Aos primeiros sintomas de gravidez, procure uma unidade de saúde pra iniciar o pré-natal

O exame pré-natal possibilita o acompanhamento do desenvolvimento do bebê e a identificar possíveis doenças

Além do Iria Diniz, exames são oferecidos às gestantes em 70 Unidades Básicas de Saúde de Contagem

Moradora da regional Vargem das Flores, Rosilene Batista tem uma filha de 6 anos. Ao decidir ser mãe novamente, teve uma grande surpresa no pré-natal. Ela está grávida de gêmeos. “É muito importante o pré-natal, pois dá para acompanhar o desenvolvimento dos bebês”, destacou.

Rosilene começou a fazer o pré-natal em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) próxima de casa. Mas como a gravidez de gêmeos é considerada de risco, foi encaminhada para o ambulatório Flores do Iria, no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz, no terceiro mês de gestação.

Ela se enquadra nas diretrizes do Ministério da Saúde, que preconiza que toda gestante deverá fazer pelo menos sete consultas de pré-natal. A enfermeira Viviane dos Reis, do Flores do Iria, enfatiza que os exames devem ser iniciados no momento em que a gravidez é descoberta. “Tive uma paciente que só ficou sabendo que tinha diabetes graças ao pré-natal”.

O pré-natal também pode identificar a presença do vírus HIV, sífilis e toxoplasmose, dentre outras doenças.

Riscos

Em 2018, 4.490 mulheres fizeram sete ou mais consultas de pré-natal em Contagem, seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde. Porém, 1.680 não cumpriram essa meta ou sequer fizeram pré-natal.

Número preocupante, pois segundo a referência técnica da Saúde da Mulher da Secretaria Municipal de Saúde, Caroline Hespanha, o Comitê Central de Morte Materna Infantil do Município avaliou que 80% das mortes durante a gestação ou até um ano após o parto poderiam ser evitadas com o pré-natal.

Em Contagem, o pré-natal é ofertado a gestantes baixo e médio riscos em 70 UBSs. A gestação de alto risco é acompanhada no Iria Diniz.

 

Repórter: Lucas Santos

Foto: Fábio Silva

Data: 05/07/2019