Colesterol: doenças, tratamentos e prevenção

Como forma de conscientização e prevenção de doenças cardiovasculares comemora-se nesta quarta-feira (8), o Dia Nacional de Combate ao Colesterol.

Para a maioria das pessoas o colesterol é um vilão, mas poucos sabem que ele é primordial para o bom funcionamento do organismo.  No entanto, os níveis de colesterol devem estar sempre equilibrados. Como forma de conscientização e prevenção de doenças cardiovasculares comemora-se nesta quarta-feira (8), o Dia Nacional de Combate ao Colesterol.

O excesso de colesterol ocorre por fatores alimentares e genéticos. Se o indivíduo tem um parente de primeiro grau (por exemplo: pai, mãe, irmãos) com colesterol alto, a chance de ter colesterol alto será maior. Por ser uma doença silenciosa, o colesterol é considerado como o principal causador das doenças crônicas como a hipertensão e o diabetes.

Em excesso, o colesterol contribui para o entupimento das artérias impedindo a passagem do sangue e aumentando os riscos de doenças cardiovasculares (aterosclerose, infarto, AVC, insuficiência cardíaca e insuficiência vascular periférica). As  doenças causadas pelo excesso de colesterol sãos as que mais matam no Brasil e no Mundo.

Segundo o diretor da área médica da Secretaria Municipal de Saúde, Luiz Fernando Avelar dos Santos, o colesterol não provoca sintomas mesmo com os altos índices de colesterol no sangue e explica o que deve ser feito para identificá-lo. “A única maneira de saber os níveis de colesterol é através do exame de sangue, basta procurar uma Unidade Básica de Saúde e solicitar ao seu médico a revisão laboratorial.”

Luiz Fernando Avelar ressalta que o diagnóstico depende da dosagem sanguínea de colesterol total e de suas frações, ou seja, das lipoproteínas de alta e baixa densidade (HDL e LDL) e também de triglicérides – um outro tipo de gordura presente na circulação, que contribui para aumento do risco cardiovascular quando elevada.

Prevenção

O exame de sangue para medir os níveis de colesterol deve ser feito ao menos duas vezes ao ano. “Existem situações em que mesmo com as mudanças no estilo de vida e alimentação adequadas não são suficientes para reduzirem os níveis de colesterol, dessa forma devemos iniciar com o tratamento medicamentoso onde as Estatinas são as mais usadas nos casos de Hipercolesterolemia isolada”, ressaltou Luiz Fernando Avelar dos Santos.

Função do Colesterol

O colesterol é responsável pela produção de vitamina D, hormônios esteróides (o que inclui hormônios sexuais), atua como antioxidante, ajuda na fabricação da bílis e das vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), a maior parte é produzida pelo fígado e o restante vem da ingestão de alimentos.

É importante lembrar que o HDL (colesterol bom) e LDL (colesterol ruim) desempenham papel importante na bioquímica do corpo. O leite materno, por exemplo, é rico em colesterol e contém uma enzima especial que ajuda o bebê a utilizar esse nutriente garantindo o seu desenvolvimento cerebral e do sistema nervoso.

Prevenção e tratamento:

Além de uma alimentação equilibrada há outras maneiras de evitar o aumento do colesterol e diminuí-lo:

  • Fazer exercícios físicos: a atividade física pode ajudá-lo a emagrecer e a diminuir as tensões. Controlando o peso, fazendo exercício ou praticando esporte, você diminui o risco de infarto e os níveis de colesterol no sangue;
  • Não fumar: o cigarro é um fator de risco para doença coronária. Aliado ao colesterol multiplica os riscos;
  • Evitar o estresse: uma vida menos estressada também diminui o risco de infarto e redução do colesterol. Procure transformar as suas atividades diárias em algo que lhe dê satisfação;
  • Estabeleça uma dieta balanceada: evite frituras, alimentos processados e alimentos gordurosos. Consuma frutas e vegetais crus, alimentos ricos em fibra e peixes de água fria. Seja rigoroso no controle da alimentação, principalmente se for diabético;
  • Coma uma variedade de alimentos ricos em fibras como: aveia, pães integrais e maçãs. As fibras ajudam a reduzir as taxas de colesterol;
  • Limite os alimentos ricos em colesterol, como gema de ovo e fígado;
  • Utilize derivados de leite pobres em gordura: leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light;

 

Repórter: Ágatha Dumont ( sob supervisão de Lucas Santos)

Foto: Divulgação

Data: 07/08/2018