Enfermeiros do CHC recebem treinamento sobre acidentes de trabalho com material biológico

O médico Túlio Zulato, especialista em saúde do trabalhador, do Cerest (Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem) fala sobre a importância da prevenção e da notificação compulsória de casos de acidentes de trabalho com material biológico.

Profissionais da Saúde do Complexo Hospitalar de Contagem (CHC), principalmente enfermeiros, estão participando nesta semana de palestras sobre Acidente de Trabalho com Exposição a Material Biológico. O médico Túlio Zulato, especialista em saúde do trabalhador, do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Contagem (Cerest) fala sobre a importância da prevenção e da notificação compulsória de casos de acidentes de trabalho com material biológico.

Na apresentação, o médico passa aos profissionais do CHC orientações técnicas sobre prevenção, como o manuseio correto de materiais, o descarte adequado de resíduos hospitalares e o uso de dispositivos de segurança. Outro ponto abordado na palestra é quanto às providências necessárias após o acidente de trabalho, como o fluxograma de atendimento e o correto preenchimento da ficha SINAN (Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação).

“Nosso objetivo é melhorar a notificação dos casos de acidente de trabalho com material biológico e pontuar a importância das medidas para sua prevenção”, explica a enfermeira do Serviço de Biossegurança do CHC, Adriana Alves. “É importante a conscientização dos profissionais que atuam no atendimento aos acidentes de trabalho com material biológico no Complexo, visto que são eventos graves dignos de notificações compulsórias, conforme protocolo do Ministério da Saúde, e que o profissional eventualmente acidentado se torna um paciente com todas as implicações técnicas, éticas e legais desse fato”.

No primeiro semestre deste ano, chamou a atenção da Vigilância em Saúde do Trabalhador (VISAT) o aumento no número de notificações de acidente com material biológico no município, mas, segundo a enfermeira Adriana Alves, o que pode estar ocorrendo é, na verdade, uma melhoria no sistema de notificações, em comparação com anos anteriores.

Os acidentes mais comuns são causados por objetos perfurocortantes e atingem, em sua maioria, técnicos de enfermagem e agentes de higienização. As palestras estão sendo ministradas no auditório do Centro Materno Infantil, a partir das 14h, de terça a quinta-feira, com cerca de 40 participantes em cada dia. A partir de agora, palestras com esse enfoque serão periódicas no CHC.

 

Repórter: Eugênio Moreira

Foto: Divulgação

Data: 12/09/2018