Acessibilidade: -A +A normal

 
Prefeitura Municipal de Contagem
   

Estipulada tarifa única da integração ônibus e metrô em Contagem

A passagem mais cara, no valor de R$ 5,60, foi abolida por decreto municipal

A partir de agora, a tarifa de integração dos ônibus do transporte público municipal de Contagem com o metrô tem valor único para todos os deslocamentos:  R$ 4,85. A medida entrou em vigor com o Decreto nº 42/2017, assinado pelo prefeito Alex de Freitas em 13 de março. 

Havia dois valores da integração: R$ 4,85 e R$ 5,60. Eles eram cobrados de acordo com a distância percorrida pelo passageiro. Ou seja, para bairros mais distantes da estação do metrô Eldorado, cobrava-se a passagem mais cara, como ressaltam as empresas que operam o sistema de transporte rodoviário em Contagem.

Com a redução do valor da passagem de ônibus de R$ 4,05 para R$ 3,70, determinada por Alex de Freitas, a tarifa de integração diferenciada (R$ 5,60) tornou-se abusiva. Descontado dos R$ 5,60 o valor de R$ 1,85 da tarifa do metrô, o passageiro desembolsava R$ 3,75 ao passar pela roleta dos ônibus, R$ 0,05 a mais do que é cobrado nas linhas municipais.

O decreto municipal, portanto, unificou o valor da integração de R$ 4,85 (subtraído R$ 1,85 do metrô, o passageiro paga R$ 3 no ônibus, ou R$ 0,70 a menos). O objetivo é garantir o acesso ao transporte coletivo com preço mais  baixo, como destaca o vice-presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e  Transportes de Contagem (Transcon), Cláudio Vanderly.

"Por meio do Decreto 42 foi restabelecida uma tarifa única de integração ao metrô em Contagem. A tarifa B, que é de R$ 4,85, torna a cobrança mais justa  aos cidadãos contagenses", destaca Vanderly.

Desafio metropolitano

Melhorias no transporte metropolitano foram defendidas pelo prefeito Alex de Freitas na  abertura do evento preparatório para o IV Encontro dos Municípios com o  Desenvolvimento Sustentável (EMDS), em Contagem. Ele classificou como vergonhosa a situação do transporte coletivo na Região Metropolitana de BH. “Nós precisamos enfrentar esse desafio de forma urgente.  Sobram desculpas, mas a verdade é que há quase 30 anos não conseguimos atacar o  problema da mobilidade urbana”, afirmou.

Alex de Freitas defendeu a ampliação do metrô ou outro meio de transporte com mais conforto. “Se o metrô não for possível por razões financeiras, que  possamos entregar o monotrilho ou sistema BRT. Agilidade, eficiência e conforto é o que a população espera que façamos”, justificou, no evento do último dia 10.

Ele fez um apelo aos prefeitos presentes, para que se organizem em torno da causa. “Vislumbro uma oportunidade ímpar de unirmos forças. Precisamos resolver isso até 2020. O povo merece e precisa”, disse.

   

REPÓRTER: Lucas Santos e Carol Cunha  

PUBLICAÇÃO: 20/03/2017 18:28:28