Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Armadilha contra a dengue apresenta resultados positivos

Ovitrampas contribuem no combate à proliferação do Aedes aegypti

Fábio Silva

O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito para que coloquem os ovos na armadilha

Após a instalação das armadilhas que combatem a proliferação da dengue (ovitrampas), Contagem já registra os primeiros resultados positivos. Na Regional Industrial, região com alto índice de concentração de ovos, onde a equipe de Combate a Endemias visitou as casas, borrifou e recolheu os materiais que pudessem armazenar água, além disso instalaram as primeiras armadilhas. No ciclo seguinte as instalações, houve queda de 275% no número de ovos, mostrando a efetividade da ação. 

Há quatro meses esses equipamentos, ovitrampas, estão sendo utilizados com frequência em Contagem. A Regional serviu como base para os primeiros testes. Ao todo a região recebeu 56 armadilhas. Nas próximas semanas, as regionais Sede e Vargem das Flores irão receber 72 e 43 ovitrampas, respectivamente. A expectativa que em 2018, a ação alcance toda a cidade.

O projeto está sendo implementado em Contagem, pelo médico veterinário Marco Túlio de Oliveira, após quatro anos de estudos. As ovitrampas simulam um ambiente perfeito para a procriação do mosquito. “Um recipiente é preenchido com água, que fica parada, atraindo o mosquito. Nele, os pesquisadores inserem uma palheta de madeira, que facilita que a fêmea do Aedes coloque ovos.  Cada armadilha atinge um raio de 200 metros”, ressaltou o médico veterinário.

before

A Regional Industrial serviu como base para os primeiros testes

 O objetivo é atrair as fêmeas do mosquito para que coloquem os ovos na armadilha. O equipamento fica na residência por um período de sete dias, voltando a ser instalada após 15 dias. Pela quantidade de ovos, ou ausência deles, a prefeitura saberá se há fêmeas com foco no raio da armadilha. A cada semana, o material é enviado para um laboratório para conferência. “Com as ovitrampas, podemos controlar a dengue em todo o município”, concluiu Marco Túlio.

Colaboração 

Além dessa ação, já é senso comum que a única maneira de evitar os casos de dengue é impedindo a proliferação do Aedes aegypti. As práticas mais comuns para combater os focos são: evitar o armazenamento de água parada, limpar calhas e caixas d’água com frequência, evitar acúmulo de lixo e colocar areia nos pratos e vasos de flores. Essas são ações na qual a população é protagonista, ou seja, cabe a cada morador zelar pela sua residência, ou terreno.

   

REPÓRTER: Lucas Santos   FOTO CRÉDITO: Fábio Silva    

PUBLICAÇÃO: 14/12/2017 16:49:07