Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Encenação para aprimorar atendimentos reais

Simulado de Trauma envolve Samu, Corpo de Bombeiros, Faculdade de Ciências Médicas e Secretaria de Estado de Saúde

Fábio Silva

Mais de 150 pessoas participaram da ação conjunta entre integrantes do Corpo de Bombeiros e do Samu das cidades participantes

Uma colisão entre dois carros e um ônibus. Um veículo em chamas, explosões e fumaça. Entre as muitas vítimas, algumas em estado grave no interior do ônibus. Há também alguém preso às ferragens de um dos automóveis. Logo chegam os socorristas e os bombeiros, que começam a prestar socorro às vítimas. Começa a se formar um aglomerado de curiosos e pessoas que querem ajudar, e à medida que as vítimas são rapidamente socorridas no próprio local da colisão, com as sirenes ligadas, unidades de resgate chegam para encaminhá-las aos serviços de saúde, sob o desespero de familiares. Aos poucos, os feridos são levados para o Hospital Odilon Behrens, o Semper, a Upa Centro-Sul e para a Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (CMMG).

Toda essa cena poderia ter ocorrido hoje mais cedo, mas, desta vez, tudo não passou de uma simulação.

Com o objetivo de criar situações de aprendizagem nas situações de urgência e emergência em saúde, em um ambiente controlado no qual atores caracterizados como vítimas são socorridos após um grave acidente de trânsito, uma operação conjunta entre os Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Contagem, Belo Horizonte e Santa Luzia, a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) de Minas Gerais, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e a CMMG promoveu o Simulado de Trauma.

A encenação, ocorrida na manhã desta sexta-feira (10), no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, em Belo Horizonte, chamou a atenção de quem passava pelo parque. 

O treinamento preventivo contou com dois automóveis e um ônibus especialmente preparados para a ação, da qual participaram dezenas de atores, alunos da CMMG que se maquiaram e se caracterizaram para se assemelharem a vítimas de acidentes de trânsito, bem como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e socorristas do Samu e dos Bombeiros. O treinamento contou também com diversas Unidades de Suporte Avançado (USA) e de Suporte Básico (USB) e Unidades de Resgate do Corpo de Bombeiros.

Mais de 150 pessoas participaram da ação, entre alunos e professores da CMMG, integrantes do Corpo de Bombeiros e do Samu das cidades participantes, entre eles, aproximadamente 30 integrantes do Samu Contagem.

O diretor do Samu Contagem, Hudson Douglas Ferreira da Silva, explica que foram necessários cerca de 45 dias para que toda a encenação pudesse ser feita. “Toda a simulação que fizemos hoje é, na verdade, um exemplo do que ocorre no dia a dia do Samu Contagem, uma referência na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH)”, afirma Hudson. 

“Iniciativas como essa contribuem para o aprimoramento do atendimento às urgências e emergências que é prestado no município. Esse foi o terceiro simulado do qual integrantes do Samu Contagem participaram só nos últimos três meses”, ressalta Alexandre Viana de Andrade, assessor técnico da Superintendência de Urgência e Emergência (Surg) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Contagem, que também acompanhou o simulado.

O professor da disciplina de Urgência da CMMG Marcelo Medeiros Salles, um dos coordenadores da operação, reforça que o simulado é uma oportunidade de os alunos vivenciarem na prática o conhecimento teórico aprendido nos bancos escolares. “Essa capacitação oferece a oportunidade de melhorar o processo de formação dos nossos alunos, criando uma oportunidade para eles experienciarem, na prática, o que é aprendido nas aulas”, diz o professor.

O tenente Nardell, também integrante da coordenação do evento, elenca três grandes contribuições que a ação proporcionou ao Corpo de Bombeiros: “Há a questão da integração entre os bombeiros e outros órgãos públicos, como o Samu, e privados, como a Faculdade de Ciências Médicas. Com isso, podemos alinhar comportamentos e atitudes em situações complexas, para que seja possível uma coordenação dos esforços de todos os órgãos envolvidos. Por fim, mas não menos importante, é uma forma de treinar e de reciclar conhecimentos, para que, quando preciso, possamos trazer para a realidade o conhecimento adquirido”.

   

REPÓRTER: Carolina Brauer   FOTO CRÉDITO: Fábio Silva    

PUBLICAÇÃO: 10/11/2017 16:14:20

Simulação para situações emergenciais