Palestra alerta sobre mito, prevenção e sinais do suicida

Evento fez referência à campanha mundial Setembro Amarelo. Para a palestrante, falar é a solução

“As pessoas não estão suportando a vida”, a frase dita pela psicóloga Cláudia Cunha, que aparentemente é pesada, retrata bem os dias atuais. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. No Brasil, em média 32 pessoas tiram a própria vida todos os dias. Esse número coloca o país entre os dez no ranking de suicídios.

Cláudia Cunha, que é mestre em Promoção à Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais, palestrou na quarta-feira (11/9), no evento “Setembro Amarelo – viver é sempre a melhor a opção”, promovido pela Secretaria de Saúde de Contagem, por meio do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador. A ação reuniu servidores de Contagem e região para discutir o tema. Segundo a psicóloga, o suicídio é tratado como tabu. “Por isso, é tão importante encontros como esse para esclarecer os mitos, debater prevenções e alertar sobre os sinais. Não estamos falando sobre morte, mas sobre vida. As taxas de suicídios crescem anualmente, principalmente, entre jovens e idosos”, argumentou.

A estagiária da Ouvidoria da Saúde, Lorrayne Cristine, ressaltou que a palestra foi muito importante e “que todos tem o dever de conscientizar sobre o suicídio, não somente no mês de setembro, mas todos os dias. Uma pessoa com pensamentos suicida pode estar ao nosso lado e nem sempre percebemos”, disse. A meta da Organização Mundial de Saúde (OMS) é reduzir em 10% a mortalidade por suicídio até 2020. O Brasil é um dos países que assinou o Plano de Ação em Saúde Mental, lançado em 2013.

Falar é a melhor solução

O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, 24 horas todos os dias, pelo telefone: 188.

Setembro Amarelo

Em 1994, um jovem americano de apenas 17 anos, chamado Mike Emme, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Seus amigos e familiares distribuíram no funeral cartões com fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem enfrentando o mesmo desespero de Mike. No Brasil, o Setembro Amarelo foi iniciada em 2015, por meio de uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

 

 

 

Repórter:  Lucas Santos

Foto: Fabio Silva

Data: 11/09/2019