Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Vacina contra Febre Amarela à disposição da população

Até o mês de novembro quase 140 mil pessoas foram vacinadas em Contagem

Os moradores de Contagem ainda podem se vacinar contra a febre amarela. A vacina é a medida mais importante para prevenção e controle da doença. De acordo com o Ministério da Saúde a eficácia é acima de 95%.  A população pode se encaminhar a uma das 50 Unidades Básicas de Saúde, além de duas clínicas conveniadas. Até o mês de novembro, 139.387 pessoas foram vacinadas. 

Segundo a diretora de Imunização da Secretaria de Saúde, Fernanda Eliza, há vacinas para suprir toda a demanda de Contagem. “Temos que conscientizar a população sobre a importância da vacinação. A vacina é dose única, eficaz e segura”, concluiu Fernanda. A febre amarela é transmitida, nas cidades, pelo mesmo vetor da Dengue, Zika e Chikungunya, o mosquito Aedes aegypti.

Clínicas Conveniadas para vacinação (Além das 50 Unidades Básicas de Saúde)

Fundação Fiat

Avenida João César de Oliveira, 600 – Eldorado.

Abertta (AcerlorMittal)

Avenida General David Sarnoff, 5.150 – Industrial

Quem deve tomar a vacina, com restrições

Pessoas acima de 60 anos deverão ser vacinadas somente se residirem ou forem se deslocar para áreas com transmissão ativa da febre amarela e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.

Gestantes (em qualquer período gestacional) e mulheres amamentando só deverão ser vacinadas se residirem em local próximo onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus (epizootias, casos humanos e vetores na área afetada) e que não tiverem alguma contraindicação para receber a vacina.

Mulheres amamentando devem suspender o aleitamento materno por 10 dias após a vacinação e procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno e garantir o retorno à lactação.

Pessoa vivendo com HIV/AIDS desde que não apresentem imunodeficiência 

Quem não deve tomar a vacina

Pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias.

Imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas).

Pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe).

Transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia.

Pessoas que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina.

Pessoas com reação alérgica grave ao ovo.

Pacientes com história pregressa de doença do timo (miastenia gravis, timoma).

 

   

REPÓRTER: Lucas Santos  

PUBLICAÇÃO: 16/11/2017 16:18:08