saúde comunica o agendamento de consultas, exames e cirurgias marcadas. Se o seu telefone não estiver atualizado no seu cadastro, que fica na sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência, isso pode prejudicar o contato para que você seja avisado. Por isso, manter o cadastro atualizado na UBS é fundamental.

Procure a sua UBS e atualize seus dados! A renovação cadastral é prática e rápida.

 

Repórter: Ágatha Dumont (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Lucas Santos 

Data: 09/08/2018

Saúde sem preconceito e sem discriminação

CTA de Contagem promove roda de conversa com transexuais para aproximá-las de serviços de saúde relacionados às ISTs / Aids

A garantia ao atendimento à saúde é uma prerrogativa de todo cidadão e toda cidadã brasileiros, respeitando-se suas especificidades, como aquelas relacionadas à orientação e práticas afetivas e sexuais de transexuais, pessoas que não se identificam com o gênero biológico e se vestem e se comportam como pessoas de outro sexo. Trata-se de um grupo que vive sob condições de violência, vulnerabilidade social, discriminação e estigma que, portanto, possui necessidades e demandas em saúde muito específicas e complexas. As experiências de preconceito e exclusão comuns às trajetórias das pessoas trans acabam por dificultar a iniciativa de busca por equipamentos de saúde, incluindo aqueles relacionados ao diagnóstico e tratamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Com o objetivo de promover o acesso aos serviços do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) por pessoas trans, esclarecer dúvidas e falar sobre prevenção e tratamento das ISTs, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveu uma roda de conversa em uma casa-pensão na região do Industrial. A visita à casa aconteceu na quinta-feira (12). Participaram do encontro seis das aproximadamente 12 trans, oriundas de diferentes lugares para além de Minas Gerais, como Alagoas, Pernambuco e Sergipe, que moram lá e trabalham na cidade como profissionais do sexo. A participação na roda de conversa se deu de forma voluntária.

O diálogo foi mediado por Simone Maia e Cláudia Oliveira, aconselhadoras do CTA de Contagem. A solicitação da visita de integrantes do CTA partiu de Giselle Rodrigues, que acolhe as meninas na casa. A ação foi viabilizada graças à articulação e iniciativa do coordenador do IST / Aids do Centro de Consultas Especializadas (CCE) Iria Diniz, Paulo Henrique Teixeira Belmiro.

Na ocasião, houve também distribuição de preservativos e de material informativo sobre a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), que consiste no uso de medicamentos antiretrovirais após um possível contato com o vírus HIV em situações como violência sexual, relação sexual desprotegida e acidente ocupacional, e sobre a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), uso preventivo de medicamentos antes da exposição ao vírus do HIV. Já na sexta-feira (13), a equipe do CTA voltou à casa-pensão para fazer a testagem nas trans que quiseram fazer o teste.

O coordenador do programa IST / Aids, Paulo Henrique, comenta sobre a especificidade da ação. “É uma ação de promoção à saúde voltada a um público muito específico, de difícil acesso e vulnerável, que precisa de muita atenção e um olhar diferenciado”, afirma o coordenador.

Em muitos casos, o acesso aos serviços de saúde pelas trans vai se dar apenas via unidade de urgência, para lidar com estados já avançados da Aids. A aconselhadora Cláudia Oliveira relata que a procura das trans pela testagem é baixa. “Já temos no Serviço de Atendimento Especializado (SAE) esse público em tratamento, mas quando elas chegam ao SAE já houve a infecção. Viemos aqui para tentar promover o acesso antes que aconteça a contaminação”, argumenta Cláudia.

Contudo, em meio a histórias repletas de vivências como segregação, o estigma ligado à orientação e práticas afetivas e sexuais das trans e à infecção pelo vírus, há também narrativas de superação. “Há um paciente em tratamento lá no SAE que diz que o fato dele ter conseguido transitar na saúde por causa do HIV fez com que ele conseguisse transitar no espaço público”, assevera a aconselhadora Simone Maia.

Estigma e preconceito

Aos poucos, no decorrer da conversa da quinta-feira na casa-pensão da Giselle, vão aparecendo as dúvidas e as provas de que o estigma e a discriminação seguem como obstáculos para a prevenção e tratamento do HIV. No Brasil é possível contar com o acesso gratuito aos serviços de saúde relacionados ao HIV, que incluem prevenção, testagem, aconselhamento e tratamento. Na farmácia do SAE de Contagem, atualmente, cerca de 1.200 pessoas fazem tratamento regular mensal, retirando medicamento para controle e tratamento.

Entretanto, como aponta o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS) “o estigma e a discriminação prejudicam os esforços no enfrentamento à epidemia do HIV, ao fazer com que as pessoas tenham medo de procurar por informações, serviços e métodos que reduzam o risco de infecção, e também de adotar comportamentos mais seguros, com receio de que sejam levantadas suspeitas em relação ao seu estado sorológico”, diz a organização em publicação de 4/10/2017.

“Temos vergonha”, “não sabemos onde é”, “a gente não quer procurar”, “tem gente que sabe que tem e fica espalhando o vírus”, “eu prefiro não saber” “já vi uma bicha que era linda e, depois que descobriu que tinha o negócio, a bicha acabou” são algumas das respostas à pergunta sobre o porquê de as trans não aparecerem no CTA para se testar. “Como a gente é profissional do sexo, às vezes faz com camisinha, às vezes faz sem, se o cliente pede, ou se tem alguma química”, revela uma das meninas. “Eu não sei o que é um hospital há anos. Acho que só vou quando estiver naquele lugar”, desabafa outra.

O médico Leandro Cury de Lima Sousa, um dos infectologistas do Programa IST /Aids, confirma que as trans são um grupo com alta vulnerabilidade para o HIV. “É um grupo em que os índices de contágio ainda crescem, e isso é verificado em todo o Brasil. Embora as trans estejam sob condições de vulnerabilidade em virtude de dois fatores de risco, por serem transexuais e, em alguns casos, também profissionais do sexo, contam com pouca avaliação médica e não se testam com frequência. São um grupo que tem indicação para fazer uso da PrEP. Mas, na rotina do consultório, tenho atendido a muitas pessoas, de todas as idades, condutas sexuais e gêneros. É preciso que todos se previnam”, adverte o infectologista.

De acordo com o setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em 2017, foram notificados 144 casos de HIV (sigla para o vírus causador da Aids) e 59 casos de Aids (quando o conjunto de sintomas e eventos que ocorrem devido à infecção por HIV se manifesta. O vírus pode passar por um processo de incubação de tempo variável antes do surgimento dos sintomas da doença). Já em 2018, de janeiro a junho, foram 53 casos de HIV confirmados e 20 casos de Aids. Todos os casos são confirmados em adultos (acima de 13 anos de idade).

Nome social para atendimento nas unidades de saúde

O Ministério da Saúde (MS) garante aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) o uso do nome social no cartão de identificação de usuários, conforme Portaria n° 1820, de 13 de agosto de 2009. O respeito do uso nome social e à forma como a pessoa se autorrefere e se autoidentifica é uma das condutas muito importante para a prestação de acolhimento humanizado das travestis.

CTA de Contagem – SAE / CCE Iria Diniz

O CTA funciona de segunda a quinta-feira, com distribuição de senhas às 7h30 e às 13h. O endereço é avenida João César de Oliveira, nº 2.889, no Eldorado. É solicitado um documento com foto. O CCE Iria Diniz conta com três médicos infectologistas-adulto e um médico infectologista-infantil.

 

Repórter: Carolina Brauer

Foto: Fábio Silva

Data: 13/07/2018

Contagem prioriza a saúde e segue com novas entregas de órteses e próteses

O destaque é para os calçados ortopédicos fabricados de acordo com a necessidade e avaliação do usuário

 

Maria de Lourdes Batista, 82 anos, tem dificuldades de mobilidade devido à diminuição de cinco centímetros no tamanho da perna esquerda, proveniente de um desgaste ósseo. Foi recomendada a moradora da região da Ressaca, um sapato ortopédico para melhorar a pisada, o equilíbrio e a aliviar o peso na coluna.

Durante a entrega dos sapatos, Maria de Lourdes que estava acompanhada do filho Wantuir Antônio Damasceno ficou comovida de felicidade. “Agora posso caminhar com mais segurança. Sinto muita dor nas mãos por causa do esforço que fazia com a bengala”, disse Maria de Lourdes.

Essa foi mais uma ação da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realizada nessa quarta-feira (27), no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz, que entregou da linha de órtese, prótese e meios de locomoção aos usuários com mobilidade reduzida. Dentre os objetos entregues, o destaque é para os calçados ortopédicos fabricados de acordo com a necessidade e avaliação do usuário.

O diretor da área médica da Secretaria de Saúde, Dr. Luiz Fernando Avelar dos Santos lembra a importância da retomada desse projeto após cinco anos de paralisação. “Creio que é mais uma demonstração do governo Alex de Freitas, que prioriza a saúde atendendo a demanda que foi reprimida desde 2013. Muitas pessoas já estavam aguardando o calçado ortopédico. A retomada desse projeto auxilia e muda a vida dessas pessoas”.

A referência técnica da Reabilitação da SMS, Renata Schettino, relatou sobre a importância dos calçados especiais para o usuário. “A adequação do calçado é importante para o melhor funcionamento do corpo do usuário por evitar dores e lesões subsequentes, em outros membros”, destacou Renata.

Seguindo em frente

Na última quarta-feira (20), a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Saúde entregou 12 calçados ortopédicos. O usuário que precisa de alguma órtese ou prótese deverá procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência.

 

Reportagem: Ágatha Dumont (sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Ágatha Dumont

Data: 28/06/2018

Prefeitura retoma entrega de sapatos ortopédicos para pacientes com mobilidade reduzida

Após cinco anos parados, a Saúde do município retomou a linha de órtese, prótese e meios de locomoção

 

José Adilson Pimenta, 68 anos, tem dificuldades de mobilidade devido a um quadro de diabetes. Foi recomendado ao morador da região do Nacional um sapato ortopédico, para melhorar a pisada e diminuir as dores nas costas. José Adilson foi encaminhado para o Centro de Consultas Iria Diniz e na última quarta-feira (20), recebeu o esperado sapato ortopédico.

A ação foi uma realização da Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Após cinco anos parados, a Saúde do município retomou a linha de órtese, prótese e meios de locomoção que atende usuários com mobilidade reduzida. Na primeira etapa, 12 usuários foram contemplados.

Ele reside no bairro Jardim Alvorada, região caracterizada por morros, o que dificulta a locomoção de José Adilson. Ele não escondeu a alegria de receber o calçado ortopédico. “Melhorou demais a minha vida, nunca tive um sapato desses, facilita minha caminhada e diminuiu as dores nas costas”.

A referência técnica da Reabilitação da SMS, Renata Schettino revelou que alguns usuários esperavam há mais de cinco anos. “Por problemas de fornecimento, desde 2013, a Prefeitura de Contagem não realizava a entrega dos sapatos ortopédicos”, destacou Renata.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Fábio Silva

Data: 25/06/2018

Copa do Mundo: saiba sobre funcionamento das unidades de saúde

Unidades de Saúde de Contagem funcionam em expediente diferente durante a Copa

 

Unidades de Saúde de Contagem funcionam em expediente diferente durante a Copa. As Farmácias Distritais, Centros de Consultas Especializadas Iria Diniz e Ressaca e Unidades Básicas de Saúde (UBS) funcionarão com horários alterados, em dias de jogos do Brasil. No dia 22 de junho funcionarão das 13h às 18h e no dia 27 de junho das 7h às 13h.

Já, os serviços de urgência e emergência, que englobam o Complexo Hospitalar de Contagem (Hospital e Maternidade), Unidades de Pronto Atendimento (UPA´s), Samu e os Centro de Atenção Psicossocial (CAP`S), não sofrerão mudança nos horários, durante a Copa do Mundo.

Em caso de classificação para as etapas subsequentes, o expediente será: das 14h às 18h, nos dias úteis em que houver jogos da seleção brasileira de futebol às 11h. E  das 7h às 13h, nos dias úteis em que houver jogos da seleção brasileira de futebol às 15h.

Decreto

A Prefeitura de Contagem divulgou em, 8 de junho, no Diário Oficial, o decreto Nº 536, que trata da mudança no horário de funcionamento das repartições públicas durante os jogos da Seleção Brasileira,  na Copa do Mundo da Rússia.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Divulgação

Data: 19/06/2018